Vivo Meditação, a tecnologia com face humana

vivo_meditacao.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira
29/06/2017 - "Lançar aplicativos (apps) que possam estreitar o relacionamento entre seus clientes e a Vivo é um projeto que já se consolidou nos últimos meses. Em muitos casos, esses apps dão novo sentido à experiência do usuário e, em especial, ao seu bem-estar psicológico. É o caso do Vivo Meditação, um app de meditação guiada por Satyanatha – nome monástico do brasileiro Davi Murbach, que viveu sete anos como monge em Kauai Aadheenam, um dos mais ortodoxos monastérios indianos, com sedes no Ceilão, na Índia e no Havaí."

Essas palavras do Diretor de Serviços Digitais e Inovação, Fernando Luciano, dão o perfeito sentido dos novos serviços lançados pela Vivo. Com ele, a operadora assume papel de protagonista para discutir com a sociedade temas que vão muito além da conexão digital, incentivando clientes, funcionários e parceiros a "viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas"

Para Fernando Luciano, "serviços como o Vivo Meditação abrem nossas possibilidades de melhor qualidade de vida e de relacionamento humano."

O app foi desenvolvido em parceria com a Movile, uma das empresas que lideram o mercado de mobile commerce global. E tem vários tipos de meditação – fáceis de entender e de praticar – que se dividem em três categorias:

• meditações ESSENCIAIS, focadas em energias, mantras, cores e vibração;
• meditações para MOMENTOS especiais, cada uma com um propósito, como dormir melhor, aprender a perdoar ou abrir-se para um novo amor;
• e a JORNADA rumo à paz interior, uma série avançada que ajuda o meditador a se tornar um expert na meditação.

O aplicativo mescla a voz de Satyanatha como guia com trilhas sonoras relaxantes e músicas opcionais. O app dá a oportunidade de o usuário escolher opções como a "Sono Bom" para dormir melhor, ou a "Performance e Excelência", para aprimorar o desempenho no trabalho, entre outras. O conteúdo ainda conta com aulas em vídeo e animações. Todas as meditações adotam a técnica de meditação Natha, estruturada e fácil para iniciantes, que foi iniciada com Nandinatha há 2.200 anos no alto da cadeia dos Himalayas. Elas têm durações variadas de 5 a 50 minutos.

Depois de viver por mais de sete anos no monastério, Satyanatha hoje dedica-se à prática da meditação, ensinando o que aprendeu como monge. De volta ao Brasil em novembro de 2015, atualmente tem alunos particulares e dá aulas abertas para grandes grupos em São Paulo e nos Estados Unidos.

Para o mestre, participar no desenvolvimento do aplicativo é a oportunidade de dar continuidade à sua missão de vida: compartilhar seu conhecimento com a maior quantidade de pessoas possível. "A possibilidade de produzir conteúdo para um serviço com o potencial de atingir milhões de pessoas é o que me motivou a aceitar este desafio. Fui convidado para me tornar um dos líderes do monastério, vivendo no claustro, mas refleti que minha vocação era compartilhar o que aprendi", afirma.

Uma história de desapego

Nascido no interior de São Paulo, Satyanatha, hoje com 38 anos, cursou Engenharia da Computação na Unicamp. Aos 24 anos, deixou uma carreira promissora em consultorias, sua vida pessoal, e todos os seus bens: carro, apartamento, móveis e roupas, para ingressar em Kauai Aadheenam.

Passou mais um ano em treinamento e tornou-se monge aos 26 anos, após uma cerimônia na qual ficou 33 dias sentado de frente para um muro, o Muro da Chuva, meditando se aquela era a escolha que desejava para sua vida. No monastério, formou-se em Teologia Comparada e desempenhou diferentes funções, tornando-se, inclusive, editor da revista Hinduism Today, a maior do mundo em seu assunto.

A assinatura mensal do Vivo Meditação custa R$ 24,99/mês e a semanal, R$ 5,99/semana. Para contratar o serviço, o usuário deve enviar um SMS com a palavra-chave MEDITA para o número 6100.

Sala de meditação

A Vivo quer trazer os benefícios da meditação também para seus funcionários. Por isso, o prédio-sede da empresa, em São Paulo, acaba de ganhar uma sala de meditação. A iniciativa faz parte do novo posicionamento da empresa, que propõe a seus clientes e funcionários "viver menos do mesmo". A Vivo convida seus funcionários a aproveitar mais as boas coisas da vida, dedicando atenção àquilo que mais importa.

Com capacidade para 40 pessoas, a sala de meditação poderá ser usada por qualquer funcionário. Periodicamente, Satyanatha dará aulas, mas a proposta é que a sala tenha livre uso e que os funcionários possam usar o Vivo Meditação, que é gratuito para todos que trabalham na companhia.

Viva menos as mesmas experiências

Com o Vivo Meditação, a Vivo se posiciona, ainda mais, como uma marca protagonista na vida de seus clientes, colaboradores e parceiros. A marca, que conecta cerca de 100 milhões de pessoas e empresas em todo o Brasil, lidera um movimento transformador, que incentiva as pessoas a "viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas".

A marca Vivo é contemporânea e próxima de seus diferentes públicos. Por isso, deu início, há dois anos, a um movimento para entender o impacto da tecnologia na vida das pessoas, e como ela se tornou o fio condutor que cria conexões, mas não substitui o contato pessoal.

"O primeiro passo deste movimento foi dado em 2015. Na época, a Vivo provocou a reflexão sobre o uso do celular, com a campanha digital 'Usar Bem Pega Bem'. Essa campanha levava os clientes a refletir se estavam usando o celular do jeito certo e também abria a discussão sobre o mundo digital. Com ela, nos colocamos em uma posição de vanguarda e mostramos que inovamos não apenas em nossos produtos e serviços, mas também na maneira como nos relacionamos – e nos temas que discutimos com os nossos públicos", afirma Christian Gebara, COO da Vivo.

"Evoluímos ainda mais e, recentemente, a Vivo passou a explorar o conceito 'Viver menos do mesmo', uma evolução do 'Viva Tudo' e, desta forma, trouxemos uma provocação mais profunda a partir de temas relevantes e atuais, que trazem maior engajamento e consideração para a marca", completa.

Recentemente, a Vivo lançou o primeiro filme da série 'Viva menos do mesmo' – que retratava com muita sensibilidade uma menina que não queria se limitar ao estereótipo do ballet e decide aprender a arte marcial do kung fu a partir dos conteúdos encontrados na internet – convidamos a todos a experimentar novas buscas, novos pontos de vista, ter menos a mesma opinião e os mesmos comportamentos. No Dia dos Namorados, a empresa lançou o #Renamore e incentivou os casais a "Viver mais o amor e menos todo o resto", no dia 12 de junho.

"Vem de Você"

Dentro do mesmo conceito 'Viver menos do mesmo', a Vivo reforça a autenticidade de seus funcionários com a campanha "Vem de Você". Piercing, tatuagem, cabelos coloridos, saia estampada, calça jeans? Vale o que a pessoa sentir bem para usar na ocasião em que estará presente. Este movimento ressalta valores da marca – democrática, aberta e inclusiva, e visa garantir ainda mais liberdade e personalidade na empresa

"A Vivo tem se colocado como uma marca democrática, aberta e inclusiva, então é natural trabalharmos para promover internamente este conceito. Queremos que os nossos colaboradores se sintam à vontade para mostrar seus estilos, suas atitudes. Com menos regras e mais do jeito deles", conta Gebara.

 

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton