Portal monitora desmatamento na Amazônia

amazonia.jpg11/09/2014 - TNC e IBM juntas no projeto de aprimoramento de portal para monitorar o desmatamento e contribuir com a expansão econômica responsável na região

A maior organização ambiental do mundo, a The Nature Conservancy (TNC), e a IBM, trabalharão juntas para reforçar as iniciativas do governo brasileiro pela conservação da Amazônia e pela produção sustentável de alimentos.

Entre 22 de agosto e 20 de setembro, dez especialistas da IBM vindos dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Filipinas, Romênia e Japão vão trabalhar em Belém, no Pará, em conjunto com a equipe da TNC na região. O objetivo será aprimorar o Portal Ambiental Municipal (PAM), uma ferramenta de fácil utilização, que apoia os esforços públicos contra o desmatamento ilegal.

Desenvolvido em 2011 pela TNC e já utilizado por cerca de 20 municípios na Amazônia, o PAM é um portal que contribui para a redução do desmatamento e o planejamento territorial das zonas rurais.

Para os produtores, ele facilita a inserção de dados no Cadastro Ambiental Rural (CAR), uma espécie de identidade ambiental das propriedades, que o governo brasileiro tornou obrigatória esse ano, como medida para pôr em prática o Código Florestal. Já para as prefeituras, o PAM dá acesso aos dados sobre as florestas existentes em cada propriedade privada, o que permite que os governos acompanhem a situação ambiental das propriedades de forma individualizada e responsabilizem mais eficientemente quem desrespeita a lei. Ele também ajuda os governantes a tomar decisões sobre como expandir a atividade econômica local sem prejudicar as áreas preservadas.

Planejamento mais inteligente 
O PAM já trouxe resultados positivos nos últimos anos e tem contribuído para garantir a conservação das florestas no norte de Mato Grosso e no sudeste do Pará, regiões que apresentam os maiores índices de desmatamento da Amazônia e onde a TNC tem concentrado seus esforços. Um exemplo é São Felix do Xingu, localizado no sudeste paraense. O município tem o maior rebanho bovino do país e já foi o campeão nacional de desmatamento, mas, com o uso da ferramenta, em conjunto com outras iniciativas, conseguiu reduzir o desmatamento ilegal em mais de 60% desde 2011.

Agora, TNC e IBM esperam melhorar a funcionalidade do portal e integrá-lo a outros dois programas criados pelo governo com a mesma função, o Sicar e o Simlam. "Vemos uma enorme oportunidade de expansão do PAM pelo país. Queremos que ele se torne uma ferramenta ainda mais acessível de gestão inteligente do território, porque isso é fundamental para que o Brasil conserve suas florestas e melhore sua produtividade no campo", explica Marcio Sztutman, gerente de conservação da Amazônia da TNC.

"Através do trabalho conjunto com a TNC, a IBM aporta conhecimento em gestão e tecnologia aos programas de conservação da Amazônia, enquanto desenvolve seus funcionários e os ensina a trabalhar imersos em uma nova realidade e cultura. Quando se trabalha em parceria, toda a sociedade ganha na medida em que surgem soluções inovadoras para apoiar políticas públicas", ressalta Alcely Strutz Barroso, Diretora deCidadania Corporativa da IBM Brasil. Saiba mais novidades sobre o projeto e acompanhe seu andamento pelo site http://corporateservicecorps.org/.

Sobre o Corporate Service Corps, da IBM 


O trabalho conjunto com a TNC é fruto do Corporate Service Corps (CSC) da IBM, programa global da companhia que alia consultoria e tecnologia a fim contribuir para o desenvolvimento de organizações diversas. A iniciativa consiste em enviar grupos heterogêneos de funcionários de diversos países em desenvolvimento, compartilhando conhecimentos e modelos de gestão com as organizações selecionadas. Os funcionários são expostos a situações novas e, imersos na multiculturalidade, são estimulados a desenvolverem novas capacidades e habilidades como escutar melhor o cliente, criar uma proposta de valor e trabalhar em colaboração. Para mais informações sobre a IBM, visite http://www.ibm.com/br

Comentário (0) Hits: 786

Os 33 anos do Personal Computer, o PC

commodore.jpg03/09/2014 - A computação pessoal comemora mais de três décadas na era da mobilidade total, são notebooks, Ultrabooks, 2 em1, tablets, NUCs, smartphones e muitos outros os modelos disponíveis para se conectar a qualquer hora e lugar

Desktop, notebook, ultrabook, 2 em 1, NUCs, tablets, smartphone, Internet das Coisas são algumas das palavras que ganham cada vez mais destaque e presença em nosso dia a dia. A nova Era nos fez dependentes de tantos dispositivos? Para muitos, o jovem adulto que completa 33 anos este mês, também conhecido como PC ou computador pessoal, modificou nossa vida desde seu surgimento. Tem gente que dorme, acorda, come, assiste TV, e até toma banho conectado, postando nas redes sociais ou checando o que os amigos, família, estão fazendo naquele exato momento.

Antes da chegada do computador, para se comunicar com um amigo ou parente, que fosse morador de outro bairro, marcava-se um encontro, ou enviava-se uma carta, que demoraria alguns dias para chegar. Hoje, seu amigo pode estar no Japão, por exemplo, que, superando o fuso horário, pode-se falar em tempo real.

A realidade é que o computador trouxe uma série de benefícios para a rotina de todos, sejam crianças, adultos ou idosos. Graças aos "cérebros eletrônicos", que executam rapidamente tarefas que antes demandavam tempo, esforço e pessoas envolvidas, um dispositivo na mão pode resolver diversos problemas e criar soluções em alguns minutos. Por trás deste novo "cérebro" está o processador; e o primeiro foi o 8088 da Intel. Hoje, poderíamos considerá-lo o tataravô da Família de Processadores Intel Core.

Em termos de desempenho, no entanto, a evolução de lá para cá tem sido mais drástica. O modelo de processador mais recente da Intel, o Intel Core i7, apresenta performance 800 vezes melhor que o PC original lançado pela IBM em 1981, e em relação ao tamanho, é 136 vezes menor.

"Durante as últimas três décadas a tecnologia teve sem dúvida uma grande influência em nossa maneira de viver e de nos relacionarmos. Através desses anos a Microsoft tem contribuído com a evolução da computação por meio de suas soluções, desde a criação do sistema operacional Windows até os serviços que hoje em dia permitem maior produtividade e mobilidade, focadas tanto para empresas como para o consumidor. A Microsoft seguirá sempre comprometida com o desenvolvimento de novas tecnologias que se integrem em nossas vidas e nos permitam realizar as tarefas com mais facilidade, assim como uma sincronia entre nossa vida pessoal e profissional", destaca Eduardo Campos de Oliveira, Gerente de Marketing do Windows para a America Latina.

sony_smartband.jpgMuitos dispositivos por pessoa

O fato é que para a atual geração, quem não tem nenhum dispositivo, sonha com o primeiro; se já tem um, quer o segundo; quem tem o segundo, parte para o terceiro; e assim, o computador – estático ou portátil – passa a ser peça de decoração, educador das crianças, passatempo dos adultos, suporte aos idosos, entre tantas outras funções.

O mundo conectado por conta da tecnologia e do PC faz com que todos queiram estar sempre munidos de algum dispositivo que dará acesso à rede. Números apontam que em apenas um ano alcançaremos a marca de 15 bilhões de dispositivos conectados em todo o mundo, o que significa mais de dois aparelhos por pessoa no planeta. Seguindo este passo, estima-se que até 2025 serão 50 bilhões de dispositivos conectados à internet global, sendo que 2 bilhões deles estarão aqui no Brasil.

Uma pesquisa da Intel em parceria com a Ipsos* mostrou que de cada 10 consumidores entrevistados no Brasil, seis devem comprar um PC (desktop, notebook, ultrabook, all-in-one ou 2-in-1) nos próximos seis meses, sendo que nove em cada 10 quer um dispositivo novo. Dos entrevistados, 60% dos que pretendem comprar um desktop irão usá-lo para trabalho, enquanto que 37% dos que investirão em um tablet querem aproveitá-lo para os estudos.

A intenção de compra para seu próximo dispositivo

O notebook e desktop ainda despontam na preferência de quem não tem um dispositivo, enquanto que tablets e smartphones aparecem logo na sequência da lista. Ou seja, um acaba não substituindo o outro, e sim complementando tarefas e funções.

À medida que vão sendo usados, aparecem demandas para que o dispositivo seja mais potente, ou então mais leves e fáceis de carregar de um lado ao outro, e por aí vão surgindo novas necessidades para futuras compras. O ticket médio gasto pelos consumidores entrevistados no Brasil é de R$ 1.130,16 para um desktop e R$ 1.391,12 para um notebook, de acordo com números da pesquisa da Intel e da Ipsos.

O levantamento mostrou que na hora da compra, a marca e o processador do equipamento influenciam muito na escolha dos consumidores pesquisados – Enquanto pesquisam sobre o melhor Desktop para adquirir, 45% dos brasileiros entrevistados analisam detalhes destes quesitos. Para os que optaram por 2 em 1 ou tablets, estas características são levadas em conta por 39% e 33% respectivamente.

O mesmo estudo tentou entender melhor o porquê e para que as pessoas querem seu primeiro, seu segundo ou mesmo seu terceiro dispositivo computacional - ou seja, quais tarefas que eles mais querem melhorar no seu dia a dia de consumidor. Entre os entrevistados que estão planejando a compra de um Desktop, 60% consideram o device importante para o trabalho e para serem mais produtivos. Outros 56% dos entrevistados que estão de olho num Ultrabook também o consideram importante por esse motivo.

Já os dispositivos mais leves como o tablet e os 2 em 1 figuram mais na pesquisa entre as possibilidades de um dispositivo que facilite o dia e dia e que ajude nos estudos. No caso do tablet, 38% dos brasileiros entrevistados o consideram importante por tornar a vida mais fácil, enquanto que 37% acredita que o equipamento irá ajudar nos estudos. Já o 2 em 1 tem a preferência (42%) entre os que desejam aprimorar os estudos, aumentar a produtividade do trabalho (42%), e entre os que desejam tornar a vida mais fácil (39%).

Podemos afirmar que é um caminho sem volta, mas sabendo aproveitar da melhor forma, a tecnologia tende a facilitar cada vez mais a vida do ser humano. E que venham as novidades do futuro. Sejam elas tão emocionantes como deve ter sido aos olhos dos que viram os primeiros PCs, há 33.

*A pesquisa da Intel em parceria com a Ipsos é baseada nos resultados de uma pesquisa online, no decorrer do mês de Abril, com uma amostra de 1003 consumidores brasileiros que recentemente adquiriram um dispositivo, ou que estão planejando realizar a compra em breve.

Sobre a Ipsos

A Ipsos é referência mundial em pesquisa de mercado e interpretação de dados. No Brasil desde 1997 é a maior e mais completa empresa de pesquisas "survey based" do mercado.

Sobre a Intel

A Intel é líder mundial em inovação. A empresa projeta e fabrica tecnologias essenciais que servem como base para os dispositivos computacionais de todo o mundo. Como referência em responsabilidade corporativa e sustentabilidade, a Intel é pioneira em comercializar microprocessadores fabricados com matéria prima livre de conflito.

Comentário (0) Hits: 1102

Chegamos ao fim dos escritórios físicos?

citrix.jpg*Luis Banhara
"Todo mundo conhece a lenda de que a inovação começa em uma garagem, mas mais cedo ou mais tarde todos nós iremos crescer e precisaremos de um lugar para trabalhar." Isso é o que Tom Kelley afirma em seu livro "A Arte da Inovação", de 2011 e que hoje aplica-se a uma ainda maior e crescente parcela da força de trabalho do mundo.

Com o trabalho tornando-se cada vez mais flexível e móvel, o escritório está se transformando em um conceito cada vez mais complexo e até mesmo abstrato. Ao olharmos para o futuro, temos de perguntar: será que o local de trabalho é estar em um espaço físico específico, numa propriedade do nosso empregador, ou num espaço colaborativo? Ou será simplesmente um conceito, independentemente do lugar, dispositivo usado, quando e onde?

A resposta é tudo isso e muito mais. Mobilidade e espaços de trabalho móveis estão prestes a experimentar um crescimento rápido nos próximos anos. Segundo o IDC, a população mundial de trabalhadores móveis irá chegar a 1,3 bilhões em 2015.

A cada ano surgem novas tecnologias, softwares e aplicações com o objetivo de que o trabalho e a vida pessoal sejam mais fáceis. Hoje, a virtualização de aplicações permite o acesso remoto de todas as aplicações Windows, desde dispositivos corporativos até web conferências, que possibilitam assistir a reuniões sem que estejamos no escritório.

Na verdade, a nossa necessidade de trabalhar quando, onde e como queremos, no qual é mais fácil acessar uma informação - esteja ela armazenada em uma nuvem pública ou privada, ou por meio de virtualização – aumenta a produtividade, facilita a troca de informações e ainda permite melhor gerenciamento do seu tempo.

De acordo com a Forrester, aproximadamente 75% dos profissionais no mundo acreditam que ainda não possuem a tecnologia necessária para realizar seu trabalho fora do escritório, mas cerca de 75% das empresas reconhecem a necessidade de fazer mais para apoiar a mobilidade de seus funcionários.

A nova geração de profissionais espera contar com a capacidade de manejar seu fluxo de trabalho livremente por meio de uma combinação de espaço e dispositivos. Além de facilitar o acesso à informação e aumentar a produtividade e a satisfação da equipe, a mobilidade empresarial será, muito em breve, um requisito fundamental para reter talentos. Quem não acompanhar esta tendência enfrentará problemas de gestão e estará tecnologicamente atrasado, o que pode refletir no posicionamento de mercado frente aos seus concorrentes.

*Luis Banhara é Diretor Geral da Citrix Brasil

Comentário (0) Hits: 824

Vídeo aborda a visão de futuro de Eric Schmidt

lse2.jpg26/08/2014 - O vídeo foi publicado em janeiro de 2013 na London School of Economics and Political Science (LSE) e tem como pano de fundo questões relevantes abordadas no livro "A Nova Era Digital: Redesenhando o futuro de pessoas, nações e business", de Eric Schmidt e Jared Cohen (título original em inglês: The New Digital Age: Reshaping the Future of People, Nations and Business)

Num projeto colaborativo, duas lideranças globais em tecnologia nos oferecem sua visão do futuro: um mundo cheio de desafios, onde todos estão conectados com vários benefícios disponíveis.

Eric Schmidt é um dos grandes líderes do Vale do Silício: fundador do Google, uma das empresas mais influentes do mundo.

Jared Cohen é diretor do Google Ideas e ex-assessor de ambos os secretários de Estado Condoleezza Rice e Hillary Clinton; ele foi fundamental para ajudar a moldar a forma como o governo dos Estados Unidos pensa em termos de tecnologia. Schmidt e Cohen viajaram o mundo para se reunir com líderes mundiais, empresários e ativistas para discutir sobre os desafios e objetivos a serem alcançados.

Com conhecimento e experiência, os autores estão numa posição privilegiada para responder algumas das perguntas mais difíceis sobre o nosso futuro:
- Quem vai ser mais poderoso no futuro, o cidadão ou o estado?

- A tecnologia vai contribuir para que o combate ao terrorismo seja facilitado ou fique mais difícil de ser combatido?

- Como guerras, diplomacias e revoluções serão alteradas no mundo conectado, e como podemos nos beneficiar da tecnologia?

- Quando as sociedades em guerra forem reconstruídas, o que elas serão capazes de fazer com a tecnologia?

Neste livro, Schmidt e Cohen combinam observações sobre o mundo físico, com os seus conhecimentos sobre o futuro digital e delineam com detalhes as promessas e os perigos que nos aguardam nas próximas décadas. Trata-se de uma visão do futuro e o que isso representa para as pessoas, Estados, nações e empresas.

https://www.youtube.com/watch?v=3QhYsCIRj1k

Comentário (0) Hits: 776

Julian Assange: "Deixo a embaixada em breve"

julian_assange.jpgSteven Earlanger, NYT
18/08/2014 - Julian Assange, fundador do WikiLeaks, (que recebeu asilo na Embaixada do Equador há dois anos), disse nesta segunda-feira, (18) que "vai deixar a embaixada em breve", mas ele não forneceu mais nenhum detalhe.

Numa longa coletiva de imprensa em que ele foi acompanhado pelo ministro das Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño, Assange resumiu seu caso, argumentando que ele tinha ajudado a trazer a mudança necessária no sistema de extradição britânicos e dizendo que sua saúde estava sofrendo depois dois anos na embaixada.

Assange enfrenta um processo de extradição para a Suécia, que está investiga alegações de má conduta sexual, e os policiais britânicos mantém guarda 24 horas por dia na embaixada, a um custo de mais de US$ 10 milhões. Assange argumenta que até o momento ele não foi acusado de nenhum crime e que ele teme ser extraditado para os Estados Unidos, caso deixe a embaixada do Ecuador.


As investigações continuam lá para a divulgação de material confidencial para Wikileaks, que publicou o material em seu site e autorizou outros jornais a publicar alguns deles, incluindo o New York Times.
Os Estados Unidos não pediram a extradição de Assange, e também não houve nenhuma acusação pública contra dele até o momento.

Os meios de comunicação britânicos, especialmente Sky News, haviam relatado antes da coletiva de imprensa, que Assange iria anunciar que estava deixando a embaixada para procurar tratamento médico. Citando uma fonte do WikiLeaks, o Sky News informou a imprensa que ele estava sofrendo de arritmia cardíaca, pressão arterial muito elevada e uma doença pulmonar crônica. Na segunda-feira, Assange disse que tinha decidido deixar a Embaixada "em breve, mas talvez não pelas razões que a imprensa de Murdoch estava divulgando", mas ele não entrou em mais detalhes.

http://www.nytimes.com/2014/08/19/world/europe/julian-assange-embassy.html?ref=technology&_r=0

Comentário (0) Hits: 714

LED tubular substitue luminárias fluorescentes

Neptune-LED_aplicacao3a.jpg11/08/2014 - A Osram, multinacional alemã de iluminação, apresenta ao mercado a luminária hermética Neptune LED, agora disponível nas versões de 25W e 50W, uma solução eficiente, moderna e atraente para substituir as tradicionais luminárias com lâmpadas fluorescentes tubulares. Por contar com a tecnologia LED, o produto traz diversas vantagens, como longa durabilidade, de mais de 50 mil horas, e menor gasto energético, fatores que reduzem os custos de manutenção.

Ideal para áreas industriais, a luminária dispõe de grau de proteção IP65, uma garantia de alta resistência. Suas características permitem que seja instalada em locais com alta ocorrência de úmida, poeira, respingos e vibrações, como fábricas, frigoríficos, áreas publicas, arenas esportivas, estacionamentos, oficinas mecânicas, passagens subterrâneas e em depósitos/expedição, entre outros.

neptune-LED_2.jpgAlém de permitir economia de energia de até 44% em relação a uma fluorescente similar, a Neptune LED possui design funcional, que torna a instalação fácil e prática. Veja, a seguir, imagens do produto e detalhes técnicos.

Comentário (0) Hits: 1639

newsletter buton