Olho biônico: ficção ou realidade?

futuro/olho.jpg30/07/2013 - Ethevaldo, você acha que a ficção do homem biônico está se tornando realidade?

ETHEVALDO – Está, Milton. A cada dia a tecnologia e a oferece novas soluções, como os implantes de próteses de membros especiais, de chips, do desenvolvimento da visão artificial ou do olho biônico.

MILTON Olho biônico? Já existe?

ETHEVALDO – Há vários projetos em desenvolvimento no mundo, na Austrália, na Europa e nos Estados Unidos. A pesquisa que eu vou comentar aqui é a da Universidade de Stanford, na Califórnia, onde pesquisadores israelenses e americanos trabalham no projeto de um dispositivo complexo, alimentado à energia solar que estimula células nervosas do olho e pode curar da cegueira pessoas que sofrem de retinite pigmentosa, uma doença degenerativa na retina.

MILTON – Explique o funcionamento desse olho biônico.

ETHEVALDO – Segundo os pesquisadores, liderados por Daniel Palanker – cientista israelense do Departamento de Oftalmologia de Stanford – a parte essencial do olho é uma placa de silicone superfina de 30 microns de espessura, implantada por baixo da retina do paciente por meio de um procedimento cirúrgico simples. A placa inclui centenas de células fotovoltaicas que convertem luz solar em eletricidade.
Uma câmera externa é afixada a um par de óculos que capturam a imagem e, assim como o display ótico do Google Glass, projetam a imagem no olho e aumentam os níveis de luz.

MILTON – Até amanhã.

Comentário (0) Hits: 1038

A hora das cidades inteligentes

city_2.jpg17/07/2013 - A Microsoft anunciou durante o evento anual para parceiros, Worldwide Partner Conference (WPC), o lançamento do CityNext, iniciativa global que dá força para que cidades, empresas e cidadãos repensem o futuro. Iniciativas desse tipo do setor público permitem que cidades de todo o mundo explorem uma nova era de inovação, colocando o cidadão em primeiro lugar.

Vale lembrar que cidades são centros de atividade industrial, econômica e de empreendedorismo que contribuem para o sucesso do restante do mundo. No entanto, do mesmo modo com que as cidades se configuram como um celeiro de oportunidades, concentram também muitos paradoxos e forças opostas, movidas pela rápida urbanização, necessidade de modernização e pressões por crescente austeridade econômica.

O Microsoft CityNext oferece às cidades uma vasta rede de parceiros (Microsoft Partner Network) de mais de 430 mil especialistas em tecnologia para inovar hoje e criar um amanhã melhor. Ao alavancar um amplo portfólio de soluções familiares e seguras para softwares de negócios, dispositivos e serviços, além de contar com uma trajetória de sucesso da Microsoft em áreas como educação e programas sociais, o CityNext é um esforço coletivo que permite que cidades e pessoas realizem seus potenciais em plenitude.

No Brasil, as oportunidades de negócio para o Microsoft CityNext vão além da preparação do país para os grandes eventos dos próximos anos. "Acreditamos que a tecnologia pode colaborar com a gestão pública e otimizando os serviços aos cidadãos. Com os grandes eventos esportivos, vemos oportunidades no curto prazo com soluções para segurança, mas as soluções que propomos podem beneficiar diversas frentes como educação, saúde, transporte, entre outros", disse Patricia Freitas, diretora para o setor público da Microsoft Brasil.

"As cidades têm um papel central em nossas vidas – agora e no futuro. A iniciativa Microsoft CityNext coloca o cidadão em primeiro lugar e constrói uma nova era de tecnologias colaborativas para engajar pessoas, negócios e líderes de governo em novas alternativas", disse Laura Ipsen, vice-presidente corporativa de setor público da Microsoft. "Trabalhando com nossa vasta rede de parceiros, nós podemos criar soluções e serviços para fazer 'o novo com menos', permitindo que cidades se tornem mais competitivas no mercado global, contribuam com o engajamento de seus cidadãos e promovam a sustentabilidade econômica, social e ambiental".

As grandes mudanças

O CityNext ajuda líderes a aproveitarem ao máximo os investimentos já realizados a fim de encontrar novas maneiras de superar desafios e atingir metas. Com a nova era da inovação, as cidades podem desfrutar de novos recursos e desenvolver novas habilidades por meio de serviços flexíveis na nuvem, da capacitação de profissionais e da possibilidade de implementar soluções que se adequem às suas necessidades, lhes permitindo gerir processos e dados, via plataformas de Big Data. Com isso, informações críticas podem trafegar fluidamente e com segurança entre entidades governamentais das mais variadas instâncias, entre ambientes corporativos e os cidadãos, aumentando a eficiência dos sistemas e permitindo às cidades alocar mais recursos em favor da comunidade.

O CityNext reúne um ecossistema de soluções de parceiros, dispositivos e serviços que conectam e transformam uma variedade de funcionalidades das cidades, incluindo as seguintes:

• Energia e Água
• Construções e Infraestrutura
• Transportes
• Segurança Pública e Justiça
• Turismo, Lazer e Cultura
• Educação
• Saúde e Serviços sociais
• Administração pública

A cidade de Barcelona, na Espanha, - amplamente reconhecida pela inovação digital – tem usado com sucesso a nuvem, soluções de big data e aplicativos para melhorar operações administrativas, interagir com cidadãos e tornar as informações mais transparentes. Um exemplo disso é o trabalho feito pelo Microsoft CityNext e a BISmart para a Câmara Municipal de Barcelona visando ao lançamento do OpenData BCN, uma iniciativa para tornar dados públicos acessíveis ao público. Usando o serviço de nuvem Windows Azure, a plataforma OpenData BCN agrega inúmeros fatos sobre a cidade - como densidade populacional e desemprego total - em um hub central com segurança reforçada. Cidadãos podem baixar o aplicativo bigov Better City Indicators na Windows Store e monitorar oscilações em tempo real. Os catalães, agora, têm acesso a informações para tomar decisões sobre temas como por onde começar um negócio e onde se estabelecer com suas famílias.

"Temos trabalhado com a Microsoft há muitos anos e testemunhado uma grande inovação no governo, em empresas e em serviços para os cidadãos por meio de tecnologias na nuvem.

Ainda há muito a ser feito para engajar catalães e melhorar as experiências dos cidadãos", afirmou Xavier Trias, prefeito de Barcelona. "Vamos continuar a colaborar prontamente com a Microsoft para alavancar tecnologia de ponta, serviços e programas que farão de Barcelona um lugar melhor para viver, trabalhar, visitar e prosperar".

Integração

Cidadãos e empresas esperam ter acesso e interação com prefeituras por meio dos aplicativos e dispositivos de sua escolha – a qualquer hora e em qualquer lugar. Com o software, dispositivos e serviços da Microsoft, cidades podem entregar serviços personalizados e aplicativos que têm o cidadão peça central, além de permitir diálogos em tempo real via redes sociais e estimular o desenvolvimento de aplicações e o crescimento econômico com iniciativas de dados abertos.

A Socrata, parceira do Microsoft CityNext especializada em softwares na nuvem orientados a dados de governo, está trabalhando com a Microsoft para trazer tecnologias de dados abertos para cidades de todo mundo com a plataforma Windows Azure. A Socrata oferece, por exemplo, painéis customizados para governos. Cidadãos podem acessar os dashboards de suas cidades por meio de dispositivos móveis ou via internet e, com isso, monitorar a performance de seus líderes em áreas como educação, saúde e criação de empregos. Governantes podem engajar cidadãos em tempo real, incorporar demandas públicas em processos de tomada de decisão e assegurar que as ações estejam alinhadas com as principais necessidades da população. Por sua vez, governos podem agregar informações sobre a opinião de cidadãos em todas as decisões, promovendo maior transparência e participação da comunidade.

"A iniciativa CityNext trata de uma mudança global única que vem ganhando espaço em governos: a abertura de dados do governo e uso dessas informações para melhorar serviços aos cidadãos", disse Kevin Merritt, presidente e fundador da Socrata. "Com aplicativos e dispositivos simples e familiares, governos agora podem engajar qualquer um, em qualquer lugar. Já estamos vendo progressos importantes que, em parceria com a Microsoft, vão permitir que líderes globais tomem decisões mais informadas, sejam mais eficientes e consigam atender a demanda dos cidadãos por acesso à informação".

Acelerando inovações e oportunidades

As cidades não só vão perceber uma plena transformação por meio da tecnologia, mas também do incentivo à criatividade de seu recurso mais importante – o capital humano. A Microsoft e seus parceiros oferecem uma variedade de programas de ensino que formam estudantes e professores, fomentam o desenvolvimento de negócios e incentivam cidadãos a aderir a uma força de trabalho cada vezcompetitiva. Em todo o mundo, estes programas têm ajudado milhões de moradores a cultivar um futuro melhor para si e para suas cidades. Os programas Microsoft YouthSpartk, BizSpark e IT Academy, por exemplo, encorajam jovens a entrar no mercado de trabalho, apoiam empreendedores com boas ideias e qualifica trabalhadores que ajudem as cidades a competir globalmente.

Cidades visionárias

As cidades já deram início à jornada de modernização. Na verdade, diversas cidades visionárias se adiantaram para embarcar com a Microsoft e os parceiros da CityNext nesta jornada para criar o futuro em suas comunidades. Conduzidas por líderes engajados, essas cidades estão dando um passo importante para melhor servir seus cidadão por meio de uma colaboração funcional que aumenta a eficiência, reduz custos e promove um ambiente mais sustentável.

• Auckland, Nova Zelândia
• Barcelona, Espanha
• Buenos Aires, Argentina
• Província de Hainan, China
• Hamburgo, Alemanha
• Manchester, Inglaterra
• Moscou, Rússia
• Filadélfia, Estados Unidos
• Zhengzhou, China

"As cidades da atualidade sabem que devem enfrentar os desafios urbanos com investimentos coordenados e focados, que permitam a colaboração entre departamentos e agências, além da otimização dos ativos, o envolvimento dos cidadãos e demais stakeholders e a solução de problemas mais profundos", disse Ruthbea Yesner Clarke, diretora do programa de Estratégias de Cidades Inteligentes da IDC. "De acordo com o Smart City Maturity Model, da IDC, muitas cidades estão agora na primeira fase da implementação de soluções de tecnologia inteligente como parte de um plano de 10 a 15 anos para alcançar o potencial de transformação integral.

O resultado das iniciativas 'smart city' vai permitir às cidades atrair cidadãos e empresas e construir cidades mais vibrantes e economicamente competitivas".

Mais informações sobre o CityNext estão disponíveis no https://www.microsoft.com/citynext.

Comentário (0) Hits: 727

Nanotecnologia em 2020

nano_futuro.jpg12/07/2013 - Ethevaldo, hoje é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro. Você prometeu falar sobre os avanços da nanotecnologia em 2020.

ETHEVALDO – Essa é uma das áreas mais promissoras da alta tecnologia atualmente. Vale lembrar que a nanotecnologia é altamente interdisciplinar, pois associa física, química, eletrônica, biologia, ciência dos materiais e praticamente todas as disciplinas da engenharia.

NONATO – Por que se chama nanotecnologia?

ETHEVALDO – Nano em grego significa anão. Daí a palavra portuguesa nanico. A nanotecnologia é, assim, a ciência das coisas muito pequenas, minúsculas. Sua unidade de medida básica é o nanômetro, que equivale à milionésima parte do milímetro. Ou à bilionésima parte do metro.

Muitas substâncias apresentam propriedades extraordinariamente diferentes quando reduzidas a partículas às dimensões de um nanômetro.

NONATO – Dê alguns exemplos dessas propriedades.


ETHEVALDO – Com essa nova tecnologia o mundo já produz os nanotecidos, que não molham, não sujam, nem mancham.

Se reduzimos o alumínio a um finíssimo, o chamado nanoalumínio, se transforma em perigoso explosivo. A prata em nanopartículas é um dos mais poderosos bactericidas. O ouro nanométrico tem propriedades surpreendentes, a começar de sua cor avermelhada. Os nanocristais de óxido de zinco permitem a fabricação de telas ou filtros solares invisíveis e que bloqueiam a luz ultravioleta.

NONATO – E que outros produtos e benefícios a nanotecnologia poderá proporcionar por volta de 2020?


ETHEVALDO – Teremos nanoferramentas, que nos permitirão trabalhar com objetos de escala molecular ou mesmo atômica. Ou enzimas que serão capazes de agir como verdadeiros nanorrobôs biológicos, alterando o comportamento físico ou químico de muitas substâncias.

A nanotecnologia deverá ter impacto ainda maior do que a microeletrônica, permitindo a produção de componentes muito mais complexos e menores do que os chips atuais.

Comentário (0) Hits: 869

Demência digital aflige coreanos

lap_top_01.jpg01/07/2013 - A Coreia do Sul, vive um problema que só os países mais desenvolvidos e mais conectados digitalmente poderiam enfrentar. É a outra face da moeda.

Mesmo dispondo de internet de alta velocidade praticamente universalizada, à velocidade média de 40 megabits/segundo (Mbps), o país enfrenta alguns sérios problemas, como a chamada "demência digital", expressão criada no país para identificar a deterioração das habilidades cognitivas, muito mais comum entre as pessoas que sofreram alguma doença psicológica grave.


Para alguns médicos o uso excessivo de smartphones – utilizado por 67% da população coreana – bem como de dispositivos de jogos eletrônicos, prejudica o desenvolvimento equilibrado do cérebro.


Um artigo do jornalista Julian Ryall, publicado na edição de hoje (1º de julho) do jornal britânico "Telegraph", sob o título de "South Korea surge in digital dementia".

Comentário (0) Hits: 555

Ford testa "brake light" eletrônico

26/06/2013 - A Ford está desenvolvendo um "brake light" eletrônico capaz de alertar os motoristas que vêm atrás, mesmo que estejam com a visão obstruída por uma curva ou outros veículos. Em situações de emergência, o "Electronic Brake Light" envia um sinal que acende uma luz no painel dos carros de trás, permitindo aos motoristas frear mais cedo e evitar colisões.

Este é um dos 20 sistemas com potencial futuro de aplicação desenvolvidos dentro do projeto Safety Intelligent Mobility (sim), na Alemanha, que tiveram seu funcionamento demonstrado em um evento em Frankfurt.

Os testes de campo do projeto contaram com a participação de 500 motoristas e 120 veículos, incluindo 20 modelos Ford S-MAX. No total, foram registradas mais de 41.000 horas de testes e rodados 1,6 milhão de quilômetros, em vias públicas e pistas fechadas.

"A comunicação entre os carros e entre os carros e a infraestrutura viária representa um dos próximos grandes avanços na segurança veicular", diz Paul Mascarenas, vice-presidente de Pesquisa e Inovação da Ford. "A Ford está comprometida em avançar com os testes, na Europa e em todo o mundo, para torná-la uma realidade."

A Ford usou modelos S-MAX especialmente equipados para testar essa comunicação. Foram testados também o sistema de alerta de obstáculos, que indica a presença, posição e tipo de objetos potencialmente perigosos na pista, e o assistente de sinais de trânsito, que mantém contato com os centros de gerenciamento de tráfego para a atualização de informações.

O desenvolvimento do "Electronic Brake Light" foi liderado por engenheiros do Centro Europeu de Pesquisas da Ford em Aachen, na Alemanha.

Outras tecnologias testadas dentro do projeto foram:

-O Gerenciamento Público de Trânsito, que fornece previsões exatas do trânsito com base em diversas informações. Elas incluem a identificação de prováveis cenários de trânsito e seu impacto em cada ponto do trajeto quando ele for atingido, e não no momento da partida; e

-Acesso à Internet a Bordo, que permite, por exemplo, receber informação sobre vagas disponíveis de estacionamento ou conferir pontos de congestionamento usando imagens atualizadas das câmeras de trânsito.

A Ford está envolvida nos testes de campo "DRIVE C2X", patrocinados pela Comissão Europeia, e contribui para o "Safety Pilot Model Deployment", nos Estados Unidos, um teste de campo com mais de 2.800 veículos em cooperação com a Universidade de Michigan.

Os resultados desses programas estão contribuindo para o objetivo da Ford de criar padrões globais de equipamento e mensagens e viabilizar essas tecnologias de forma mais rápida, eficiente e econômica.

Foto: Divulgação
Burson-Marsteller Brasil

Comentário (0) Hits: 452

Tecnologia para Estádio de Brasília

mane.jpg11/06/2013 - A Siemens está fornecendo tecnologia para Estádio Nacional Mané Garrincha de Brasília, a arena esportiva mais moderna e sustentável a ser construída na América Latina. A empresa foi contratada para fornecer equipamentos de alta tecnologia, produtos e sistemas de automação para as áreas de segurança, construção e segurança do trabalho para o estádio que irá sediar a abertura da Copa das Confederações em 2013 e sete jogos da Copa do Mundo, em 2014.

newsletter buton