Qual o melhor set-top box para streaming?

apple_tv.jpg30/05/2016 – Com o lançamento do set-top box da Amazon em 2014, o mercado de streaming de filmes, programas de TV, jogos e música, tem quatro alternativas semelhantes: Apple TV, Fire TV, Roku e o Chromecast. O CNET fez uma avaliação do Apple TV e o compara com o Roku e o Amazon Fire. Veja as conclusões do site:

Apple TV - qualidades

Proporciona a melhor experiência de vídeo em termos de qualidade de imagem, e a mais rápida utilizando uma interface atraente e familiar. Tem o melhor controle remoto do mercado. A busca por voz da Siri é excelente, comandos de voz úteis, adicionando capacidades únicas. A seleção de aplicativos é excelente, e o AirPlay pode ser usado para aplicativos não suportados.

O Apple TV - defeitos

Custa mais do que seus concorrentes como o Roku, Amazon Fire e o Chromecast, para basicamente as mesmas funções essenciais. Não há nenhum aplicativo dedicado para Amazon ou qualquer outro serviço a la carte de vídeo, além do iTunes.

O Apple TV - conclusão

O controle remoto e o controle por voz o torna um dos melhores dispositivos de entretenimento, especialmente para quem já possui dispositivos da Apple.

Quando o Apple TV foi lançado em outubro de 2015, ele imediatamente se destacou como o streamer mais luxuoso do mercado. Desde o controle remoto fininho, até sua interface amigável, sim, seu preço é o mais elevado do mercado, ele fez o Roku e Amazon Fire TV parecerem um pouco ultrapassados. Todos estes dispositivos fazem praticamente a mesma coisa - permite que você assista aplicativos como Netflix ou Hulu - mas o Apple TV facilitou muito a navegação.

Desde então, a Apple adicionou um monte de aplicativos, fez alguns pequenos ajustes para aliviar alguns problemas, e acrescentou o comando de voz, um truque que destaca o dispositivo da Apple.

A mudança mais observada foi a explosão da noite para o dia, de aplicativos para o Apple TV. Em 6 meses, a loja da Apple disponibilizou mais de 5.000 aplicativos e jogos, ultrapassando o Roku e o Amazon FireTV. É claro que muitos desses aplicativos, originalmente concebidos para iPhones e iPads, foram reformulados e adaptados para o dispositivo da Apple.

Informações sobre preços baseado do mercado americano - O Apple TV 2015 vem em duas versões: US$ 149 para o modelo de 32GB, e US$ 199 para o modelo de 64GB. Para a maioria das pessoas, é recomendado a versão de 32GB.

Crédito: Sarah Tew/CNET

Matéria atualizada dia 30/05/2016 às 14:53

Comentário (1) Hits: 3979

Lei do Bem volta e preços de celulares devem cair

iphone_6b.jpgLucas Agrela, de EXAME.com
28/04/2016 - Por meio de uma liminar, o Tribunal Regional de Federal determinou nesta semana a suspensão da MP 690, que revogava a Lei do Bem, que garante alíquota zero de PIS/Cofins para produtos de informática e telecomunicações. Com isso, os preços de smartphones, tablets e notebooks podem ser reduzidos.

A ação foi movida pela Abinee, Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, que representa as fabricantes de hardware no país. O argumento usado foi o de que um benefício fiscal concedido com data para terminar (31 de dezembro de 2018) não pode ser revogado antecipadamente.

Pelo cálculo tributário do IBPT, 39,12% dos preços dos smartphones são impostos. Com o fim da Lei do Bem, eles passaram a representar 42,69% dos preços para os consumidores.
Já os tablets de até 2.500 reais a carga tributária é de 39,12% e de 47,59% com a MP 690 em vigor. No caso de computadores de até 2.000 reais, os impostos são 24,30% do preço e, sem o benefício fiscal, atingiriam 33,62%.

Comentário (0) Hits: 991

Apple comunica recall de adaptador AC de parede

07/03/2016 - A Apple anunciou, nesta segunda-feira (7/3), recall dos adaptadores AC de parede Apple distribuídos com o Mac e dispositivos iOS, bem como no Apple Word Travel Adpter Kit, comercializados entre 2003 e junho de 2015.

No comunicado, a empresa informa ter constatado que, em casos muito raros, os adaptadores podem quebrar e, eventualmente, criar o risco de choque elétrico se forem tocados pelo consumidor. Devido a este defeito, sua utilização deve ser suspensa.

A empresa esclarece que os adaptadores afetados possuem de quatro a cinco letras ou nenhuma letra na ranhura localizada na parte interna do mesmo, onde esse se conecta com a fonte de alimentação elétrica Apple. As novas peças têm agora um código regional de três letras inserido nessa ranhura (EUR, KOR, AUS, ARG ou BRA).

Para mais informações sobre a substituição das peças defeituosas em uma Apple Store local ou em um provedor de serviços autorizados da marca, a Apple disponibiliza o site www.apple.com/br/support/ac-wallplug-adapter/

O Procon-SP, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do Governo do Estado de São Paulo, orienta os consumidores sobre seus direitos: a empresa deverá apresentar os esclarecimentos que se fizerem necessários, conforme determina o Código de Defesa do Consumidor, inclusive com informações claras e precisas sobre os riscos para o consumidor.

O que diz a lei

O Código de Defesa do Consumidor, em seu artigo 10, estabelece que: "O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

§ 1º O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários."

Os consumidores que já passaram por algum acidente causado pelo defeito apontado poderão solicitar, por meio do Judiciário, reparação por danos morais e patrimoniais, eventualmente sofridos.

A Fundação Procon-SP mantém, desde 2002, um banco de dados com informações sobre todas as campanhas de recalls realizadas no Brasil: http://sistemas.procon.sp.gov.br/recall/

 

 

 

 

 


Comentário (0) Hits: 899

Redmi 2 e Redmi 2 Pro conquistam prêmio no MWC

03/03/2016 - A Xiaomi ganhou o prêmio GloMo Awards com o aparelho Redmi 2 e sua variante Redmi 2 Pro, que tem 2 GB de RAM e 16 GB de armazenamento, na categoria melhor smartphones de baixo custo (abaixo de US$100).

O GloMo Awards é uma das premiações mais prestigiadas do mundo e prêmio oficial do Mobile World Congress. Ele é organizado pela GSMA, que reúne 800 operadoras com mais de 230 empresas, formando o maior ecossistema de operações móveis. No total, 285 indicados foram selecionados para mais de 40 prêmios em oito categorias.

Segundo o corpo de jurados do prêmio, o Redmi 2 é o melhor smartphone apresentado ao mercado em 2015 na relação custo-benefício, oferecendo aos consumidores um design elegante de grande qualidade e especificações impressionantes a um preço extremamente atraente, com destaque para a interface, "que é eficiente e fácil de usar, em especial para quem não é um usuário intensivo de smartphones". O Redmi 2 e o Redmi 2 Pro rodam o MIUI, sistema operacional baseado em Android e desenvolvido pela Xiaomi, que conta com recursos exclusivos e melhorias feitas com base na opinião dos usuários em atualizações mensais. Mais de 170 milhões de pessoas em todo o mundo usam o MIUI como sistema operacional em seus smartphones Android, de acordo com a fabricante.

O Brasil foi primeiro mercado da Xiaomi fora da Ásia a ter operação e manufatura locais, e o Redmi 2 foi primeiro aparelho escolhido para ser comercializado no mercado brasileiro. Lançado em julho de 2015, ele foi considerado pela imprensa especializada o melhor smartphone da categoria, com processador Snapdragon 410 quad-core, 1 GB de RAM e 8 GB de memória interna (expansível até 32 GB com microSD). Em outubro, foi lançado o Redmi 2 Pro, com 2 GB de RAM e 16 GB de memória interna, nas versões Branca e Dark Grey.

O Redmi 2 Pro está disponível no Mi.com e nos canais de vendas Pontofrio, Extra, Casas Bahia, Americanas, Shoptime, Submarino, Walmart e MercadoLivre.

Comentário (0) Hits: 849

Conheça a câmera semiprofissional Sony α7II

sony_7II.jpgEthevaldo Siqueira
10/02/2016 - Experimentei por dois dias durante o Consumer Electronics de Las Vegas (CES 2016) uma câmera Sony Alpha 7II (α7 II) e posso dizer que fiquei encantado com a qualidade das fotos que fiz e, principalmente, com os recursos da Alpha 7II, câmera mirrorless (sem espelho) semiprofissional realmente avançada.

A Sony Alpha 7II é a primeira câmera com sensor "full frame" (do tamanho da própria foto 36x24mm), com sensibilidade de 24,3 megapixels, estabilização de imagem de cinco eixos e capaz de fornecer compensação de movimento da câmera para as mais variadas lentes montáveis.

 

Um de seus recursos que mais me agradou foi Foco Automático Híbrido Rápido aprimorado (Fast Hybrid AF), que nos proporciona, de fato, foco ultra-rápido, ampla cobertura e excepcional acompanhamento de objetos em movimento.

A sensibilidade ISO cobre a gama 50-26500. Com ela, fiz filmes Full HD no formato XAVC S com alta taxa de bits de 50 Mbps. A câmera é compatível com as lentes de montagem E, da Sony. Experimentei duas lentes zoom originais da Sony, de excepcional desempenho, uma delas até 70mm outra de 24-240mm.

Menor preço nos EUA: US$ 1.700 (só o corpo da câmera, i.e., body only). Não tenho ideia de quanto custará no Brasil.

Mais detalhes em português no portal da Sony no Brasil:
http://www.sony.com.br/.../lentes-fotografi.../ilce-7m2-body-kit

Comentário (0) Hits: 989

Entenda como funciona uma câmera mirroless

Ethevaldo Siqueira
12/02/2016 - As câmeras sem espelho (mirrorless) tornaram obsoleto o sistema anterior das câmeras profissionais, conhecidas pela sigla SLR, abreviatura de Single Lens Reflex – cujo princípio de funcionamento se baseia em uma única lente e um sistema de espelhos para a reflexão da luz.

Com a fotografia digital, a sigla passou a ser DSLR (Digital Single Lens Reflex). Mas o sistema de captação da imagem continuou o mesmo, isto é, através de espelhos.

A Panasonic foi pioneira no lançamento sistema sem espelhos em 2008, ao qual deu o nome de DSLM (ou Mirrorless Digital Single Lens). Sob vários aspectos, essa nova configuração revolucionou o mundo da fotografia, porque as câmeras mirrorless combinam o conforto de uma câmera mais compacta com excelente técnica de funcionamento e controle.

A maior diferença entre as câmeras profissionais Single Lens Reflex Digitais sem espelho (mirrorless) é que elas não usam a caixa de espelhos ou pentaprism. Desse modo, não utilizam um visor óptico. A luz que atinge o sensor vem diretamente através da lente.

Isso permite muito mais do que a redução das dimensões e do peso das câmeras digitais, pois, em vez de um visor óptico, as câmeras mirroless podem usar um visor eletrônico de alta resolução que funciona com a transmissão ao vivo da luz diretamente sobre o próprio sensor da câmera.

Como consequência, as câmeras mirrorless (também comumente chamadas de Câmeras de Sistema Compacto (CSC, de Compact System Cameras) permitem alta velocidade de focagem automática e de detecção de contraste.

Crédito: www.wikitricks.org

Comentário (0) Hits: 1167

newsletter buton