Celular no Brasil: US$ 60 por mês. Suécia: US$ 1,10

celular_caro.jpg08/10/2013 - Os preços dos serviços de telecomunicações no Brasil continuam sendo dos mais altos do mundo, segundo relatório Medindo a Sociedade da Informação da União Internacional de Telecomunicações (UIT), divulgado globalmente nesta segunda-feira (7).

A UIT calcula o Índice de Desenvolvimento das TICs (IDI) considerando 11 indicadores diferentes relacionados a infraestrutura e acesso, uso e habilidades. Esse índice mede o nível de desenvolvimento da sociedade da informação de 161 países e vem sendo publicado desde 2009.

A telefonia celular tem o mais alto custo a US$ 60 por mês, enquanto na Suécia é US$ 1,10. A banda larga fixa no Brasil custa US$ 17,80 mensal, contra US$ 7 na Tunísia. Em Cuba, o serviço custa US$ 1,7 mil, mas esse país enfrenta bloqueios que repercutem no preço. A telefonia fixa calculada pela UIT ficou em US$ 29,80 e US$ 24,80 de assinatura básica. No Irã, a cesta de telefonia fixa custa US$ 0,20 e não tem assinatura básica. No Reino Unido, por outro lado, chega a US$ 36. Já a banda larga móvel ficou em US$ 35,80 tanto para terminais pré-pagos como pós-pagos. Na Tunísia, o serviço custa US$ 3,60. Já em São Tomé e Príncipe, a banda larga móvel chega a US$ 177.

Quando dividido pelo Produto Nacional Bruto (PNB) per capita, a colocação do país melhora, ficando na 93ª posição entre as 161 economias comparadas. Por serviço, o país está em 117º lugar na telefonia móvel. No caso da telefonia fixa, o preço praticado no país está na 112º colocação, mas fica em 55º na banda larga fixa. O relatório ainda não traz a colocação oficial da banda larga móvel, porém de acordo com os dados divulgados, fica perto da 70ª posição.

Para o chefe da assessoria internacional da Anatel, Jeferson Nacif, a metodologia de cálculo do preço da cesta de serviços leva em conta planos homologados, que não refletem a realidade brasileira. "No país onde mais de 80% dos acessos móveis são pré-pagos, os resultados acabam distorcidos", disse. Ele afirmou ainda que o cálculo inclui os impostos incidentes sobre os serviços. Nacif espera que a implantação do modelo de custos mude a situação dos preços praticados no Brasil.
Segundo o relatório, as três primeiras cidades com menores custos com serviços de telecomunicações, Macau, Catar e Hong Kong, os usuários consomem respectivamente 0,2%, 0,4% e 0,4% de suas rendas. No Brasil, o percentual da renda consumida é de 4%.

http://www.telesintese.com.br/index.php/indice-geral-plantao-em-destaque/24404-custo-do-celular-no-brasil-e-o-mais-alto-do-mundo-a-us-60-mensais-aponta-a-uit

Brasil melhora nota mas cai 2 posições no ranking da UIT
País figura entre os que fizeram maiores progressos em 2012, por conta do crescimento expressivo na banda larga móvel. Mas isso não foi suficiente para continuar subindo
O Brasil caiu duas posições no ranking da UIT (União Internacional de Telecomunicações) em apenas um ano. O balanço sobre os serviços de comunicações em 157 países foi divulgado pela instituição nesta segunda-feira, 7/10. Conforme o documento, em 2012 o Brasil ficou com a posição de número 62 entre os países mais desenvolvidos no que se refere à sociedade da informação. Em 2011 ocupávamos a posição de número 60, depois de ter subido 7 posições em relação à posição ocupada em 2010. Mesmo assim, o Brasil voltou a ser incluído pela UIT entre aqueles que "fizeram mais progressos quando se trata de desenvolvimento das TIC" e teve a sua nota geral aumentada de 4,59 para 5,00.
A UIT calcula o Índice de Desenvolvimento das TICs (IDI) considerando 11 indicadores diferentes relacionados a infraestrutura e acesso, uso e habilidades. Esse índice mede o nível de desenvolvimento da sociedade da informação nos países avaliados e vem sendo publicado desde 2009.

http://idgnow.uol.com.br/internet/2013/10/07/brasil-melhora-mas-cai-2-posicoes-no-ranking-da-uit/

Comentário (0) Hits: 1198

US$ 26 bilhões em aplicativos móveis no mundo

app_moveis.jpg03/10/2013 - Para se ter uma ideia das dimensões atuais do mercado de aplicativos móveis no mundo, só neste ano de faturamento total do mercado, neste ano, chegará a US$ 26 bilhões, bem superior aos US$ 18 bilhões comercializados em 2012. Esse é um dos aspectos que será debatido nas sessões dedicadas à Mobilidade, um dos grandes temas do Symposium ITxpo 2013, do Gartner. Ainda em 2013, as lojas de aplicativos móveis alcançarão um volume anual de downloads de 102 bilhões, 91% dos quais serão de downloads gratuitos deverão ser de 91%, segundo estudos do Gartner, uma das maiores e mais prestigiosas empresas mundiais de pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia.

"Nossa expectativa é ter um forte crescimento nos downloads até 2014, o que deve diminuir um pouco nos anos seguintes. A média de downloads por aparelho deve ser alta nos primeiros anos, na medida em que os usuários compram novos dispositivos e se interessam por Apps. Com o tempo, os downloads se acumularão com um portfólio de aplicativos e esse número será moderado", afirma Elia San Miguel, analista do Gartner, que abordará em detalhes a mobilidade e as estratégias no mundo digital no Symposium ITxpo.


"Atualmente, os aplicativos gratuitos estão disponíveis 60% nas lojas da Apple e 80% no Google Play. As lojas de Apps para iOS e Android, combinadas, devem contar com 90% dos downloads globais, em 2017. Essas lojas ainda estão muito ativas, graças aos ricos ecossistemas e às comunidades de grandes desenvolvedores. Porém, prevemos que a média mensal de downloads por aparelho iOS deva diminuir de 4,9, em 2013, para 3,9, em 2017, enquanto por Android a redução seja de 6,2, em 2013, para 5,8, em 2017. Isso se remete à tendência global de termos usuários utilizando os mesmos aplicativos, ao invés de baixar novos", diz Elia.


Veja a comparação, em milhões, dos downloads mundiais em lojas de aplicativos móveis, entre 2010 e 2016:

apps_tabela.jpg

As compras em aplicativos serão 17% do faturamento das lojas, em 2013, e crescerão para 48%, em 2017. Porém, como acontece com os downloads, esta modalidade de compras deve ter um forte crescimento em 2013 e 2014 e diminuir nos anos seguintes. Isso acontecerá, pois os aparelhos inteligentes estão atingindo consumidores do mercado de massa, que têm menos disponibilidade para gastar com isto. Mas, as compras em aplicativos terão um peso importante no lucro das lojas de Apps e dos desenvolvedores.

Pesquisas mostram que as compras em Apps contribuem com uma parcela significativa no faturamento da loja da Apple mundialmente. Outras plataformas não atingiram níveis tão altos como o iPhone, mas, analistas preveem que as compras em aplicativos aumentarão sua contribuição no futuro.

Comentário (0) Hits: 979

Anatel lança aplicativo gratuito para iPhone

11/09/2013 - A versão oficial do aplicativo da Anatel para aferição da qualidade da banda larga móvel para o smartphone iPhone (sistema operacional iOS), desenvolvida pela EAQ (Entidade Aferidora da Qualidade), já está disponível.

Para instalar o aplicativo basta o usuário fazer uma busca pela palavra "EAQ" na Apple Store. Localizado o aplicativo, o usuário deverá clicar em "grátis", seguido de "instalar o app". Após instalado o aplicativo, o usuário necessitará fazer um cadastro com seu e-mail e escolher uma senha de acesso.

O aplicativo é gratuito, seguro e não permite acesso ao conteúdo das ligações ou mensagens do usuário. As informações a serem obtidas dizem respeito aos principais parâmetros de qualidade da conexão banda larga (velocidades de download e upload, latência, jitter e perda de pacotes), além de apresentar graficamente os resultados de todas as medições realizadas anteriormente, inclusive com os locais exatos das medições. Ou seja, uma vez instalado o aplicativo o usuário poderá realizar medições do Serviço Móvel Pessoal contratado de sua prestadora em qualquer lugar em que esteja com seu smartphone.
Usuários de smartphones com o sistema Android também podem baixar diretamente do Google Play uma versão oficial do aplicativo "Brasil Banda Larga" desenvolvida para essa plataforma. Para outros sistemas operacionais móveis, as medições podem ser realizadas diretamente na página do projeto: http://www.brasilbandalarga.com.br.
A partir dos resultados destas medições com abrangência nacional, a Agência reunirá informações para a adoção de medidas que permitam análise e ampliação da qualidade, buscando a progressiva melhoria da banda larga móvel no País.

Comentário (0) Hits: 1090

Nokia acusa Apple de copiar Lumia no novo iPhone 5

11/09/2013 - A Nokia fez piada com os novos iPhones 5C da Apple. A fabricante finlandesa acusou a Apple de copiar as cores do aparelho da sua linha Lumia.
Em seu perfil no Facebook e no Twitter, a Nokia do Reino Unido publicou uma imagem com cinco modelos do Lumia com as mesmas cores do iPhone 5C apresentado ontem, (10). Detalhe, a foto traz os dizeres: "Imitação é a melhor forma de elogio".

Além disso, a empresa comprada recentemente pela Microsoft, também fez uma brincadeira com a nova cor dourada do iPhone 5S, sucessor do iPhone 5. Em seu perfil no Twitter, a companhia fez uma referência ao seriado "Breaking Bad", que está em alta durante sua reta final, com a frase: "Gângsteres de verdade não usam telefones dourados".

Comentário (0) Hits: 840

Troque de celular e mantenha seus dados pessoais

chip_mobile.jpg09/09/2013 - A grande quantidade de gadgets (termo em inglês que significa dispositivos eletrônicos portáteis) no mercado global e brasileiro faz com que o consumidor seja estimulado a trocar seu equipamento em um curto espaço de tempo. Este comportamento é visto principalmente no mercado de smartphones, que hoje, no Brasil, representa cerca de 20%[1] do número total de dispositivos habilitados.

Muitas vezes, os usuários não se dão conta da quantidade de dados e informações pessoais sensíveis e que podem ser perdidas em uma simples migração de aparelho. De acordo com a pesquisa da Norton da Symantec[2], 61% dos brasileiros disse não ter controle suficiente de suas informações online, inclusive pelos smartphones.

A falta de cuidado com tudo aquilo que está dentro do equipamento pode abrir espaço para a atuação de cibercriminosos. Apenas no último ano, as ameaças móveis aumentaram quase 60% em relação ao ano anterior, de acordo com o Internet Security Threat[3]. O objetivo é único: obter vantagens financeiras de internautas desavisados e desprotegidos.

Abaixo, a Symantec oferece algumas dicas de boas práticas aos usuários antes de se desfazer do produto antigo e passar a usar o novo:

1. Realize back-up das informações contidas em seu aparelho regularmente. Assim, você sempre terá as suas informações guardadas em um segundo ambiente virtual e, na hora da migração, não terá que fazer cópias muito extensas de informações pessoais;

2. Apague tudo o que for pessoal e intransferível do equipamento antigo. É recomendável que, antes de repassar o smartphone, sejam restauradas as funções de fábrica do equipamento. Verifique no manual do fabricante como fazer a ação;

3. Leve consigo o chip do seu telefone. É possível manter o número do telefone no próximo aparelho. Além disso, este cartão pode conter dados pessoais gravados, portanto, cuidado. Caso você seja roubado ou o perca, procure imediatamente bloquear o chip com a sua operadora. Assim, a recuperação do seu antigo número é certa;

4. Cartões de memória devem ser apagados ou retirados do smartphone, a exemplo do chip com o número telefônico. Com isso, todas as informações pessoais estarão sob posse de seu respectivo dono.

5. Procure instalar softwares de segurança originais, já no smartphone novo. Além de realizar varreduras constantes no equipamento conectado na Internet para evitar malwares móveis, a solução pode localizar o celular perdido e bloquear os dados contidos nele.

[1] Levantamento divulgado pelo Ibope em abril deste ano.
2 Pesquisa Omnibus da companhia foi conduzida pela Edelman Berland, com adultos maiores de 18 anos da Alemanha, Austrália, Brasil, Espanha, Estados Unidos, Itália, Japão e Reino Unido.
3 O estudo da Symantec disponibiliza uma visão geral e uma análise das atividades de ameaças globais no ano de 2012.

Comentário (0) Hits: 819

Apple testa iPhones de 4,8 e 6 polegadas

iPhone5.jpg06/08/2013 - Segundo jornal WSJ, a Apple teria encomendado telas de tamanhos diferentes para seus fornecedores e estaria estudando o lançamento de vários modelos de iPhone

Enquanto as atenções de boa parte da Apple estão voltadas para o evento que acontece na próxima semana, dia 10, e no qual a empresa deve revelar dois novos modelos de iPhones, outros setores da empresa estudam a possibilidade de desenvolver smartphones com telas grandes, entre 4,8 e 6 polegadas.

As informações foram divulgadas nessa manhã pelo jornal The Wall Street Journal, que alegou ter ouvido fontes próximas da Apple.
Segundo a reportagem, não está claro se a empresa apostará em uma nova estratégia, a de oferecer iPhones de tamanhos diferentes, além do já notório plano de lançar um smartphone de baixo custo, que deve ser anunciado no dia 10.

Mas, de acordo com as fontes ouvidas pelo jornal, e que estariam informadas dos planos da Apple, a empresa parece ter mudado um pouco da sua mentalidade corporativa e está mais aberta a novidades.

E um indicativo disto, seguiu o WSJ, é o fato de a empresa ter solicitado aos seus fornecedores o envio telas de tamanhos diferentes, especialmente 4,8 polegadas.

Comentário (0) Hits: 660

newsletter buton