Por que ter uma tela de bloqueio em seu smartphone?

28/07/020 - Combinação ou padrão de segurança é uma forma de manter criminosos longe de informações confidenciais

Com o constante aumento no número de casos de ciberataques e invasão a dispositivos, em especial os smartphones, utilizar uma forma de bloqueio de tela no aparelho se torna ainda mais importante. A ESET explica por que essa prática pode ajudar usuários a manterem dados pessoais protegidos e como configurar essa proteção.

Quando um smartphone é roubado ou perdido, as chances de informações confidenciais sobre o proprietário do aparelho, como dados pessoais ou bancários, caírem nas mãos erradas são muito grandes. Uma tela de bloqueio faz com que o criminoso tenha maior dificuldade em acessar as informações arquivadas no aparelho e, por isso, pode ser uma medida eficiente para evitar passar por transtornos, muitas vezes, irreparáveis.

Abaixo, listamos as opções de bloqueio de tela existentes e como configurá-las no smartphone para mantê-lo protegido contra o cibercrime:

Senhas comuns:

• Padrão: geralmente, é um desenho padrão conectando pontos em uma grade de 3×3. O desenho é escolhido pela vítima e não é possível repetir os pontos;

• PIN: consiste em uma senha numérica com, pelo menos, quatro dígitos;

• Senha: esta opção é uma senha alfanumérica, combinando letras, números e caracteres especiais. Deve ter pelo menos quatro caracteres, incluindo ao menos uma letra.

Biometria:

• Impressões digitais: essa opção já é comum em vários modelos de smartphone. Consiste em um sensor de impressões digitais que reconhece os dedos cadastrados e faz o desbloqueio;

• Reconhecimento facial: assim como as digitais, é possível cadastrar o próprio rosto para que o aparelho faça o reconhecimento e desbloqueio;

• Íris: nesta opção, o desbloqueio é feito por meio do reconhecimento da íris (olho);

• Leitura inteligente: opção ainda nova, combina o reconhecimento facial e da íris para melhorar a precisão e a segurança do aparelho.

Além dessa solução, também é recomendado contar com uma solução de segurança em todos os dispositivos utilizados, seja para lazer ou para o trabalho, e manter os sistemas operacionais sempre atualizados, a fim de evitar ser vítima de diversos tipos de ciberataques.

Comentário (0) Hits: 1431

Consumo de wearables segue crescendo, diz IDC

wearables_1.jpg08/07/2020 - A pandemia de covid-19 não freou o consumo de wearables no primeiro trimestre de 2020. No período, segundo estudo realizado pela IDC Brasil, foram vendidos 318 mil produtos vestíveis, crescimento de 265% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo 168.680 fitbands (pulseiras inteligentes) e 149.333 smartwatches (relógios inteligentes), alta de 321% e 218%, respectivamente. A receita foi de R$ 438 milhões, um aumento de 231%.

"Com novos produtos e uma erosão nos preços, a demanda por wearables vinha em alta, o que motivou o varejo a se abastecer no começo do ano. Assim, quando a pandemia chegou, havia estoque, oferta e procura e as vendas não foram impactadas", explica Renato Meireles, analista de pesquisa e consultoria de Consumer Devices da IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e eventos para os mercados de tecnologia da informação, telecomunicações e tecnologia de consumo. "A pandemia não impede de usar uma pulseira ou relógio inteligente, pois são ótimos companheiros para monitorar os exercícios em casa", diz Renato. "Além disso, wearables são produtos com bom desempenho no e-commerce e o fechamento das lojas físicas não provocou impacto negativo nas vendas", conclui o analista da IDC Brasil.

No primeiro trimestre de 2020, o preço das fitbands caiu 37% e ficou em torno de R$ 551, e os smartwatches, com características mais robustas e cara de relógio, ficaram 3% mais caros, com preço médio de R$ 2.313. "As fitbands vêm ganhando representatividade na categoria e com preços mais acessíveis sofrem menos os efeitos da alta do dólar", justifica o analista da IDC Brasil.

Passado, presente e futuro

Em 2019, as fitbands e os smartwatches ficaram 13% e 15% mais baratos, respectivamente, na comparação com 2018, fazendo o mercado crescer 218%. com a venda de 767,7 mil unidades.

No primeiro trimestre de 2020, igualmente o mercado cresceu e, inicialmente, a projeção da IDC para o segundo trimestre também era de crescimento. A expectativa de alta continua, mas em índices mais tímidos, reflexo da pandemia. "As fitbands e os os smartwatches se tornaram produtos "nice to have", afirma Renato. Para as fitbands, a expectativa para o segundo trimestre é de alta de 39,2%, e para os smartwatches, de 23,4%. Para o mercado total, o esperado é uma alta de 30%.

Comentário (0) Hits: 1077

Home Office: Dicas para cuidar bem do seu PC

ricardo_ferraz_intel.jpg*Por Ricardo Ferraz
27/03/2020 - Com a recomendação das autoridades para permanecermos em casa, o trabalho remoto virou a solução para que as empresas continuem com as suas operações e dessa forma ajudem a diminuir a possibilidade de propagação da COVID-19. Com a adoção do trabalho remoto, ainda uma novidade para muitos profissionais e setores, surgem também diversas dúvidas e, naturalmente, alguns empecilhos.

A prática de home office se mostra cada vez mais presente nas empresas nos últimos anos. Um levantamento divulgado pelo IBGE aponta um aumento de 21% entre 2017 e 2018 no Brasil, e, segundo pesquisa realizada pela SAP, Consultoria em Recursos Humanos, em 2018, 45% das empresas já possuem alguma forma de trabalho remoto.

Com o aumento nos casos do Covid-19 e a facilidade de contaminação da doença, a liberação do home office deixou de ser opção para virar uma necessidade, e com ela, cabe às empresas o compromisso de fornecer estrutura e auxílio constante para que os funcionários consigam realizar seu trabalho normalmente, através da facilitação de equipamentos necessários, internet, acesso aos materiais do dia a dia ou liberação de aplicativos que podem ajudar a rotina do empregado.

Como cuidar do seu PC

O notebook é o equipamento mais utilizado pelas empresas e profissionais autônomos durante o período de trabalho remoto. No entanto, sem o auxílio presencial de profissionais de TI da empresa disponíveis para nos salvar, e com as lojas de manutenção de computadores fechadas, os cuidados com a sua máquina – seja ela pessoal ou locada - devem ser redobrados durante esse período.

Limpeza - Para evitar qualquer tipo de propagação da doença através do seu PC, algumas medidas simples de higiene são essenciais. Com a ajuda de um pano e do álcool isopropílico 70%, limpe o monitor e os demais dispositivos que se conectam à máquina. Os equipamentos periféricos (teclado e mouse) devem estar desconectados e o notebook ou PC precisam estar completamente desligados, sem bateria e fora da tomada.

Velocidade - Se a intenção é aumentar a velocidade do seu PC, outra forma rápida e simples que ajuda na diminuição dos famosos “bugs” é desinstalar aqueles aplicativos e programas que você não utiliza mais. Até mesmo arquivos pesados que você copiou duas vezes sem querer, vídeos e imagens salvos na nuvem que você esqueceu de apagar, pesam muito na memória do seu computador e, ao excluí-los, pode dar uma agilizada no tempo de resposta da máquina.

Segurança – Mesmo trabalhando de casa, os cuidados com o acesso de sites desconhecidos devem ser redobrados. Por isso, evite clicar em links duvidosos que podem trazer spams, trojans, spywares, adwares, phishing e outros malwares para o computador, deixando-o muito mais lento e correndo o risco de ter seus arquivos confidenciais do trabalho corrompidos.

Apps e itens que ajudarão o seu home office

Alguns produtos e aplicativos básicos podem auxiliar na concentração diária e em outros fatores essenciais na hora de transformar a casa em seu escritório. E, nesse período de home office, a organização é a palavra de ordem para quem deseja manter a rotina em dia e a boa comunicação com os demais membros da equipe. Para isso, alguns aplicativos servem de grande auxílio durante esse período em que temos que nos programar melhor sozinhos:

- Trello
- Google Keep
- Evernote

Se o que você precisa é de uma plataforma que ajude a realizar reuniões virtuais junto com sua equipe de trabalho ou clientes, apps como:

- Google Hangouts
- Microsoft Teams
- Zoom

Além de aplicativos, alguns produtos básicos podem otimizar o seu trabalho e aumentar a sua produtividade. Aqui vão 3 dicas simples, mas que farão toda a diferença no seu dia a dia:

- O uso de um fone de ouvido poderá ajudar a eliminar sons indesejáveis e ruídos externos durante calls e reuniões virtuais com o time;

- Mantenha o seu notebook em uma posição adequada e que facilite a sua rotina de trabalho – o ideal é que a câmera do PC esteja da altura do seu olho. Para aqueles que não possuem um apoio de notebook, vale improvisar com livros ou caixas mais resistentes;

- Amigos de trabalho: para otimizar o seu tempo em frente ao notebook, o mouse e o teclado externos podem ser bons aliados, facilitando possíveis deslocamentos e adaptações do home office e dando mais agilidade para o trabalho.

*Ricardo Ferraz é líder da área de PC da Intel Brasil

Comentário (0) Hits: 2258

Mitos e verdades quando o assunto é celular

celular_anatel_2.jpg21/03/2020 - Colocar o celular no arroz depois de derrubá-lo na água? Reduzir o brilho da tela para economizar bateria? Deixar o celular a noite toda carregando para a carga durar mais? Será que esses truques funcionam ou não passam de mitos populares? Para desvendar esses "mistérios", o técnico e sócio da Smartech, Fernando Menezes, levantou as principais dúvidas dos consumidores e pontuou o que realmente traz resultado efetivo.

Mito ou Verdade: Os aparehos à prova d'agua podem ficar completamente submersos

MITO! Quando um smartphone é vendido como "à prova d'água", é preciso tomar cuidado. Os aparelhos com classificação IP67 e IP68 são os que possuem resistência máxima, mas ainda assim têm um tempo limite e a profundidade específica de submersão. Existem diversos níveis de proteção. Quanto maior os dois números que acompanham a sigla IP, maior a resistência. O primeiro dígito se refere à poeira, podendo de ir 0 a 6. O segundo dígito se refere à água, indo de 0 a 8. No nível máximo de proteção, o aparelho pode ficar submerso por até 30 minutos numa profundidade de 1,5 metro. Ainda assim, as marcas recomendam que isso seja evitado.

Mito ou Verdade: Película de vidro trincada prejudica o aperalho

VERDADE! Quando a película do celular trinca ou fica estilhaçada, o ideal é removê-la rapidamente e colocar uma nova. A película de vidro quando está danificada não oferece mais nenhum tipo de proteção, muito pelo contrário. Ela pode danificar também a tela do aparelho com os estilhaços do vidro e interferir no funcionamento do touch. Além de ter grandes chances de machucar o dono do aparelho.

Mito ou Verdade: Reduzir o brilho da tela economiza bateria

MITO! Ao contrário do que muitos acreditam, a função de ajuste de brilho da tela não foi pensada para economizar a bateria do aparelho! A economia gerada pela redução do brilho praticamente não impacta na bateria em si. Essa função é basicamente para o conforto do usuário.

Mito ou Verdade: Deixar o aparelho na tomada a noite inteira não danifica a bateria

VERDADE! Não é aconselhado, mas deixar o celular conectado na tomada durante a noite não vai danificar a bateria do aparelho. Assim que o celular completa 100% de carga, ele deixa de receber energia.

Mito ou Verdade: Colocar o celular no arroz após o apareho cair na água enxuga o líquido

MITO! Apesar do arroz ser um ótimo absorvente natural quando está cru, ele não é capaz de enxugar toda a água do aparelho. O ideal é levar o celular diretamente para uma assistência técnica. Se não for possível logo no momento do ocorrido, o indicado é desligar o celular, tirar a bateria e os cartões e retirar o excesso de água usando um pano ou algo parecido. Apenas em uma assistência técnica será possível fazer a desoxidação do aparelho.

Mito ou Verdade: Carregar o aparelho apenas com o cabo USB demora mais

VERDADE! Além de demorar mais para dar a carga, essa opção de carregamento ainda pode danificar a bateria. As correntes existentes entre duas entradas USB possuem alta oscilação, isso pode fazer com que o aparelho fique superaquecido, o que pode diminuir a vida útil da bateria. A melhor opção é sempre usar o carregador na tomada, que fornece uma corrente mais estável e não danifica o aparelho.

Comentário (0) Hits: 2233

Mercado de tablets sofre queda de 4% em 2018

iPad_Pro_2.jpg05/04/2019 – O mercado brasileiro de tablets manteve o ritmo de 2017, com volumes de vendas menores - porém estáveis - a cada trimestre, e uma queda, no ano, de 4%. De outubro a dezembro, foram vendidos 1,126 milhão de unidades e, nos 12 meses de 2018, um total de 3,640 milhões, 150 mil a menos do que em 2017.

Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil Tablets Tracker Q4/2018 e confirmam a estabilidade do mercado de tablets prevista pela líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e de conferências para indústrias de Tecnologia de Informação e Comunicações. Também como em 2017 e previsto pela IDC Brasil, os tablets para crianças tiveram participação significativa no resultado de vendas em 2018.

Para 2019, a tendência é que o mercado de tablets continue forte junto ao público infantil. “Neste ano, os lançamentos podem receber, por exemplo, sistema operacional aprimorado para oferecer uma experiência de uso mais interessante para as crianças. Outros produtos devem chegar com telas maiores, acima de 7 polegadas, e design diferente. Além disso, opções com especificações melhores e preços mais acessíveis também farão parte dos portfólios das marcas”, informa La Falce, analista do IDC Brasil. Mesmo assim, a expectativa  da IDC é de queda de 5% ao ano, com 3,448 milhões de tablets vendidos no Brasil, em 2019.

Comentário (0) Hits: 12163

Sony apresenta a câmera Alpha A7III na Fotografar 2018

alpha_a7III.jpg02/04/2018 - A Sony marca presença na feira Fotografar, um dos maiores eventos de fotografia da América Latina. Para a edição 2018, que acontece entre os dias 3 e 5 de abril, em São Paulo, a principal atração da marca japonesa é a apresentação oficial da câmera Alpha A7III no mercado brasileiro, anunciada globalmente no último mês de fevereiro.

Além do lançamento, todo o portfólio de câmeras, incluindo a recém-lançada A7RIII, estarão expostas no estande da Sony, onde os embaixadores da linha Alpha − Richard Cheles, Rafael Kent (3/4) Guilherme Coelho (4/4), e Everton Rosa (5/4) − também estarão presentes. Cheles, estará no espaço durante todo o evento tirando dúvidas sobre os produtos e dando dicas de como produzir imagens publicitárias; os demais, estarão no evento, respectivamente em

"A Fotografar 2018 é uma excelente oportunidade para lançarmos oficialmente nossa nova Alpha A7III, uma câmera mirrorless completa, com todas as funcionalidades desejadas pelos fotógrafos profissionais, como 24 MP, 693 pontos de autofoco, slot de cartão de memória duplo e maior duração da bateria”, comenta Marcelo Gonçalves, gerente de Marketing e Comunicação da Sony Brasil. “Um equipamento perfeito para cobertura de eventos sociais, como casamentos e eventos corporativos”.

Com um estande de 72 metros quadrados, a Sony oferecerá ao público três diferentes cenários para experiências fotográficas, como um espaço para fotos newborn, uma mesa para capturas em still e um estúdio para fotografia de casamento e moda. “Mais do que mostrar produtos inovadores, queremos proporcionar uma imersão no mundo da fotografia”, conclui Gonçalves.
 
Serviço

Fotografar 2018
3, 4 e 5 de abril, das 13h às 20h
Centro de Convenções Frei Caneca, São Paulo – SP
Evento aberto ao público - Inscrições em https://fotografar.fhox.com.br/inscricao/5

Comentário (0) Hits: 14373

newsletter buton