Falta do iPhone X impactou market share da Apple

iphonex.jpg*Por Dominic Sunnebo
13/12/2017 - Impacto pode ser sentido na queda do iOS e avanço do Android em mercados chave

A ausência do iPhone X nas prateleiras das lojas dos principais mercados do mundo durante o mês de outubro de 2017 impactou o market share do iOS, que apresentou queda no trimestre analisado pelo painel ComTech da Kantar Worldpanel. Aliado à contínua queda do Windows, isso deu margem para que Android apliasse sua presença de mercado em 4,3 pontos percentuais nos 5 principais mercados europeus, 8,2% nos EUA e 7,5% no Japão. A China urbana continua sendo a menina dos olhos da Apple, com sua presença naquele mercado crescendo 0,5% e chegando a 17,4% em outubro.

Era inevitável que a Apple visse uma queda do seu market share assim que fosse possível comparar um mês completo de vendas tendo tanto o iPhone 8, que não é um carro-chefe de 2017, comparado com o iPhone 7, que o principal aparelho da Apple de 2016. Essa queda é significante e coloca certa pressão nas vendas do iPhone X, este sim o principal aparelho (ou flagship) de 2017. Considerando tudo que o iPhone X oferece, os consumidores talvez adiem suas decisões de comprá-lo, até que possam testar o aparelho e decidir se ele realmente vale a pena na comparação com o iPhone 8, considerando que o iPhone X é mais caro.

Em outubro de 2017, 35,3% da base de clientes da Apple na Europa e nos EUA possuíam iPhones com mais de 2 anos de uso -mais do que os 30,1% do ano anterior, o que é uma significante demanda reprimida entre os consumidores da Apple. Em valores absolutos, é possível que o preço médio de venda do iPhone X mais do que compense as quedas nas vendas de modelos mais antigos de iPhone.

Na China urbana, um mercado que anteriormente tinha diversos desafio, já se encontra em fase de maturação, com os top 5 players mostrando forte crescimento e as marcas de cauda longa caindo rapidamente. Nos três meses encerrados em outubro de 2017, as cinco principais marcas naquele mercado - Huawei, Xiaomi, Apple, Vivo e Oppo - representaram juntas 91% das vendas, comparadas com 79% de representatividade há um ano.

Marcas chinesas como Meixu, LeTV, Coolpad, ZTE e Lenovo estiveram antes na mesma trajetória da Xiaomi, mas qualquer tração que elas tiveram antes subitamente sumiu, com muitas delas sofrendo para ultrapassar o 1% de market share. A performance da Samsung também continua deteriorando, caindo para apenas 2,2% do mercado.

Fonte: Kantar Worldpanel

*Dominic Sunnebo é Diretor de Global Consumer Insight

Comentário (0) Hits: 402

Mercado brasileiro de PCs cresce 30% no 3º trimestre

pc.jpg13/12/2017 - Segundo o IDC Brasil, foram comercializados 1,36 milhão de equipamentos entre os meses de julho e setembro de 2017, contra 1,04 milhão no mesmo período de 2016. Receita teve alta de 28%, chegando a R$ 3 bilhões

O ano de 2017 tem sido muito positivo para o mercado brasileiro de PCs. Depois de crescer 5% no primeiro trimestre e 5% no segundo, o setor voltou a apresentar números expressivos e, entre os meses de julho e setembro, comercializou 1,36 milhão de máquinas, 30% a mais do que no mesmo período de 2016, quando foram vendidos 1,04 milhão de equipamentos. Os dados são do estudo IDC Brazil PCs Tracker Q3, realizado pela consultoria IDC Brasil. A receita do terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 3 bilhões, alta de 28% em comparação com o terceiro trimestre de 2016, quando a receita foi de R$ 2,3 bilhões. Na comparação com o trimestre anterior o crescimento foi de 9% em unidades e de 11% em receita.

Do total de computadores vendidos no terceiro trimestre de 2017, 424 mil foram desktops e 936 mil foram notebooks, o que representa, respectivamente, 14% e 38% a mais na comparação com o mesmo período do ano passado. "Os notebooks puxaram o crescimento do setor, representando 69% das vendas entre julho e setembro e superando a expectativa da indústria, já que houve crescimento também no mercado corporativo", diz Pedro Hagge, analista de pesquisa da IDC Brasil.

Além disso, Hagge aponta a proximidade com a Black Friday e a renovação da base instalada como motivos para o crescimento do setor. "Com a chegada de duas datas sazonais bem importantes (Black Friday e Natal), os varejistas antecipam as compras das máquinas para o estoque já que a procura aumenta consideravelmente. A volta da confiança do consumidor e a necessidade de trocar equipamentos comprados em meados de 2011 são outros pontos que influenciaram o bom momento do mercado." completa o analista.

Ainda de acordo com o estudo da IDC, o tíquete médio dos computadores no terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 2.200, contra os R$ 2.234 de 2016, recuo de 2%.

4º trimestre e 2017

Para o último trimestre do ano, a IDC Brasil prevê venda de 1,38 milhão de PCs, alta de 13% na comparação com o mesmo período de 2016, quando foram vendidas 1,22 milhão de máquinas A receita deve crescer 10%, atingindo os R$ 3 bilhões de outubro a dezembro de 2017.

No acumulado para o ano, a consultoria aponta crescimento de 13% na comparação com 2016. "Acreditamos que o mercado chegue a 5,1 milhões de unidades vendidas, sendo 1,655 milhão de desktops e 3,436 milhões de notebooks. A receita deve ficar na casa dos R$ 11 bilhões", finaliza o analista da IDC Brasil.

 

 

Comentário (0) Hits: 376

Android é foco de ciberataques a dispositivos móveis

29/11/2017 - Pesquisa exclusiva da Fortinet revela que ataques a iPhones têm índices pouco significativos quando comparados ao sistema operacional do Google

A Fortinet apresenta um levantamento sobre as principais ameaças no Brasil em parceria com o FortiGuard Labs. De acordo com a pesquisa, o Android é o sistema operacional mais atacado por malwares destinados a dispositivos móveis no Brasil. O estudo foi realizado no período de janeiro a agosto de 2017 e confirma uma tendência do cenário de ameaças à cibersegurança.

Em junho, o Brasil já era recordista em números totais de malware para plataforma móvel, aparecendo em 5º lugar, atrás de países como Japão e Estados Unidos e com o equivalente a 10% de tentativas de infecções a dispositivos móveis em relação ao total de ameaças detectadas. Já no último relatório (janeiro a agosto), a Fortinet identificou que 18% das mais de 72 mil ameaças identificadas foram direcionadas para este tipo de dispositivo.

O Android é o sistema para dispositivos mobile mais utilizado no país e o mais vulnerável a ciberameaças, com 99,9% das tentativas de ataque, número muito superior ao observado em outras regiões. Do total de malwares em dispositivos móveis detectados na América Latina e no Caribe no primeiro trimestre de 2017, 28% deles eram malwares para dispositivos Android.

Botnet aumenta no Brasil

O tráfico de Botnet vem aumentando no Brasil, sendo 50% maior que no começo do ano. O botnet Andromeda é a principal ameaça do tipo, com cerca de 255 mil hosts infectados, 27% do total detectado no Brasil, um crescimento de 300% desde o início do ano. Porém, pelas projeções, pode não repetir o feito do passado, quando foi responsável por 1,1 milhão de ameaças.

Os dispositivos de Internet das Coisas (IoT) estão se tornando grandes oportunidades para hackers, já que sua grande maioria não foi desenvolvida com grande foco em cibersegurança. Em 2017, os botnets de IoT Miraj e Hajime foram responsáveis por 20% de todo o tráfego de Botnet no Brasil. Até agosto do ano passado, este tráfego era praticamente inexistente. Especialistas estimam que 25% os ciberataques serão direcionados à IoT em 2020.

Ransomware cresce no Brasil

O malware do tipo ransom, responsável pelos últimos grandes ataques de alcance global, continuam a crescer no Brasil e no mundo. De um ano para cá, 50% de todos os malwares no Top 20 são do tipo ransomware.

Quando olhamos pelo viés da propagação, o JS/KYptik ainda segue como campeão, sendo identificado por mais de 10% de todos os sensores no Brasil. O malware baixa e executa a família Cerber, vírus que criptografa arquivos de usuários.

Sistema de Prevenção de intrusão

De janeiro a agosto, foram mais de 113 milhões de tentativas de exploração de vulnerabilidades detectadas. A Fortinet identificou em seu relatório que 50% dos ataques do tipo IPS tentaram explorar vulnerabilidades web.

A ameaça TCP.Out.Of.Range.Timestamp é responsável por 30% do tráfego total dentro das TOP 20 ameaças do tipo. Sua abrangência aumentou de 1 milhão em janeiro para seis milhões em abril.

O relatório também destaca a presença de malwares derivados do Apache Struts, software de código aberto utilizado por diversas empresas e que se tornou tema de uma investigação este ano, após um dos três maiores de serviço de proteção ao crédito dos EUA, a Equifax, ter sido invadida por não ter atualizado uma vulnerabilidade do mesmo, o que causou o vazamento de dados pessoais de mais de 143 milhões de usuários no mundo. Malwares ligados ao software aparecem em cinco posições do Top 20 de ameaças.

 

Comentário (0) Hits: 482

Saiba como cuidar da bateria de seu notebook

notebook.jpg16/10/2017 - Eles deixaram de ser um artigo de luxo e se tornaram uma ferramenta indispensável para aqueles que têm rotinas intensas e precisam levar o computador para todos os lados com muita facilidade.

"Apesar da mobilidade, muitos usuários questionam a duração da bateria das máquinas e se perguntam o que fazer para que elas durem mais tempo", comenta Marcelo Batistela, Gerente de Engenharia da Daten.

Existem algumas medidas simples e práticas que podem ser tomadas para que a bateria tenha uma vida prolongada. Confira abaixo:

1. Ajuste o brilho

Assim como nos smartphones, a tela é um dos grandes responsáveis pelo gasto de energia dos notebooks. Se for necessário economizar bateria, simplesmente reduza a iluminação da tela. Quanto mais alto o brilho, maior será o consumo.

2. Acione o modo econômico

No sistema operacional da máquina, é possível analisar o plano de energia mais indicado para cada caso. O "modo econômico" é específico para quando economizar bateria é a principal necessidade. Ativar esse recurso altera diversas configurações do notebook, deixando a tela mais escura, apagando as luzes do teclado e reduzindo o desempenho do processador, por exemplo.

3. Dispositivos móveis

Desconecte da máquina todos os dispositivos móveis, como teclado, mouse, ventiladores, lâmpadas etc. Todo aparelho que se conecta via USB puxa energia para funcionar, então, ter muitas coisas ligadas ao laptop fará com que a bateria se esgote mais rapidamente.

4. Não abra muitos programas ao mesmo tempo

Abrir muitos programas simultaneamente faz com que o computador se esforce mais e gaste mais bateria. Quando a sua memória RAM fica totalmente preenchida, o notebook começa a usar o processador para minimizar e alternar janelas de programas diferentes, o que faz com que o consumo de energia aumente ainda mais.

5. Não apoie o notebook em lugares que atrapalhem a ventilação

Colocar a máquina sobre objetos como almofadas, travesseiros ou cobertores pode piorar a vida útil das baterias. Isso ocorre porque o laptop opera melhor em temperatura ambiente e, quando colocado em cima desses objetos, ele pode esquentar. Além disso, o calor provocado pelo tecido ou estofamento também pode fazer com que seu notebook ligue o sistema de ventilação para reduzir a temperatura do processador, o que também consome energia.

6. Desative dispositivos de conexão

Dispositivos como Wi-Fi e Bluetooth consomem grande parte da energia por buscar sinal o tempo todo. Assim, quando são desligados, o computador não direciona energia para eles, fazendo com que a bateria dure mais.

Comentário (0) Hits: 856

Sony apresenta carregador veicular rápido e potente

carregador_celular.jpg28/08/2017 - O novo gadget garante bateria durante todo o percurso, mesmo com a utilização de aplicativos de localização

A Sony apresentou uma extensa lista de novidades na linha Mobile Essentials, que é composta por carregadores portáteis, cabos, carregadores de tomada e diversos outros acessórios que garantem ainda mais mobilidade no dia-a-dia.

Dentre as novidades, o carregador veicular CP-CADM2, considerado um dos mais potentes do mercado, é capaz de carregar dispositivos até cinco vezes mais rápido do que com um carregador para automóvel convencional (em comparação a um carregador para automóvel compatível com 0,5A), devido à sua saída de 4,8 A com duas portas USB.

Por possuir duas portas USB, o modelo ainda possibilita que o motorista e o passageiro carreguem os seus smartphones simultaneamente, mesmo utilizando aplicativos de localização, por exemplo.

O CP-CADM2 possui dispositivos internos de segurança capazes de proteger o aparelho contra sobrecarga da corrente elétrica, curto-circuito e controle de temperatura. Além de smartphones, é possível carregar tablets, câmeras e outros equipamentos com entrada USB.

Preço sugerido: R$ 99,99

Comentário (0) Hits: 1306

Samsung DeX: o gadget que otimiza seu dia a dia

samsung_deX2.jpg24/07/2017 - A Samsung lançou recentemente o Samsung DeX, dispositivo que transforma o Galaxy S8 e S8+ em uma estação de trabalho.

Com esse acessório é possível acessar aplicativos móveis do smartphone, editar documentos e navegar na web. Além disso, sua interface otimizada permite realizar diversas tarefas simultaneamente como assistir vídeos, responder e-mails e trabalhar ao mesmo tempo. Outra facilidade é o reconhecimento automático, uma vez conectado ao DeX, o aparelho se adapta rapidamente para o modo Samsung DeX.

A Samsung disponibiliza aplicativos que auxiliam na execução das principais tarefas e que são sincronizados automaticamente ao conectar o smartphone ao Dex. Entre as aplicações que podem trazer grandes benefícios no dia-a-dia, o Samsung Internet permite que os usuários iniciem a versão desktop de sites em várias janelas simultaneamente, enquanto o aplicativo Meus Arquivos possibilita arrastar e descartar arquivos e documentos de uma pasta para outra. Já no Galeria a navegação em imagens fica muito mais fácil com a utilização de mouse ou teclado.

As parcerias com a Microsoft e a Adobe fazem com que o Samsung DeX seja compatível com o pacote Microsoft Office e com os aplicativos móveis da Adobe, incluindo o Adobe Acrobat Reader, Lightroom Mobile e Photoshop.

“O Galaxy S8 e S8+ conectados ao Samsung DeX são as ferramentas perfeitas de produtividade. Com estes modelos, os usuários têm a possibilidade de acessar todas as suas informações digitais em uma interface de desktop, de forma segura e prática” afirma Renato Citrini, Gerente Sênior de Produtos da área de dispositivos móveis da Samsung Brasil.

A visualização da interface Samsung DeX é realizada por meio de um cabo HDMI, que pode ser interligado a uma TV ou monitor.

O dispositivo oferece duas entradas USB 2.0 – para utilização de mouse, teclado, pendrive, etc - Ethernet (RJ45) para uso de internet via cabo, além de uma entrada USB tipo-C para fornecer energia para todo o sistema e carregar o smartphone. O produto tem preço sugerido de R$ 649,00.

Comentário (0) Hits: 1330

newsletter buton