O uso da tecnologia da informação no combate aos gargalos na infralogística

*Vladimir Michels
11/01/2015 - Em um país de proporção continental como o Brasil, logística nunca será apenas mais um setor dentro das companhias. Segundo dados da consultoria ILOS, os custos logísticos no Brasil equivalem a mais de 10% do PIB nacional. Só os gastos com transportes e distribuição consomem, aproximadamente, 10% do faturamento das empresas brasileiras. Gestão interna e ações governamentais afetam diretamente esses números.

Desde o início dos tempos, o homem precisou se adaptar para garantir sua sobrevivência diante das limitações e escassez da natureza. Este instinto se mantém até os dias atuais, estendendo-se às empresas. É neste ponto que a logística se transforma em infralogística, ou seja, as companhias precisam usar da melhor maneira o planejamento interno para amenizar os gargalos de infraestrutura. E esse ponto será fundamental para o sucesso ou fracasso dos negócios.

Poderíamos discorrer sobre os inúmeros problemas e oportunidades estruturais que refletem em custos para as empresas, como os dados, apresentados também pela pesquisa da ILOS, realizada com 126 empresas brasileiras sobre quais ações deveriam ser realizadas a fim de reduzirem o custo logístico. Melhorar a gestão de ferrovias com integração multimodal foi a principal reivindicação do setor, com 70,7% do total. Em segundo lugar, o aumento no acesso às ferrovias do sudeste e sul foi apontado por 68,6% dos executivos, seguidos por mudança na cobrança do ICMS (67,2%), redução da burocracia portuária (65%) e melhoria nas condições rodoviárias (62,7%).

Excelência do Customer Engagement em um Mundo Digital

*Greg Sherry
10/01/2015 - A era da mídia social coloca os consumidores na posição de comando e conduz a mudanças significativas na natureza das relações entre empresas e consumidores. Agora, os clientes se engajam com as empresas por inúmeros canais, incluindo websites, celulares, mídias sociais, e-mails, textos etc. As empresas que irão se destacar dos concorrentes serão as que estiverem aptas a entender como engajar clientes e melhorar as experiências em todos os canais, por meio de uma entrega rápida, fácil, consistente e personalizada dos serviços em todos os pontos de contato o tempo todo.

Essa tendência está impulsionando a necessidade de otimizar o engajamento dos clientes que, ao contrário da experiência, engloba o relacionamento constante com produtos ou marcas, no lugar de uma experiência em um único ponto do tempo. Com a meta de construir um diálogo elaborado com os clientes, que produza algum nível de envolvimento emocional com determinada marca, produto ou serviço, as empresas podem impulsionar o faturamento e as economias de custos.

Hadoop: como extrair o máximo para o seu negócio

*Rodrigo Africani
09/01/2015 - Quando falamos em Big Data, Cloud Computing, Analytics e tantos outros temas atuais nas áreas de TI e Negócios das organizações, um termo específico é cada vez mais recorrente: Hadoop. A buzzword do momento está na cabeça e nos planos das principais empresas do país. Algumas já estão realizando testes ou já implementando a tecnologia, fazendo com que passemos do experimental para a realidade, um cenário que vem amadurecendo com muita rapidez.

O framework de código aberto é considerado o futuro do Big Data e possui uma série de benefícios para as empresas, como a redução do custo de armazenamento de dados. Mas, para tirar proveito de tudo o que a plataforma oferece, é necessário planejamento adequado já que se trata de uma tecnologia ainda emergente.

Inteligência Cibernética

* Domingo Montanaro
05/01/2015 - Provavelmente, você já ouviu falar em "Inteligência Cibernética", termo que está em evidência no mundo digital há, pelo menos, alguns anos. Primeiro, é necessário contextualizar em qual lugar a "Inteligência Cibernética" se encaixa nas organizações. Inteligência dirige operações. Esse é um mantra conhecido do militarismo, especialmente norte-americano, em que a maioria das ações (ofensivas e defensivas), quiçá todas, são precedidas de um planejamento de inteligência sobre o alvo, o ecossistema e afins.

Da mesma forma, o termo "inteligência" já é bastante conhecido pelas corporações, inclusive no Brasil, em que a inteligência competitiva é estudada e praticada. É importante destacar a relevância de desvencilhar a "Inteligência Cibernética" da tradicional

Inteligência Artificial torna-se aliada na solução de problemas decorrentes de desastres naturais

*Alexsandro Labbate
23/12/2014 - Com as tempestades de verão se aproximando, a população e as empresas prestadoras de serviços públicos entram em estado de alerta. As fortes chuvas, comuns nesta época, provocam inúmeros transtornos, desde enchentes que destroem bairros, e cidades que alteram consideravelmente o trânsito, a interrupções no fornecimento de serviços cruciais como água e energia elétrica. As frequentes quedas de energia após uma tempestade de verão provocam efeitos cascata e contribuem para a sensação de caos na população em geral. Mas este caos pode ser minimizado com organização, planejamento e preparo com antecedência.

A chegada iminente de uma grande tempestade de verão não é só um pesadelo para a população, mas também para os fornecedores de energia elétrica, companhias de gás e água, polícia, serviços de saúde e qualquer outra organização da qual a comunidade dependa. Uma interrupção no fornecimento de energia, por exemplo, é formada por pequenos incidentes isolados, que rapidamente saem do controle, e podem comprometer toda a operação da empresa. Para uma empresa de serviço público, o 'sair do controle' pode ser minimizado através de rápidos reparos básicos que garantem o reestabelecimento do serviço ao maior número possível de pessoas na região afetada.

Metas: é possível chegar lá!

*Por Ernesto Haberkorn
23/12/2014 - Uma vida sem objetivos é como um dia sem sol, um tédio total. As metas direcionam as ações pessoais e profissionais, mostram o caminho que se deve seguir. A essência das metas está em estabelecer desafios, de forma que os objetivos individuais e profissionais se entrelacem.

Mas, só vale manter a meta no radar se tiver intenção de conquistá-la, caso contrário, é melhor esquecê-la. É sempre tempo de parar e analisar se seus propósitos estão dentro da realidade e compatíveis com seu ritmo de vida.

Algumas pessoas almejam alvos e não param para pensar por um instante em qual é o seu papel, significado, o que realmente querem alcançar e se a tão sonhada conquista vai promover seu desenvolvimento, tanto pessoal quanto profissional. É preciso fazer alguns questionamentos como: rever a lista de metas do ano anterior; identificar os desafios profissionais; se as metas propostas são desejáveis e atingíveis; deixar tudo escrito e pontuado; definir as tarefas para atingir as metas; criar indicadores para acompanhar seu desempenho; ser flexível e mudar a lista quando for necessário.

newsletter buton