Uso de biometria em bancos traz mais segurança

biometric.jpg26/05/2015 - A palavra biometria vem do grego: bios (vida) e metron (medida). Designa um método automático de reconhecimento individual baseado em medidas biológicas (anatômicas e fisiológicas) e características comportamentais.

Muitos fatores devem ser levados em conta para se implantar um sistema biométrico, tais como localização, riscos de segurança e número de usuários, entre outros. Todo sistema biométrico é preparado para reconhecer, verificar ou identificar uma pessoa que foi previamente cadastrada.

"Vivemos em um mundo complexo em que precisamos memorizar senhas e carregar diversos cartões, o que pode resultar em um peso para o nosso dia a dia. No entanto, a autenticação biométrica permite que os usuários não precisem memorizar nada, supera barreiras de linguagem e alfabetização e dificulta o roubo de identidade, pois todos carregam suas impressões digitais consigo o tempo todo", alerta Gustavo Gassmann é Diretor de Vendas da HID Global no Brasil.

"O mercado brasileiro está bastante avançado no uso de dispositivos biométricos, principalmente no setor financeiro, em que dos 190 mil caixas eletrônicos espalhados pelo país, 90 mil contam com sensores biométricos. Além disso, a opinião geral é de que a biometria é uma forma eficiente e conveniente de reduzir fraudes, além de os usuários confiarem no funcionamento da tecnologia e de que suas informações estão seguras. Sabe-se que os bancos direcionam muitos esforços para manter os dados financeiros de seus clientes seguros, inclusive, 70% dos bancos no mundo têm investido em aumentar a proteção de seus caixas eletrônicos, e uma forma eficaz para isso é o uso da tecnologia biométrica", complementa Gassmann.

Enquanto que na América do Norte e Europa o uso da biometria seja considerado uma invasão de privacidade, na América Latina com o risco permanente que corremos com a clonagem de cartões ou mesmo roubos de dados bancários, o uso da biometria oferece uma maneira segura de proteger nossos dados pessoais, principalmente os dados bancários.

Comentário (0) Hits: 1025

Livro analisa como as empresas estão usando a IoT

19/05/2015 - Casas inteligentes, máquinas com sentimentos, algoritmos policiais e redes de transporte autorreguladas são apenas alguns dos diversos conceitos explorados no novo livro lançado pela Software AG, intitulado Thingalytics. Como o número de "coisas" conectadas à Internet excede à população global, o Thingalytics analisa de que modo a Internet das Coisas (IoT) pode salvar vidas, cessar fraudes e reduzir as emissões de carbono no Mundo.

John Bates, "chief marketing officer", membro do conselho executivo da Software AG e especialista em operações de negócios inteligentes, é o autor da obra "Things" (Coisas) and "Analytics" (Análises) Thingalytics. O termo "Thingalytics", criado por Dr. Bates, refere-se ao uso em tempo real da análise e dos algoritmos que dão sentido à explosão do Big Data decorrente da IoT. Em nove capítulos, o livro fala sobre a ascensão da personalização e o contexto do ambiente em que vivemos agora, além da forma como a Internet das Coisas está rapidamente se tornando lugar - comum e transformando o mundo mais inteligente.

Dr. Bates também explora a questão das casas inteligentes, as máquinas com sentimentos e como a IoT está cada vez mais presente em nossos hospitais, forças policiais e redes de transportes. "Thinganalytics" usa exemplos da vida real e insights de pesos da indústria, incluindo a Coca-Cola, General Electric e Cox Communications, a fim de explorar as realidades associadas a este conceito que já foi considerado futurista.

"Thinganalytics está acontecendo agora. Os líderes de mercado e seguidores desta tendência estão no meio de uma transformação digital. Esse admirável mundo novo de máquinas cada vez mais inteligentes e das pessoas que lidam com elas mudará toda a indústria e cada segmento de mercado. Ele também transformará o modo como vivemos", observa Dr. Bates.

O "e-book" pode ser adquirido na Amazon, pelo link

Saiba mais sobre a empresa em www.softwareag.com

 

Comentário (0) Hits: 1037

Equipe da USP está na final do Fly Your Ideas

airbus_1.jpg13/05/2015 - Uma equipe de estudantes da Universidade de São Paulo está entre os cinco times selecionados pela Airbus para a grande decisão da quarta edição do desafio "Fly Your Ideas". A equipe Retrolley e outros quatro times agora têm a oportunidade de viajar para Hamburgo, na Alemanha, e apresentar o projeto à Airbus e especialistas da indústria, no dia 27 de maio. O vice-campeão será premiado com €15.000.

Uma pele sobre a asa que absorve as vibrações naturais para fornecer energia aos sistemas de voo, drones que desviam pássaros para lugares seguros, chamados "porto de pássaros", e um sistema infravermelho inspirado em consoles de videogame que detecta obstáculos potenciais, enquanto o avião se movimenta na pista do aeroporto. Essas e outras ideias estão entre as apresentadas pelos cinco finalistas do concurso Fly Your Ideas, da Airbus, em que estudantes universitários concorrem ao prêmio de €30.000.

As propostas inéditas foram escolhidas entre as mais de 500 inscritas no desafio estudantil global da Airbus, promovido a cada dois anos. A empresa criou o Fly Your Ideas, em parceria com a UNESCO, com o objetivo de inspirar a próxima geração de inovadores e oferecer-lhes a oportunidade de experimentar o incrível ambiente da indústria de aviação.

Nesta edição, a diversidade é o motivador central para a inovação e para o desempenho dos estudantes, visto que os finalistas deste ano representam a participação mais diversificada na história da competição: oito nacionalidades de nove universidades. Além da grande variedade de cursos e especialidades, a edição atual recebeu uma porcentagem maior de estudantes do sexo feminino.

Respondendo questões fundamentais da aviação, as ideias foram relacionadas a um dos seis desafios propostos pela Airbus, com o intuito de desenvolver soluções sustentáveis no futuro, quando pessoas, o crescimento e a eficiência serão focos de uma indústria da aviação.

As cinco equipes finalistas – que representam Brasil, China, Japão, Holanda e Reino Unido –viajarão para Hamburgo, na Alemanha, onde apresentarão seus projetos para a Airbus e seus especialistas, no dia 27 de maio. O segundo colocado será premiado com €15.000. Conheça os competidores:

Carrinhos de lixo mais rápidos – Equipe RETROLLEY, Universidade de São Paulo, Brasil

A RETROLLEY abordou a questão da redução da produção de lixo durante o voo e propõe diminuir o tempo levado para a coleta e separação dos materiais após o voo, otimizando o tempo de operação das companhias aéreas, especialmente em voos de curta duração. O carrinho, criado sob medida pela equipe, pode separar de forma inteligente o lixo e reciclá-lo, minimizando o volume de metal, papel e plástico, e coletando fluídos residuais. Com isso, o peso do equipamento da cozinha pode ser reduzido em até 30 kg, diminuindo o consumo de combustível e oferecendo mais espaço para lanches e bebidas nos voos.

'Boas vibrações' - pele que pode absorver energia – Equipe 'MULTIFUN', Universidade de Tecnologia Delft, Holanda

multifun.jpgA MULTIFUN tem tudo a ver com boas vibrações. A equipe propõe asas de avião revestidas com uma pele composta que absorve a energia das vibrações naturais ou flexões nas asas. As fibras piezelétricas reúnem cargas elétricas, até mesmo a partir dos menores movimentos durante o voo, guardando a energia gerada em painéis de bateria integrados à fuselagem e utilizando-a para carregar sistemas de voo auxiliares, como sistemas de iluminação e entretenimento. Isso diminui a emissão de carbono dos aviões durante o voo e pode até suprir toda a fonte de energia para as operações em solo.

'Porto de pássaros' guiado por drones Equipe 'BIRDPORT', Universidade de Tóquio, Japão

A BIRDPORT propôs usar um grupo de drones ou UAVs (unmanned aerial vehicles – veículos aéreos não tripulados) para afastar pássaros dos aeroportos e guiá-los a um habitat confortável mais próximo. Os drones usam táticas de separação, alinhamento e coesão para manipular aves e dirigi-las ao "porto de pássaros", onde cantos de aves e outros chamarizes são usados para criar um ambiente natural e seguro para os animais. A ideia foi criada para reduzir consideravelmente o choque de pássaros com aviões e aumentar a segurança das operações.

Sistema de orientação infravermelho inspirado em console de videogame – Equipe AFT-BURNER-REVERSER, Universidade Politécnica do Noroeste, China

A AFT-BURNER-REVERSER aplicou a tecnologia de detecção de movimento de um console de videogames ao sistema de orientação das aeronaves para uso durante o taxiamento (movimentação da aeronave na pista do aeroporto). O sistema usa informação infravermelha e visual para avisar o piloto e a equipe em terra de obstáculos de alto risco. O objetivo do projeto é reduzir o tempo de permanência em terra de aviões e o custo de possíveis danos, economizando milhões ao ano para as empresas.

Operações de solo sem-fio e mais verdes – Equipe BOLLEBOOS, City University Londres, Reino Unido

A BOLLEBOOS apresentou seu inédito sistema WEGO, que recebe energia durante as manobras de taxiamento. Seções do transmissor no solo, localizados bem abaixo do avião na pista do aeroporto, transferem energia elétrica indutivamente para um receptor localizado entre as rodas do trem de pouso dianteiro da aeronave. A solução fornece uma fonte sustentável de energia para às operações de solo, reduzindo pela metade as emissões de carbono.

A equipe vencedora será anunciada na cerimônia em Hamburgo, no dia 27 de maio.

Fly Your Ideas é parte do The Future by Airbus, a visão sustentável da empresa para viagens aéreas em 2050.

Para mais detalhes e para visualizar os vídeos das reações dos finalistas ao serem informados sobre a indicação, visite http://www.airbus-fyi.com

 


Comentário (0) Hits: 747

Preços de PCs podem subir até 10% em 2015

pc-garner.jpg11/05/2015 - Tema será tratado na Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management

O Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, destaca a necessidade dos vendedores de dispositivos elevarem os preços dos PCs para compensar os efeitos da valorização do dólar. Na zona do euro e no Japão, em particular, os preços deverão aumentar até 10% em 2015. Esses e outros dados serão apresentados na Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management, que acontecerá nos dias 23 e 24 de junho (terça e quarta-feira), no Sheraton São Paulo WTC Hotel.



"Podemos verificar o reflexo de uma valorização aguda do dólar, em relação à maioria das outras moedas, nos resultados das receitas das empresas", diz Ranjit Atwal, Diretor de Pesquisas do Gartner. "Os vendedores de PCs que comercializam com a Europa e o Japão, onde as moedas locais caíram até 20% desde o início de 2015, não têm outra opção a não ser elevar os preços para preservar os lucros."
 
Em 2015, o Gartner estima que os usuários finais que compram em dólares constantes* na Europa Ocidental gastarão US$116 bilhões de dólares, um aumento de 4% em relação a 2014. Esse valor se reflete na subida de preços esperada na moeda local.

"Os vendedores de dispositivos minimizarão o impacto previsto em seus lucros apostando na queda dos custos dos componentes de PCs e vendendo equipamentos com menos recursos para manter os preços baixos", diz Atwal. "No entanto, as margens de lucro dos vendedores cairão, mesmo que eles mudem o foco de entrega para as regiões menos afetadas pela moeda."

Comportamento dos consumidores


Nos mercados maduros, as vendas de PCs são determinadas por preços e, ao longo de 2016, o Gartner estima que 30% dos consumidores de PCs comprem quantidades abaixo da curva de preços. Os analistas do Gartner também esperam os seguintes comportamentos dos consumidores:


• Consumidores motivados pelo preço (PCs com preços inferiores a US$500) comprarão PCs mais baratos, com especificações mais simples, para contrabalançar a subida dos preços. Espera-se que esse segmento constitua 30% do mercado.


• Consumidores motivados pelo valor (PCs com preços entre U$$500 e US$800) postergarão suas compras, devido à subida dos preços. Espera-se que esse segmento constitua 40% do mercado.


• Consumidores motivados pelas características (PCs com preços superiores a US$800) estenderão a vida útil dos PCs em 10%, para compensar os preços mais altos e absorver o aumento de preços remanescente. Espera-se que esse segmento constitua 30% do mercado.

Comportamento empresarial


Em 2015, as empresas de maior escala priorizarão outras demandas de TI, as quais apresentem orçamentos menores motivados pela moeda, como software e serviços, que absorverão a verba destinada aos PCs. "As grandes organizações tentarão aumentar a vida útil de seus PCs em seis meses (10%), em comparação a 2014, ao invés de comprar modelos mais baratos ou diminuir as exigências sobre as principais ferramentas", diz Atwal. "Além disso, as compras de drives óticos e acessórios opcionais desaparecerão."

"Embora esperemos que as grandes organizações recortem as compras de PCs em 20% durante 2015, devido ao aumento de preços, as pequenas empresas se comportarão como consumidores motivados pelo valor e procurarão comprar os PCs destinados a consumidores finais", conclui Atwal.

Anote em sua agenda


Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management

Data: 23 e 24 de junho de 2015 (terça e quarta-feira)

Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, nº 12.559, São Paulo - SP

Sobre a Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management


A Conferência Gartner Business Intelligence, Analytics & Information Management oferece para as empresas um direcionamento estratégico associado com a implementação, a estruturação e o aperfeiçoamento de programas de BI - Business Intelligence e de Business Analytics, analisando tendências e práticas de mercado.

Mais informações estão disponíveis no site: gartner.com/br/bi.

Até o dia 15 de maio, as inscrições estão com desconto de R$ 475,00.
Para se inscrever, basta contatar o Gartner pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo., pelos telefones (11) 5632-3109 e 0800-744-1440, ou pelo site: http://www.gartner.com/br/bi.
 


Comentário (0) Hits: 696

Huawei divulga Índice Global de Conectividade 2015

huawei4.jpg27/04/2015 - O índice analisa quantitativamente os níveis de conectividade de diferentes países e fornece referências aos que têm planos no setor de TIC para avançar a uma economia digital

· No geral, o GCI 2015 demonstra que um aumento de 20% no investimento em TIC aumentará o PIB de um país em 1%.
· Os Estados Unidos estão em primeiro no ranking entre os países pesquisados, graças ao fornecimento e demanda para serviços de TIC, além do avançado estado de implementação dos serviços; ao lado, outras economias maduras como Suécia, Singapura, Suíça e o Reino Unido completam os cinco primeiros países do ranking.
· Chile, China e Emirados Árabes Unidos (EAU) lideram os mercados em desenvolvimento, com todos os três bem classificados entre as posições 15 e 25 no geral.
· O Brasil ocupa o 26º Lugar do ranking. O país é o maior mercado de telecomunicações na América Latina, o Brasil é também um líder regional em termos de penetração de internet móvel e e-Commerce.
· O consumo de banda larga móvel está crescendo rapidamente no Brasil e operadoras de telefonia móvel estão investindo pesadamente em redes 3G e 4G LTE para atender a demanda por serviços de dados.

A Huawei divulgou seu Índice Global de Conectividade 2015 (GCI, na sigla em inglês), em que analisou 50 economias em termos de conectividade, uso de TIC e transformação digital. O índice fornece um indicador sobre quais países estão mais bem posicionados para o desenvolvimento e crescimento, e que são referência de planejamento de TIC para os tomadores de decisões políticas que buscam adotar a economia digital.

Com o dobro de número de variáveis de TIC e países analisados em relação ao ano passado, o GCI deste ano possibilita o entendimento das correlações necessárias para estabelecer objetivos de investimentos aos governos e outros interessados. O que diferencia o GCI de índices similares é uma definição mais ampla da conectividade que abrange redes, computação e armazenamento, ao mesmo tempo em que também enfatiza elementos não estruturais de uma economia digital funcional, como demanda por serviço, atividade de comércio eletrônico, entre outros.

Os Estados Unidos estão em primeiro no ranking entre os países pesquisados, graças ao fornecimento e demanda para serviços de TIC, além do avançado estado de implementação dos serviços; ao lado, outras economias maduras como Suécia, Singapura, Suíça e o Reino Unido completam os cinco primeiros países do ranking.

Chile, China e Emirados Árabes Unidos (EAU) lideram os mercados em desenvolvimento, com todos os três bem classificados entre as posições 15 e 25 no geral. Os líderes entre os mercados em desenvolvimento são caracterizados pela forte adoção da mobilidade e acesso, que são muitas vezes comparados aos dos mercados desenvolvidos, porém, ficam para trás em temos de investimentos em data centers e outros elementos centrais da infraestrutura de TIC. O investimento em datacenter dos países desenvolvidos é três vezes maior do que o dos países em desenvolvimento, que é o principal catalisador da proliferação da nuvem já que "a borda não existe sem o centro".

No geral, o GCI 2015 demonstra que um aumento de 20% no investimento em TIC aumentará o PIB de um país em 1%. Ele também identifica cinco habilitadores da transformação digital - data centers, serviços em nuvem, Big Data, banda larga e a Internet das Coisas. Estas tecnologias representam os objetivos que os interessados devem priorizar a fim de transformar mais eficientemente suas economias para a era digital.

Todas as economias estão se digitalizando, e o GCI fornece um guia sobre quem está na frente, quem está atrás, por que, e quem está posicionado para subir ou descer. O Índice Global de Conectividade não é apenas um ranking de países. "Nós o vemos como uma plataforma para trabalhar em parceria com os tomadores de decisões políticas e líderes empresariais para identificar, aproveitar e criar novas oportunidades da economia digital com o objetivo de construir um mundo melhor conectado", afirma Kevin Kevin Zhang, Presidente de Marketing Corporativo da Huawei. Para mais informações sobre o Índice de Conectividade da Huawei, visite: www.huawei.com/gci.

Sobre a Huawei

A Huawei é líder global em soluções de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC). Para mais informações, visite o site da Huawei: www.huawei.com/br.

Comentário (0) Hits: 904

IoT pode gerar oportunidades e riscos aos negócios

iot2.jpg21/04/2015 - O Gartner, líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, anuncia que a Internet das Coisas (IoT) representa diversas tecnologias e usos que resultam tanto em oportunidades como em riscos sem precedentes para as empresas. A chave para a gestão de ameaças e o pleno aproveitamento das oportunidades é estabelecer uma estratégia de arquitetura de IoT.

"Os arquitetos corporativos têm grande possibilidade de se posicionar no coração dos negócios digitais", diz Mike Walker, Diretor de Pesquisas do Gartner. "Essa pode ser a forma de consolidar um centro de competência empresarial que explore o modo como a Internet das Coisas cria avanços inovadores para modelos de negócios, produtos e serviços da organização por meio da experimentação rápida".

Para conferir mais informações sobre a pesquisa do Gartner, acesse:
 http://www.gartner.com/newsroom/id/3030819

 

 

Comentário (0) Hits: 838

newsletter buton