Que esperam as empresas do novo profissional de TI?

Danielly Nunes

Até 2025, cerca de 85 milhões de empregos serão focados em digitalização e automação e até 97 milhões de novos postos de trabalho poderão surgir em decorrência do amadurecimento de novas tecnologias. A previsão é do Fórum Econômico Mundial e é uma das consequências da aceleração da digitalização do trabalho na pandemia.

A tendência já vinha se desenhando, mas cresceu com o isolamento social e deve transformar permanentemente o mercado. Com ela, surgem novas áreas de atuação e demanda por um novo tipo de profissional de tecnologia, que domine as capacidades que as empresas realmente precisam.

No Brasil, de acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), serão mais de 100 mil novas vagas anuais em TI até 2024. Um cenário promissor, não fosse o fato de que nossos cursos superiores formam menos de 50 mil novos profissionais na área por ano.

Além disso, a lacuna entre as vagas de emprego e profissionais qualificados para preenchê-las tende a se acentuar devido a currículos defasados nas instituições de ensino. Em 2017, dos 46 mil profissionais formados em TI no país, apenas 26 mil conseguiram emprego na área.

A Kroton realizou um levantamento com as principais empresas de tecnologia com atuação no Brasil e em diversos países para entender os gaps do mercado e habilidades e profissões que já são as mais requisitadas e vimos que as três com maior demanda são desenvolvedores (de software, hardware, DevOps), engenheiros de software e aplicações de cibersegurança.

A partir desse levantamento, a empresa criou o Academia Tech, um pool de 12 cursos de tecnologia nas diferentes áreas em ascensão com o objetivo de não apenas formar, mas também auxiliar os alunos a aproveitar da melhor maneira as oportunidades de emprego que já estão disponíveis e que, ao que tudo indica, tendem a crescer ainda mais. Ao longo desse processo, algumas lições foram aprendidas.

Áreas à sua escolha

Cursos tradicionais como Análise de Sistemas e Ciências da Computação seguem tendo sua relevância, mas a crescente busca por profissionais com formações cada vez mais específicas (desenvolvedores de software e engenheiros DevOps, arquiteto e especialista em dados, arquiteto de nuvem e especialista em segurança de dados etc.) tem aberto grandemente o leque de possibilidades para o profissional de TI.

É possível escolher o curso de acordo com maior ou menor afinidade e interesse em hardware, software ou até mesmo design. A capacidade de se organizar sob pressão, lidar com prazos apertados e solucionar problemas com desenvoltura são características que todos os cargos de tecnologia têm em comum, mas se você possui mais interesse em matemática e raciocínio logico e se sai bem no inglês, pode ser um bom desenvolvedor de softwares; se gosta de desenho técnico e design e acompanha de perto as atualizações de computadores, smartphones e outros tipos de máquina, talvez tenha o perfil de um engenheiro de hardware, por exemplo.

Ao priorizar suas afinidades, você garante que o engajamento nas aulas será sempre máximo e o aproveitamento dos conteúdos, infinitamente melhor.

Cursos de curta duração e alta qualidade

Investir em cursos de qualidade e curta duração é uma maneira acessível de se especializar e aprimorar rapidamente seu conhecimento em áreas de nicho. Também é uma maneira de complementar sua formação e conquistar competências em áreas adicionais à formação. Esse aprendizado pode ser essencial para a contratação de alguns dos mais concorridos cargos em TI, como o de desenvolvedor de software.

Em consequência do aumento da digitalização do trabalho, os recrutadores têm adotado uma flexibilização cada vez maior quando se trata de formação acadêmica, priorizando profissionais que podem atestar seu conhecimento e seu comprometimento em acompanhar o dinamismo da área. Para suprir uma demanda que cresce exponencialmente, os cursos de curta duração são a solução, não apenas para quem busca se inserir no mercado de trabalho, mas também para aqueles que estão empregados e gostariam de atualizar ou aperfeiçoar determinadas habilidades referentes ao cargo que exercem.

Não se preocupe se não puder marcar presença em todos os cursos disponíveis em sua área: os recrutadores levam mais em consideração a qualidade do curso escolhido e como as habilidades nele desenvolvidas serão complementares para os objetivos profissionais do candidato.

Inscreva-se em portais de empregabilidade

Portais de empregabilidade podem te conectar diretamente a vagas na área de seu interesse. A internet está repleta deles, gratuitos ou não, e grande parte das instituições de ensino superior também já possui a sua própria versão desse tipo de plataforma. Essas instituições de ensino mantêm parcerias com empresas relevantes do mercado e conectam os estudantes diretamente às vagas nas áreas em que estão se formando, incentivando a busca por capacitação profissional e acadêmica.

As vantagens são diversas: pode-se filtrar as vagas por área de atuação, tipo de contratação, região etc. E tanto candidato quanto empresa podem administrar em um só lugar os processos seletivos dos quais estão participando.

Trabalhe suas soft skills

As soft skills são habilidades relacionadas ao comportamento humano, importantes seja qual for a profissão.

Atualmente, se discute cada vez mais a importância da criação de ambientes de trabalho harmoniosos e como eles são tão importantes para a saúde e bom funcionamento das empresas quanto a proficiência técnica de seus colaboradores.

Ser capaz de resolver problemas de maneira rápida e criativa, trabalhar bem em equipe e se comunicar de maneira clara e eficaz pode ser um grande diferencial na hora da contratação. Não há fórmula exata para o desenvolvimento das soft skills, pois sua inteligência emocional é subjetiva e aprimorá-la faz parte de um processo de autoconhecimento. Tenha em mente que as habilidades mais procuradas pelas empresas são comunicação assertiva, empatia, perfil de liderança e pensamento criativo e análise quais são seus pontos fortes e como ainda pode melhorar em cada uma delas. Esses atributos podem ser aperfeiçoados em interações do seu dia a dia, seja no trabalho ou na faculdade. A internet disponibiliza treinamentos rápidos para o desenvolvimento de soft skills, mas para uma avaliação ainda mais precisa, não tenha medo de pedir a ajuda de um mentor ou colega de trabalho – eles poderão oferecer o feedback necessário para avançar nesse processo.

Tendências e expectativas do mercado

É importante selecionar cursos atualizados e em contato com os avanços da área, sejam eles de graduação ou de curta duração. No entanto, não se pode esperar que as instituições de ensino cubram absolutamente tudo de mais novo e relevante em termos de mercado. A área da tecnologia está em rápida evolução sempre e, para se destacar nela, é necessário que o profissional de TI também esteja. Participar de eventos, fóruns online, ler artigos e se atualizar nos estudos por meio de cursos e workshops são boas maneiras de se manter inteirado.

*Danielly Nunes é gerente acadêmica da Kroton, responsável pelo Academia Tech.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton