Vivo Digital Labs foca na inovação digital e cultural

vivo_labs_4e.jpgPor Ethevaldo Siqueira
22/06/2018 - Transformação digital é um conceito que está na ordem do dia das empresas em todo o mundo. E, de forma especial, nas operadoras de telecomunicações mais avançadas. A propósito, visitei o projeto Vivo Labs, mais um passo na transformação digital da empresa e que reforça o posicionamento da marca e convida as pessoas a experimentar novas possibilidades e viver menos do mesmo.

O ambiente de um laboratório desse tipo é dos mais convidativos e inovadores, como mostram os Vivo Labs, instalados em num andar inteiro do edifício da Av. Chucri Zaidan, em São Paulo, numa área de 1.500 m2, totalmente dedicada às experiências digitais com a participação dos colaboradores e parceiros da operadora.

Inspirada nas empresas do Vale do Silício, a arquitetura dos Vivo Labs tem como objetivo principal acelerar o desenvolvimento de canais digitais para o atendimento de mais de 80 milhões de clientes da empresa.

Além das áreas de pesquisa, foram projetados ali espaços para o café, horta automatizada, sala de meditação, local para a prática de ioga, quadra para minigolfe e arena para eventos com capacidade para até 40 pessoas.

O espírito das startups

vivo_labs_2e.jpgSegundo Lucas Robertto Batista, Head dos Vivo Digital Labs, o projeto é a síntese do espírito de startup que a empresa quer fomentar, como parte de sua transformação digital. O ambiente é essencialmente disruptivo para os colaboradores, com o uso de técnicas e metodologias inovadoras, que estimulam a agilidade, a criatividade, sempre com foco em oferecer a melhor experiência para o cliente.

O amplo espaço dos laboratórios é ocupado por 230 colaboradores das equipes de transformação digital da Vivo. O trabalho se desenvolve segundo novas metodologias, em equipes multidisciplinares que atuam sempre por projeto baseado nas jornadas dos clientes, com foco na solução de objetivos específicos para acelerar a transformação digital da Vivo.

Assinado pelo arquiteto André Detanico, do escritório gaúcho AT, o conceito do Vivo Digital Labs privilegia a inovação, a mobilidade, a contemporaneidade, a tecnologia e a integração com o ambiente urbano, trazendo para dentro da empresa a possibilidade de contato com a natureza e de lazer, em sintonia com a rotina de trabalho.

A Vivo espera reduzir o custo do atendimento e, mais do que isso, elevar o grau de satisfação dos clientes, tornando seus usuários capazes de resolver problemas, de solicitar visitas técnicas, de esclarecer dúvidas e de contratar novos serviços por meio de aplicativos e sites.
Já na entrada, os visitantes são recebidos pela Vivi, a atendente virtual da Vivo, que tem tecnologias de realidade aumentada e de reconhecimento da fala. Por meio de um tablet, o visitante conversa com a Vivi e ela envia uma mensagem para o colaborador que irá atendê-lo, informando que a visita chegou.

Além de 12 espaços para salas sem portas – ou squads – o ambiente tem diversos tipos de espaços. Em primeiro lugar, um laboratório de user experience, para a realização de testes de serviços e funcionalidades com clientes. Em seguida, vem o command center, numa sala com 16 telas de monitoramento dos indicadores dos projetos em andamento pelos Squads.

Além do centro de comando, há salas individuais e de reunião, com recursos de áudio e vídeo e telepresença. E, finalmente, uma arena de eventos, com capacidade para 40 pessoas e quatro terraços.

A área de descompressão inclui mesa de bilhar, console de videogames com óculos de realidade virtual, minigolfe, sala para meditação e prática de yoga, além de espaço de café, e uma horta totalmente automatizada para que colaboradores e visitantes possam colher e fazer seus próprios chás.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton