Revendo conceitos de computação em nuvem

cloud_computer.jpgPor Ethevaldo Siqueira
08/06/2018 - Já mostramos em comentários anteriores, que Cloud Computing ou computação em nuvem é um conceito que nasceu a partir da existência de uma rede global como a internet. É essa rede que nos conecta com os computadores e servidores de todo o mundo.

Essencialmente, quando usamos a nuvem, não precisamos armazenar em nosso computador todos os aplicativos, programas ou arquivos, porque tudo isso pode ficar armazenado na nuvem, ou seja, em outros locais distantes, mas que podem ser acessados via internet, de qualquer lugar do planeta.

Por isso, podemos dizer na linguagem cotidiana de computação usar expressões como:

• Mover os aplicativos para a nuvem.
• Gerenciar os sistemas na nuvem.
• Criar novos aplicativos e serviços
• Armazenar, fazer backup e recuperar dados
• Hospedar sites da Web e blogs
• Transmitir áudio e vídeo
• Fornecer software sob demanda
• Analisar dados para padrões e fazer previsões.

Tudo isso decorre do conceito de computação em nuvem, que se refere à utilização da memória e da capacidade de armazenamento e processamento de computadores e servidores compartilhados e interligados por meio da internet.

Esses recursos adicionais podem estar na próxima esquina, a mil quilômetros de nós ou do outro lado do mundo.

A computação em nuvem deve ser vista como um serviço e não como produto, pois os recursos compartilhados, como software e informações, nos permitem acessá-los por meio de qualquer computador, tablet ou celular conectado à Internet.

Uma das grandes vantagens da computação e nuvem é o melhor aproveitamento dos investimentos em hardware. Como a parte mais pesada do processamento fica na "nuvem", o usuário precisa apenas de um navegador e uma boa conexão à internet para utilizar o serviço.

Outra vantagem é flexibilidade dos recursos ou elasticidade. Se você necessita de mais espaço para armazenamento, basta solicitar um upgrade, sem precisar trocar os equipamentos.

Não apenas as empresas, mas a maioria das pessoas utiliza muita coisa de cloud computing e não se dá conta disso. Entre os melhores exemplos de uso corriqueiro da nuvem estão os serviços de:

• Dropbox,
• Google Music,
• iCloud e
• Google Docs

Por intermédio desses serviços, os usuários podem criar e editar documentos online, sincronizar músicas e arquivos ao mesmo tempo. Para usar o serviço, basta abrir o navegador de Internet e acessar o endereço dos serviços escolhidos.

As nuvens se classificam em função do tipo de usuários a que elas servem. Assim, existem na prática três tipos de nuvem:

■ Nuvem privada;
■ Nuvem pública e
■ Nuvem híbrida

Nuvens privadas são aquelas construídas exclusivamente para um único usuário, uma empresa, por exemplo. Elas diferem de um Data Center privado virtual, porque a infraestrutura utilizada pertence ao usuário, e, portanto, é ele que detém o controle total e sobre como as aplicações são implementadas na nuvem.

E a nuvem pública, como seria? Uma nuvem é chamada de "nuvem pública" quando os serviços são apresentados por meio de uma rede aberta ao uso público. Serviços de nuvem pública podem ser livres. Geralmente, os provedores de serviços de nuvem pública são grandes corporações omo a Amazon AWS, a Microsoft e o Google. Esses gigantes da computação em nuvem operam a infraestrutura em seus centros de dados e o acesso geralmente é feito por meio da Internet.

Nas nuvens híbridas temos uma combinação dos modelos de nuvens públicas e privadas. Elas permitem que uma nuvem privada possa ter seus recursos ampliados a partir de uma reserva de recursos em uma nuvem pública. Assim, na hipótese de haver nova necessidade de recursos, essa demanda extra pode ser normalmente atendida.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton