Vivo Empresas, Ericsson e FEI criam novo Centro de Soluções 5G com foco no desenvolvimento da indústria 4.0

Iniciativa busca contribuir com a preparação de novos profissionais para atuar na próxima era de digitalização e com a evolução do setor a partir de pesquisas e desenvolvimento de novas aplicações usando a quinta geração da tecnologia móvel

Estudos mostram que o 5G poderá impulsionar novas receitas para esse setor até 2030 impulsionada da ordem de R$ 7 bilhões

O Centro será sediado no campus da FEI, em São Bernardo do Campo/SP, e contará com equipamentos da Ericsson e rede privativa 5G da Vivo


São Paulo, 15 de abril de 2021 - A chegada do 5G será fundamental para digitalização do País, tornando o conceito de Indústria 4.0 uma realidade. Neste sentido, o Centro Universitário FEI, a Vivo Empresas e a Ericsson anunciam a criação de um Centro de Soluções 5G para explorar as potencialidades das redes da quinta geração. A iniciativa nasce como um polo tecnológico e terá a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) como segmento âncora das linhas de pesquisa e desenvolvimento. O projeto direcionará os esforços para todos os setores industriais, com destaque às áreas de automação, logística e mobilidade urbana - evoluindo conceito de cidades inteligentes - e setores que demandam uma comunicação massiva de dispositivos, como o agronegócio, mineração e nos diversos processos industriais relacionado a manufatura avançada.

A infraestrutura do novo Centro, com sede no campus do Centro Universitário FEI, em São Bernardo do Campo/SP, contará com equipamentos da Ericsson e rede privativa 5G da Vivo, com a utilização da frequência de 3,5 GHz, capaz de explorar a combinação de altíssima velocidade e latência próxima de zero, com maior confiabilidade e disponibilidade, além da capacidade para conectar massivamente um número significativo de aparelhos. Além da conectividade, a Vivo terá um papel fundamental na criação de novas aplicações a partir da experiência em inovação aberta, com dezenas de projetos já desenvolvidos em parceria com startups direcionadas ao desenvolvimento de novos serviços digitais à indústria.

"O projeto será a base para a construção de um ecossistema mais amplo, com soluções que contemplam as novas demandas industriais, potencializadas por IoT, Inteligência Artificial e Robótica, com foco no aumento de eficiência e produtividade", explica Diego Aguiar, head de Inovação, IoT e Big Data da Vivo Empresas.

De forma geral, espera-se que o 5G traga benefícios em três campos principais: Internet móvel de alta qualidade que possibilita novas experiências mais imersivas como Realidade Virtual e Realidade Aumentada; Comunicações de missão crítica que demandam uma conexão ultra estável, confiável e de baixa latência, como o controle remoto de infraestruturas críticas em fábricas, carros autônomos e robôs industriais; e a Internet das Coisas que possibilita a conexão massiva de milhares de sensores possibilitando a criação de novas aplicações e soluções industriais.

O Centro Universitário FEI será a plataforma para desenvolvimento, pesquisas, formação de recursos humanos e demonstrações de aplicações IoT industriais utilizando conectividade 5G, tanto para alunos como para a indústria, tornando-se referência nas soluções em IoT baseadas na tecnologia 5G para diversos segmentos industriais.

A instituição vem desenvolvendo projetos e pesquisas relacionados a Indústria 4.0 e cidades inteligentes, com a utilização de ferramentas de manufatura digital, plataformas de IoT, nuvem e a criação de gêmeos digitais. A parceria reforça e impulsiona as iniciativas da FEI neste contexto, provendo conectividade entre dispositivos em diferentes localizações no campus. Os alunos da instituição também serão beneficiados pela rede 5G, ampliando o desempenho de projetos, com operações integradas e em tempo real. A rede estará disponível no laboratório de manufatura digital e manufatura integrada, laboratório de IoT, além da conexão nos equipamentos disponíveis no Centro de Laboratórios Mecânicos e do time de futebol de robôs.

"Com a formalização dessa parceria, a FEI confirma e reforça seu olhar para as megatendências das próximas décadas, o que inclui a manufatura digital e inteligente, em um contexto de integração e conectividade que representa a base da Quarta Revolução Industrial. Ganham a FEI e os parceiros pelo acesso e desenvolvimento de tecnologias de última geração, a indústria brasileira pelo suporte à inovação, produtividade e competitividade e os alunos que estarão vivenciando a construção desses novos mercados e dinâmicas baseados em negócios e arquiteturas conectadas e inteligentes - e que vão muito além das indústrias, sendo o 5G central aos avanços da mobilidade autônoma, tecnologias imersivas, robótica e cidades inteligentes, por exemplo. Não se trata somente da implantação de uma nova tecnologia na instituição, mas de garantir que nossos profissionais do futuro estejam capacitados para desenvolver soluções originais para desafios inéditos que, como sociedade, ainda viremos a enfrentar", ressalta o Reitor da FEI, Prof. Dr. Gustavo Donato.

Será papel da FEI funcionar como plataforma para desenvolvimento, testes, treinamento e demonstrações de aplicações IoT industriais utilizando conectividade 5G, tanto para alunos como para a Indústria 4.0, tornando-se centro de referência de tecnologia 5G e IoT para diversos segmentos da indústria.

A transformação dos negócios impulsionada pelos avanços nas tecnologias e nas capacidades digitais estão direcionando investimentos maciços em todos os setores, como mostrou o estudo 5G Business Potential, desenvolvido pela Ericsson. Para o setor da Indústria 4.0 especificamente, a fatia de receita em 2030 impulsionada pelo 5G representará R$ 7 bilhões, com aplicações não só no ambiente da manufatura nas fábricas, mas também toda a cadeia de valor, dos insumos à comercialização e uso dos produtos. Essa categoria abrange tanto indústrias de base e pesadas, como mineração e petróleo, mas também indústria de alto valor agregado, de base tecnológica, como são a indústria eletroeletrônica, de componentes e a automobilística.

"Estamos muito felizes com essa parceria que impulsionará o avanço no setor industrial, em linha com nosso compromisso de apoiar a evolução do nosso País ao 5G de forma simples, rápida, segura e custo-efetiva. Vamos trazer ganhos de produtividade e redução de custos para o setor", diz Rogério Loripe, Vice Presidente de Negócios da Ericsson. E acrescenta: "Estamos falando de um segmento que já conta com um alto nível de automatização, motivo pelo qual o avanço da tecnologia de aplicações em nuvem sobre o 5G permite que rapidamente novas arquiteturas inteligentes sejam implementadas, trazendo enormes ganhos de produtividade e flexibilidade com inovações de IoT".

Sobre o Centro Universitário FEI

Com 80 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições de Ensino Superior no Brasil. Sendo referência em gestão, inovação e tecnologia, a FEI já formou mais de 60 mil profissionais e tem como propósito proporcionar conhecimento aos seus alunos por todos os meios necessários, visando a construção de uma sociedade desenvolvida, humana e justa.

Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e oferece os cursos de Administração, Ciência da Computação e Engenharia - habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Química e a primeira graduação em Engenharia de Robôs do País.

Acompanhando as megatendências mundiais para o futuro, a FEI participou da formulação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Engenharia e Administração, propondo conceitos de interdisciplinaridade e empreendedorismo, que fazem com que os alunos tenham uma formação mais ampla e alinhada com as transformações tecnológicas.

Comentário (0) Hits: 1134

Por que a LG pode encerrar sua linha de celulares

Por Philip Michaels (01-04-2021)

Parece que a LG vai abandonar não apenas o LG Rollable mas o próprio negócio de smartphones. Desde janeiro, rumores sugerem que a LG pode desistir de seu negócio de telefonia móvel após anos de perdas. O boato pode ter chegado ao ponto em que se torna realidade, como afirma um relatório da Coreia do Sul, em que a empresa anunciará o fechamento de seu negócio telefônico nesta segunda-feira (5 de abril).

Com isso, pode desaparecer o sofisticado LG Rollable OLED TV, cujo preço é alto demais. O relatório publicado pelo Korea Times cita fontes do setor que afirmam que "a LG considerou várias opções, como uma venda total, vendas divididas ou retirada do negócio de smartphones, mas decidiu recentemente sair do negócio". A LG não quis comentar o relatório do Korea Times.

Ainda assim, a decisão não foi tomada. No mês passado, a LG informou que foi suspenso o desenvolvimento do sucessor do LG V60. Também circulam rumores em torno do LG Rollable, um telefone com uma tela em expansão que despertou curiosidade geral no CES 2021 no início deste ano, em Las Vegas. Na época a LG disse que o telefone rolável estava chegando em 2021, mas relatórios subsequentes sugeriram que o LG Rollable havia sido cancelado.

E do lado da Apple e da Samsung?

Globalmente e em participação no mercado, a LG tem sido superada há muito tempo por rivais chineses como Huawei e Oppo. Mas a situação é difícil para todos: "O mercado mundial de smartphones está repleto de grandes marcas que tropeçaram e não puderam permanecer lucrativamente no jogo", disse Avi Greengart, presidente e analista-chefe da Techsponential.

"A maioria dos lucros diretos com as vendas de smartphones foram para a Apple e a Samsung. LG nunca foi capaz de construir um ecossistema de software ou serviços em torno de seus telefones para justificar a venda de telefones. Daí sua liderança nas perdas."

A LG não tem conseguido se destacar entre o público de smartphones, ao contrário de outros smartphones que encontraram um nicho — a Motorola recentemente prosperou com sua série Moto G de baixo preço, assim como os telefones Pixel do Google são mantidos em alta consideração por seus recursos fotográficos.

"A parte superior do mercado está principalmente nas mãos da Samsung e da Apple. O que fazem as demais concorrentes é seguir essas duas marcas, que fabricam smartphones Android que oferecem telefones médios/de alta gama a preços de mercado de massa ou absorvem o mercado de entrada com dispositivos intermediários atraentes" — diz Ramon Llamas, da consultoria IDC.

"Não há dúvida que a LG tenha tido um forte avanço no mercado. No entanto, a empresa tem lutado com empresas que, até aqui, estavam dispostas a reduzir preço ou com outras que atraíam cada vez mais seus clientes para seus respectivos ecossistemas."

Mas os riscos parecem que não compensaram. A LG tem tentado fazer se manter no mercado com novos designs nos últimos anos. Além de desenvolver o LG Rollable, a empresa também apresentou o LG Wing, um telefone com um display secundário além da tela principal. O LG Velvet do ano passado também foi uma tentativa bem-vinda de trazer um design estilizado para um telefone intermediário mais acessível. Em 2016, a LG tentou se diferenciar com o LG G5, que trabalhava com acessórios chamados Friends. O dispositivo, contudo, como outros telefones modulares, nunca decolou.

"Se a LG encerrar seu negócio de telefones, o maior impacto competitivo será no mercado pré-pago dos EUA, onde a LG vem tentando manter elevado seu volume de vendas, e na Coreia do Sul, onde a LG é dona da operadora sem fio U Plus" — diz o analista Avi Greengart. "O próximo telefone rollable da LG também seria sepultado, embora a LG não seja a única empresa que trabalha em novos designs de smartphones para displays flexíveis."

A partir desta segunda-feira, porém, parece que esses dispositivos, bem como futuros telefones LG não estarão mais no mercado. O que acontecerá depois disso pode ser interessante, disse Llamas, da IDC, já que "a história da LG e os recentes avanços de pesquisa e desenvolvimento (P&D) podem oferecer muito a outra empresa".

De qualquer maneira, vale a pena ficar de olho na Coreia para saber qual será o futuro dos esforços telefônicos da LG.

Comentário (0) Hits: 3528

Microsoft ganha contrato de US $ 21,9 bilhões do exército dos EUA.

Decisão trará a próxima geração de tecnologia para o campo de batalha.
Do Financial Times por Hannah Murphy e Katrina Manson

A Microsoft ganhou um contrato de até US$ 21,9 bilhões para fornecer ao exército dos EUA pelo menos 120.000 fones de ouvido de realidade aumentada, em um movimento significativo para trazer a próxima geração de computação para o campo de batalha.

A Microsoft forneceria ao exército fones de ouvido “Sistema de Aumento Visual Integrado”, que ajudariam os soldados a treinar, localizar alvos ou estar cientes de ameaças próximas ao sobrepor informações contextuais sobre o mundo real, de acordo com um anúncio na quarta-feira.

Segundo os termos do contrato, a Microsoft forneceria pelo menos 120.000 fones de ouvido para toda a força de combate corpo a corpo do exército, disse um porta-voz da empresa.

O contrato pode alcançar até US $ 21,9 bilhões em 10 anos, dependendo de quantos dispositivos forem entregues, acrescentou o porta-voz. Mas se recusou a fornecer um custo por dispositivo.

O Exército dos EUA disse que o contrato era de cinco anos iniciais com a opção de se estender por mais cinco anos. A Microsoft está trabalhando com o exército há dois anos em um protótipo do produto que se baseia em seu produto já existente de smartglasses para empresas chamadas HoloLens.

“O programa oferece consciência situacional aprimorada, permitindo o compartilhamento de informações e a tomada de decisões em uma variedade de cenários”, disse Alex Kipman, pesquisador técnico da Microsoft, em uma postagem de blog , acrescentando que os fones de ouvido “manteriam os soldados mais seguros e os tornariam mais eficazes”. As ações da Microsoft subiram 2% com a notícia, para cerca de US$ 236.

O general James McConville, chefe do Estado-Maior do Exército, disse no ano passado durante os testes dos fones de ouvido da Microsoft que um esforço para melhorar os óculos de visão noturna levou a um novo sistema que estava “mudando fundamentalmente a forma como fazemos negócios”.

Os fones de ouvido futuristas destinam-se a ambientes urbanos de combate corpo-a-corpo para que os soldados possam treinar, ensaiar e lutar no escuro. Os óculos ajudam na seleção de alvos, pois usam realidade aumentada e tecnologia de aprendizado de máquina para sobrepor imagens sobre o terreno que os soldados veem à sua frente — permitindo que eles enxerguem através das paredes defensivas e perscrutem os cantos sem ter que se mover.

Eles também estão ligados em rede, para que os comandantes na base possam ver efetivamente o que os soldados estão vendo em tempo real, e os soldados podem receber imagens ao vivo capturadas por drones. Os computadores móveis, que são equipados com chips de inteligência artificial, também rastreiam os movimentos dos olhos e das mãos dos soldados ao vivo e monitoram o que eles dizem.

Durante a pandemia de Covid-19, os desenvolvedores também usaram os óculos para testar a temperatura dos soldados. Alguns os apelidaram de “FrankenGoggles”. Os soldados que os usaram dizem que são tão intuitivos quanto o iPhone ou os comparam a seguir instruções de videogame. Eles passaram pela primeira vez em testes de campo do exército em outubro de 2018, depois que a Microsoft ganhou um contrato de US$ 480 milhões para fornecer protótipos ao exército.

Quase 100 funcionários da Microsoft na época solicitaram à empresa o cancelamento do contrato, argumentando que não deveria desenvolver “toda e qualquer tecnologia de armas”.

Peter Singer, que estuda o futuro da guerra, disse que os óculos são um desenvolvimento "notável" que pode proporcionar uma tomada de decisão melhor e mais rápida aos soldados em solo, mas alertou que eles também podem enfrentar a sobrecarga de informações e o risco de dados incorretos.

Separadamente, em 2019, a Microsoft venceu a rival de tecnologia Amazon para fechar um contrato de US$ 10 bilhões para fornecer serviços de computação em nuvem para o Departamento de Defesa dos EUA. A Amazon está contestando o chamado contrato Jedi na Justiça Federal.

Comentário (0) Hits: 3520

TV OLED e NanoCell com resolução de até 8K em promoção da LG

A LG Electronics (LG) está oferecendo condições exclusivas em sua linha premium de TVs. Os consumidores que aproveitarem o período promocional encontrarão descontos em modelos de telas OLED - com seus pixels que se autoiluminam para oferecer o preto puro e contraste infinito, e nas NanoCell - com tecnologia de nanopartículas que filtram as cores e reproduzem mais de 1 bilhão de cores puras em até 8K de resolução.

Nas compras pelas lojas online, o consumidor leva para casa a sua TV OLED ou NanoCell e ainda goza de outras vantagens:

o consumidor com frete grátis e instalação gratuita dos produtos através da plataforma LG Instala, disponível no site oficial da marca.

Os produtos com desconto participantes da ação já podem ser encontrados nas maiores redes varejistas do país.

Uma das datas mais aguardados pelos consumidores, o Dia do Consumidor será realizado no próximo dia 15, mas a LG se antecipa com condições atrativas para quem estava de olho nos modelos da linha premium de TVs da marca.

Eleita a melhor TV do mercado, a LG OLED TV está entre os modelos participantes da ação e se destaca pela sua tecnologia com mais de 8 milhões de pixels que se autoiluminam para entregar o preto puro e cores perfeitas, através de seu contraste infinito. Além disso, os modelos OLED possuem design minimalista, com bordas estreitas e painéis extremamente finos.

A linha LG NanoCell TV também representa uma boa oportunidade para os consumidores, com até 8K de resolução e exclusivo Painel NanoCell, com nanopartículas que filtram as ondas de luz excedentes, trazendo qualidade de imagem e mais de um bilhão de cores puras em um design desenvolvido para telas grandes, com menos borda e mais tela.

Tanto a OLED quanto a NanoCell 8K contam com o processador (Alpha) 9 Gen 3 AI, que traz recursos de deep learning e inteligência artificial, e diversas possibilidades de conectividade e integração com assistentes pessoais em português, com o ThinQ AI, Google Assitente e Amazon Alexa.

Além dos descontos exclusivos, outro incentivo desse período promocional é a logística facilitada para os clientes que comprarem as linhas OLED e NanoCell nas lojas online, com frete grátis e instalação gratuita dos televisores através do LG.com/br/LGInstala .

As condições especiais para o Mês do Consumidor estão disponíveis desde o dia 1º de março, nas lojas físicas e online do varejo nacional. Além das linhas OLED e NanoCell, outros modelos de TVs da marca também estão com desconto neste período, tanto a disponibilidade, quanto as opções de ofertas devem ser verificadas junto às lojas.

Comentário (0) Hits: 4586

Ericsson é nomeada pelo Gartner como líder em infraestrutura de rede 5G

A Ericsson foi nomeada líder no “Quadrante Mágico” de 2021 para Infraestrutura de Rede 5G para Provedores de Serviços de Comunicação pela empresa independente de consultoria e pesquisa de TI, Gartner. O relatório reconheceu a liderança da companhia quanto a abrangência de sua visão e sua capacidade de execução.

Os fornecedores que oferecem soluções 5G para provedores de serviços de comunicação foram avaliados de forma abrangente e independente por especialistas do Gartner. Além da abrangência de suas visões e capacidade de execução para fornecer um panorama do mercado sobre as habilidades da infraestrutura de quinta geração, esses players também foram avaliados em como permitem que o desempenho do provedor de TI seja competitivo, eficiente e eficaz, tendo um impacto positivo na receita, retenção e reputação dentro da visão de mercado do Gartner. A avaliação da capacidade de execução incluiu produtos e serviços da Ericsson, capacidade de resposta do mercado e histórico, execução de marketing, experiência do cliente e viabilidade geral.

Fredrik Jejdling, Vice-presidente executivo e Chefe de Redes da Ericsson, afirma: “Da pesquisa à implementação, investimos pesadamente em 5G para garantir que temos os melhores produtos, habilidades e pessoal de campo para atender às necessidades dos nossos clientes. Acreditamos que o reconhecimento como Líder no ‘Quadrante Mágico’ do Gartner reflete nossa liderança em tecnologia, competitividade de mercado, determinação em inovar e compromisso com nossos clientes ”.

A Ericsson, como líder da indústria em redes 5G, conta atualmente com mais de 130 acordos 5G comerciais com provedores de serviços de comunicações (CSPs) exclusivos e fornece energia a 79 redes 5G ao vivo em todo o mundo. A companhia desenvolve continuamente suas ofertas 5G de ponta a ponta, que incluem Sistema de Rádio, 5G Core, Orquestração e Transporte 5G, bem como serviços profissionais. A empresa introduziu soluções de software inovadoras, como o Ericsson Spectrum Sharing, agregação de portadora 5G e Uplink Booster, que melhoram significativamente a cobertura, o rendimento do usuário e a eficiência do espectro.

Essas soluções apoiam os provedores de serviços na implantação e evolução do 5G para garantir a melhor experiência possível ao usuário final. Além disso, os sistemas de rádio da Ericsson entregues desde 2015 podem suportar o recurso 5G New Radio (NR) por meio da instalação remota de software.

Além disso, os Serviços Digitais da companhia oferecem uma solução 5G Core dual-mode para redes mais inteligentes a fim de impulsionar negócios mais estratégicos, permitindo que os provedores de serviços de comunicação ofereçam uma infinidade de novas oportunidades de negócios para usuários móveis e indústrias. Por fim, a solução 5G Core da Ericsson combina funções de rede Evolved Packet Core e 5G Core em uma plataforma comum nativa em nuvem que suporta 5G NR autônomo e não autônomo, além de 4G, 3G e 2G.

Baixe o relatório completo: o 2021 Gartner Magic Quadrant para a infraestrutura de rede 5G para provedores de serviços de comunicação

Comentário (0) Hits: 3315

Nokia e CPQD exploram potencial do 5G em parceria de Open RAN

A Nokia anunciou, nesta quinta-feira, 11 de fevereiro, parceria com o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) do Brasil, para desenvolver aplicativos e soluções de Open RAN (O-RAN) para controle inteligente de redes de acesso (Radio Intelligent Controller, RIC).

A parceria terá por foco o desenvolvimento de casos de uso em 5G, como acesso fixo sem fio (Fixed Wireless Access, FWA), cidades inteligentes, Internet das Coisas para Indústria 4.0 e redes de missão crítica, customizados para o mercado brasileiro e em colaboração com as operadoras móveis clientes da Nokia no Brasil.

A partir da solução da Service Enablement Platform (SEP), da Nokia, que combina os recursos do RIC a uma computação de borda de multiacesso (Multi-access edge computing, MEC), a parceria foi projetada para criar casos de uso inovadores para a borda da rede, viabilizados pela solução otimizada e aberta da Nokia, AirFrame, para o servidor de borda, de modo que o CPQD possa explorar o potencial do 5G em oferecer um desempenho de rede superior, com segurança, menor consumo de energia e maior confiabilidade.

A solução SEP, da Nokia, habilita o desevolvimento de casos de uso inovadores mais perto da RAN. É executada no data center e pode compartilhar infraestrutura com Cloud RAN ou com outras funções virtualizadas de rede, por usar recursos abertos de API para tornar possível um ambiente de nuvem edge ágil e dinâmico, para um processo de inovação seguro com o ecossistema e seus participantes. A solução AirFrame, da Nokia, oferece infraestrutura de nuvem segura e de alta performance para ambientes internos e externos.

RIC é uma tecnologia virtualizada de otimização em 5G que adiciona programabilidade ao RAN e torna possível o desenvolvimento de Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina, bem como novos serviços. Tambem fornece uma estrutura para implementação de aplicativos provenientes de várias fontes. A plataforma RIC fornece funções e interfaces que aumentam as possibilidades de otimização, automação e permitem implementações de serviço mais rápidas e flexíveis.

Sobre o acordo, Frederico Nava, Diretor de Soluções Tecnológicas e Consultoria do CPQD, disse: “Esta é uma colaboração importante, que ajudará a moldar o futuro das redes 5G no Brasil. Desejamos manter parceria frutífera e bem-sucedida com a Nokia e estamos ansiosos para apresentar ao mercado uma variedade de casos de uso inovadores que tenham por base o 5G”.

Ari Kynäslahti, Chefe de Tecnologia e Estratégia da Nokia Mobile Networks, comentou: “Essa importante parceria irá explorar o potencial para casos de uso 5G inovadores, que terão valor no mundo real no Brasil em uma gama de áreas como cidades inteligentes e acesso fixo sem fio. Nosso RAN Intelligent Controller terá um papel crítico nessa pesquisa e vai ajudar a explorar e testar casos que colocarão o Brasil na vanguarda da era 5G”.

Fundado em 1976, o CPQD é uma das maiores instituições independentes de pesquisa e desenvolvimento na área de Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) do Brasil. Sua missão é aumentar a competitividade tecnológica do país e contribuir para elevar a inclusão digital da sociedade. É o primeiro centro de pesquisa da América Latina a trabalhar em aplicativos para a plataforma RIC.

Comentário (0) Hits: 3375

newsletter buton