Algar Telecom disponibiliza especialistas de TI

algar_lab.jpg21/12/2018 - Serviço alia inteligência e relacionamento, para que empresários se dediquem exclusivamente ao negócio, sem se preocuparem com demandas de tecnologia

A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do grupo Algar, lançou no mercado um serviço que disponibiliza especialistas de Tecnologia da Informação (TI) altamente capacitados para as empresas. O serviço, que alia inteligência e relacionamento, visa atender às demandas corporativas de suporte técnico, banco de dados e hardware, reduzindo os custos em recrutamento e manutenção de equipe própria.
Clientes que possuem serviços de cloud, hosting, colocation e monitoramento da Algar Telecom podem contratar, adicionalmente, esse serviço de especialistas certificados para aprofundar a consultoria na manutenção e aprimoramento da infraestrutura de tecnologia. Os profissionais utilizam ferramentas de inteligência para transformar dados em análises e aconselhamento para agilizar as decisões de TI.  

De acordo com Rodrigo Schuch, diretor de Marketing da Algar Telecom, além da economia, o serviço proporciona máxima disponibilidade e permite que os empresários se preocupem exclusivamente com o negócio. “Um dos nossos diferenciais é o relacionamento próximo e esse serviço eleva o relacionamento em outro nível, agregando ainda mais valor às entregas de produtos de TI que já oferecemos com qualidade”, ressalta.

Parceria

O executivo enfatiza que a Algar Telecom se posiciona como uma empresa que é cada vez mais parceira dos seus clientes. “Sabemos que uma estrutura de TI possui um alto custo em contratação. Nos colocamos como uma alternativa para otimizar investimentos em tecnologia, especialmente em um cenário de transformação digital”, conclui Schuch.


Comentário (0) Hits: 705

Vivo lança Centro de Treinamento de Bots

aura_2a.jpg11/12/2018 – A Vivo anuncia a inauguração de seu Centro de Treinamento de Bots, em uma iniciativa inédita no mercado de telecomunicações. A nova área tem o objetivo de aperfeiçoar a qualidade do atendimento feito pela Aura, inteligência artificial da Vivo, fazendo com que ela responda os questionamentos do cliente com cada vez mais assertividade. A Aura atende a mais de 1,5 milhão de clientes por mês e, desde o seu lançamento, em fev/18, já registrou mais de 17 milhões de interações com clientes da Vivo, com retenção superior a 80%.

Cada vez que um cliente faz uma pergunta, a Aura verifica em sua base de conhecimento a melhor resposta para aquele questionamento. O Centro de Treinamento de Bots foi criado para analisar se a Aura entende corretamente as dúvidas dos clientes e, em caso negativo, gerar os insumos para correção e treinamento do bot, para que ela acerte nas próximas vezes. O time do Centro de Treinamento de Bots também avalia se a resposta da Aura realmente esclarece a pergunta do Cliente, para, assim, garantir a melhoria contínua da experiência dos usuários com o bot.

O Centro de Treinamento de bots é uma nova área do call center da operadora, em Curitiba (PR), e sua equipe é composta por atendentes que possuíam os melhores resultados no atendimento ao cliente, identificados através de um rigoroso processo seletivo. Os 14 atendentes do call center foram escolhidos para desempenhar a nova ocupação de treinar a Aura. Em 2019, a empresa prevê ampliar este número para 20 avaliadores.

O trabalho do Centro de Treinamento de bots baseia-se em três tipos de ação: Diagnosticar, Aferir e Agir. As ações de diagnóstico consistem nas análises de todas as interações do cliente com a Aura, em todos os canais de contato onde ela está presente atualmente, como os aplicativos Meu Vivo Móvel, Meu Vivo Fixo, Meu Vivo Empresas e o Callcenter cognitivo, site da Vivo, entre outros. Para a análise, são utilizadas diferentes ferramentas, como leitura e escuta das interações da Aura com os clientes e respostas dos Clientes à pesquisa de satisfação.

Dentre a equipe CTBots há a função de linguistas da Aura que com base nos insumos gerados pelas avaliações, são responsáveis por aperfeiçoar a base de conhecimento do chatbot. São eles que definem os diálogos para que a interlocução entre o bot e o Cliente consiga ser resolutiva e satisfatória. Para garantir que o conteúdo produzido está gerando valor e solução rápida para as necessidades de atendimento dos clientes, esses especialistas avaliam a usabilidade, o fluxo de navegação, pensam na melhor forma de distribuir as informações e assegurar que os links estejam direcionando o cliente para a ação que deseja realizar.

Comentário (0) Hits: 964

Operadoras têm primeira reunião com Marcos Pontes

marcos_pontes.jpgPor Samuel Possebon, Teletime
11/12/2018 - As operadoras de telecomunicações tiveram, na última sexta, dia 7, a primeira reunião exclusiva com o novo ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes. Um primeiro contato já avia acontecido na semana anterior, mas em conjunto com representantes do setor de TICs. Na reunião do dia, estiveram presentes os presidentes da Telefônica e Algar e diretores da TIM, Claro e Oi, além do SindiTelebrasil e do futuro secretário-executivo Júlio Semeghini e mais dois assessores da equipe de Marcos Pontes. Elifas Gurgel, ex-presidente da Anatel e atualmente no gabinete de transição, não participou do encontro. Os relatos apurados por este noticiário foram positivos.

O ministro ouviu um diagnóstico do setor e boa parte dos pontos que têm preocupado as operadoras, especialmente a necessidade de reforma no modelo legal, a necessidade de políticas públicas e as questões tributárias. Também falou-se do projeto de criação de um Sistema S para o setor de TIC e da importância deste modelo para a capacitação e formação de mão-de-obra para o setor, e dos modelos de leilão de espectro, sobretudo para o cenário de 5G, com ênfase na importância de leilões sem foco arrecadatório.

O ministro, que ainda não estava familiarizado com a importância e as dificuldades do PLC 79/2016, mostrou disposição de defender a reforma do modelo no início do governo Bolsonaro, caso a mudança não aconteça ainda este ano. Também afirmou que assume o ministério com plena liberdade para a montagem de sua equipe. Júlio Semeghini fez um relato aprofundado de sua relação histórica com o setor de telecomunicações e elogiou a postura da indústria, especialmente na relação ética que manteve, nas palavras de Semeghini, com o Congresso. Marcos Pontes, contudo, não antecipou nenhum novo nome para  seu secretariado nem anunciou nenhuma mudança de estrutura.

Comentário (0) Hits: 1027

TV paga perde 418 mil contratos em 12 meses

tv_digital_sp.jpg30/11/2018 - De acordo com dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Brasil registrou 17.701.082 contratos ativos do serviço de TV por Assinatura no mês de outubro de 2018, redução de 418.241 assinaturas (-2,31%) nos últimos 12 meses. Em relação ao mês anterior, a diminuição foi de 102.999 assinaturas (-0,58%).

Grupos

Os quatro maiores grupos de TV por Assinatura no Brasil detinham 17.193.565 contratos ativos (97,13% do mercado) em outubro de 2018. São eles: a Claro/NET com 8.760.789 assinaturas (49,49%), a Sky, com 5.242.368 (29,62%), a Oi com 1.599.090 (9,03%) e a Vivo com 1.591.318 (8,99%). Dessas, apenas a Oi apresentou crescimento, mais 123.575 contratos (+8,38%) nos últimos 12 meses. A Claro/NET registrou diminuição de 427.283 (-4,65%), a Vivo menos 18.001 contratos (-1,12%) e a Sky menos 8.939 (-0,17%).

Estados e Distrito Federal

Os três estados que apresentaram maior crescimento percentual da telefonia móvel nos últimos 12 meses foram Maranhão, mais 19.024 (+10,91%), Amazonas, mais 16.313 (+5,60%), e Pará, mais 14.575 (+4,73%). Os maiores mercados continuam sendo São Paulo, com 6.563.789 contratos ativos no mês de outubro de 2018 (37,08% do total), Rio de Janeiro, com 2.388.760 (13,49%), e Minas Gerais, com 1.560.824 (8,82%).

Os números da TV por Assinatura estão disponíveis no Portal da Anatel. A Agência informa que a prestadora Brisanet teve o registro de junho de 2018 repetido para o mês de outubro de 2018 por não encaminhar os números do serviço há quatro meses.

Comentário (0) Hits: 1080

Sinal analógico no PR, RJ, RS e SP será desligado

tv_digital.jpg27/11/2018 - O Grupo de Implantação da TV Digital (Gired) decidiu nesta terça-feira (27/11) propor ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) que o desligamento do sinal analógico de TV seja realizado amanhã (28/11) no oeste do Paraná e no sul do Rio Grande do Sul. No interior do Rio de Janeiro e no interior de São Paulo o desligamento começa no dia 28/11 e termina no dia 12/12.

De acordo com a pesquisa Ibope Inteligência, no oeste do Paraná, 92% da população já conta com sinal digital; no sul do Rio Grande do Sul, o percentual atingido foi de 90%; no interior de São Paulo o percentual alcançado foi de 89%; e no interior do Rio de Janeiro o percentual foi de 87%. A projeção da pesquisa é que na data do desligamento (dia 28/11), o percentual necessário (de 90%) seja alcançado no interior de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Com o desligamento do sinal analógico, haverá a liberação da faixa de 700 MHz, atualmente ocupada por canais de TV aberta. Essa frequência será utilizada para ampliar o serviço de telefonia e internet de quarta geração (4G) no Brasil. De acordo com a Empresa Administradora da Digitalização (EAD), 41% das cidades já foram mitigadas e 4.263 cidades já foram liberadas.

Durante a campanha de mitigação a população é informada sobre como agir em caso de interferência do sinal da banda larga móvel na TV aberta digital. O período de mitigação dura em média 30 dias. Após o término deste processo, a Anatel libera o uso da faixa de 700 MHz.

Os beneficiários de Programas Sociais do Governo Federal (como Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida e o Tarifa Social de Energia Elétrica) têm direito ao recebimento de um kit gratuito (com antena e conversor). Os beneficiários devem agendar a retirada do kit no site http://www.sejadigital.com.br/home ( http://www.sejadigital.com.br/home ) ou se preferir ligar no 147. Segundo a EAD, serão distribuídos um total de 280 mil kits no mês de novembro.

A lista de localidades afetadas (municípios) está no Anexo III da Portaria 7432/2017 do MCTIC aqui

Comentário (0) Hits: 1027

Telefonia fixa tem queda de 4,89% em 12 meses

Telefonia-fixa.jpg26/12/2018 - Dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL) informam que o Brasil apresentou 38.716.536 linhas fixas em serviço no mês de outubro de 2018. Em comparação ao mês anterior, outubro registrou queda de 229.700 linhas (-0,59%) e em relação ao mesmo mês de 2017, a redução foi de 1.990.488 linhas (-4,89%).

Em outubro de 2018, as concessionárias da telefonia fixa registraram 22.067.287 linhas fixas e autorizadas registraram 16.649.249 linhas. Em comparação a setembro desse ano, as concessionárias apresentaram uma redução de 163.999 linhas fixas (-0,74%) enquanto as autorizadas apresentaram diminuição de 65.701 linhas (-0,39%). Em 12 meses, as concessionárias registraram redução de 1.696.230 linhas fixas (-7,14%) e as autorizadas perderam 294.258 linhas (-1,74%).

Grupos

Em outubro de 2018, entre as autorizadas, a Claro registrou a maior participação de mercado, 10.502.066 linhas fixas no país (63,08%), seguida pela Vivo, com 4.390.355 (26,37%), e TIM, com 847.158 (5,09%). Em relação às concessionárias, a Oi possui o maior volume de linhas fixas, 12.472.181 linhas (56,52%), seguida pela Vivo, 8.686.204 linhas (39,36%) e pela Algar Telecom, 749.801 linhas (3,40%).

Estados

Entre as autorizadas, no mês de outubro, o estado de São Paulo apresentou a maior quantidade de linhas fixas com 5.592.876 linhas fixas (33,59%), seguido pelo Rio de Janeiro, 1.991.770 (11,96%), e Paraná, com 1.560.305 (9,37%). Entre as concessionárias, São Paulo registrou 8.865.044 linhas fixas (40,17%), seguido pelo Rio de Janeiro 2.483.275 linhas (11,25%), e Minas Gerais, 2.343.794 linhas (10,62%).

Comentário (0) Hits: 1003

newsletter buton