Faixa dos 700 MHz está liberada em todas capitais

07/08/20 - O uso da faixa dos 700 MHz, em todas as capitais do país pelas prestadoras Vivo, TIM e Claro, já foi autorizado pela Anatel, inclusive em Florianópolis (SC), que foi última capital a ter a faixa desocupada. Esta faixa de frequência, que era utilizada pelos canais de TV, agora permite a transmissão de banda larga móvel, com maior velocidade, chegando a uma transmissão até três vezes maior do que a atual. Em outras palavras, isso significa melhorar a qualidade e a cobertura do 4G no Brasil.

A Algar também já tem a permissão para usar a faixa de 700 MHz. A empresa presta serviço em 188 municípios de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso do Sul. A faixa de frequência era utilizada pelas empresas de radiodifusão para a transmissão do sinal analógico de TV, que está sendo desligado em todo país. Até o fim do ano, todas as capitais do país deverão contar somente com sinal digital de TV, que tem melhor qualidade de som e imagem.

Com a antecipação de quase um ano na autorização do uso da frequência de 700 MHz (4G) em vários municípios do país, a expectativa é de que muitas estações sejam licenciadas.

O desligamento do sinal analógico de TV nas regiões Norte e Centro-Oeste está previsto para o dia 14 deste mês. Com esse desligamento, a faixa dos 700 MHz estará totalmente liberada para as transmissões de 4G.

Comentário (0) Hits: 1462

4G chega a 248 novos municípios no 1º semestre

4G.jpg1/08/18 – O Brasil fechou o primeiro semestre de 2018 com as redes de 4G operando em 4.071 municípios brasileiros, onde moram 94% da população. Durante o primeiro semestre do ano, 248 novos municípios receberam as redes de quarta-geração. No período de 12 meses, de julho de 2017 a junho de 2018, 1.417 novas cidades foram conectadas com 4G, o que corresponde a um crescimento de 53%.

De acordo com o balanço do primeiro semestre da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), 16 milhões de novos chips 4G foram ativados de janeiro a junho. Ao todo, o País já tem 118 milhões de chips 4G e 70 milhões de clips de 3G.

A atual cobertura das redes de quarta geração é quase quatro vezes superior à obrigação estabelecida nos leilões das licenças de serviços móveis, de 1.079 municípios.

4g_07_2018.jpgA cobertura de 3G também apresentou crescimento, alcançando 5.287 municípios em junho, onde moram 99,3% da população brasileira. Essa cobertura ultrapassa em muito a obrigação atual, que é de 3.917 municípios. De janeiro a junho, 156 novos municípios receberam as redes de 3G.

No total, o Brasil já conta com 207 milhões de acessos à internet pela rede móvel. Considerados os acessos fixos e móveis, os dados de junho mostram um total de 237,6 milhões de acessos no País. Destes, 30,3 milhões são em banda larga fixa, segmento que cresceu 9,5% em 12 meses, com 2,6 milhões de novos acessos.

Comentário (0) Hits: 1531

Webinar gratuito sobre 5G e economia digital

5g_telecom_2018.jpg02/08/2018 - As operadoras de telecom estão acompanhando o processo de transformação digital que passa a sociedade com a disrupção de mercados e de modelos de negócios de empresas tradicionais. As redes estão sendo virtualizadas de modo a que seja possível redefinir a experiência do cliente e oferecer serviços além da conectividade e 5G é uma das tecnologias chaves nesta transformação.

Para abordar este cenário e suas perspectivas, será realizada em 29 de agosto a 2ª edição da conferência "5G e Transformação Digital 2018", em formato webinar. Os interessados deverão se registrar gratuitamente através do link https://telecomwebinar.com/5g-e-transformacao-digital-2018/

O evento terá início às 9h e pautará os seguintes temas:
- 5G: Com as especificações da 5ª geração concluídas a expectativa se volta para a implantação das redes. Os primeiros smartphones 5G devem estar disponíveis no mercado em 2019, viabilizando o início das operações comerciais.
- Redefinindo a experiência do Cliente: Com a digitalização e novas funções da 5ª Geração, como network slicing, o usuário se converte no centro do serviço e os operadores podem garantir a qualidade da sua experiência. A transformação digital da interface com o usuário deve envolver também a utilização de aplicativos e inteligência artificial (bots) no atendimento.
- Virtualização das redes: As redes estão se transformando em software, com a migração de funções executadas anteriormente por hardwares dedicados para servidores padrão na nuvem. Ela dará as operadoras mais flexibilidade e agilidade para atender as demandas do mundo digital. A questão é como, quando e que parte da rede passará pela transformação.
- Serviços além da conectividade: Com a transformação digital a operadora tem que rever o seu modelo de negócios.

Quais as alternativas colocadas? Investir em uma plataforma com APIs abertas para oferecer serviços digitais em parceira com OTTs? Definir um portfólio sofisticado de serviços digitais? Ou deixar de oferecer serviços ao consumidor final se tornado uma operadora de conectividade no atacado?

Inteligência Artificial (AI): Com o avanço da transformação digital das operadoras e as principais funções da rede sendo executadas por software cresce vertiginosamente a quantidade de dados disponíveis viabilizando a utilização de técnicas de inteligência artificial como machine learning. Como está avançando o uso de inteligência artificial nas operadoras?

A conferência terá palestrantes de peso da área de telecomunicação como Fernando Moulin Diretor de Experiência Digital Telefonica/ Vivo, Alberto Boaventura, Gerente de Estratégia e Arquitetura de Rede da Oi, Janilson Bezerra, da área de Innovation & Business Development da TIM Brasil, Roberto Medeiros, diretor Sênior de Desenvolvimento de Produtos de Qualcomm, Eduardo Tude, presidente da Teleco (consultoria na área de inteligência de mercado), entre outros.

Comentário (0) Hits: 759

Vivo conquista certificação internacional

open_cloud_vivo.jpg27/07/2018 - O serviço de nuvem pública Open Cloud foi o primeiro no país a receber a certificação internacional em segurança

A Vivo Empresas – área voltada ao segmento B2B da Telefônica Brasil – anuncia a conquista do certificado CSA STAR nível 2, que utiliza como base a ISO 27001 de Segurança da Informação em sua oferta de nuvem pública, o Open Cloud.  A certificação reconhece à solução níveis altos de segurança ao armazenar informações confidenciais e executar aplicações de negócio em nuvem pública. Com o anúncio, a Vivo se torna a primeira empresa do setor de Telecom a obter este certificado, se igualando aos demais provedores internacionais de cloud no segmento de Tecnologia da Informação.

O serviço Open Cloud fornece todos os recursos que as empresas precisam no desenvolvimento e operação de modelos de negócios digitais ao liderarem projetos que requerem agilidade, flexibilidade e capacidade de recursos de TI que permite o pagamento por uso e moeda local.

A solução se tornou um modelo para outros países como Chile e México, onde o serviço já está disponível e integrado com a plataforma global. O Open Cloud também está presente na Argentina, Colômbia, Peru, Estados Unidos. Todo este universo de recursos é composto por autosserviço, automação e orquestração existentes nesta plataforma, para que os clientes possam desfrutar de um conjuto de serviços disponíveis para atender as demandas de negócio e fortalecer a TI como um pilar estratégico. Além disso, a plataforma do Open Cloud tem mais de 30 serviços e que eles vão desde IaaS básico a serviços de plataforma, onde os clientes podem construir, também, arquiteturas híbridas de TI para expandir infraestruturas locais.

Comentário (0) Hits: 1053

Edgar Serrano é o novo presidente da CONTIC

edgar_serrano.jpgEntidade reúne mais de 75 mil empresas, incluindo as operadoras de telecomunicações, com 2 milhões de trabalhadores

27/07/18 - Edgar Serrano é o novo presidente da CONTIC - Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação. Formada pela união da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), da Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo) e da Federação Nacional de Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra), a Confederação reúne mais de 75 mil empresas e representa 8% do PIB brasileiro em produção de riqueza para a economia nacional. Sua representatividade é expressa também em número de postos de trabalho, com mais de 2 milhões de trabalhadores, beneficiando centenas de milhões de brasileiros. Apenas um dos setores, o de telecomunicações, recolhe mais de R$ 60 bilhões em tributos por ano e tem mais de 330 milhões de clientes.

"O Brasil é considerado o sétimo maior mercado do mundo, ficando atrás apenas dos países líderes do setor: EUA, China, Japão, Reino Unido, Alemanha e França. O Brasil precisa se dar conta de que a Revolução Digital já é uma realidade e que não há futuro senão por meio de protagonismo em tecnologia da informação e comunicação", declara.

De acordo com o novo presidente, a CONTIC atua apoiada em sólidas bases dos setores de telecomunicações, tecnologia da informação e de instalação e manutenção de infraestrutura, no sentido de consolidar um Brasil competitivo, produtivo e conectado, com geração de emprego e renda. "Nossa missão é promover a interlocução entre o setor produtivo e o governo para que a inovação e adoção tecnológica, sejam prioridade, bem como, o adensamento e a inserção global das cadeias produtivas intensivas em TIC, por meio de políticas públicas adequadas, potencializando um ambiente de mercado aberto e competitivo, com segurança jurídica. Tal postura seguramente redundará em bem-estar social, empregos de qualidade e crescimento econômico", afirma.

Comentário (0) Hits: 1276

Anatel autoriza uso dos 700 MHz para 4G em SP

4G.jpg24/07/2018 - A Anatel autorizou nesta terça-feira, dia 24/07, o uso da faixa dos 700 MHz pelas empresas de telefonia em Saulo Paulo (SP) e nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano do Sul. Essa faixa era utilizada pelas empresas de radiodifusão, para a transmissão do sinal analógico de TV, que está sendo desligado em todo país. Até o fim do ano, o país contará somente com sinal digital, que tem melhor qualidade de som e imagem. A faixa dos 700 MHz vai permitir a transmissão de banda larga móvel, com maior velocidade, chegando a uma transmissão até três vezes maior.

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, explicou que Florianópolis será a última capital a ter a faixa desocupada e lembrou que o sinal analógico será desligado no dia 14 de agosto nas regiões Norte e Centro-Oeste, mas que a faixa já está liberada nessas localidades. "Cerca de 3.803 municípios já estão liberados, o que beneficia mais de 60% da população brasileira", disse.

O superintendente de Outorgas da Agência, Vitor Elisio Menezes, afirmou ser um grande avanço a antecipação de quase um ano na autorização do uso da frequência de 700 MHz (4G) em São Paulo e nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano do Sul. A autorização estava prevista para ocorrer em 31 de dezembro de 2019, ou seja, nove meses após o desligamento do sinal analógico de TV em vários municípios.

Vitor Elisio espera um volume considerável de estações licenciadas em breve e citou a importância para o 4,5 G. "Para nós é uma grande vitória juntamente com a Entidade Administradora do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (EAD), disse. O superintendente explicou que foram realizados estudos técnicos que permitiram a convivência (do uso dos 700MHz pela radiodifusão e banda larga). "Cerca de 3.800 cidades já estão aptas para utilizar o 4G em 700 MHz, das capitais falta somente Florianópolis que nas próximas semanas deve ser autorizada", contou.

Na reunião o representante da TIM, Marcelo Mejias, reconheceu o trabalho do Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (GIRED) e os esforços para chegar a esse resultado. Ele disse que a expectativa é ampliar a cobertura e aumentar a velocidade dos serviços oferecidos pela empresa.

O diretor de Regulamentação da Telefônica, Marcos Bafutto, parabenizou os esforços conjuntos da Anatel e demais participantes e destacou "o trabalho técnico de grande dimensão" realizado.

A representante da Claro, Monique Barros, destacou a satisfação pelos esforços realizados e destacou que a autorização vai promover o crescimento do 4G (LTE), além da melhoria da qualidade. Reisla Macêdo da Algar reiterou o dito pelos demais e parabenizou a equipe.

Comentário (0) Hits: 1003

newsletter buton