Vivo conquista certificação internacional

open_cloud_vivo.jpg27/07/2018 - O serviço de nuvem pública Open Cloud foi o primeiro no país a receber a certificação internacional em segurança

A Vivo Empresas – área voltada ao segmento B2B da Telefônica Brasil – anuncia a conquista do certificado CSA STAR nível 2, que utiliza como base a ISO 27001 de Segurança da Informação em sua oferta de nuvem pública, o Open Cloud.  A certificação reconhece à solução níveis altos de segurança ao armazenar informações confidenciais e executar aplicações de negócio em nuvem pública. Com o anúncio, a Vivo se torna a primeira empresa do setor de Telecom a obter este certificado, se igualando aos demais provedores internacionais de cloud no segmento de Tecnologia da Informação.

O serviço Open Cloud fornece todos os recursos que as empresas precisam no desenvolvimento e operação de modelos de negócios digitais ao liderarem projetos que requerem agilidade, flexibilidade e capacidade de recursos de TI que permite o pagamento por uso e moeda local.

A solução se tornou um modelo para outros países como Chile e México, onde o serviço já está disponível e integrado com a plataforma global. O Open Cloud também está presente na Argentina, Colômbia, Peru, Estados Unidos. Todo este universo de recursos é composto por autosserviço, automação e orquestração existentes nesta plataforma, para que os clientes possam desfrutar de um conjuto de serviços disponíveis para atender as demandas de negócio e fortalecer a TI como um pilar estratégico. Além disso, a plataforma do Open Cloud tem mais de 30 serviços e que eles vão desde IaaS básico a serviços de plataforma, onde os clientes podem construir, também, arquiteturas híbridas de TI para expandir infraestruturas locais.

Comentário (0) Hits: 825

Edgar Serrano é o novo presidente da CONTIC

edgar_serrano.jpgEntidade reúne mais de 75 mil empresas, incluindo as operadoras de telecomunicações, com 2 milhões de trabalhadores

27/07/18 - Edgar Serrano é o novo presidente da CONTIC - Confederação Nacional da Tecnologia da Informação e Comunicação. Formada pela união da Federação Brasileira de Telecomunicações (Febratel), da Federação Nacional das Empresas de Informática (Fenainfo) e da Federação Nacional de Instalação e Manutenção de Infraestrutura de Redes de Telecomunicações e de Informática (Feninfra), a Confederação reúne mais de 75 mil empresas e representa 8% do PIB brasileiro em produção de riqueza para a economia nacional. Sua representatividade é expressa também em número de postos de trabalho, com mais de 2 milhões de trabalhadores, beneficiando centenas de milhões de brasileiros. Apenas um dos setores, o de telecomunicações, recolhe mais de R$ 60 bilhões em tributos por ano e tem mais de 330 milhões de clientes.

"O Brasil é considerado o sétimo maior mercado do mundo, ficando atrás apenas dos países líderes do setor: EUA, China, Japão, Reino Unido, Alemanha e França. O Brasil precisa se dar conta de que a Revolução Digital já é uma realidade e que não há futuro senão por meio de protagonismo em tecnologia da informação e comunicação", declara.

De acordo com o novo presidente, a CONTIC atua apoiada em sólidas bases dos setores de telecomunicações, tecnologia da informação e de instalação e manutenção de infraestrutura, no sentido de consolidar um Brasil competitivo, produtivo e conectado, com geração de emprego e renda. "Nossa missão é promover a interlocução entre o setor produtivo e o governo para que a inovação e adoção tecnológica, sejam prioridade, bem como, o adensamento e a inserção global das cadeias produtivas intensivas em TIC, por meio de políticas públicas adequadas, potencializando um ambiente de mercado aberto e competitivo, com segurança jurídica. Tal postura seguramente redundará em bem-estar social, empregos de qualidade e crescimento econômico", afirma.

Comentário (0) Hits: 1137

Anatel autoriza uso dos 700 MHz para 4G em SP

4G.jpg24/07/2018 - A Anatel autorizou nesta terça-feira, dia 24/07, o uso da faixa dos 700 MHz pelas empresas de telefonia em Saulo Paulo (SP) e nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano do Sul. Essa faixa era utilizada pelas empresas de radiodifusão, para a transmissão do sinal analógico de TV, que está sendo desligado em todo país. Até o fim do ano, o país contará somente com sinal digital, que tem melhor qualidade de som e imagem. A faixa dos 700 MHz vai permitir a transmissão de banda larga móvel, com maior velocidade, chegando a uma transmissão até três vezes maior.

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, explicou que Florianópolis será a última capital a ter a faixa desocupada e lembrou que o sinal analógico será desligado no dia 14 de agosto nas regiões Norte e Centro-Oeste, mas que a faixa já está liberada nessas localidades. "Cerca de 3.803 municípios já estão liberados, o que beneficia mais de 60% da população brasileira", disse.

O superintendente de Outorgas da Agência, Vitor Elisio Menezes, afirmou ser um grande avanço a antecipação de quase um ano na autorização do uso da frequência de 700 MHz (4G) em São Paulo e nos municípios de Santo André, São Bernardo e São Caetano do Sul. A autorização estava prevista para ocorrer em 31 de dezembro de 2019, ou seja, nove meses após o desligamento do sinal analógico de TV em vários municípios.

Vitor Elisio espera um volume considerável de estações licenciadas em breve e citou a importância para o 4,5 G. "Para nós é uma grande vitória juntamente com a Entidade Administradora do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (EAD), disse. O superintendente explicou que foram realizados estudos técnicos que permitiram a convivência (do uso dos 700MHz pela radiodifusão e banda larga). "Cerca de 3.800 cidades já estão aptas para utilizar o 4G em 700 MHz, das capitais falta somente Florianópolis que nas próximas semanas deve ser autorizada", contou.

Na reunião o representante da TIM, Marcelo Mejias, reconheceu o trabalho do Grupo de Implantação do Processo de Redistribuição e Digitalização de Canais de TV e RTV (GIRED) e os esforços para chegar a esse resultado. Ele disse que a expectativa é ampliar a cobertura e aumentar a velocidade dos serviços oferecidos pela empresa.

O diretor de Regulamentação da Telefônica, Marcos Bafutto, parabenizou os esforços conjuntos da Anatel e demais participantes e destacou "o trabalho técnico de grande dimensão" realizado.

A representante da Claro, Monique Barros, destacou a satisfação pelos esforços realizados e destacou que a autorização vai promover o crescimento do 4G (LTE), além da melhoria da qualidade. Reisla Macêdo da Algar reiterou o dito pelos demais e parabenizou a equipe.

Comentário (0) Hits: 781

Brasscom discute cobrança de ICMS no software

software_markus-spiske_unsplash.jpgPor Convergência Digital
23/07/2018 - A Brasscom - Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação - ajuizou, no Supremo Tribunal Federal (STF), uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5958 para questionar o Convênio ICMS 106/2107, firmado no âmbito do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), que disciplina os procedimentos de cobrança de ICMS nas operações envolvendo bens e mercadorias digitais comercializadas por meio de transferência eletrônica de dados. A entidade busca também a declaração de inconstitucionalidade parcial, sem redução de texto, de dispositivo Lei Complementar 87/1996 (Lei Kandir), para afastar qualquer possibilidade de incidência do tributo sobre operações que envolvam programas de computador (software).

O convênio prevê que em operações envolvendo "bens e mercadorias digitais", comercializados por meio de transferência eletrônica de dados, o recolhimento do ICMS caberá integralmente ao estado de destino. Segundo a associação, essa cláusula tratou como saídas internas operações que podem ser realizadas entre diferentes estados, ignorando regra que determina a aplicação da alíquota interestadual em tais operações. Sustenta ter o convênio alterado a sistemática de distribuição de receita prevista no artigo 155, parágrafo 2º, inciso VII, da Constituição Federal. Ainda segundo a entidade, houve desrespeito à exigência constitucional de lei complementar para tratar da matéria.

A Brasscom alega também que o convênio foi editado com base no artigo 2º, inciso I, da LC 87/1996. Mas, segundo sustenta, a aplicação da Lei Kandir seria inadequada para a tributação de software, uma vez que o produto é um "bem incorpóreo", não podendo ser qualificado como mercadoria. Sustenta ainda que, no caso do software, não existe a "circulação" do produto nem a transferência de propriedade. O que ocorre é a cessão de direito de uso, pois o comprador da licença não se torna proprietário do programa, mas apenas tem assegurado o direito de utilizá-lo por determinado tempo.

Em razão da relevância da matéria, o relator da ADI 5958, ministro Dias Toffoli, aplicou à ação o procedimento abreviado (previsto no artigo 12 da Lei 9.868/99), a fim de que a decisão seja tomada em caráter definitivo pelo Plenário do STF, sem prévia análise do pedido de liminar. O relator determinou que se requisite informações da Presidência da República e do Congresso Nacional, bem como do ministro da Fazenda e dos secretários de Fazenda, Finanças ou Tributação dos estados e do Distrito Federal para que, no prazo comum de 10 dias. Em seguida, determinou se dê vista do processo, sucessivamente, no prazo de cinco dias, à advogada-geral da União e à procuradora-geral da República.

Fonte: STF / Crédito: Markus Spiske/Unsplash

 

Comentário (0) Hits: 801

Nextel simplifica planos e inclui 30 dias grátis

nextel-7.jpg19/07/2018 - Três anos depois de simplificar os planos nos formatos P, M e G, a Nextel vai na contramão da concorrência e oferece 30 dias grátis de "test-drive", com internet e ligações ilimitadas.

Com franquias de 3,5 GB, 5,5 GB E 10GB disponíveis, é preciso apenas escolher o plano mais compatível com o seu perfil de uso e experimentar o serviço. Ao final do período, é possível optar por permanecer na operadora ou não.

Depois de escolher a quantidade de internet (todas as opções oferecem chamadas ilimitadas locais e DDD para qualquer operadora), basta retirar o chip em uma das lojas da Nextel ou fazer o pedido pelo número 1050 – com a opção de fazer a portabilidade a qualquer momento. É necessário cadastrar um cartão de crédito ou colocar em débito automático, mas não há nenhuma cobrança nos primeiros trinta dias.

De acordo com a operadora, para cancelar o plano antes dos 30 dias, basta ligar 1050 ou responder "SAIR" no SMS de cancelamento da Nextel. Após o término do período de teste, a mensalidade do plano escolhido passa a ser cobrada. A ação é válida até o dia 15 de junho e não está disponível para clientes corporativos.

Segundo Osni Diniz, diretor-executivo de Marketing da Nextel, a ação estabelece um novo patamar de relacionamento com os consumidores em telefonia. "Queremos que as pessoas possam testar nossos serviços sem compromisso, como fazem a Netflix e o Spotify, por exemplo. Já comunicamos que somos a melhor operadora de celular, e agora é a hora de abrir as nossas portas e dar a opção para que os próprios clientes decidam. Dessa forma, eles continuam se gostarem".

Comentário (0) Hits: 863

Qual o futuro do mercado de pay TV?

forum_paytv_2.jpg18/07/2018 - A TV paga está em transformação e essa evolução tem base no desenvolvimento de novas tecnologias e modelos de negócio: oferta de conteúdos D2C, modelos não-lineares e sob demanda, redes all IP, novas plataformas de distribuição não-linear, redes domésticas inteligentes, interfaces baseadas em IA e novas plataformas de relacionamento e interação com o usuário.

Mas a sustentabilidade da indústria depende da manutenção da cadeia de valor. É possível contemplar todos os elos da cadeia de valor? Que ajustes são necessários? Como o mercado irá conviver com diferentes modelos? Você está preparado para acompanhar esse movimento?

A primeira edição do PAYTV Forum trará uma reflexão aprofundada sobre o mercado de TV por assinatura no Brasil e no mundo, em um congresso de alto nível focado em temas estratégicos. Só no Brasil a TV paga gera receitas de mais de R$ 30 bilhões ao ano e sustenta uma cadeia que engloba mais de 170 canais, cerca de 900 empresas produtoras de conteúdo e, junto com a banda larga e com os serviços móveis, compõe os pacotes de serviço que hoje estão disponíveis a quase 18 milhões de assinantes. Os modelos tradicionais estão em processo de transformação, colocando programadores e operadores diante de novas realidades e oportunidades. Tudo isso em um contexto de retração do mercado nos últimos dois anos, com os primeiros sinais de recuperação voltando a aparecer.

Confira a programação completa da 1a edição do PayTV Fórum aqui:

Serviço:

Dia 30/07/2018
Horário: das 09h00 às 17h30
Local: WTC Events Center – Av. das Nações Unidas, 12551, São Paulo
Inscrição: Com Andrea Sternadt no e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou Tel  | WhatsApp+55 11 3138-4619
Programação: http://paytvforum.com.br/

 

Comentário (0) Hits: 965

newsletter buton