Clientes Vivo Turbo e Controle agora contam com Spotify

vivo_turbo.jpg27/04/2018 - Serviço passa a estar à disposição no pacote "Vivo Internet Vídeo e Música", que oferece internet para uso exclusivo com serviços de streaming de música e vídeo

Os clientes Vivo Turbo e Controle agora contam com o Spotify no pacote "Vivo Internet Vídeo e Música". A inclusão amplia os serviços do pacote que oferece internet adicional para clientes usarem com serviços de streaming de vídeo e música.

O Spotify é o maior serviço global de assinatura de streaming de música com uma comunidade de mais de 157 milhões de usuários ativos, incluindo mais de 71 milhões de assinantes do Spotify Premium, em 65 mercados.

O pacote oferece 1 GB de internet para usar com serviços selecionados (Spotify, Netflix, YouTube e Vivo Música by Napster), além do que o plano contratado já contempla. Para clientes Vivo Turbo, o pacote adicional custa R$4,99 por semana, enquanto assinantes de planos Controle podem contratar por R$11,99 ao mês. Tanto usuários do Spotify Free quanto do Premium serão beneficiados com a novidade. Para utilizar o Spotify Premium, a Netflix e o Vivo Música by Napster, é necessário que o cliente seja assinante dos serviços.

Para contratar, basta o cliente enviar um SMS com a palavra VIDEOEMUSICA para 1515 da sua linha Vivo Turbo ou Controle.

Saiba mais sobre o pacote do Vivo Turbo em www.vivoturbo.com.br/pacotes-turbinados. Para o Controle, acesse www.vivo.tl/videoemusica

 

Comentário (0) Hits: 286

Anatel decide não assinar TAC da Telefônica

tac_telefonica.jpg25/04/2018 - O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu, em reunião realizada nesta quarta-feira (25) em Brasília, não assinar o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Telefônica. O processo de R$ 3 bilhões, que será arquivado, buscava permitir a troca de multas aplicadas pela Agência na prestadora por investimentos.

Segundo o presidente da Anatel, Juarez Quadros, a ação da Telefônica foi a de não efetivar o acordo nas bases já negociadas. A Comissão de Negociação instituída pela Agência informou que a prestadora não apresentou informações requeridas para cumprir determinações do Tribunal de Contas da União (TCU), disse.

Em setembro de 2017, o TCU determinou alterações na primeira proposta do TAC da Telefônica, encaminhada ao Tribunal pela Anatel. Para a efetivação do acordo, a nova versão teria de passar novamente pela análise do TCU. O processo do TAC da Telefônica estava em andamento na agência reguladora desde o ano de 2014.

O TAC da Telefônica foi arquivado por 3 a 2, o atual relator do processo, conselheiro Leonardo de Morais, defendeu que a prestadora pudesse manifestar seu interesse por um TAC menor que o atual. Ele foi acompanhado pelo conselheiro Emmanoel Campelo. No entanto, Juarez Quadros e o conselheiro Otavio Luiz Rodrigues Junior mantiveram posições alinhadas ao voto do conselheiro Aníbal Diniz.

Comentário (0) Hits: 267

Lei de Telecom sai da 'gaveta' e volta a tramitar no Senado

lei_telecom_2.jpgAna Paula Lobo, Convergência Digital
11/04/2018 - Depois de 'segurar' a nova Lei de Telecomunicações por quase um ano, o presidente do Senado, Eunício Oliveira, reencaminhou nesta terça-feira, 10/04, o PLC 79/2016 à Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado. Agora, o projeto - que flexibiliza as regras do setor e permite às concessionárias a migrarem para o regime privado - terá de ter um novo relator na CCT do Senado e seguir um novo trâmite. A Comissão é presidida pelo Senador Otto Alencar, do PSD, partido do Ministro Gilberto Kassab.

O texto integral da decisão do Senado ficou assim: "Encaminhado à publicação Despacho do Presidente do Senado Federal que considerando a decisão preferida pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre Moraes no julgamento do Mandado de Segurança nº 34562, decretando “a análise imediata dos recursos apresentados” ao presente projeto; e também considerando, a extinção da Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, órgão colegiado que se manifestou sobre o mérito da matéria, remete a proposta legislativa à Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática, a fim de sanar eventuais falhas em sua instrução, nos termos do art. 48, VI, parte final, do Regimento Interno do Senado Federal."

A aprovação da Nova Lei de Telecomunicações é considerada essencial para a recém-lançada Estratégia Brasileira de Transformação Digital, o projeto nacional que reúne mais de 100 ações para levar o País à economia digital nos próximos quatro anos. Os recursos para a viabilidade da iniciativa virão, muito, dos investimentos a serem feitos pelas teles, a partir das novas regras para o setor.

Comentário (0) Hits: 389

Caribe terá TV via satélite de baixo custo, a "Play"

eutelsat172b.jpg11/04/2018 - A UNBROSSA (Serviço Único de Radiodifusão S.A.) assinou um contrato multi-transponder com a Eutelsat Americas, subsidiária da Eutelsat Communications para utilizar a capacidade do satélite EUTELSAT 117 West B. A empresa lançará sua nova plataforma de televisão via satélite de baixo custo para o Caribe, chamada “Play”.

A UNBROSSA irá utilizar a cobertura da EUTELSAT 117 West B na região do Caribe para lançar uma nova plataforma de TV por assinatura via satélite. Com uma oferta de mais de 125 canais, incluindo 25 canais HD, o "Play" será líder no fornecimento de serviços de vídeo de próxima geração para o Caribe. A plataforma será lançada até junho de 2018, com uma ampla gama de pacotes.

A conectividade via satélite através da plataforma “Play” foi projetada especialmente para levar diversidade de sinais de TV para comunidades localizadas em partes menos desenvolvidas do Caribe, abrindo novas portas para o conhecimento e contribuindo para o desenvolvimento econômico, além de contribuir significativamente para a redução do deficit digital em algumas das partes mais isoladas do Caribe. A plataforma estará disponível também com soluções de energia solar para alcançar usuários que vivem em regiões não cobertas pela rede elétrica.

“Este projeto é um marco importante, pois levará a televisão para muitos pela primeira vez, criando um impacto significativo em seu acesso à informação e qualidade de vida. O “Play” é verdadeiramente a primeira plataforma real de DTH adaptada e construída para a região”, explica Didier Alerte, CEO da UNBROSSA

“Estamos muito satisfeitos que a UNBROSSA tenha selecionado o EUTELSAT 117 West B para essa inovadora plataforma de DTH no Caribe. A distribuição das ilhas e sua baixa densidade populacional tornam o satélite a solução mais adequada para conectar a população em toda a área, atingindo até mesmo os locais mais remotos”, diz Mike Antonovich, CEO da Eutelsat Americas.

Comentário (0) Hits: 395

Viasat: Satélite será controlado pelo Estado brasileiro

satelite_lancamento.jpgAna Paula Lobo, Convergência Digital
10/04/2018 - Em posicionamento divulgado nesta terça-feira, 10/04, a norte-americana Viasat lamenta a decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que negou o pedido da União para que seja mantido o contrato entre a empresa e a Telebras. O governo sustenta que o acordo é a base de políticas públicas já anunciadas com vistas a conectividade via satélite de áreas remotas e de escolas públicas. Mas a Justiça Federal acha melhor avaliar primeiro a lisura das tratativas para uso do satélite geoestacionário de defesa e comunicações.

O satélite está em órbita desde maio de 2017 / Crédito: Divulgação Arianespace

No texto, a Viasat destaca que o acordo estratégico firmado com a Telebras - mesmo sem ter o teor revelado ao público - "preserva, em qualquer circunstância, a soberania nacional, e que o SGDC é e sempre será controlado exclusivamente pelo Estado Brasileiro". A Viasat e a Telebras afirmam ainda que "estudam as opções legais que permitam a continuidade do atendimento aos altos propósitos do SGDC, primeiro satélite geoestacionário brasileiro, e irão contestar a decisão judicial imediatamente".

A norte-americana sustenta ainda que "tal decisão já está trazendo prejuízos, principalmente no sentido de impedir o fornecimento do serviço de internet de alta velocidade e qualidade aos brasileiros que mais precisam: estudantes e médicos em zonas rurais do país isolados digitalmente, além de índios, quilombolas, assim como aqueles que nunca estiveram conectados à internet de forma significativa, e que seriam atendidos pelo programa governamental Internet para Todos". Leia a íntegra do posicionamento da Viasat:

"A Viasat e a Telebras estudam as opções legais que permitam a continuidade do atendimento aos altos propósitos do SGDC, primeiro satélite geoestacionário brasileiro, e irão contestar a decisão judicial imediatamente. Infelizmente, tal decisão já está trazendo prejuízos, principalmente no sentido de impedir o fornecimento do serviço de internet de alta velocidade e qualidade aos brasileiros que mais precisam: estudantes e médicos em zonas rurais do país isolados digitalmente, além de índios, quilombolas, assim como aqueles que nunca estiveram conectados à internet de forma significativa, e que seriam atendidos pelo programa governamental Internet para Todos. Reafirmam que o acordo estratégico firmado preserva, em qualquer circunstância, a soberania nacional, e que o SGDC é e sempre será controlado exclusivamente pelo Estado Brasileiro. Ficam prejudicados o desenvolvimento do Brasil, bem como as Empresas envolvidas. A Viasat e a Telebras permanecem comprometidas com seu propósito de levar banda larga a todo o Brasil reduzindo, assim, as desigualdades sociais."

*Com informações da Assessoria da Viasat

Comentário (0) Hits: 379

Conselho Diretor da Anatel decide reativar C-INI

anatel_infra.jpg09/04/2018 - O Conselho Diretor da Anatel decidiu reativar o Comitê sobre Infraestrutura Nacional de Informações (C-INI). O objetivo do Comitê é formular proposições e recomendações relacionadas ao setor de telecomunicações que contribuam para o desenvolvimento e o uso da infraestrutura de informações.

De acordo com o regimento interno do Comitê, serão abordados os seguintes temas nas reuniões: educação, saúde, serviços de governo, comércio eletrônico, novas tecnologias e construtores de infraestrutura de informação. O Comitê deverá ainda interagir com entidades e com responsáveis, identificando barreiras que impeçam ou dificultem o processo; acompanhar o surgimento de novas tecnologias, para avaliar o seu impacto na convergência, competição e universalização dos serviços de telecomunicações; gerar contribuições para a participação da Anatel em fóruns nacionais e internacionais; promover e divulgar a infraestrutura de informações, ampliando a discussão; e realizar palestras, seminários, workshops e outros eventos, visando ampliar a participação da sociedade nos debates sobre o desenvolvimento e uso da infraestrutura de informações.

O presidente da Anatel, Juarez Quadros, será o coordenador do novo Comitê e Emmanoel Campelo o substituto. O chefe da assessoria técnica, Marcos Vinícius Paolucci, exercerá as atividades de apoio e suporte. O Comitê contará com um Núcleo de Coordenação e uma Equipe de Suporte.

 

 

Comentário (0) Hits: 393

newsletter buton