Vivo inaugura loja no Barra Shopping, Rio de Janeiro

loja_vivo_rj2.jpg08/11/2017 - Buscando novas formas de se relacionar com os clientes, a Vivo abre nova loja no Barra Shopping, Rio de Janeiro. Inspirada na proposta coworking, a loja foi pensada para oferecer ao consumidor um ambiente conectado, flexível e tecnológico, com atmosfera colaborativa e integrada.

Desenvolvida com o objetivo de proporcionar uma experiência completa para o cliente, o espaço de 285 m² passa a contar com mais de 20 pontos de atendimento, e áreas onde o cliente poderá trabalhar utilizando o wi-fi com tablets e notebooks disponíveis para clientes. Nestes locais, o consumidor também poderá conectar seus próprios aparelhos e fazer uso da internet em alta velocidade.

"Esta é nossa segunda loja icônica e reafirma e amplia o conceito previamente aplicado na loja do Shopping JK Iguatemi, em São Paulo. Estamos buscando a migração dos tradicionais Pontos de venda (PDV) para Pontos de Experiência (PDX) e, para isso, temos pesquisado e estudado muito sobre as práticas mais inovadoras em diversos segmentos e marcas no Brasil e fora do país. Acreditamos que este espaço no Barra Shopping seja uma referência inovadora e transformadora para o mercado. Ao longo dos próximos dois anos ampliaremos este conceito para as principais capitais do Brasil", explica o diretor de lojas da Vivo, Fernando Rheingantz.

A loja dispõe de espaço exclusivo e aconchegante que remete ao ambiente de casa para experimentação do VIVO TV, Banda Larga e acesso a games, além de música ambiente em todos os espaços com uma playlist desenvolvida especialmente para a Vivo, por meio de uma curadoria especializada e com tratamento acústico para que a experiência seja única e encantadora. Os clientes poderão ainda agendar o atendimento. Já o espaço GURU foi ampliado para garantir o melhor atendimento ao cliente. A loja possui um espaço para eventos onde poderão ser feitos pocket shows, workshops, ações promocionais e treinamentos.

"Repensamos o propósito da nossa marca e convidamos o nosso cliente a viver menos as mesmas experiências. E as nossas lojas precisam refletir o nosso propósito ", diz Fábio Avellar, VP Comercial B2C da Vivo. "Ouvimos os nossos clientes e entendemos que eles não queriam mais do mesmo. A marca não podia mais só atender o cliente. Teria que encantar as pessoas e esse é nosso objetivo com o conceito das lojas icônicas, o qual também serve de inspiração para todo o restante da nossa operação em todos os canais".

Além do espaço físico, a Vivo está treinando o seu time de vendedores com técnicas de teatro para que se preparem cada vez mais para encantar o cliente. A Vivo também foi buscar as melhores práticas do segmento de hotelaria e entretenimento para levar ao cliente uma experiência completa no mundo do varejo. Criamos, assim, o "Jeito Vivo de atender".

"Ao longo dos últimos anos temos investido muito tempo em pesquisar e conhecer as melhores práticas do mercado nacional e internacional para oferecermos uma experiência ainda mais única aos nossos clientes. Para tanto, abordamos diversas áreas como operações, atendimento, tecnologia e design. Mas o mais importante, no final do dia, são as pessoas, afinal o varejo é em essência um negócio de pessoas, por pessoas, para pessoas", ressalta Avellar.

Comentário (0) Hits: 226

Anatel aprova reajuste dos planos da telefonia fixa

Telefonia-fixa.jpg06/11/2017 - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai publicar, nesta terça-feira (7/11) no Diário Oficial da União, o reajuste dos planos básicos da telefonia fixa (assinatura mensal, habilitação e minutos das ligações locais e nacionais). A média da redução das tarifas locais e interurbanas das concessionárias Sercomtel Telecomunicações; Algar Telecom; Claro S.A (Embratel); Oi S.A (Telemar S.A.)  será entre -0,02% a -0,24%. As tarifas da Vivo (Telefônica) terão aumento médio de 0,76%.

O reajuste foi decidido sexta-feira passada pelo Conselho Diretor da Anatel. As concessionárias de telefonia fixa são obrigadas a divulgar os novos valores das tarifas em jornais de grande circulação e no portal da empresa dois dias antes da aplicação.

Do total de clientes das concessionárias de telefonia fixa, 3.459.703 utilizam o plano básico de serviço da Oi (25,57%); 818.572 da Telefônica (8,62%); 58.095 da Algar Telecom (8,07%); e 12.763 na Sercomtel (7,41%).  Em relação à Claro, o usuário, se não tem um plano contratado com a operadora, paga os valores do plano básico ao selecionar o Código de Seleção da Prestadora (CSP) para a ligação interurbana.

A tarifa de telefonia fixa é reajustada pelo Índice de Serviços de Telecomunicações (IST).  Além disso, no cálculo do reajuste os ganhos de produtividade das empresas são divididos com o consumidor por um redutor tarifário, denominado Fator X.  De acordo com análise do conselheiro da Anatel, relator do processo de reajuste, Leonardo de Morais, de outubro de 2016 a setembro de 2017 as tarifas da telefonia fixa caíram 3,96% enquanto o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) registrou aumento de 6,12%.

 

Comentário (0) Hits: 238

Reclamações sobre serviços de telecom caem 12%

queda.jpg03/11/2017 - Em setembro de 2017, foram registradas 264,2 mil reclamações de usuários dos serviços de banda larga fixa, telefonia móvel, telefonia fixa e TV por Assinatura contra prestadoras na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), redução de 35,9 mil queixas (-12,0%) quando comparado com o mesmo mês do ano passado. A maior queda foi registrada na telefonia móvel, com queda 23,1 mil reclamações no mês (-15,3%), seguida da telefonia fixa redução de 9,4 mil (-13,7%), da TV por Assinatura menos de 2,1 mil (-5,7%), e da banda larga fixa com redução 1,1 mil reclamações (-2,6%).

Empresas

Na telefonia móvel, a maior queda percentual de reclamações foi registrada pela Vivo (-27,7%), seguida pela Nextel (-16,6%), Claro (-15,7%), Oi (-13,4%), e TIM (-6,1%). Nos números da banda larga fixa, a NET foi a única a registrar crescimento nas reclamações (+20,5%); já a Oi apresentou queda (-12,8%), seguida da Vivo (-6,7%).

Na telefonia fixa, a Vivo teve uma redução (-15,4%); a Oi (-14,7%) e Net (-8,5%). Na TV por assinatura a Sky registrou aumento (+0,4%) no número de reclamações. A maior queda percentual ficou com a Oi (-23,1%), seguida do grupo NET/Claro (-5,5%), e da Vivo (-3,9%). No entanto, isoladamente a NET apresentou aumento de reclamações (+10,1%), compensado pela queda da Claro (-35,9%).

Reclamações por serviço

Em setembro de 2017, a cobrança indevida representou o maior volume de reclamações na TV por Assinatura (50,3%); na telefonia móvel pós-paga (48,5%) e na telefonia fixa (42,2%). A qualidade dos serviços foi o maior problema na banda larga fixa (42,6%). E na telefonia móvel pré-paga foram os créditos (40,5%) o principal motivo de queixas.

O segundo maior volume de reclamações foi sobre qualidade na TV por Assinatura (10,0% dos registros) e na telefonia fixa (18,4%), oferta e promoções na telefonia móvel pré-paga (14,6%) e na móvel pós-paga (9,73%), e cobrança na banda larga fixa (24,91%).

Devido a problemas técnicos, a Anatel divulgou os números de reclamações de usuários de serviços de telecomunicações de agosto  junto com os dados de setembro de 2017.

Comentário (0) Hits: 228

Vivo disponibiliza 2ª via de conta pela Vivi no Facebook

03/11/2017 - Clientes móveis da Vivo de planos pós-pago e controle (pessoa física) já podem receber a segunda via de suas contas por meio da Vivi, o bot da marca no Messenger. Com a nova funcionalidade, a Vivo quer facilitar ainda mais a experiência de atendimento dos clientes e incentivar o uso de canais digitais que facilitam o dia a dia dos usuários.

Há um ano, os clientes podem esclarecer dúvidas sobre planos e promoções, débito automático, consumo e saldo de dados, configuração de aparelhos, recarga, entre outras. A partir de agora, poderão também receber 2ª via de suas contas móveis diretamente pelo Messenger. Basta solicitar à Vivi e o cliente receberá sua conta resumida, com código de barras, em formato PDF, de fácil visualização e impressão. Em breve, a Vivi entregará mais serviços pelo Messenger.

“Os clientes têm um comportamento cada vez mais digital e querem respostas imediatas para suas necessidades, por isso, todos os nossos canais de atendimento digital estão em constante evolução. A Vivo foi pioneira no Brasil em ter um bot no Messenger e em breve traremos mais novidades para a Vivi atender nossos clientes cada vez melhor”, afirma Ricardo Sanfelice, Vice-Presidente de Estratégia Digital e Inovação da Vivo.

Já Renato Domingues, líder de Indústrias de Tecnologia, Telecomunicações, Mídia e Entretenimento do Facebook, conta que o suporte ao projeto tem um viés bastante estratégico "A consulta e gestão do plano via Messenger é um benefício real para os clientes das operadoras", explica. "Percebemos essa como uma importante tendência, que deve crescer em 2018", diz.

Ao lado do app de autosserviço Meu Vivo, a Vivi é um dos mais importantes canais de atendimento digital da empresa. A atendente virtual utiliza compreensão de linguagem natural e inteligência artificial, conseguindo compreender inúmeros formatos para uma mesma pergunta. O objetivo é que ela seja capaz de responder sobre 100% dos produtos e serviços da Vivo, além de sempre oferecer aos clientes as opções mais adequadas de autosserviço, de acordo com o dispositivo do qual a Vivi é acessada.

1,2 milhão de perguntas por mês

No acumulado dos últimos 12 meses, a Vivi fez quase 10 milhões de atendimentos por meio de todos os canais onde está presente (como, por exemplo, portal da Vivo – desktop e mobile; Meu Vivo app e web; e via Messenger). A assistente virtual responde a cerca de 1,2 milhão de perguntas por mês.

Para interagir com a Vivi no Messenger, basta fazer uma busca no Facebook por “Vivo” e a Vivi aparecerá como um dos resultados na categoria Bot.

Comentário (0) Hits: 229

5G está chegando. O que muda em nossas vidas?

5G_b.jpg*Por Gabriela de Godoy
01/11/2017 - O 5G é o termo usado para descrever a próxima geração de redes de dados móveis. Apesar de ser apenas tecnicamente uma evolução natural das redes 4G existentes, essa nova tecnologia marcará um ponto de inflexão no futuro das comunicações, trazendo conectividade instantânea de alta potência para bilhões de dispositivos.

Precisamos entender que o 5G não é uma revolução e sim uma evolução na oferta de conexão da internet. As redes 5G serão integradas com o 4G e com tecnologias de rede alternativas (banda larga fixa) para fornecer conectividade generalizada. Essa tecnologia permitirá conectividade em localidades com múltiplos dispositivos navegando com altas taxas de troca de dados.

À medida que a demanda por conectividade aumenta, o 5G surge como uma oportunidade para criar uma rede de transmissão de dados ágil e adaptada às diferentes necessidades dos cidadãos e da economia. Nos próximos dez anos, as redes wi-fi precisarão lidar com até 10 mil vezes mais tráfego de dados do que costumavam ter em 2010. Tecnicamente, o objetivo do 5G é entregar velocidades de 1 GIGA com uma latência menor que 10 ms (milissegundos). Para se ter uma ideia, hoje a latência média da conexão 4G é 100 ms com velocidade média de 50 Mega.

Um relatório recente da Sony Ericsson, multinacional de telecomunicações, mostra que em 2022 cerca de 15% da população mundial será coberta pela nova tecnologia. A previsão é que na América do Norte, 25% das assinaturas de internet móvel sejam 5G em 2022, e na Ásia-Pacífico, 10%. A Inglaterra introduziu reformas para lidar com a necessidade de uma maior capacidade móvel em suas redes para 4G, já em linha com a implementação das futuras redes 5G.

Na Suécia, em sua sede em Södertälje, a Scania já declarou possuir uma rede 5G dedicada aos testes piloto de ônibus controlados remotamente em um centro de operações de veículos. No Japão, em maio deste ano, o Ministro das Comunicações anunciou que os testes de redes 5G já estão acontecendo tanto na capital quanto nas áreas rurais do Japão. O planejamento é para que estes testes durem mais três anos e que a tecnologia seja lançada ao público em 2020.

Enquanto isso, aqui no Brasil, ainda temos muito chão pela frente com a expansão das redes 4G – presentes em apenas 55% do nosso território. A Anatel, Agência Nacional de Telecomunicações, ainda não tem um plano público a respeito da implementação do 5G como, por exemplo, a Inglaterra. No entanto, em janeiro desse ano, a agência informou que iria começar a revisar a regulamentação para futura implantação da tecnologia no Brasil e que o seu relatório de Análise de Impacto Regulatório (AIR) estaria pronto no primeiro semestre de 2018.

Apesar de não termos uma data para a chegada do 5G ao Brasil, podemos dizer que a era 5G será caracterizada como a era da conectividade ilimitada para todos e da automatização inteligente. Enriquecendo nossas vidas, transformando os processos industriais e mudando o jeito que nos relacionamos com as máquinas.

*Gabriela de Godoy é co-fundadora da MelhorEscolha.com, plataforma de comparação de planos de TV por assinatura, internet, telefone fixo e móvel.

Comentário (0) Hits: 234

Qual a diferença entre 4.5G, 4G Max, 4G+ e o 4G?

45Gb.jpg*Por Jonas Justo
17/10/2017 - Todas essas versões fazem parte da tecnologia 4G, definida como LTE (Long Term Evolution) que pode chegar até 600 Mbps de velocidade de download. A diferença é que as versões 4.5/4G+/Max chegam um pouco mais perto do que foi prometido ao consumidor em termos de velocidade do 4G LTE. Essas 'novas' versões da tecnologia 4G são conhecidas oficialmente como LTE-A (Long Term Evolution Advanced), e oferecem velocidades maiores e mais estáveis do que o LTE normal. Isso acontece por meio da agregação de canais, ou seja, ao invés do consumidor se conectar ao sinal mais forte em sua vizinhança, ele pode baixar dados de diversas fontes ao mesmo tempo.

Enquanto as conexões de dados padrão usam uma antena e um sinal em qualquer momento, o 4G LTE-A combina várias antenas no transmissor (Torres 4G) e no receptor (smartphone). Testes de laboratório mostram que a velocidade do 4G – LTE pode chegar até 150 Mbps de download, mas a velocidade média que chega ao consumidor é de apenas 14 Mbps. Já o 4G– LTE-A registrou 300 Mbps de velocidade em testes de laboratório, enquanto o consumidor receberia em média 40 Mbps.

Alcançar a velocidade de 300 Mbps de download significaria, por exemplo, baixar um filme completo em HD em menos de dois minutos em um dispositivo móvel – considerando que ele seja compatível com a tecnologia. Diante desse avanço, as fabricantes de smartphones estão produzindo aparelhos com a opção de suporte para a tecnologia LTE-A, que pode ser identificada na tela como 4G+.

O impacto que o LTE-A terá sobre o consumidor dependerá do que as operadoras se comprometerem a entregar em contrato com seus clientes. Atualmente a velocidade 4G LTE da Claro e a Vivo, em contrato de telefonia móvel pós-pago, é de até 5 Mbps download e de até 512 Kbps para upload, com a garantia de que o cliente irá receber o mínimo de 40% dessa velocidade de acordo com a tecnologia da área de cobertura, em conformidade com a Resolução 575/2011 da ANATEL de 01/11/2014.

Apesar da boa notícia os preços continuam altos para a média do bolso brasileiro. É preciso comparar antes de adquirir um plano, pois a diferença de preço entre as operadoras pode chegar em até 84%.

Alguns exemplos:

Planos pós com minutos ilimitados (qualquer número do Brasil) + franquia de internet até 3G, os preços começam em R$59,90 (Nextel 2G) e podem chegar até R$109 (Porto Seguro Conecta +2G) - preço em SP capital

Planos pós com minutos ilimitados (qualquer número do Brasil) + franquia de internet 5G, os preços começam em R$99,90 (Nextel 5G) e podem chegar até R$149,90 (Oi 5G). *preço em SP capital. A Vivo é a única operadora que hoje não oferece planos com minutos ilimitados para qualquer número do Brasil nos pacotes pós pesquisados acima.

Já nos planos pré-pagos que representam 66% por celulares no Brasil, o cenário não é diferente:

*Por Jonas Justo, CEO do Melhor Escolha, plataforma de comparação de planos de TV por assinatura, internet, telefone fixo e móvel

Comentário (0) Hits: 435

newsletter buton