Comunicação máquina-a-máquina

M2M.jpg01/07/2013 - Os estudos mais recentes de várias entidades, como, por exemplo, a União Internacional de Telecomunicações (UIT), preveem que o número de dispositivos móveis capazes de se comunicarem daqui a 10 anos poderá superar os 100 bilhões.

E poderá chegar a mais de 1 trilhão em 2030 porque o mundo dispõe hoje de tecnologias que aceleram de forma impressionante a comunicação máquina-a-máquina, que, aliás, já conecta mais de 1 bilhões de dispositivos.

Desse total, 300 milhões são de câmeras digitais de vigilância já se conectam via internet. Lembre-se, também, que milhões de veículos já utilizam sistemas de pedágios automáticos, com dispositivos de identificação por Radiofrequência, conhecidos pela sigla RFID.

O fator mais importante nessa comunicação máquina-a-máquina é a expansão explosiva da internet das coisas, nos próximos anos, período em que bilhões de objetos terão endereço IP e se comunicarão nas residências, fábricas, escritórios, bibliotecas, nos sistemas de segurança, transporte e logística, ou ainda nos depósitos e armazéns.

Por isso, os especialistas estimam que, até 2030, o número de objetos interconectados nessa internet das coisas poderá, sim chegar a 1 trilhão.

As maiores aplicações da internet das coisas

Com ela, poderemos catalogar, localizar ou encontrar qualquer produto, peça, livro, aparelho, matéria prima ou componente em casa, no escritório, na indústria ou no mundo, em tempo recorde. Cada coisa terá um chip RFID com seu endereço IP e sua identificação.

O desenvolvimento da internet das coisas está na apenas começando. Mas seu desenvolvimento é muito rápido. Daí a velocidade de expansão da comunicação máquina-a-máquina.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton