O mundo terá 7 bilhões de celulares em 2014

uit_dados2.jpg07/05/2014 - O mundo terá no final de 2014 a impressionante marca de 7 bilhões de celulares em serviço e 3 bilhões de usuários de internet, segundo dados divulgados pela UIT–União Internacional de Telecomunicações, agência especializada das Nações Unidas que normatiza esse setor.

Os acessos em banda larga móvel chegarão a 2,3 bilhões globalmente. Cinquenta e cinco por cento dessas assinaturas são esperados para estar no mundo em desenvolvimento.

É um balanço oportuno, porque neste sábado, 17 de maio, é comemorado, tradicionalmente, o Dia Mundial das Telecomunicações pela UIT. Aliás, o novo nome dessa data é agora Dia Internacional da Sociedade de Informação, levando em conta as chamadas Tecnologias da Informação e das Comunicações.

Segundo a UIT, esse setor é hoje o mais dinâmico do desenvolvimento tecnológico mundial. O secretário-geral da entidade, Hamadoun I. Touré, ressalta que "os números recém divulgados confirmam, mais uma vez, que as tecnologias de informação e comunicação continuam a ser os principais motores da sociedade da informação ".

Já o Diretor de Desenvolvimento das Telecomunicações da UIT Bureau, Brahima Sanou, afirma que, "se quisermos compreender a sociedade da informação, temos que medir isso. Sem medição não podemos acompanhar o progresso ou identificar as lacunas que exigem nossa atenção. "

A telefonia fixa em retrocesso

Os resultados mostram que a penetração de telefonia fixa diminuiu ao longo dos últimos cinco anos. Até o final de 2014, haverá cerca de 100 milhões de assinantes de telefonia fixa menos do que em 2009.

Usuários de celular

Já as assinaturas de serviço celular deve chegar a quase 7 bilhões até o final de 2014, e 3,6 bilhões delas estarão na região da Ásia-Pacífico. O aumento deve-se principalmente ao crescimento no mundo em desenvolvimento, onde as assinaturas móveis de celular serão responsáveis por 78% o do total do mundo. Os dados mostram que as taxas de crescimento dos acessos via celular atingiram o seu nível mais baixo: 2,6% a nível mundial, o que indica que o mercado está se aproximando de níveis de saturação, afirmou a UIT.

A África e a região Ásia-Pacífico, onde a penetração atingirá 69% e 89%, respectivamente, até o final de 2014, são as regiões com o maior crescimento de acessos de telefonia móvel (e as taxas de penetração mais baixa).

As taxas de penetração na Comunidade de Estados Independentes (CEI, sigla que representa os países ex-integrantes da antiga União Soviética, exceto as repúblicas bálticas: Estônia, Letônia e Lituânia), nos Estados Árabes, nas Américas e na Europa atingiram níveis acima de 100%, e devem crescer menos de dois por cento em 2014. A região com a maior taxa de penetração da telefonia móvel celular é a CEI.

Banda larga fixa desacelera nos emergentes

Até o final de 2014, a penetração da banda larga fixa terá atingido cerca de 10% a nível mundial. Quarenta e quatro por cento de todas as assinaturas de banda larga fixa – se na Ásia e no Pacífico, e 25 por cento estão na Europa. Em contraste, a África é responsável por menos de 0,5%o de subscrições fixas de banda do mundo, e, apesar do crescimento de dois dígitos ao longo dos últimos quatro anos, a penetração em África continua a ser muito baixa.

África, Estados Árabes, e CEI são as únicas regiões com taxas de crescimento de penetração da banda larga fixa de dois dígitos. A região das Américas se destaca com o menor crescimento da penetração da banda larga fixa, estimada em 2,5% e atingindo uma taxa de cerca de 17% de penetração até o final de 2014. A penetração da banda larga fixa da Europa é muito maior em comparação com outras regiões e quase três vezes mais elevada que a média global.

2,3 bilhões de usuários de banda larga móvel

Globalmente, a penetração de banda larga móvel chegará a 32% até o final de 2014. Nos países desenvolvidos, a penetração de banda larga móvel chegará a 84%, um nível quatro vezes maior do que nos países em desenvolvimento (21%). O número de assinaturas de banda larga móvel chegará a 2,3 bilhões no mundo e 55% de todas as assinaturas móveis de banda larga deverão estar no mundo em desenvolvimento.

Os níveis de penetração de banda larga móvel são mais elevados da Europa (64%) e nas Américas (59%), seguido pelo CEI (49%), os Estados Árabes (25%), Ásia-Pacífico (23%) e África (19%).

Web universaliza em países desenvolvidos

Até o final de 2014, 44% das famílias de todo o mundo terão acesso à Internet. Perto de um terço (31%) das famílias nos países em desenvolvimento estarão conectadas à Internet, em comparação com 78% nos países desenvolvidos. A análise mostra que o acesso à Internet em ambiente doméstico está se aproximando de níveis de saturação nos países desenvolvidos. Mais de um em cada dois domicílios na CEI será conectado à Internet. Na África , apenas cerca de um em cada dez domicílios estará conectado à Internet. No entanto, o acesso à Internet em casas na África continua a crescer a taxas de dois dígitos.

Três bilhões de usuários da Internet

Até o final de 2014, o número de usuários da Internet a nível mundial terá atingido quase 3 bilhões. Dois terços dos usuários de internet de todo o mundo serão de países em desenvolvimento. Isso corresponde a uma penetração da Internet pelo usuário de 40% a nível mundial, 78% nos países desenvolvidos e 32% nos países em desenvolvimento. Mais de 90% das pessoas que ainda não estão usando a Internet são de países em desenvolvimento. Na África, quase 20% da população estará online até o final de 2014, contra 10% em 2010.

Nas Américas, perto de duas em cada três pessoas estarão usando a Internet até o final de 2014, a segunda maior taxa de penetração após Europa. A penetração da Internet na Europa vai chegar a 75% (ou três em cada quatro pessoas) até o final de 2014, a mais alta em todo o mundo. Um terço da população da Ásia e do Pacífico estará online até o final de 2014 e cerca de 45% dos utilizadores da Internet de todo o mundo será da região Ásia -Pacífico.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton