Vivo Empresas, Ericsson e FEI criam novo Centro de Soluções 5G com foco no desenvolvimento da indústria 4.0

Iniciativa busca contribuir com a preparação de novos profissionais para atuar na próxima era de digitalização e com a evolução do setor a partir de pesquisas e desenvolvimento de novas aplicações usando a quinta geração da tecnologia móvel

Estudos mostram que o 5G poderá impulsionar novas receitas para esse setor até 2030 impulsionada da ordem de R$ 7 bilhões

O Centro será sediado no campus da FEI, em São Bernardo do Campo/SP, e contará com equipamentos da Ericsson e rede privativa 5G da Vivo


São Paulo, 15 de abril de 2021 - A chegada do 5G será fundamental para digitalização do País, tornando o conceito de Indústria 4.0 uma realidade. Neste sentido, o Centro Universitário FEI, a Vivo Empresas e a Ericsson anunciam a criação de um Centro de Soluções 5G para explorar as potencialidades das redes da quinta geração. A iniciativa nasce como um polo tecnológico e terá a Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) como segmento âncora das linhas de pesquisa e desenvolvimento. O projeto direcionará os esforços para todos os setores industriais, com destaque às áreas de automação, logística e mobilidade urbana - evoluindo conceito de cidades inteligentes - e setores que demandam uma comunicação massiva de dispositivos, como o agronegócio, mineração e nos diversos processos industriais relacionado a manufatura avançada.

A infraestrutura do novo Centro, com sede no campus do Centro Universitário FEI, em São Bernardo do Campo/SP, contará com equipamentos da Ericsson e rede privativa 5G da Vivo, com a utilização da frequência de 3,5 GHz, capaz de explorar a combinação de altíssima velocidade e latência próxima de zero, com maior confiabilidade e disponibilidade, além da capacidade para conectar massivamente um número significativo de aparelhos. Além da conectividade, a Vivo terá um papel fundamental na criação de novas aplicações a partir da experiência em inovação aberta, com dezenas de projetos já desenvolvidos em parceria com startups direcionadas ao desenvolvimento de novos serviços digitais à indústria.

"O projeto será a base para a construção de um ecossistema mais amplo, com soluções que contemplam as novas demandas industriais, potencializadas por IoT, Inteligência Artificial e Robótica, com foco no aumento de eficiência e produtividade", explica Diego Aguiar, head de Inovação, IoT e Big Data da Vivo Empresas.

De forma geral, espera-se que o 5G traga benefícios em três campos principais: Internet móvel de alta qualidade que possibilita novas experiências mais imersivas como Realidade Virtual e Realidade Aumentada; Comunicações de missão crítica que demandam uma conexão ultra estável, confiável e de baixa latência, como o controle remoto de infraestruturas críticas em fábricas, carros autônomos e robôs industriais; e a Internet das Coisas que possibilita a conexão massiva de milhares de sensores possibilitando a criação de novas aplicações e soluções industriais.

O Centro Universitário FEI será a plataforma para desenvolvimento, pesquisas, formação de recursos humanos e demonstrações de aplicações IoT industriais utilizando conectividade 5G, tanto para alunos como para a indústria, tornando-se referência nas soluções em IoT baseadas na tecnologia 5G para diversos segmentos industriais.

A instituição vem desenvolvendo projetos e pesquisas relacionados a Indústria 4.0 e cidades inteligentes, com a utilização de ferramentas de manufatura digital, plataformas de IoT, nuvem e a criação de gêmeos digitais. A parceria reforça e impulsiona as iniciativas da FEI neste contexto, provendo conectividade entre dispositivos em diferentes localizações no campus. Os alunos da instituição também serão beneficiados pela rede 5G, ampliando o desempenho de projetos, com operações integradas e em tempo real. A rede estará disponível no laboratório de manufatura digital e manufatura integrada, laboratório de IoT, além da conexão nos equipamentos disponíveis no Centro de Laboratórios Mecânicos e do time de futebol de robôs.

"Com a formalização dessa parceria, a FEI confirma e reforça seu olhar para as megatendências das próximas décadas, o que inclui a manufatura digital e inteligente, em um contexto de integração e conectividade que representa a base da Quarta Revolução Industrial. Ganham a FEI e os parceiros pelo acesso e desenvolvimento de tecnologias de última geração, a indústria brasileira pelo suporte à inovação, produtividade e competitividade e os alunos que estarão vivenciando a construção desses novos mercados e dinâmicas baseados em negócios e arquiteturas conectadas e inteligentes - e que vão muito além das indústrias, sendo o 5G central aos avanços da mobilidade autônoma, tecnologias imersivas, robótica e cidades inteligentes, por exemplo. Não se trata somente da implantação de uma nova tecnologia na instituição, mas de garantir que nossos profissionais do futuro estejam capacitados para desenvolver soluções originais para desafios inéditos que, como sociedade, ainda viremos a enfrentar", ressalta o Reitor da FEI, Prof. Dr. Gustavo Donato.

Será papel da FEI funcionar como plataforma para desenvolvimento, testes, treinamento e demonstrações de aplicações IoT industriais utilizando conectividade 5G, tanto para alunos como para a Indústria 4.0, tornando-se centro de referência de tecnologia 5G e IoT para diversos segmentos da indústria.

A transformação dos negócios impulsionada pelos avanços nas tecnologias e nas capacidades digitais estão direcionando investimentos maciços em todos os setores, como mostrou o estudo 5G Business Potential, desenvolvido pela Ericsson. Para o setor da Indústria 4.0 especificamente, a fatia de receita em 2030 impulsionada pelo 5G representará R$ 7 bilhões, com aplicações não só no ambiente da manufatura nas fábricas, mas também toda a cadeia de valor, dos insumos à comercialização e uso dos produtos. Essa categoria abrange tanto indústrias de base e pesadas, como mineração e petróleo, mas também indústria de alto valor agregado, de base tecnológica, como são a indústria eletroeletrônica, de componentes e a automobilística.

"Estamos muito felizes com essa parceria que impulsionará o avanço no setor industrial, em linha com nosso compromisso de apoiar a evolução do nosso País ao 5G de forma simples, rápida, segura e custo-efetiva. Vamos trazer ganhos de produtividade e redução de custos para o setor", diz Rogério Loripe, Vice Presidente de Negócios da Ericsson. E acrescenta: "Estamos falando de um segmento que já conta com um alto nível de automatização, motivo pelo qual o avanço da tecnologia de aplicações em nuvem sobre o 5G permite que rapidamente novas arquiteturas inteligentes sejam implementadas, trazendo enormes ganhos de produtividade e flexibilidade com inovações de IoT".

Sobre o Centro Universitário FEI

Com 80 anos de tradição, o Centro Universitário FEI é referência entre as instituições de Ensino Superior no Brasil. Sendo referência em gestão, inovação e tecnologia, a FEI já formou mais de 60 mil profissionais e tem como propósito proporcionar conhecimento aos seus alunos por todos os meios necessários, visando a construção de uma sociedade desenvolvida, humana e justa.

Mantido pela Fundação Educacional Inaciana Pe. Sabóia de Medeiros, o Centro Universitário FEI integra a Rede Jesuíta de Educação e oferece os cursos de Administração, Ciência da Computação e Engenharia - habilitações em Engenharia Civil; Engenharia de Automação e Controle; Engenharia de Materiais; Engenharia de Produção; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica e Engenharia Mecânica com ênfase Automobilística; Engenharia Química e a primeira graduação em Engenharia de Robôs do País.

Acompanhando as megatendências mundiais para o futuro, a FEI participou da formulação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de Engenharia e Administração, propondo conceitos de interdisciplinaridade e empreendedorismo, que fazem com que os alunos tenham uma formação mais ampla e alinhada com as transformações tecnológicas.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton