ISPs ultrapassam 2 milhões de novos acessos em 2019

banda_larga_fixa.jpgPor Henrique Julião, Teletime
01/11/2019 - Em setembro, o mercado brasileiro de banda larga fixa adicionou 174,8 mil novos contratos, levando a base nacional do serviço para 32,675 milhões de acessos ativos, em alta de 0,54% no mês. Mais uma vez, o grande destaque dos dados divulgados pela Anatel foram os provedores regionais de Internet (ou ISPs): ao todo, o segmento registrou 299,2 mil novos clientes. No acumulado de 2019, as adições geradas pela categoria somam 2,017 milhões, ultrapassando o crescimento líquido de 1,987 milhão do total de 2018.

Ao todo, são 8,450 milhões de acessos detidos pelos players regionais, em alta de 31% ao longo de 2019. No mesmo período, o mercado de banda larga cresceu 4,6%, totalizando 1,442 milhão de clientes adicionados. Líder no market share do segmento com 9,544 milhões de contratos, o grupo Claro Brasil (que engloba Claro, Embratel e Net) registrou 182,7 mil novos acessos no ano, sendo 333 incluídos no mês de setembro.

Por outro lado, Telefônica e Oi contabilizam quedas de base tanto no acumulado do ano quanto no nono mês de 2019. Com 7,238 milhões de acessos ativos, a Telefônica perdeu 58,6 mil em setembro e 342,7 mil desde janeiro. Já a Oi teve 62,1 mil e 399 mil desconexões nos mesmos intervalos – ficando com 5,595 milhões de clientes.

No caso da Algar, as 2,6 mil novas conexões de setembro formam 27,8 mil ao longo do ano, para 605,9 mil contratos ativos. Com base menor (554,4 mil), a TIM, por sua vez, adicionou 7,5 mil clientes no mês passado, totalizando 69,9 mil adições em 2019.

Já a base da Sky retraiu tanto em setembro (menos 7,6 mil) quanto no acumulado (menos 101,6 mil), para 254,3 mil. O mesmo ocorreu com a Copel, que soma 288,7 mil após quedas de 4,3 mil no mês e de 20,5 mil no ano.

Tecnologias

Entre as tecnologias, o acesso via fibra ótica somou 455,7 mil novos clientes apenas em setembro, sendo 3,218 milhões ao longo de 2019. Dessa forma, 27,7% da base brasileira de banda larga fixa já é amparada pela tecnologia, ou 8,899 milhões de contratos.

A julgar pelo ritmo de expansão, a base ótica pode ultrapassar a de cabo coaxial (HFC) já neste mês de outubro, após esta perder 13,8 mil acessos em setembro. Por conta de uma mudança na metodologia da Anatel, os resultados para o ano do HFC não estão disponíveis, mas 9,240 milhões de contratos são habilitados pela tecnologia (ou 28,4%).

No caso dos acessos via cobre (xDSL), a retração em 2019 é de 1,808 milhão, sendo 254 mil desconexões em setembro. Ainda assim, a tecnologia segue como a mais relevante estatisticamente, com 10,424 milhões de contratos, ou 31,9% do total brasileiro.

Acompanhando o crescimento da base em fibra, os contratos com velocidades acima de 32 Mbps também tiveram forte expansão em setembro, com 408,6 mil novos acessos no mês. Ao todo, 11,857 milhões de clientes contam com o nível de serviço (36,2% da base).

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton