A Ascenty é líder no mercado de Colocation na América Latina

Segundo comprova estudo publicado pela Frost & Sullivan, a Ascenty é líder do mercado de Colocation na América Latina. Na linguagem técnica, colocation ou housing é uma modalidade de alojamento web, destinada principalmente a grandes organizações e a empresas de serviços web. É uma das infraestruturas fundamentais no mundo da informática e das telecomunicações. Enquanto alguns países usam mais o termo colocation, outros preferem o termo housing.

No Brasil, a Ascenty possui quase metade do market share em capacidade total de energia, segundo estudo recente que posiciona a empresa brasileira de data centers com aproximadamente um terço da participação no mercado latino-americano. (Na foto, o data center de Vinhedo, São Paulo)

Com 22 datacenters próprios no Brasil, Chile e México, sendo 17 em operação e cinco em construção, a Ascenty é líder em capacidade total de energia e área de piso elevado no mercado de Colocation da América Latina.

A conclusão é do estudo recente intitulado "Análise do Mercado Latino-Americano de Serviços de Data Centers — Previsão para 2024", publicado em novembro pela Frost & Sullivan, consultoria de negócios especializada em análise de mercado, e licenciado pela Ascenty. Os países analisados no levantamento são Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e todos os demais países que compõem a América Latina.

No estudo sobre os centros de processamento de dados para hospedagem de servidores empresariais na América Latina, em operação e construção, a Ascenty lidera com 30,1% de participação na capacidade total de energia da região, que foi de 1.050 MW no primeiro semestre de 2020. O consumo energético é um dos principais indicadores de aferição do uso de um data center.

Já no Brasil, que concentra 41,8% da capacidade total de energia da América Latina, com 438 MW, a participação de mercado da Ascenty é de 48,5%. Quanto à área de piso elevado, a Ascenty também lidera com folga. Suas instalações ocupam 38% dos 574 mil metros quadrados disponíveis em toda a América Latina.

Por fim, em relação aos data centers sendo erguidos entre 2020 e 2022, a Ascenty apresenta a maior expansão. Em três anos, a empresa irá concluir a construção de seis unidades que somam 125 MW, três no Brasil, um no Chile e dois no México.

"Temos cerca de um terço do mercado na América Latina com quatro países no foco atual de nossa estratégia de expansão: Brasil, Chile, México e estamos estudando nossa entrada na Colômbia", afirma Chris Torto, CEO da Ascenty. "Nossa visão é a mesma de nossos clientes que desejam avançar para outros países, por isso fazemos investimentos constantes em equipe e tecnologia para expandir no sentido de sempre oferecer unidades próximas de empresas e usuários, a fim de manter a excelência na qualidade de conexão e menor latência do setor".

Para acessar os dados do estudo recente sobre o mercado latino-americano de serviços de data centers, clique aqui.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton