Revista do MIT: Não acreditem no que Zuck disse

zuck_mit.jpgPor Ethevaldo Siqueira (com a MIT Technology Review)
13/04/2018 - A poeira baixou dez horas após as audiências dadas por Zuckerberg, CEO do Facebook, perante o Congresso, tempo suficiente para refletirmos sobre o que ele disse. E parte do que ele disse foi pura farofa.

1. Sobre novas regras de dados: ele disse que as diretrizes de privacidade de entrada da União Europeia, conhecidas como PIBR, seriam estendidas aos usuários em toda a América. Isso é totalmente errôneo.

2. Sobre a possibilidade de os usuários possuírem seus dados: Zuck disse aos legisladores que os usuários podem baixar um arquivo contendo “todos” os dados que o Facebook detém sobre eles. Sua equipe de operações de privacidade discorda.

3. Sobre censura com Inteligência Artificial (IA): Zuck diz que a aprendizagem de máquinas será em grande parte capaz de automatizar a censura. Ele está errado: isso pressupõe enormes avanços em andamento que terão ainda de acontecer.

4. Por outro lado: muitas pessoas sinalizaram concordância com movimento de suas cabeças durante suas respostas. E anunciantes ainda parecem amar o Facebook. E mais: o valor da empresa se elevou em US $3 bilhões durante o curso desta semana.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton