Banda larga de ultra velocidade em SP e Pernambuco

fiber_ftth_vivo2.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira

04/08/2017 - A revolução da fibra óptica está chegando a Hortolândia e Cosmópolis, no interior de São Paulo, e a Garanhuns, em Pernambuco. A partir de agora, além da telefonia móvel, esses municípios passam a contar com serviços de banda larga de até 300Mega e mais acessos em telefonia fixa. Com investimentos de R$ 27 milhões, a Vivo acaba de implantar os serviços de uma rede 100% fibra de última geração nesses três novos municípios e atenderá a aproximadamente 87 mil domicílios.

A rede que leva a fibra até a residência do cliente permite grande volume de transmissão e recebimento de dados. Com isso, a banda larga de ultra velocidade da Vivo proporciona uma excelente experiência ao usuário para navegar em alta velocidade, jogar online, ver vídeos em alta resolução e usar aplicativos que exigem muita banda. Tudo isso com uma conexão estável, mesmo com diversos dispositivos conectados ao mesmo tempo.

Serviços residenciais e corporativos

A Vivo vai oferecer aos clientes residenciais planos de banda larga com velocidades de até 300 Mbps (Megabits por Segundo). A operadora preparou uma série de ofertas especiais de lançamento. Para quem optar pela velocidade de 50 Mega na banda larga e assinatura de Vivo Fixo com ligações ilimitadas para qualquer telefone fixo local, pagará apenas R$ 139,98/mês pelos dois produtos. A Vivo também oferece opções para quem desejar adquirir apenas a banda larga de ultra velocidade.

Além disso, os moradores dos três municípios que possuírem um plano de telefonia móvel Vivo, poderão receber benefícios exclusivos que podem chegar até 10GB todo mês no seu celular, ao contratar banda larga Vivo Fibra. Neste caso, deverá se dirigir a alguma loja ou revenda da marca existentes na cidade para conhecer os planos elegíveis e aderir à promoção.

Para os clientes corporativos, o portfólio - que atende empresas de todos os portes - inclui, entre outros serviços, voz, banda larga de até 300Mega, acesso dedicado à internet, além de soluções de TI como informática, segurança gerenciada e cloud computing (computação em nuvem). 

Para adquirir os produtos da Vivo, o cliente deve acessar o site www.vivo.com.br ou entrar em contato com a Central de Atendimento no 10315.  É possível comprar também nas lojas e revendas Vivo ou contatar um de nossos agentes autorizados na cidade.

Vivo, líder em São Paulo

Com esse lançamento, a Vivo – que já é líder em market share da móvel com 34,9% de participação e quase 22 milhões de acessos no Estado (de acordo com os dados de acesso divulgados pela ANATEL) – passa a oferecer a banda larga de ultra velocidade – com tecnologia FTTH (sigla de Fiber-to-the-Home) em 48 cidades no Estado.

Neste ano, além da fibra, a Vivo também segue expandindo rapidamente sua cobertura de 4G pelo país. Hoje, todos os 645 municípios são atendidos com a rede 3G e outros 472 com rede 4G. Somente em 2016, a operadora investiu aproximadamente R$ 5.2 bilhões (excluindo licenças) em todo o Estado.

Vivo em Pernambuco

Em Pernambuco a Vivo passa a oferecer a rede de fibra em nove cidades do estado. Na rede móvel até o final ano, a Vivo ampliará sua cobertura 3G em 20 novas cidades, passando para um total de 185 municípios, cobrindo 100% do Estado. Em 4G, até o final do ano, serão mais 48 novas cidades, passando a cobertura dos atuais 22 municípios para 70. Somente em 2016, a operadora investiu aproximadamente R$ 92 milhões em todo o Estado.

A revolução da fibra óptica

No começo parecia ficção a tentativa de transmitir dados através de filamentos de vidro ou plástico, usando impulsos de luz ou laser codificados. A partir dos anos 1970, tudo se torna realidade, inclusive no Brasil a partir de pesquisas realizadas na Unicamp e no CPqD, de Campinas. Nenhum outro meio de transmissão de informação tem a capacidade de transmissão de dados e informações.

Uma fibra óptica tem diâmetro pouco superior ao de um fio de cabelo humano, ou seja, de alguns micrômetros (milésimos de milímetro). Uma de suas características básicas é a elevada transparência de seu núcleo. Além disso, como o vidro ou o plástico são materiais que não sofrem interferências eletromagnéticas, a fibra óptica assegura um nível de qualidade de transmissão muito mais elevado do que qualquer outro sistema de comunicação de dados.

Como exemplo do avanço tecnologias digitais e do raio laser, as telecomunicações conseguem ampliar a capacidade de transmissão de informações de cada fibra a um volume equivalente ao de milhares de fios telefônicos.

Comentário (0) Hits: 1021

Telefônica Brasil cresce 24,8% no 2º trimestre

telef_vivo.jpgPublieditorial
28/07/2017 - A Telefônica Brasil divulgou nesta quarta-feira, 26, o balanço financeiro e operacional do segundo trimestre de 2017. A empresa realizou um lucro líquido de R$ 872,9 milhões no período, resultado 24,8% superior ao segundo trimestre de 2016. No período, a empresa registrou crescimento de receitas em razão de sólida performance em dados móveis e ultra banda larga fixa, além de contínua eficiência em custos, que resultou forte crescimento no EBITDA Recorrente e também no fluxo de caixa operacional.

Como um retrato financeiro e operacional da Empresa, esse balanço revela, entre outros, os seguintes aspectos positivos:

• A Empresa apresenta sólida performance em dados móveis e garante liderança na captura de clientes pós-pagos no ano.

• Sua Receita Operacional Líquida de Serviços cresceu 2,3% no trimestre, em comparação com igual período de 2016, com forte crescimento da receita móvel em 4,8%.

• A base de clientes de ultra banda larga cresce 8,5% no trimestre com o lançamento de rede FTTH em cinco novas cidades.

• Cobertura 4G acelera e atinge 1.477 cidades, cobrindo 71,4% da população urbana do país, enquanto o 4G+ chega a 60 municípios.

• Receita de dados e serviços digitais tem alta de 32,4% no período e já representa 71,8% da receita de serviço móvel.

• Custos operacionais recorrentes caem 0,6%, chegando ao sexto trimestre consecutivo de queda, refletindo foco em eficiência e digitalização da companhia

• EBITDA Recorrente totaliza R$ 3,5 bilhões no trimestre, um aumento anual de 6,9%, com margem EBITDA Recorrente de 33,0%.

Os dados consistentes

A receita operacional líquida de serviços cresceu 2,3% em relação a igual período do ano passado, enquanto os custos operacionais recorrentes apresentaram queda anual de 0,6%. "Demos continuidade à redução de custos, evoluindo na digitalização da empresa e na eficiência operacional, além de estarmos investindo na aceleração da implantação do 4G, 4G+ e da fibra, de forma a mantermos o alto nível de performance da companhia", explica o Chief Financial Officer da Telefônica Brasil, David Melcon.

Com isso, o EBITDA Recorrente totalizou R$ 3,5 bilhões no trimestre, apresentando crescimento anual de 6,9%, enquanto a margem EBITDA Recorrente atingiu 33%, 1,6 ponto percentual superior a igual período do ano passado. Segundo Melcon, o fluxo de caixa operacional (calculado pela diferença entre o EBITDA Recorrente e o Capex) atingiu R$ 3,9 bilhões no semestre, 17,6% acima no comparativo anual. Já os dividendos e juros sobre capital próprio somaram R$ 625 milhões no semestre.

A Telefônica Brasil investiu R$ 1,8 bilhão entre abril e junho, priorizando a cobertura 4G – foram 657 novas cidades cobertas no trimestre, totalizando 961 no primeiro semestre de 2017, figurando como a operadora com maior número de lançamentos no período – e a expansão da fibra com a tecnologia FTTH (Fiber-to-the-Home), que foi lançada em cinco novas cidades: Volta Redonda e Barra Mansa, no Rio de Janeiro; e Avaré, Campo Limpo Paulista e Lençóis Paulista, em São Paulo. "A companhia investe no diferencial de qualidade de sua rede para proporcionar a melhor experiência ao cliente e para ampliar a cobertura de 4G e fibra por todo o país", afirma o presidente da companhia, Eduardo Navarro. Em junho, o total de acessos cresceu e atingiu um total de 97,6 milhões.

Receita de dados em ascensão

A receita líquida móvel cresceu 4,8% no comparativo anual, impulsionada pela crescente receita de dados e serviços digitais, que apresentou expansão de 32,4% sobre igual período de 2016. O desempenho decorreu da forte atividade comercial na venda dos planos Vivo Família, que permite o gerenciamento do consumo de dados dos dependentes, Vivo Controle Giga e o Vivo Turbo, além da crescente penetração de smartphones na base de clientes. No trimestre, a representatividade da receita de dados e serviços digitais sobre a receita líquida de serviço móvel aumentou para 71,8%.

A receita de serviços digitais apresentou aumento de 6,0% quando comparada ao mesmo período do ano anterior, devido principalmente à inclusão dos SVAs GoRead, Kantoo e NBA nos planos Controle e Vivo Turbo.

Já a receita líquida do negócio fixo apresentou redução de 1,3% no segundo trimestre, impactada pelo corte da tarifa de ligação fixo-móvel e pela redução da tarifa de interconexão, no serviço de voz, além de queda na receita de TV por assinatura e dados corporativos. Por outro lado, a receita de banda larga cresceu 13,3% no comparativo anual, impulsionada pela evolução da UBL (Ultra banda larga), que já representa 62,4% da receita total no período. O fato evidencia os esforços da empresa visando ao aumento na migração de clientes para velocidades mais altas.

Líder na conquista de clientes pós-pagos

O negócio móvel registrou um total de 74,3 milhões de acessos no segundo trimestre do ano, volume 1,4% superior ao do ano passado, o que garantiu à empresa liderança de mercado, com 30,7% de participação em junho de 2017 (fonte: ANATEL). A companhia também se manteve líder na tecnologia 4G, com market share de 34,6% em junho, refletindo a estratégia centrada em dados e a qualidade da base de clientes.

No pós-pago, a empresa conquistou 858 mil novos clientes no trimestre, um aumento anual de 131,8%. A companhia conquistou 59,0% das adições líquidas de pós-pago no segundo trimestre do ano, resultando em participação de mercado de 42,3% no trimestre. De outro lado, o parque pré-pago teve sua base reduzida em 4,9% em relação a igual período do ano anterior, devido à forte migração para planos controle e à política de desconexão de clientes inativos, dentro das regras da Anatel.

No mercado de M2M (Máquina a Máquina), a base de acessos seguiu expandindo e chegou a 5,6 milhões em junho, um incremento de 21,8% quando comparado ao ano anterior, com participação de mercado de 40,8%.

No negócio fixo, os acessos totalizaram 23,2 milhões, um recuo de 2,1% em relação ao segundo trimestre do ano anterior, devido a uma redução de clientes de voz e TV por assinatura. Já a banda larga fixa continua em evolução, com 7,4 milhões de clientes, um crescimento de 2,6% no comparativo anual. A base de clientes em fibra ótica cresceu 8,5% relativamente a igual período do ano passado e já atinge 4,4 milhões de acessos.

Os clientes de ultra banda larga já representam 58,7% do total de acessos de banda larga, impulsionando o ARPU (receita média por cliente) para um crescimento de 10,9% em relação a igual período de 2016. Com a expansão do FTTH (Fiber-to-the-Home) para novas cidades, a companhia já conta com 1,1 milhão de acessos nessa tecnologia, o que representa crescimento de 45,1% em relação ao ano anterior. A companhia registrou adições líquidas recordes de fibra no segundo trimestre, com mais de 124 mil novos acessos. Apesar da queda nos acessos de TV por assinatura, a empresa registrou crescimento na base de IPTV da ordem de 65,4% sobre o segundo trimestre de 2016, refletindo a estratégia com foco em clientes de maior valor.

Mais de 97 milhões de acessos

A marca comercial da Telefônica Brasil Vivo é Vivo, empresa líder em telecomunicações no País, com mais de 97 milhões de acessos (2T17). A operadora atua na prestação de serviços de telecomunicações fixa e móvel em todo o território nacional e conta com um portfólio de produtos completo e convergente para clientes B2C e B2B – banda larga fixa e móvel, ultrabanda larga (over fiber), voz fixa e móvel e TV por assinatura.

A empresa está presente em 3,9 mil cidades, sendo mais de 3,8 mil com rede 3G e mais de 1,5 mil com 4G, segmento em que é líder de mercado. A operadora ainda oferece o 4G+, internet até duas vezes mais rápida que o 4G. No segmento móvel, a Vivo tem 74,3 milhões de clientes e responde pela maior participação de mercado do segmento (30,7%) no país, de acordo com resultados do balanço trimestral (2T17). Guiada pela constante inovação e a alta qualidade dos seus serviços, a Vivo está no centro de uma transformação Digital, que amplia a autonomia, a personalização e as escolhas em tempo real dos seus clientes, colocando-os no comando de sua vida digital, com segurança e confiabilidade.

A Telefônica Brasil faz parte do Grupo Telefónica, um dos maiores conglomerados de comunicação do mundo, com presença em 21 países, 346,9 milhões de acessos, 126,9 mil colaboradores e receita de 52,0 bilhões de euros em 2016.

Comentário (0) Hits: 789

Como economizar energia com IoT da Vivo

1-shutterstock_iot2.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira
21/07/2017 - A Vivo tem uma excelente notícia para médias e grandes empresas brasileiras que buscam racionalizar e reduzir o consumo de energia. É a solução chamada Vivo Eficiência Energética, desenvolvida por Vivo Empresas – segmento da Telefônica Brasil voltado a negócios B2B.

Com esse produto, baseado na tecnologia de Internet das Coisas (IoT), as médias e grandes empresas brasileiras já podem contar com uma solução que lhes permite maior previsibilidade na fatura e gerenciamento mais eficiente sobre os principais pontos de consumo de energia.

 Esse produto amplia o escopo da operadora num dos campos mais avançados, que é o da Internet das Coisas (IoT), para levar um novo tipo de apoio às médias e grandes empresas.

A solução, inédita no setor de Telecom, oferece às empresas melhoria operacional, assim como automação e controle sobre os principais pontos de consumo de energia, o que garante previsibilidade da fatura e melhor gestão dos gastos. Além disso, a novidade dá maior autonomia no monitoramento e gerenciamento dos equipamentos em tempo real e, remotamente, de qualquer lugar do mundo.

O serviço Vivo Eficiência Energética pela foi desenvolvido juntamente com a Schneider Electric e Viridi Technologies, especialistas nesse segmento, com foco em empresas de vários setores, como bancos, varejo e hotéis. A Vivo fez um piloto do novo serviço no Hotel Meliá – na unidade Jardim Europa, capital paulista –, entre novembro de 2016 e fevereiro de 2017. Em cinco meses, o Hotel apresentou uma economia de 12% nas suas contas de energia. A redução no consumo pode variar dependendo do uso, tamanho e das características do imóvel.

Base da transformação digital

Para a Vivo, a tecnologia de IoT constitui o centro e uma das alavancas de sua transformação digital, especialmente para o segmento corporativo. A estratégia de negócio em IoT da companhia, no Brasil, está focada no incremento da conectividade para oferta de soluções fim-a-fim que incluem dispositivos cada vez mais modernos, novas plataformas e inteligência a serviço das pessoas por meio do uso de Big Data.

O Vivo Eficiência Energética entrará no mercado em duas versões. O pacote inicial, dentre outros benefícios, atuará na medição em tempo real do consumo de energia e na setorização de consumos: climatização e iluminação. O pacote avançado, além dos serviços do pacote inicial, atuará diretamente na automação sobre os principais pontos de consumo por meio da utilização de sensores e equipamentos nos ambientes, que auxiliarão nas tomadas de decisão após identificação de alto consumo de energia ou pelo uso inadequado. A princípio, o serviço estará disponível nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Pernambuco e no Distrito Federal.

As empresas, independentemente do tamanho, buscam cada vez mais mecanismos e soluções para reduzir o consumo de energia que vem aumentando ano após ano. Para se ter uma ideia, o consumo de eletricidade quase triplicou, nos últimos 20 anos, de acordo com dados do Boletim de Monitoramento do Sistema Elétrico Brasileiro, do Ministério de Minas e Energia.

E a nova solução da Vivo está baseada em alguns pilares que têm direcionado os esforços das empresas interessadas no uso eficiente da energia. O primeiro deles é o consumo. Com o aumento das tarifas, tem crescido a procura de soluções para redução do gasto energético. Outro ponto são os incentivos oferecidos pelo governo a quem adota medidas de eficiência energética. Além disso, a questão influi na imagem das corporações, cada vez mais preocupadas na sustentabilidade de seus negócios, uma exigência de investidores e consumidores.

O que é IoT?

A Internet das Coisas ou IoT (abreviatura do inglês, Internet of Things) pode ser considerada uma revolução tecnológica por seu impacto na economia, nas comunicações e na própria vida humana. Nesse novo tipo de internet, são conectados todos os tipos de objetos, coisas ou dispositivos eletrônicos utilizados no dia-a-dia –  sejam aparelhos eletrodomésticos, eletroportáteis, máquinas industriais, meios de transportes. Entre os seus fatores de desenvolvimento essenciais estão as áreas de sensores de comunicação sem fio (wireless), a inteligência artificial e a nanotecnologia.

Com a IoT, o mundo viabilizará avanços como a Casa Digital em sua plenitude, os carros conectados e autônomos (sem motorista) e sistemas de produção altamente automatizados.

Em pouco mais de 20 anos, o avanço tecnológico da internet possibilitou um salto exponencial, pois, no começo, a internet só interligava pessoas e empresas, através da chamada rede mundial de computadores WWW (worldwide web). Hoje interliga, pessoas, empresas e coisas.

Internet das Coisas nada tem de futurologia. O mundo já dispõe de mais de 10 bilhões de objetos conectados pela IoT. Estima-se que em 2020, serão mais de 30 bilhões e, por volta de 2025, mais de 100 bilhões de dispositivos interligados.

O uso de tecnologias avançadas faz parte da estratégia da Vivo, para acompanhar todas as demandas da sociedade brasileira ao ingressar na chamada Quarta Revolução Industrial. Nessa fase do desenvolvimento da humanidade, as grandes transformações econômicas e sociais serão baseadas em tecnologias como Inteligência Artificial, Internet das Coisas, Realidade Virtual, Computação em Nuvem, Big Data e a chamada 5G, projetada para ser a mais poderosa rede de comunicações já criada pela humanidade.


Comentário (0) Hits: 1046

Vivo PlayKids: crianças mais felizes nas férias

vivo_app.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira
14/07/2017 - Férias são sinônimo de viagem. Seja de avião ou de carro, como entreter as crianças aproveitando o tempo livre para aprender e brincar? O aplicativo Vivo PlayKids é uma alternativa para os pais permitirem o acesso dos pequenos ao mundo da tecnologia, mas de forma controlada e segura.

 

O aplicativo Vivo PlayKids é uma versão da plataforma educativa PlayKids que oferece centenas de desenhos e jogos educativos para crianças de até 8 anos aprenderem brincando. Galinha Pintadinha, O Show da Luna, Pocoyo, Turma da Monica, Patati Patata, Backyardigans, Bob Zoom, Palavra Cantada, Mundo Bita são alguns dos conteúdos que podem ser encontrados nos aplicativos PlayKids. Os assinantes do Vivo PlayKids terão acesso a todo esse conteúdo, com desconto de, em média 30%.

 

Renovação mensal de conteúdo

Outro diferencial é que o aplicativo Vivo PlayKids conta com uma área com conteúdo exclusivo, que será renovado todo mês. Em janeiro, por exemplo, a turma do Meu Amigossauro foi a grande estrela. O aplicativo Vivo PlayKids custa R$ 14,90/mês ou R$ 4,99/semana, pagos diretamente na fatura ou com créditos de recarga. Para assinar, basta enviar um SMS para 1515 com a palavra VPK (oferta mensal, com os primeiros 30 dias grátis) ou PK. Os aplicativos estão disponíveis para os sistemas operacionais iOS e Android. Considerada a número 1 do mundo na categoria infantil, a plataforma Playkids, da Movile, está em mais de 100 países e já soma mais de 17 milhões de downloads.

 

Comentário (0) Hits: 799

“Minha experiência como usuário do 4G+"

ethevaldo_smart.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira

08/07/2017 - Como assinante, estou utilizando há poucas semanas o 4G+ da Vivo, mas já posso dar meu depoimento com alegria. É um avanço surpreendente: com ele, posso navegar com maior rapidez na internet, assim como baixar vídeos, músicas e subir fotos para as redes sociais com muito maior velocidade.

Resultado da evolução contínua da tecnologia de redes e de smartphones, o 4G+ permite que sejam agregadas frequências, de modo a proporcionar ao cliente muito maior velocidade (de download ou de upload), mas, em especial, ao baixar todos os tipos de conteúdo, além de assegurar maior qualidade do sinal em ambientes fechados. E para oferecer internet até duas vezes mais rápida, a Vivo agrega até três frequências 4G disponíveis em cada um dos municípios.

Outra boa notícia nessa área é que, com utilização da faixa de 700MHz pela Vivo, o 4G+ passa a oferecer, progressivamente, mais vantagens, como a de uma cobertura mais eficiente, além de permitir a oferta de banda larga móvel a um número muito maior de municípios e áreas remotas, a um custo menor do que com outras frequências.

Com a inauguração de mais 24 cidades, a Vivo amplia o número de cidades brasileiras servidas a partir de julho de 2017 de 57 para o total de 81. Entre as cidades servidas pelo 4G+, estão as cidades de: São José e Itajaí, em Santa Catarina; Natal, no Rio Grande do Norte, e Contagem, em Minas Gerais; Manaus (AM), Aracaju (SE), Belém (PA), Cariacica (ES), Cuiabá (MT), Dourados (MS), Fortaleza (CE), Maceió (AL), Palmas (TO), Porto Velho (RO), Salvador (BA), São Luís (MA), Serra (ES), Várzea Grande (MT), Vila Velha (ES) e Vitória (ES).

As vantagens da faixa de 700MHz

Com a digitalização progressiva dos sinais de transmissão de TV nas maiores regiões metropolitanas de todo o País, a frequência de 700MHz é liberada para uso da Vivo e das demais empresas de telecomunicações móveis. Essa faixa de frequência traz mais vantagens, em especial por proporcionar maior alcance ou abrangência da cobertura dos sinais do celular e melhores características de propagação e penetração de sinal.

Para a operadora, essa nova faixa de frequência assegura dois resultados positivos:

a) de um lado, a ampliação da cobertura, sem necessidade de ampliar do número de torres e antenas em sua infraestrutura;

b) de outro, a possibilidade crescente de levar banda larga móvel a áreas remotas a um custo menor do que com outras frequências.

A Vivo já oferecia a conexão 4G+ na rede de 2.600MHz e 1.800MHz, e, agora, com a gradual liberação da faixa de 700 MHz e o refarming no 2G na faixa de 1.800 MHz, amplia sua oferta de serviços de dados também nessas frequências, o que proporciona mais qualidade na transmissão do sinal em ambientes fechados, garante mais eficiência para o mercado corporativo e para Internet das Coisas, além de maior alcance”.

A ativação da faixa de 700 MHz segue um cronograma estipulado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações e pela Anatel, que depende do desligamento da TV analógica em determinados municípios no País.

Para o triênio 2017-2019, a Vivo anunciou investimentos de R$24 bilhões (excluindo eventuais investimentos em licenças) em sua operação. Esse montante é destinado principalmente para a expansão da cobertura 4G, 4G+ e ampliação da rede de fibra óptica até a casa do cliente (FTTH, na sigla em inglês de Fiber-to-the-Home) – elementos-chave para impulsionar a transformação digital liderada pela empresa.

 

 

Comentário (0) Hits: 1475

Vivo Meditação, a tecnologia com face humana

vivo_meditacao.jpgPublieditorial
Por Ethevaldo Siqueira
29/06/2017 - "Lançar aplicativos (apps) que possam estreitar o relacionamento entre seus clientes e a Vivo é um projeto que já se consolidou nos últimos meses. Em muitos casos, esses apps dão novo sentido à experiência do usuário e, em especial, ao seu bem-estar psicológico. É o caso do Vivo Meditação, um app de meditação guiada por Satyanatha – nome monástico do brasileiro Davi Murbach, que viveu sete anos como monge em Kauai Aadheenam, um dos mais ortodoxos monastérios indianos, com sedes no Ceilão, na Índia e no Havaí."

Essas palavras do Diretor de Serviços Digitais e Inovação, Fernando Luciano, dão o perfeito sentido dos novos serviços lançados pela Vivo. Com ele, a operadora assume papel de protagonista para discutir com a sociedade temas que vão muito além da conexão digital, incentivando clientes, funcionários e parceiros a "viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas"

Para Fernando Luciano, "serviços como o Vivo Meditação abrem nossas possibilidades de melhor qualidade de vida e de relacionamento humano."

O app foi desenvolvido em parceria com a Movile, uma das empresas que lideram o mercado de mobile commerce global. E tem vários tipos de meditação – fáceis de entender e de praticar – que se dividem em três categorias:

• meditações ESSENCIAIS, focadas em energias, mantras, cores e vibração;
• meditações para MOMENTOS especiais, cada uma com um propósito, como dormir melhor, aprender a perdoar ou abrir-se para um novo amor;
• e a JORNADA rumo à paz interior, uma série avançada que ajuda o meditador a se tornar um expert na meditação.

O aplicativo mescla a voz de Satyanatha como guia com trilhas sonoras relaxantes e músicas opcionais. O app dá a oportunidade de o usuário escolher opções como a "Sono Bom" para dormir melhor, ou a "Performance e Excelência", para aprimorar o desempenho no trabalho, entre outras. O conteúdo ainda conta com aulas em vídeo e animações. Todas as meditações adotam a técnica de meditação Natha, estruturada e fácil para iniciantes, que foi iniciada com Nandinatha há 2.200 anos no alto da cadeia dos Himalayas. Elas têm durações variadas de 5 a 50 minutos.

Depois de viver por mais de sete anos no monastério, Satyanatha hoje dedica-se à prática da meditação, ensinando o que aprendeu como monge. De volta ao Brasil em novembro de 2015, atualmente tem alunos particulares e dá aulas abertas para grandes grupos em São Paulo e nos Estados Unidos.

Para o mestre, participar no desenvolvimento do aplicativo é a oportunidade de dar continuidade à sua missão de vida: compartilhar seu conhecimento com a maior quantidade de pessoas possível. "A possibilidade de produzir conteúdo para um serviço com o potencial de atingir milhões de pessoas é o que me motivou a aceitar este desafio. Fui convidado para me tornar um dos líderes do monastério, vivendo no claustro, mas refleti que minha vocação era compartilhar o que aprendi", afirma.

Uma história de desapego

Nascido no interior de São Paulo, Satyanatha, hoje com 38 anos, cursou Engenharia da Computação na Unicamp. Aos 24 anos, deixou uma carreira promissora em consultorias, sua vida pessoal, e todos os seus bens: carro, apartamento, móveis e roupas, para ingressar em Kauai Aadheenam.

Passou mais um ano em treinamento e tornou-se monge aos 26 anos, após uma cerimônia na qual ficou 33 dias sentado de frente para um muro, o Muro da Chuva, meditando se aquela era a escolha que desejava para sua vida. No monastério, formou-se em Teologia Comparada e desempenhou diferentes funções, tornando-se, inclusive, editor da revista Hinduism Today, a maior do mundo em seu assunto.

A assinatura mensal do Vivo Meditação custa R$ 24,99/mês e a semanal, R$ 5,99/semana. Para contratar o serviço, o usuário deve enviar um SMS com a palavra-chave MEDITA para o número 6100.

Sala de meditação

A Vivo quer trazer os benefícios da meditação também para seus funcionários. Por isso, o prédio-sede da empresa, em São Paulo, acaba de ganhar uma sala de meditação. A iniciativa faz parte do novo posicionamento da empresa, que propõe a seus clientes e funcionários "viver menos do mesmo". A Vivo convida seus funcionários a aproveitar mais as boas coisas da vida, dedicando atenção àquilo que mais importa.

Com capacidade para 40 pessoas, a sala de meditação poderá ser usada por qualquer funcionário. Periodicamente, Satyanatha dará aulas, mas a proposta é que a sala tenha livre uso e que os funcionários possam usar o Vivo Meditação, que é gratuito para todos que trabalham na companhia.

Viva menos as mesmas experiências

Com o Vivo Meditação, a Vivo se posiciona, ainda mais, como uma marca protagonista na vida de seus clientes, colaboradores e parceiros. A marca, que conecta cerca de 100 milhões de pessoas e empresas em todo o Brasil, lidera um movimento transformador, que incentiva as pessoas a "viver menos as mesmas experiências e mais as novas descobertas".

A marca Vivo é contemporânea e próxima de seus diferentes públicos. Por isso, deu início, há dois anos, a um movimento para entender o impacto da tecnologia na vida das pessoas, e como ela se tornou o fio condutor que cria conexões, mas não substitui o contato pessoal.

"O primeiro passo deste movimento foi dado em 2015. Na época, a Vivo provocou a reflexão sobre o uso do celular, com a campanha digital 'Usar Bem Pega Bem'. Essa campanha levava os clientes a refletir se estavam usando o celular do jeito certo e também abria a discussão sobre o mundo digital. Com ela, nos colocamos em uma posição de vanguarda e mostramos que inovamos não apenas em nossos produtos e serviços, mas também na maneira como nos relacionamos – e nos temas que discutimos com os nossos públicos", afirma Christian Gebara, COO da Vivo.

"Evoluímos ainda mais e, recentemente, a Vivo passou a explorar o conceito 'Viver menos do mesmo', uma evolução do 'Viva Tudo' e, desta forma, trouxemos uma provocação mais profunda a partir de temas relevantes e atuais, que trazem maior engajamento e consideração para a marca", completa.

Recentemente, a Vivo lançou o primeiro filme da série 'Viva menos do mesmo' – que retratava com muita sensibilidade uma menina que não queria se limitar ao estereótipo do ballet e decide aprender a arte marcial do kung fu a partir dos conteúdos encontrados na internet – convidamos a todos a experimentar novas buscas, novos pontos de vista, ter menos a mesma opinião e os mesmos comportamentos. No Dia dos Namorados, a empresa lançou o #Renamore e incentivou os casais a "Viver mais o amor e menos todo o resto", no dia 12 de junho.

"Vem de Você"

Dentro do mesmo conceito 'Viver menos do mesmo', a Vivo reforça a autenticidade de seus funcionários com a campanha "Vem de Você". Piercing, tatuagem, cabelos coloridos, saia estampada, calça jeans? Vale o que a pessoa sentir bem para usar na ocasião em que estará presente. Este movimento ressalta valores da marca – democrática, aberta e inclusiva, e visa garantir ainda mais liberdade e personalidade na empresa

"A Vivo tem se colocado como uma marca democrática, aberta e inclusiva, então é natural trabalharmos para promover internamente este conceito. Queremos que os nossos colaboradores se sintam à vontade para mostrar seus estilos, suas atitudes. Com menos regras e mais do jeito deles", conta Gebara.

 

 

Comentário (0) Hits: 760

newsletter buton