Aplicativo ajuda deficiente visual a pagar com cartão

cpqd_cartao.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - Entre os principais benefícios do aplicativo móvel Pay Voice, desenvolvido pelo CPqD, estão o aumento da segurança e da autonomia para as pessoas com deficiência visual que utilizam cartões de pagamento - de vários tipos - em lojas, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

O Pay Voice foi desenvolvido em parceria com a ABECS - Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, e lançado recentemente, durante o 12.º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento, realizado em São Paulo.

Disponível para smartphones com sistemas Android e iOS, o Pay Voice é uma ferramenta de acessibilidade da ABECS, que pode ser baixada gratuitamente nas lojas de aplicativos do Google e da Apple.

Sua função principal é permitir que o deficiente visual, ou aquelas pessoas com maior dificuldade de enxergar, confirmem o valor da transação e a forma de pagamento, antes de digitar sua senha na máquina POS (point of sale ou Ponto de Venda).

Após o caixa – ou atendente – inserir o cartão e digitar o valor na máquina, o usuário deve acionar o aplicativo e apontar a câmera do celular para a tela do terminal POS.

Com a utilização da tecnologia de visão computacional (uma área da computação cognitiva), a aplicação “lê” para o usuário as informações que estão na tela – valor e forma de pagamento (crédito, débito, parcelado, refeição, alimentação e voucher) -, por meio da integração com as ferramentas de acessibilidade TalkBack (para Android) e VoiceOver (para iOS) existentes nos smartphones.

Essa é, na verdade, uma solução inovadora, que combina as competências do CPqD nas áreas de visão computacional e processamento de imagens, desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis e de acessibilidade.

O aplicativo é o primeiro resultado de um projeto iniciado em dezembro pelo CPqD e ABECS - entidade que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento – e que deverá se estender até o final deste ano.

Para a ABECS, essa solução de acessibilidade é importante, pois vai contribuir para melhorar a qualidade de vida de consumidores que possuem algum tipo grave de deficiência visual – mais de 6 milhões de pessoas no Brasil.

Comentário (0) Hits: 1706

App facilita o uso de smartphones por idosos

cpqd_facilita.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - O CPqD acaba de colocar na loja de aplicativos do Google os dois primeiros resultados do projeto AVISA – sigla de Assistente Virtual para Inclusão Social e Autonomia, que o centro de pesquisa vem desenvolvendo com o objetivo de facilitar o uso de dispositivos móveis com tela sensível ao toque (touchscreen) por idosos, pessoas com baixo escolaridade ou semiletrados, cegas ou com grande dificuldade permanente de enxergar.

Uma das novidades disponíveis é o CPqD Facilita, aplicação que tem como foco pessoas idosas ou com dificuldade em lidar com tecnologia. A outra novidade é o CPqD Alcance+, nova versão do aplicativo destinado a pessoas com deficiências visuais, que já atingiu mais de 40 mil downloads na loja do Google.

Como explica o pesquisador Claudinei Martins, do CPqD, que está coordenando o projeto AVISA, um dos destaques do CPqD Facilita é a padronização da tela do smartphone, com letras e ícones fáceis de enxergar, que passa a ser dividida em grandes áreas.  

O aplicativo oferece ao usuário a possibilidade de configurar o tamanho das letras exibidas na tela, bem como de utilizar o recurso de síntese de fala para ouvir as funções e avisos (por exemplo, sobre carga da bateria, mensagens recebidas, disponibilidade de rede sem fio, etc.).

Martins explica que o aplicativo CPqD Facilita passa a falar ou descrever a função, na medida em que o usuário desliza o dedo sobre a tela, explica Martins. Se o usuário preferir, esse recurso também pode ser utilizado para ouvir diversos conteúdos – como e-mails, notícias, previsão do tempo, entre outros.

Outra facilidade está na navegação pelas páginas no menu: basta deslizar o dedo da esquerda para a direita da tela (ou vice-versa), como se estivesse folheando um livro.

Já o CPqD Alcance+ é uma atualização tecnológica do aplicativo lançado em 2013, com foco em pessoas cegas ou com grande dificuldade permanente de enxergar.

Destinada a smartphones equipados com sistema operacional Android 5.0 (ou superior), a nova versão tem como principal destaque o recurso de envio e recebimento de e-mails com leitura do conteúdo por meio de síntese de fala.

Além disso, o usuário agora pode escolher o tipo de voz para ouvir suas mensagens e informações: masculina ou feminina. Para quem tem smartphones com versões mais antigas do Android, o CPqD Alcance continua disponível para download na Play Store. Todos os aplicativos do CPqD podem ser baixados gratuitamente na loja do Google.

O projeto AVISA conta com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) da FINEP e está sendo desenvolvido em parceria com o Centro de Prevenção à Cegueira (CPC) de Americana, no interior de São Paulo.

Desde junho, um grupo de voluntários desse centro – integrado por idosos, pessoas com deficiências visuais e com baixa capacidade leitura – participa do teste piloto do projeto, que tem término previsto para o início de 2019.

Chegamos ao final deste segundo bloco do Mundo Digital de hoje. Voltaremos em poucos minutos para falar sobre mais um desenvolvimento do CPqD de Campinas, que é um Aplicativo que facilita os pagamentos com cartões por pessoas com deficiência visual.

Comentário (0) Hits: 1364

CPqD lança app de assistente virtual inteligente

cpqd_texto_fala.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - O CPqD de Campinas, o maior centro de pesquisas da América Latina lançou uma plataforma de assistente virtual inteligente, que tem milhares de novos produtos e soluções desenvolvidos por cientistas brasileiros

Vale relembrar que o CPqD foi fundado há 42 anos, ainda no tempo da antiga Telebrás, com o nome de Centro de Pesquisas e Desenvolvimento em Telecomunicações Padre Landell de Moura. Atualmente, seu nome sintético é apenas CPqD, pois seu espectro de pesquisa e tecnologia vai muito além das telecomunicações.

Um dos melhores exemplos de nova tecnologia criada pelo CPqD é o uso de assistentes virtuais inteligentes. Aliás, o uso dessas soluções é uma tendência que vem crescendo entre as empresas interessadas, com o objetivo de tornar o relacionamento com seus clientes, em diversos canais, muito mais natural, eficiente e humano.

Com o objetivo de atender essa demanda – decorrente principalmente da mudança de comportamento do consumidor e da transformação digital –, o CPqD lançou recentemente uma plataforma inovadora que utiliza recursos de Inteligência Artificial para automatizar o atendimento ao cliente em canais de texto e de voz.

Segundo explica Luciano Lemos, especialista em Marketing de Produto do CPqD, “essa plataforma pioneira possibilita a criação e gestão de assistentes virtuais de forma simples. E seus recursos permitem compreender e atender às necessidades dos clientes com eficácia e agilidade, em qualquer canal de relacionamento”.

Lemos explica que a tecnologia de compreensão de diálogo natural da plataforma permite que as pessoas conversem com naturalidade com os assistentes virtuais, o que humaniza os diálogos durante o atendimento e dispensa a necessidade de fluxos pré-estabelecidos.

Um dos diferenciais da solução é a possibilidade de utilizar dois motores de diálogo natural: uma tecnologia própria do CPqD ou do Watson da IBM. Com isso, se dá flexibilidade à criação dos assistentes virtuais.

Para aumentar a eficácia do atendimento no canal telefônico e garantir uma boa experiência ao usuário, a nova solução – batizada de CPqD Assistente Virtual – utiliza a tecnologia de reconhecimento da fala, do próprio CPqD, já integrada à plataforma, de forma a facilitar a implementação das aplicações.

Por meio dessa tecnologia, a fala do cliente é transformada em texto, em tempo real, para, só então, ter sua intenção interpretada com o uso de Inteligência Artificial.

Ainda na explicação de Luciano Lemos, a combinação de reconhecimento da fala e de Inteligência Artificial dá aos assistentes virtuais uma eficácia elevada, pois permite que eles entendam perguntas e respostas dos usuários dentro de amplo vocabulário, incluindo regionalismos e gírias, linguagem formal ou informal”.

Para responder ao usuário, o assistente virtual utiliza a solução CPqD Texto Fala, que converte o texto em voz de alta qualidade. Em relação aos canais digitais, estão disponíveis nessa primeira versão do CPqD:

• Assistente Virtual, o
• Messenger do Facebook,
• Chat Web,
• Chat Mobile,
• e-mail e SMS.

“Outro diferencial importante da solução é a possibilidade de interação por voz nos canais digitais, utilizando as tecnologias de fala do CPqD, com diferentes opções de vozes - que podem ser trocadas facilmente.
Além disso, em todos os canais, é possível fazer a gestão das conversas e verificar o desempenho dos atendimentos, de modo a identificar assuntos que não foram treinados e passar a tratá-los”.

A nova plataforma do CPqD é resultado de um projeto desenvolvido em parceria com a empresa PGMais, com o suporte de recursos da EMBRAPII (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial).

Comentário (0) Hits: 1201

Irlanda cobra € 14,3 bilhões de tributos da Apple

apple_reuters_2.jpgPor Ethevaldo Siqueira, com Financial Times
18/09/2018 - A Irlanda cobrou os € 14,3 bilhões (mais de US$ 16 bilhões) de impostos e juros devidos pela Apple, após condenação em processo de sonegação, iniciado mais de dois anos depois que Bruxelas decidiu que os negócios da empresa violaram as leis tributárias da União Europeia.

A Apple se recusou a comentar e se referiu a uma declaração do ano passado, segundo a qual continuava a cooperar com o processo, mas estava confiante de que a decisão da comissão seria anulada.

O caso da Apple foi um dos 9 lançados como parte de uma repressão mais ampla da UE, iniciada em 2013, que analisou as decisões fiscais nos Estados membros

Crédito: © Reuters

Comentário (0) Hits: 1399

Amazon Prime Video: grátis por 3 meses na Vivo

amazon_video_vivo_2.jpg13/09/2018 - A partir de hoje, os assinantes da operadora aproveitarão os três meses iniciais do serviço de streaming sem custo adicional, como cortesia da Vivo

A Vivo anuncia uma oferta exclusiva do Amazon Prime Video no Brasil para todos os seus 97,8 milhões de clientes. Com este lançamento, a Vivo torna-se a primeira operadora de telecomunicações da América Latina a oferecer o Prime Video como uma opção de serviço adicional para os planos de seus clientes. Os clientes da Vivo também podem aproveitar benefícios exclusivos: uma oferta promocional de três meses iniciais sem nenhum custo, como cortesia da operadora, além de pagar pelo serviço diretamente na fatura mensal.

"Conteúdo em vídeo é um dos principais desejos de nossos clientes e a Vivo está comprometida em atendê-los com variedade e qualidade. O anúncio de hoje reforça essa estratégia", diz Marcio Fabbris, vice-presidente de B2C da Vivo.

O Prime Video oferece aos clientes acesso a milhares de títulos, incluindo séries Prime Original, como Jack Ryan, de Tom Clancy, e filmes como A Cabana e Extraordinário. Além disso, os clientes têm acesso a outros programas populares e filmes de sucesso, bem como transmissão ao vivo de eventos esportivos por meio do Prime Video, incluindo tênis e vôlei de praia.

Com o Prime Video, o cliente escolhe quando, onde e como deseja assistir ao conteúdo: em computadores compatíveis, tablets, TVs conectadas à internet, videogames e outros dispositivos de streaming selecionados. Até três dispositivos, transmitindo conteúdos diferentes, podem estar conectados simultaneamente na mesma conta.

Para assinar o Prime Video, clientes com um celular Vivo devem enviar um SMS com a palavra AMAZON para o número 1060 e seguir as instruções recebidas. Assinantes de banda larga, TV por assinatura e de telefonia fixa devem acessar o site vivo.com.br/primevideo e seguir o passo a passo.

Após os três meses iniciais, o custo mensal do Prime Video será de R$ 7,90 (para os seis meses seguintes) e de R$ 14,90 (a partir do décimo mês).


Comentário (0) Hits: 1282

Symantec acha 68 apps fraudulentos no Google Play

11/09/2018 - Apps não cumprem o que prometem na descrição, servem apenas para gerar dinheiro para os desenvolvedores

Aplicativos adware vêm em várias formas; alguns ficam quietos ao lado da tela, enquanto outros surgem agressivamente na tela principal, causando um incômodo aos usuários. Embora o último não seja necessariamente malicioso, isso pode, no entanto, causar muitos problemas para o usuário, especialmente quando o aplicativo é tão chato quanto é fraudulento. A Symantec, empresa líder no mercado de segurança da informação, descobriu recentemente pelo menos 68 aplicativos fraudulentos de cinco desenvolvedores diferentes que contêm anúncios agressivos no Google Play.

Os aplicativos foram categorizados de acordo com seus truques, eles prometem uma coisa na página de descrição, mas podem não fornecer ou executar as funcionalidades conforme descrito. Os usuários que fazem o download desses apps fraudulentos acabam perdendo tempo apenas assistindo a anúncios e não recebendo o que queriam.

A Symantec encontrou vários aplicativos no Google Play desenvolvidos pela EpicOmegaApps, que podem parecer legítimos à primeira vista, já que eles vêm completos com o título, a descrição e as capturas de tela de um aplicativo. Vejam alguns exemplos:

1. O aplicativo Sim Unlocker do EpicOmegaApps vem completo com uma página de título e descrição, fazendo com que pareça legítimo.

Os 11 aplicativos deste desenvolvedor foram publicados em dezembro de 2017, cada um com uma contagem de downloads variando de 50 a 50.000. Um deles, chamado Sim Unlocker, promete desbloquear cartões SIM para que os usuários possam usar qualquer outra operadora. Outro exemplo é o Remote Mouse Pro, que afirma poder converter o telefone do usuário em um mouse sem fio.

Todos esses aplicativos manifestam comportamentos idênticos na inicialização: depois que os usuários os instalam, são submetidos a uma série de telas guiadas com exibição de anúncios cada vez que o botão Avançar é pressionado. No entanto, apesar das descrições detalhadas dos aplicativos, não fornecem nenhuma das funcionalidades descritas.

2. Telas semelhantes do Sim Unlocker e do Remote Mouse Pro que levam os usuários a inserir seus nomes de usuário. Os anúncios surgem de forma agressiva a cada clique no botão Avançar.

Uma rápida olhada nas avaliações dos aplicativos revela uma longa lista de reclamações sobre o fracasso em fornecer as funcionalidades prometidas, sem mencionar o comportamento publicitário agressivo.

3. As avaliações de usuários do aplicativo Sim Unlocker na Play Store indicam que ele não oferece a funcionalidade prometida.

Outro desenvolvedor, chamado Pinwheel, publicou pelo menos 40 aplicativos fraudulentos idênticos. Alguns deles receberam nomes de jogos e filmes populares, como Far Cry  e 13 Reasons Why para atrair usuários a instalá-los.

4. Pinwheel usa nomes enganosos de filmes e jogos populares para atrair usuários.

Quando inicializados, esses aplicativos mostram aos usuários apenas uma imagem semelhante à imagem do aplicativo da Play Store, com pop-ups de publicidade muito agressivos. Sem o conhecimento do usuário, a imagem exibida não é uma tela de abertura, mas sim uma imagem estática.

5. O Pinwheel exibe uma tela de abertura fictícia, com muitos anúncios.

A Symantec identificou dois aplicativos idênticos desenvolvidos por Zaybra, em Árabe e em Inglês, que se mascaram como aplicativos de rastreamento de números de celular, mas a única funcionalidade que ambos fornecem é anunciar o número de telefone de mensagens de texto e chamadas recebidas. Esse comportamento não está listado na descrição e no título da Play Store. Esses aplicativos, que também enviam anúncios agressivos aos usuários, foram publicados entre janeiro e maio de 2018, com um total de 11.000 downloads.

6. O aplicativo, cujo título pode ser traduzido como “Revelar o nome e local de quem está ligando de graça”, fornece pelo menos uma funcionalidade, mas a mesma difere da descrição.

O conteúdo do aplicativo corresponde à descrição/ao título, mas nenhuma funcionalidade real é fornecida
Também encontramos aplicativos de recuperação de dados da Simple Designs Ltd, que foram publicados em maio de 2018, com um total de 34.000 downloads. Eles têm uma interface de usuário com aparência legítima, mas não fornecem as funcionalidades prometidas.
Eles enganam os usuários, dando uma falsa impressão de que realmente funcionam conforme descrito. No entanto, eles apenas exibem os dados que ainda existem no dispositivo do usuário. Além desse comportamento fraudulento, esses aplicativos também enviam anúncios aos usuários em intervalos de poucos segundos.

7. O aplicativo de recuperação de dados da Simple Designs Ltd, como aparece no Google Play, e sua interface de usuário aparentemente legítima.

Encontramos outros desenvolvedores, como AppTchi e Zaybra, que induzem os usuários a pensar que seus aplicativos funcionaram conforme descrito, enquanto exibem anúncios de forma agressiva.

Dois aplicativos desses desenvolvedores, que foram enviados por volta de março e abril de 2018 e têm uma contagem total de 11.000 downloads, alegam recuperar dados excluídos. Para dar aos usuários a impressão de que eles funcionavam adequadamente, os aplicativos, que estão em árabe, usavam uma barra de progresso falsa notificação falsas, que eram puramente estéticas.

8. O aplicativo de recuperação de imagens da Zaybra, cujo título pode ser traduzido como "Recuperar com precisão fotos e vídeos excluídos em alta qualidade", usava barras de progresso e notificações falsas.


Informamos todos os aplicativos discutidos neste blog para o Google, em julho de 2018. Alguns dos aplicativos foram removidos, enquanto o restante ainda está disponível na Play Store.

O que fazer para evitar baixar um aplicativo fraudolento:
- Proteja-se contra riscos e malware móveis, tomando os seguintes cuidados:
- Mantenha seu software atualizado
- Não baixe aplicativos de sites desconhecidos
- Instale apenas aplicativos de fontes confiáveis
- Preste muita atenção às permissões solicitadas pelos aplicativos
- Instale um aplicativo de segurança móvel adequado, como o Norton, para proteger seu dispositivo e dados
- Faça backups frequentes de dados importantes

Comentário (0) Hits: 1047

newsletter buton