Vivo Meditação ensina crianças a meditar

vivo_meditacao.jpg22/09/2017 - O Vivo Meditação, aplicativo lançado pela Vivo há pouco mais de dois meses, em parceria com a Movile, e que já registra 100 mil downloads, tinha o objetivo de estreitar o relacionamento entre seus clientes, agora também ensina crianças a meditar. O serviço inova e traz uma área infantil, com mais de 40 meditações infantis criadas especialmente para desenvolver a capacidade de concentração dos pequenos, com exercícios que levam à consciência corporal e respiratória.

Todo o conteúdo foi criado e gravado com exclusividade para o app por Satyanatha - nome monástico do brasileiro Davi Murbach, que viveu sete anos como monge em Kauai Aadheenam, um dos mais ortodoxos monastérios indianos, com sedes no Ceilão, na Índia e no Havaí.

As meditações infantis são divididas em três faixas etárias: até 4 anos; de 5 a 7 anos; e de 8 a 12 anos. Elas mesclam a voz de Satyanatha como guia da meditação e áudios com efeitos sonoros e lúdicos. O app traz ainda uma animação introdutória por faixa etária, elaborada especialmente para crianças daquela idade.

Familiarizar as crianças com o universo da meditação é fazer com que elas se sintam inseridas quando os pais vão meditar – dessa forma, a família medita junto. Para os pequenos de até 4 anos, o aplicativo traz conteúdos que vão ajudá-los a aprender que a meditação faz bem. Eles irão brincar de meditar, além de se familiarizar com a consciência corporal e respiratória. Já as crianças de 5 a 7 anos vão descobrir que meditar não é uma atividade apenas para adultos, e vão meditar para se conhecer melhor. E, por fim, meninas e meninos de 8 a 12 anos podem meditar profundamente, mas em curtos períodos, em meditações como “Inteligência e ir melhor na escolha”, “Gostar de você” e “Paz”.

Assim como as outras mais de mil meditações do Vivo Meditação, o conteúdo para crianças também baseia-se na técnica Natha, estruturada e fácil para iniciantes e que foi iniciada com Nandinatha há 2.200 anos no alto da cadeia dos Himalayas. Mas as meditações infantis são mais simples e curtas – têm de 1min30 a 10 minutos (as meditações de 10 minutos são exclusivas para a faixa etária de 8 a 12 anos), enquanto as meditações para adultos levam de 5 minutos a 50 minutos.

O Vivo Meditação foi desenvolvido em parceria com a Movile, uma das empresas que lideram o mercado de mobile commerce global. A assinatura mensal do app baixou e agora custa R$ 14,90/mês e a semanal, R$ 3,99/semana. Em ambos os casos, é possível experimentar os serviços gratuitamente por sete dias. Para contratar, cliente móvel da Vivo deve enviar um SMS com a palavra-chave MEDITA para o número 6100. Usuários iOS também podem pagar pela assinatura com cartão de crédito, diretamente na loja de aplicativos. Quem já é usuário do Vivo Meditação deve atualizar o aplicativo para ter acesso à área Kids.

Quem é Satyanatha

Depois de viver por mais de sete anos no monastério, Satyanatha hoje dedica-se à prática da meditação, ensinando o que aprendeu como monge. De volta ao Brasil em novembro de 2015, atualmente tem alunos particulares e dá aulas abertas para grandes grupos em São Paulo e nos Estados Unidos.

Para o mestre, participar no desenvolvimento do aplicativo é a oportunidade de dar continuidade à sua missão de vida: compartilhar seu conhecimento com a maior quantidade de pessoas possível. "A possibilidade de produzir conteúdo para um serviço com o potencial de atingir milhões de pessoas é o que me motivou a aceitar este desafio. Fui convidado para me tornar um dos líderes do monastério, vivendo no claustro, mas refleti que minha vocação era compartilhar o que aprendi", afirma.

Uma história de desapego

Nascido no interior de São Paulo, Satyanatha, hoje com 38 anos, cursou Engenharia da Computação na Unicamp. Aos 24 anos, deixou uma carreira promissora em consultorias, sua vida pessoal, e todos os seus bens: carro, apartamento, móveis e roupas, para ingressar em Kauai Aadheenam.

Passou mais um ano em treinamento e tornou-se monge aos 26 anos, após uma cerimônia na qual ficou 33 dias sentado de frente para um muro, o Muro da Chuva, meditando se aquela era a escolha que desejava para sua vida. No monastério, formou-se em Teologia Comparada e desempenhou diferentes funções, tornando-se, inclusive, editor da revista Hinduism Today, a maior do mundo em seu assunto.

Comentário (0) Hits: 560

Smartphone impulsiona ecossistema móvel

app_smartphone.jpg14/09/2017 - Novos dados da GSMA apontam que smartphones contabilizam 60% do mercado; Brasil, México e Argentina lideram a adoção do 4G       

Os smartphones agora representam seis em cada dez conexões móveis na América Latina, ajudando a impulsionar o aumento do uso de redes sociais e outros serviços baseados em dispositivos móveis em toda a região. De acordo com os novos dados do "Mobile Trends Report" da GSMA, anunciados durante o Mobile World Congress Americas nesta semana, foram realizadas 690 milhões de conexões móveis na América Latina neste trimestre, e os smartphones representaram 60 por cento dessas conexões. O novo relatório também destaca a migração acelerada da região para 4G, que agora representa quase um quarto das conexões.  

"Os smartphones representaram menos de uma em cada dez conexões em 2012, mas tiveram um crescimento extremamente forte ao longo dos últimos anos, o que ajudou a migrar os assinantes móveis latinoamericanos para redes 4G mais rápidas", disse Sebastian Cabello, diretor-geral da GSMA Latin America. "Esse crescimento foi facilitado pelo declínio nos preços dos telefones inteligentes e pela crescente disponibilidade de subsídios de aparelhos e ofertas por parte das operadoras móveis. Os smartphones têm sido fundamentais para estabelecer a América Latina como um dos maiores consumidores mundiais de redes sociais, sendo que a maior parte do uso pelas redes móveis.

"O ecossistema móvel da América Latina também dá suporte a um ambiente de comércio eletrônico de rápido crescimento e a um vibrante ecossistema de startups de tecnologia baseado em grandes centros regionais, como São Paulo, Buenos Aires e Cidade do México".

Brasil, México e Argentina lideram as migrações regionais para redes 4G

O 4G representa aproximadamente um quarto das conexões móveis na região, quase o dobro em relação ao ano anterior, devido à forte adoção 4G em grandes mercados, como Brasil, México e Argentina. No Brasil, 35% das conexões estão sendo executadas em redes 4G, uma das maiores taxas de adoção 4G na região da América Latina.

Para as operadoras móveis, o aumento da adoção de 4G e o maior consumo de dados móveis estão contribuindo para uma elevação nos níveis de ARPU após vários anos de declínio. A GSMA Intelligence, braço de pesquisa da GSMA, calcula que a receita do serviço móvel na América Latina crescerá 4% no atual trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior.

Alimentando o Ecossistema de Startups

O fortalecimento da economia móvel da região também está ajudando a alimentar um vibrante ecossistema de startups. O financiamento de startups por meio de capital de risco e private equity na América Latina aumentou nos últimos anos. De acordo com a CB Insights, o financiamento total em todos os setores atingiu um valor recorde de US$ 5,5 bilhões no primeiro semestre de 2017.

De acordo com o último relatório Tecnolatinas, o ecossistema de startups tecnológicas da América Latina é avaliado em US$ 37,7 bilhões. O relatório observa que existem 123 "Tecnolatinas" avaliadas em mais de US$ 25 milhões, incluindo nove unicórnios, cada um avaliado em mais de US $ 1 bilhão. A maioria das startups identificadas no relatório (69 por cento) têm menos de 10 anos de idade. O relatório também destaca sete áreas emergentes que oferecem grandes oportunidades de crescimento para Tecnolatinas: FinTech; tecnologia agro e alimentos; AI e automação; biologia sintética; energias renováveis; realidade virtual e aumentada; e a Internet das coisas.
 
O segundo relatório anual ‘Global Mobile Trends’ da GSMA está disponível para download em https://www.gsma.com/globalmobiletrends/.

Comentário (0) Hits: 627

App WeChat se aproxima de 1bilhão de usuários

wechat_china.jpg30/08/2017 - Matéria de hoje do FT anuncia que o WeChat, aplicativo de mídia social mais popular da China, está se aproximando de 1 bilhão dos usuários, mas os analistas acreditam que esse crescimento provavelmente diminuirá de forma acentuada à medida que a empresa se esforça para cumprir suas metas globais.

Os números divulgados este mês como parte dos ganhos trimestrais da empresa mostraram que WeChat - que se chama Weixin na China - possuia 963 milhões de usuários ativos mensais até o final de junho. Isso representa um crescimento de 19,5% anual e 2,7% trimestral, mas a taxa anual revelou uma desaceleração de 28% no final de 2016.

"Isso mostra que você está achegando ao limite agora. Eu acho que vai atingir 1 bilhão de usuários, mas não muito além disso", disse Matthew Brennan, fundador da China Channel, que vem acompanhando o WeChat desde o seu lançamento em 2011.

Canaan Guo, analista da Pacific Epoch, projeta uma taxa de crescimento anual composta de 4% nos próximos três a cinco anos e prevê que o mercado interno da WeChat, em última instância, compõe praticamente toda a população chinesa de 1,4 bilhão - embora possa demorar 20 anos ou mais Para chegar lá, ele acrescenta.

Saiba mais aqui (se for assinante do FT)

Comentário (0) Hits: 752

Dicas de segurança no Dia Mundial do Gamer

kaster_games.jpg28/08/2017 - Até poucos anos atrás, os videogames eram considerados uma forma de entretenimento exclusivo para adolescentes. Com o tempo isso mudou e, embora a comunidade gamer consista principalmente de nativos digitais, essa prática tornou-se amplamente aceita entre os adultos, sendo a idade média de 35 anos. A indústria de videogames teve um dos mais rápidos crescimentos nos últimos tempos, e, de acordo com a Newzoo, registou mais de 2 bilhões de jogadores no mundo e gerou receitas anuais superiores a 100 bilhões de dólares.

De acordo com o relatório de spam e phishing para o primeiro trimestre de 2017 da Kaspersky Lab, a Steam foi a terceira marca de loja online mais utilizada para realizar ataques de phishing, atrás apenas de Amazon e Apple. Muitos dos ataques têm como propósito roubar as credencias dos jogadores ou seus ganhos dentro dos jogos, porém poderiam ter outros propósitos, como esvaziar contas bancárias e roubar informações. A existência de mitos sobre a proteção, a persistência de alguns maus hábitos entre as comunidades, assim como o desconhecimento de funcionalidades avançadas no modo Gamer em soluções de segurança, fazem com que o risco permaneça latente.

Segundo a companhia Big Fish, o panorama gamer é muito variado nos tipos de jogos, idade dos jogadores e dispositivos. Os computadores pessoais (56%) e os consoles (53%) seguem sendo os dispositivos mais consumidos; no entanto, os smartphones (36%) e tablets (31%) ganharam terreno rapidamente.

Como acontece com qualquer recurso da web, onde grandes quantias de dinheiro são trocadas, os jogadores tornaram-se um alvo comum entre os cibercriminosos. A probabilidade de que seus dispositivos sejam infectados por um malware é muito maior do que para com outros usuários da Internet. Ao contrário das táticas comuns que os criminosos usam contra outros usuários, os jogadores são muitas vezes enganados por supostas atualizações ou funcionalidades que irão ajudá-los a avançar de nível ou personalizar seus personagens.

"Os cibercriminosos estão sempre à procura de novas vítimas e em uma indústria de vários milhões de dólares, onde os jogos se tornaram uma entidade com sua vida própria através de atualizações, modificações e comunidades online, rotas de ataque que podem ser usadas para colocar em risco nossas informações pessoais estão ficando cada vez maiores", diz Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Em comemoração do Dia Mundial do Gamer, e para evitar de cair nas armadilhas dos cibercriminosos, a Kaspersky Lab desenvolveu uma lista de dicas para aqueles especialistas que ainda acreditam em mitos e para os iniciantes que precisam saber um pouco mais sobre esse mundo e jogar sem preocupações:

Não desative nunca o antivírus: Muitos acreditam que manter sua solução anti-malware em execução diminuirá o desempenho do seu PC; no entanto, é essencial usar uma solução de segurança como o Kaspersky Total Security multidispositivos, que possui a opção Modo Gamer, projetado para oferecer o melhor desempenho e uma ótima experiência, permitindo os usuários desfrutarem de seus jogos sem riscos.

Diga NÃO ao desconhecido: Muitos cibercriminosos podem tirar proveito das altas expectativas ou hype de alguns jogos os oferecer "de graça" na Internet, com o único custo de fazer download, sem saber, de um malware infiltrado nos programas de instalação. Lembre-se: nem todos são 100% bons na internet, especialmente se o seu nome é VouRoubarSuaConta123.

Você é o primeiro guardião: Embora tenha sido tratado mil vezes, os roubos continuam por esta razão: muitos ataques as contas são muitas vezes por causa de uma má administração de senhas. É uma questão de pouca imaginação para criar senhas seguras combinando diferentes palavras e números. Fazer isso em média a cada três meses vai eliminar os cibercriminosos. Se a plataforma onde você joga oferece a opção de dupla autenticação, ative-a.

Cuidado com os criminosos disfarçados: Às vezes, as empresas de videogames podem se comunicar com seus usuários para consultar algumas coisas sobre a performance do jogo ou informar os novos patches. O problema aparece quando esses e-mails ou mensagens te pedem informações como sua senha ou algo pessoal. Sempre duvide desses "funcionários".

Além do PC: Os smartphones entraram na vida dos gamers. Novos títulos aparecem e seus jogadores agora têm algo a mais para cuidar em seus smartphones: suas contas de jogos e seus aplicativos afiliados. Por isso, é necessário proteger seus celulares e usar aplicativos seguros, que podem monitorar atividades e downloads suspeitos.

Produtos como Kaspersky Total Security Multidispositivos protegem, não só computadores dos escritórios, mas também tablets e dispositivos móveis, tudo sob uma única licença, notificando o usuário apenas quando sua segurança pode ser comprometida, garantindo uma experiência segura e sem riscos.

"Seja qual for a escolha, o importante é sempre estar ciente dos riscos aos quais você está exposto quando você joga online e, assim, evite-os, pois podem, sem dúvida, podem afetar a experiência do jogo, as informações, finanças pessoais e, porque não, o estado de espírito. Desde simples e eficazes campanhas de phishing, que buscam roubar as credenciais dos jogadores em diferentes serviços, até malwares direcionados através de lojas digitais, como o Steam, é fundamental estar atento às novas ameaças para não fazer parte das atuais estatísticas do cibercrime", completa Assolini.

Comentário (0) Hits: 760

Apps de namoro podem ser alvos de cibercriminosos

app_paquera_1.jpg15/08/2017 - Especialistas da Trend Micro infiltram-se em apps de namoro e comprovam: usuário podem sofrer desde ataques maliciosos phishing a roubo de dados

O tipo (e quantidade) de informações divulgadas - sobre os usuários, local de trabalho e onde passeiam ou vivem - não são informações úteis apenas para aqueles à procura de um namorado(a), mas também para hackers que utilizam estas informações para conseguir se infiltrar em uma organização. Para descobrir os riscos, a Trend Micro decidiu testar várias redes sociais de namoro, que inicialmente incluíam o Tinder, Plenty of Fish, Jdate, OKCupid, Grindr, Coffee meets Bagel, e LoveStruck.

A primeira etapa da pesquisa consistia em responder algumas perguntas:

· Já com um alvo em mente (por exemplo, um chefe de departamento de TI, um oficial do governo), seria possível encontrar a conta dessa pessoa em algum aplicativo de namoro (assumindo que a pessoa tenha uma conta)?

· E para uma determinada conta em um aplicativo de namoro, seria possível rastrear esta conta até seus outros perfis em redes sociais - como o Facebook, LinkedIn ou páginas corporativas?

A resposta para estas perguntas é: sim.

GPS e links maliciosos

Em quase todos os aplicativos de namoro explorados pela Trend Micro, é possível que você filtre as pessoas usando uma ampla variedade de critérios - idade, localização, nível escolar, profissão, salário, sem contar os atributos físicos como altura e cor dos cabelos. O Grindr foi uma exceção, pois solicita muito menos informações pessoais.

A localização é bastante poderosa, especialmente quando se utilizam os Emuladores do Android que permitem programar o GPS em qualquer lugar do planeta. A localização pode ser colocada bem no endereço da empresa alvo, configurando o raio o mais próximo possível dos perfis correspondentes aos critérios de busca.

Da mesma maneira, a Trend Micro foi capaz de encontrar uma identidade correspondente a um certo perfil fora do aplicativo por meio da ferramenta de profiling Open Source Intelligence (OSINT).

Basta que algumas dessas pessoas compartilhem informações mais sensíveis que o necessário para que isso se transforme em uma mina de ouro para os hackers. Na verdade, já existe uma pesquisa que triangulou as localizações exata das pessoas em tempo real com base nos aplicativos de namoro instalados em seus celulares.

Com a capacidade de localizar um alvo e ligá-lo a uma identidade real, tudo o que o hacker precisa fazer é explorá-lo. A Trend Micro avaliou isso por meio do envio de mensagens entre as contas de teste com links para sites declaradamente arriscados. Estes links foram entregues sem problemas e não foram marcados como maliciosos.

A conclusão?

Utilizando a engenharia social, é muito fácil enganar o usuário e levá-lo a clicar em um link. Este link pode ser tão comum quanto uma página clássica de phishing para o próprio aplicativo de namoro ou a rede para a qual o hacker está mandando o usuário.

E quando combinado com a reutilização de senha, o hacker pode novamente conseguir se infiltrar na vida de uma pessoa. Uma vez que o alvo está comprometido, o hacker pode tentar sequestrar mais máquinas com o objetivo de acessar a vida profissional da vítima e a rede de sua empresa.

 

Comentário (0) Hits: 837

iMoving, o Uber das mudanças, chega ao Brasil

imoving2.jpg27/07/2017 - Com uso de inteligência artificial, big data e machine learning, a plataforma oferece gratuitamente a comparação de preços de mudanças, melhores rotas, rastreamento e facilidade na contratação de seguro.

A plataforma foi lançada em 2011 nos Estados Unidos, onde chegou a intermediar a realização de 70 milhões de mudanças em 11 meses. Seu fundador, o brasileiro Roger Madeira, está investindo R$ 3 milhões no desenvolvimento da versão nacional para atender um mercado com 1,74 milhão de mudanças ao ano, de acordo com dados da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT).

As empresas de mudanças interessadas em receber clientes e participar do processo de seleção de orçamentos da plataforma podem se cadastrar no site, sem qualquer custo. E o cliente que desejar usar a plataforma web, pode acessar pelo site http://www.imoving.com.br. Para conseguir orçamentos de várias transportadoras e realizar uma pesquisa de mercado mais ampla do que pelo método tradicional, basta clicar em “receber orçamentos”. No ambiente, o usuário é orientado a responder perguntas que revelam a característica da mudança desejada e aguardar os orçamentos chegarem por e-mail.

Comentário (0) Hits: 884

newsletter buton