Cuide de seus apps para evitar uma desordem digital

apps_kasper.jpg17/03/2017 - Com a explosão do uso de aplicativos e os avanços da capacidade de armazenamento dos dispositivos, a desordem digital aumenta rapidamente. Porém, a falta de manutenção dos aplicativos deixa os dispositivos vulneráveis a ameaças de segurança. Um novo relatório da Kaspersky Lab mostra a dimensão do problema da desorganização digital entre os usuários da Internet no mundo todo.

O estudo mostrou que, normalmente, os usuários instalam 12 aplicativos Android a cada mês, mas excluem apenas 10. Na prática, são adicionados dois aplicativos por mês. Com mais aplicativos instalados nos dispositivos, é importante gerenciá-los para evitar a desordem digital. Entretanto, descobrimos que apenas metade (55%) dos usuários atualiza e examina regularmente o conteúdo de seus dispositivos, excluindo documentos e aplicativos que não são usados.

Essas conclusões fazem parte de um novo relatório compilado pela Kaspersky Lab: "A desordem digital e seus perigos". O estudo baseia-se em informações obtidas pela combinação única de uma pesquisa online feita em 17 países, análises estatísticas dos dados da Kaspersky Security Network (KSN) e uma experiência de desempenho de aplicativos realizado pelos testadores internos da Kaspersky Lab.

Com o grande aumento da desordem digital, a limpeza e atualização dos aplicativos é mais importante do que nunca para combater os malwares que utilizam vulnerabilidades de aplicativos para invadir os dispositivos. Porém, a pesquisa mostrou que, em um quarto dos casos (28%), os usuários só atualizam os aplicativos dos dispositivos quando são forçados e que, em 10% dos casos, eles tentam nunca fazer isso.

Um dos maiores perigos é que os próprios aplicativos podem colocar em risco os dados e dispositivos do usuário por conta de suas atividades diárias. As conclusões técnicas da Kaspersky Lab mostram que, dentre 100 aplicativos Android que os usuários podem gerenciar (ou seja, instalar e excluir), 83 têm acesso a informações sigilosas do usuário, como contatos, mensagens e dados, e podem até fazer chamadas e enviar mensagens SMS.

Os resultados adicionais da KSN mostram como os aplicativos podem operar sem a permissão do usuário. Em média, os usuários têm 66 aplicativos em seus dispositivos Android. Ao testar uma amostra representativa de 66 dos aplicativos Android mais populares, 54 foram iniciados em segundo plano sem os usuários tocarem neles, consumindo, em média, 22 MB de tráfego por dia sem qualquer interação do usuário.

As configurações dos aplicativos oferecem um certo nível de controle sobre o conteúdo do dispositivo que o aplicativo pode acessar e afetar. Contudo, a pesquisa mostrou que apenas 40% das pessoas ajusta deliberadamente as configurações de cada aplicativo em seus smartphones. Além disso, apenas 32% conseguem recusar a instalação de um aplicativo móvel quando não estão satisfeitos com o contrato de licença.

"Os usuários expõem seus dispositivos e dados pessoais a ameaças de segurança quando deixam de tomar cuidados simples, mas essenciais, como limpar e atualizar o software e os aplicativos, ajustar as configurações e desinstalar os aplicativos que não são mais usados. Com o grande aumento da desordem digital em nossos dispositivos, cada vez mais negligenciamos a manutenção desses aplicativos. Mas fazemos isso por nossa conta e risco, pois podem ocorrer várias falhas, como defeitos do dispositivo, problemas de duração da bateria ou infecção por malware", declarou Andrei Mochola, Diretor de Negócios ao Consumidor da Kaspersky Lab.

Para combater a desorganização e proteger seus dados pessoais, Kaspersky Lab recomenda:

- Entender o que está armazenado e onde – invista um tempo para examinar seus dispositivos e descobrir quais informações estão armazenadas em quais aplicativos e arquivos em cada dispositivo;

- Fazer uma 'faxina completa' nos dispositivos – invista um tempo para colocar sua casa digital em ordem, removendo e atualizando regularmente as informações armazenadas em seus dispositivos;

- Atualizar os aplicativos e o software – devem ser realizadas atualização regulares assim que forem lançadas novas versões;

- Usar softwares específicos – por exemplo, limpadores de software, como o que é integrado às principais soluções de segurança da Kaspersky Lab; verificar todos os aplicativos instalado no dispositivo e marcar os que representam um risco potencial ou que são usados raramente.

Comentário (0) Hits: 390

App BMW i Visualiser está na Google Play

bmw_1.jpg15/03/2017 - App de realidade virtual permite que produtos 3-D em tamanho real sejam explorados por meio do smartphone.

A BMW i é a primeira marca automotiva a oferecer uma experiência de realidade 3-D aumentada de seus produtos, por meio do aplicativo BMW i Augmented Reality Visualiser. Utilizando a Tango, a tecnologia de realidade aumentada da Google, os clientes podem explorar e pré-configurar os modelos BMW i3 ou i8, com tamanho real, em uma visualização interativa, em qualquer lugar e hora. Por utilizar uma tecnologia extremamente moderna, o aplicativo (desenvolvido pela Accenture e sua agência de customer experience, a Accenture Interactive) está disponível, a princípio, para os smartphones já compatíveis com a Tango, o Lenovo Phab 2 Pro e o Asus ZenFone AR, o que mostra a visão de vanguarda do BMW Group.

Após um programa piloto bem-sucedido, utilizado em concessionários selecionados no mundo todo, agora os clientes podem visualizar o BMW i3 e BMW i8, utilizando a realidade aumentada para criar uma imagem 3-D que pode ser explorada de forma interativa: é possível abrir o porta-malas ou a porta e até mesmo “entrar” no carro para ver de perto o interior. Também é possível ver diferentes cores, tanto externas quanto internas, e uma variedade de rodas.

“Nós sabemos que nossos clientes são pessoas ocupadas e nós precisamos nos encaixar em suas vidas. Com o BMW i Visualiser disponível no Google Play, nós estamos satisfeitos pois nossos clientes podem agora explorar os nossos produtos de forma totalmente interativa e divertida, quando e onde for conveniente para eles. Nossos veículos são produtos emocionais e para entender este sentimento, é necessário realmente experimentá-los. Durante nosso programa piloto, as pessoas se divertiram bastante explorando o carro, até mesmo abaixando suas cabeças, como se realmente houvesse um teto ali. É esse nível de detalhe mostra que a tecnologia está oferecendo aos clientes um alto valor agregado”, comentou Andrea Castronovo, vice-presidente de Estratégia de Vendas e Future Retail do BMW Group.
 

Comentário (0) Hits: 347

Mercado brasileiro de tablets caiu 32% em 2016

tablets.jpg09/03/2017 - Segundo IDC Brasil, foram comercializados cerca de 4 milhões de aparelhos no ano. Para 2017, consultoria prevê nova queda, porém de apenas 7%

Pelo segundo ano consecutivo, o mercado brasileiro de tablets teve queda. Em 2016, foram vendidos aproximadamente 4 milhões de unidades, ou seja 32% a menos do que em 2015, quando foram comercializados cerca de 5,8 milhões de dispositivos. Os dados fazem parte do estudo IDC Brazil Tablets Tracker Q4, realizado pela IDC Brasil, líder em inteligência de mercado, serviços de consultoria e conferências com as indústrias de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Do total de tablets vendidos no ano passado, apenas 26,5 mil foram notebooks com telas destacáveis.

"Em 2016, passado o 'boom' de vendas de tablets, 80% do mercado ficou dominado por três empresas que resistiram ao período de crise e à canibalização destes dispositivos. Isso deixou o setor mais saudável e com produtos que oferecem melhor experiência de uso ao consumidor", diz Wellington La Falce, analista de mercado da IDC Brasil.
Ainda de acordo com o estudo da IDC, os produtos colocados à venda em 2016 ficaram numa faixa de preço apenas 3% maior do que no ano anterior. "Em 2015, os tablets custavam, em média, R$ 500. No ano passado, os preços ficaram na faixa de R$ 513", completa La Falce.

4º trimestre

Entre outubro e dezembro de 2016, foram comercializados 1,2 milhões de unidades, ou seja, 17% a mais do que no terceiro trimestre de 2016 e 11% a menos do que no mesmo período de 2015. "Como o tablet segue na lista de desejos do público infantil, o último trimestre de 2016 manteve o movimento aquecido dos anos anteriores por conta do Dia das Crianças, da Black Friday e do Natal", finaliza o analista da IDC.

Expectativa para 2017
A IDC Brasil estima que o mercado de tablets chegue à marca de 3,7 milhões de dispositivos vendidos em 2017, ou seja, apenas 7% a menos do que em 2016.

Comentário (0) Hits: 294

App CPqD Alcance terá novos recursos e amplia público

cpqd_alcance.jpg31/01/2017 - Criado com o objetivo de facilitar o uso de dispositivos móveis com tela sensível ao toque (touchscreen) por pessoas cegas ou com deficiências visuais, o aplicativo CPqD Alcance ganhará uma atualização tecnológica que permitirá ampliar seu público-alvo e, ainda, os serviços disponíveis. O novo projeto do CPqD, que está começando neste mês de janeiro, recebeu o nome de AVISA - Assistente Virtual para Inclusão Social e Autonomia e visa contemplar também idosos e pessoas com baixo letramento, por intermédio do uso de uma interface baseada em linguagem natural (comando de voz e assistente virtual).

"A ideia é dar continuidade ao projeto que originou o CPqD Alcance, aplicativo que está com mais de 28 mil downloads na Google Play e que vem ajudando um grande número pessoas cegas ou com deficiências visuais a utilizar seu smartphone", afirma Claudinei Martins, da Diretoria de Suporte a Decisão e Aplicações do CPqD, que está coordenando esse novo projeto. Disponível para dispositivos Android, o CPqD Alcance utiliza recurso de narração automática das telas por síntese de fala (text to speech), para facilitar o acesso do usuário às principais funções do aparelho. Essas funções aparecem na forma de grandes ícones na tela do smartphone e podem ser acessadas facilmente pelo usuário (conforme desliza o dedo sobre a tela touchscreen, uma voz sintetizada informa a função correspondente àquela área e, com um duplo toque, ele seleciona o que deseja fazer).

Na evolução do aplicativo, técnicas de reconhecimento automático de fala serão utilizadas para facilitar ainda mais o acesso às funções - por meio de comandos de voz. "A meta principal do projeto é desenvolver um assistente virtual inteligente, com capacidade de diálogo com o usuário, utilizando técnicas de processamento de linguagem natural", revela Martins. Para isso, serão empregadas tecnologias de computação cognitiva e de aprendizado de máquina desenvolvidas no próprio CPqD.

Com 26 meses de duração (até fevereiro de 2019), o projeto AVISA conta com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) da FINEP e será dividido em etapas - durante as quais novos recursos serão adicionados gradativamente ao aplicativo. Assim como ocorreu com o projeto Voz Móvel (que resultou no CPqD Alcance), o desenvolvimento do novo projeto contará com a parceria do Centro de Prevenção à Cegueira (CPC) de Americana (SP), onde serão realizadas oficinas participativas, pesquisas sobre as funcionalidades desejadas e testes piloto com os usuários.

Para baixar o aplicativo CPqD Alcance, disponível na Google Play, clique aqui

Comentário (0) Hits: 440

App monitora tempo de espera em Pronto-Socorro

26/01/2017 - O aplicativo SOSPS-Pronto Socorro chega ao mercado para facilitar o atendimento no Pronto-Socorro e monitorar o tempo de espera de mais de 30 hospitais na Grande São Paulo.

Com o objetivo de proporcionar mais comodidade ao usuário, a plataforma também mapeia o trânsito da região, calculando o tempo de deslocamento do paciente até cada hospital. Dessa forma, o aplicativo consegue estipular o tempo estimado para o primeiro atendimento (a primeira interação médico e paciente) em hospitais mais próximos ou distantes. Disponível para Android e IOS.

Comentário (0) Hits: 469

Ford equipa carros com apps para ajudar motoristas

fordces_app.jpg09/01/2017 - A Ford está investindo em novos aplicativos para uso com o sistema de conectividade SYNC 3 que equipa os veículos da marca. Disponíveis inicialmente para o mercado norte-americano, os chamados apps visam a facilitar a vida do motorista com diversos recursos que vão desde o pagamento de combustível sem sair do carro até emparelhar o mapa de navegação de um smartphone ou mesmo reduzir o custo do seguro. As novidades foram apresentadas durante a CES, a maior feira de tecnologia do mundo, realizada nesta primeira semana de janeiro em Las Vegas, nos Estados Unidos.

A criação dos aplicativos, desenvolvidos com empresas do setor, é incentivada por “hackatons” globais, ou seja, um laboratório de ideias dando aos programadores acesso às ferramentas do Ford Developer Program. Uma das mais recentes propostas implementadas foi a integração do assistente digital IBM Watson ao sistema SYNC, com comandos de voz. Ela foi apresentada no evento realizado em setembro, em Las Vegas, com participantes de todo o mundo, incluindo Brasil, Estados Unidos, Canadá, República Dominicana, Reino Unido e Índia.

O IBM Watson é um assistente pessoal que responde perguntas, usando processamento de linguagem natural e aprendizado de máquina para organizar grandes quantidades de dados não estruturados. A sua integração ao sistema SYNC AppLink mostra que a Ford está bem posicionada para capitalizar a crescente popularidade dos sistemas baseados na nuvem.
Controlado por comandos de voz, pelas teclas na direção ou pela tela do painel, o aplicativo é capaz de responder a perguntas do motorista, como: “Qual a previsão do tempo?”, “O que há na minha agenda?”, ou “Onde fica o restaurante mais próximo?”. Também monitora o combustível do veículo e, quando o nível está baixo, gera um alerta e sugere os postos mais próximos. Além disso, conta com recursos de aprendizado de máquina que tornam as respostas mais eficientes ao longo do tempo.

"Essa abundância de novos aplicativos que estamos vendo é resultado direto da facilidade e flexibilidade de conexão da plataforma SYNC AppLink com as novas tecnologias", diz Doug VanDagens, diretor de Veículos e Serviços Conectados da Ford. "Os assistentes digitais são uma grande tendência porque proporcionam comodidade no veículo, permitindo que o motorista mantenha os olhos na pista e as mãos no volante".

Os novos  aplicativos têm as seguintes funcionalidades:

Pagamentos móveis:  Com o novo aplicativo de pagamento eletrônico lançado pela Ford e a ExxonMobil, o reabastecimento do carro é muito mais rápido.  Usando o Speedpass+ da ExxonMobil, sistema de pagamento automatizado agora disponível para o Ford SYNC 3, o motorista pode procurar os postos mais próximos e pagar pelo combustível usando o comando de voz. O primeiro aplicativo de pagamento móvel lançado pela Ford foi em parceria com a Domino's Pizza, em 2014. Segundo a revista Forbes, o comércio eletrônico móvel cresceu 42% de 2013 a 2016 nos Estados Unidos.

Navegação:  Projeta o aplicativo de navegação Sygic do smartphone na tela do SYNC 3. Com o smartphone pareado ao veículo via cabo USB, o aplicativo é projetado automaticamente na tela do veículo e vinculado ao comando de voz. Sua maior vantagem é evitar que o motorista tenha de segurar e olhar para o celular ao dirigir.

Seguro baseado no uso: O aplicativo de smartphone DriverScore é o primeiro a criar uma pontuação personalizada do motorista com base no seu comportamento na direção, capaz de reduzir o preço do seguro. Outros programas de seguro desse tipo são baseados no desempenho do veículo, que pode ter vários motoristas. Além disso, eles exigem o compartilhamento com as seguradoras de dados que o cliente pode preferir não revelar.

Com o DriverScore, desenvolvido pela IVOX, só a pontuação do motorista é compartilhada, sem dados específicos. Se o usuário permitir, o sofisticado algoritmo do aplicativo acessa os dados do veículo para analisar o seu padrão de direção, considerando a velocidade, aceleração, frenagem, localização e hora do dia.

Wearables: Os “wearables” – tecnologias de vestir – vêm ganhando popularidade e a Ford oferece novas opções de integração desses dispositivos com o veículo para tornar a vida mais conveniente e personalizada. Os usuários dos relógios inteligentes Samsung Gear S2 e S3 em breve poderão integrar seus smartwatches com o sistema Ford SYNC para monitorar o veículo estacionado. O recurso funciona como um assistente digital. Ele permitirá, por exemplo, marcar a localização do veículo ao estacionar e mostrar o caminho de volta, além de enviar alertas de segurança em intervalos convenientes, diretamente no seu pulso.

Música “streaming”: A Dash Radio – maior plataforma digital de rádio do mundo totalmente original – estará disponível em breve por meio de um aplicativo no SYNC. Funcionando 24 horas por dia sem comerciais e gratuitamente, a Dash Radio reúne mais de 80 estações e mais de 300 DJs, artistas e figuras de ponta do ramo de entretenimento.

Comentário (0) Hits: 525

newsletter buton