Casa inteligente altera modelo de negócio

19/09/2014 - Gartner prevê que residências terão mais de 500 dispositivos inteligentes até 2022.

O custo mais acessível para incluir sensores e comunicação em produtos de consumo indica que uma casa familiar típica, em um país com mercado maduro, poderá ter centenas de dispositivos inteligentes até 2022. A estimativa é do Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia, que apresentará mais dados sobre este mercado durante o Gartner Symposium/ITxpo 2014, evento que acontece entre os dias 27 e 30 de outubro, no Sheraton São Paulo WTC Hotel.

Segundo o Gartner, as residências irão passar por grandes transformações na próxima década e, por conta da adoção de novas tecnologias, oferecerão muitas oportunidades de negócios digitais inovadores para as empresas que adaptarem seus produtos e serviços para este mercado.

"Prevemos que uma vasta linha de equipamentos domésticos será inteligente no sentido de ganhar algum nível de sensoriamento, combinado à possibilidade de comunicação sem fio", diz Nick Jones, Vice-Presidente e Analista do Gartner. Segundo ele, os dispositivos mais sofisticados incluirão funções de sensoriamento e controle remoto. Raramente os preços serão um fator inibidor, pois o custo da Internet das Coisas (IoT), que viabiliza 'coisas' de consumo, irá se aproximar de US$ 1 a longo prazo.


"A quantidade de objetos inteligentes irá crescer conforme os eletrodomésticos vierem a ser substituídos. Embora ainda não exista uma casa inteligente estruturada no período de 2020 a 2025, os produtos domésticos inteligentes e as primeiras oportunidades de negócios digitais que já surgiram", afirma o analista.


As categorias de produtos domésticos inteligentes variam de mídia e entretenimento, como consoles e TVs, até eletrodomésticos, como fogões e máquinas de lavar, além de tecnologias de transportes, segurança, controles ambientais, equipamentos para saúde e ginástica.


A tecnologia sem fio será o alicerce-chave das casas inteligentes e a maioria dos dispositivos será conectada dessa forma, embora nenhuma tecnologia em especial seja predominante. O Gartner prevê que Wi-Fi, Bluetooth, ZigBee, celulares e várias tecnologias de rede sem fio terão espaço na 'casa inteligente'. Portanto, é provável que uma série de gateways e adaptadores sejam necessários para fazer a ponte entre padrões e protocolos diferentes. Muitos objetos domésticos inteligentes e sem fio serão portáteis e não terão acesso imediato a uma fonte de energia de instalação elétrica. Dessa forma, os fabricantes de baterias irão lucrar com essas novas residências, assim como os desenvolvedores de tecnologias de alimentação de energia e armazenamento, como a carga sem fio.


A 'casa inteligente' viabilizará novas oportunidades nos três níveis da estrutura de negócios digitais do Gartner: processo de negócio (aprimorando os processos existentes), modelos de negócio (novas abordagens dos negócios que vão abalar os mercados existentes) e momentos de negócios (interceptando e explorando oportunidades de negócio transitórias).


Exemplos de oportunidades de negócios-chave facilitadas para as casas inteligentes:


Novos produtos e recursos – Desde a melhoria da usabilidade, com a inclusão de controle de voz ou gestos, até a atualização ou aprimoramento dos recursos dos produtos por todo o seu ciclo de vida, os produtos inteligentes têm o potencial de melhorar, consideravelmente, os produtos existentes.

Oportunidades de receitas e economia de custos – Os exemplos vão desde a reposição automática de bens de consumo nos produtos domésticos (por ex.: cápsulas de café, filtros de água e sacos de aspiradores de pó), até a interceptação das decisões de compra e substituição.

Novos modelos de negócio – Entre os exemplos, estão as novas combinações de produtos e serviços que podem ameaçar as empresas tradicionais. Por exemplo, um provedor de serviços poderia integrar informações de sensores de baixo custo combinadas com outros produtos inteligentes, como fechaduras inteligentes e sensores domésticos, e até criar novos serviços de segurança e monitoramento doméstico baseados em nuvem, que minem os alarmes contra roubo tradicionais.

Iniciativas governamentais e sociais - Em alguns países, os governos considerarão a inteligência crescente da tecnologia doméstica como uma forma de influenciar o comportamento dos consumidores, ou de melhorar a entrega de serviços aos cidadãos. Por exemplo, sensores e produtos inteligentes poderiam viabilizar uma tributação diferenciada; o imposto sobre a água utilizada para lavar poderia ser menor do que os impostos sobre a água usada para regar o jardim. Outro exemplo seriam latas de lixo inteligentes que avisam quando estiverem cheias e precisam ser recolhidas.

Análise e monetarização das informações – Praticamente todos os objetos domésticos inteligentes vão conter algum tipo de sensor e alguns terão vários sensores. Coletar, analisar e monetizar as informações recolhidas por produtos inteligentes será um ponto central para muitos modelos de negócios digitais baseados na IoT.

Apesar das muitas oportunidades de negócio propiciadas pela casa inteligente, essa visão enfrenta muitos desafios, especialmente porque os consumidores precisam ser convencidos do seu valor. Alguns elementos da tecnologia de casa inteligente como interruptores e reguladores de luz controlados remotamente já estão disponíveis há vários anos, mas têm pouca adoção fora dos usuários do tipo nerds, pois poucos consumidores enxergam um valor suficiente. Os projetistas de produtos devem se esforçar para criar um valor que vá além da novidade tecnológica e de funções de controle simples. Além disso, os produtos inteligentes serão mais complexos internamente do que seus predecessores, mas para ter sucesso, o produto deverá parecer simples e útil para pessoas não tecnológicas.

Provavelmente, os consumidores também vão se preocupar com o uso dos dados, a segurança e a privacidade. Os modelos de negócios digitais vão depender pesadamente das informações adicionais que os produtos inteligentes coletarem, quando comparados com suas contrapartidas "burras". O uso inadequado dessas informações poderia gerar um recuo dos consumidores. Os modelos de negócio que analisam informações, especialmente aquelas que combinem as informações de várias fontes, devem prestar muita atenção em questões, como o consentimento dos consumidores, educação e segurança dos dados, e os desenvolvedores de produtos devem levar em consideração as auditorias externas sobre o uso de suas informações.


A falta de interoperabilidade e os padrões também podem atrapalhar a adoção dos dispositivos inteligentes. Atualmente, o domínio da casa inteligente é um emaranhado técnico confuso, que inclui muitas tecnologias de rede e protocolos distintos, cuja maioria é proprietária e não interopera. Algumas iniciativas de interoperabilidade estão a caminho. Porém, é provável que, embora surjam ilhas de interoperabilidade entre fornecedores e produtos específicos, o domínio permanecerá tecnicamente fragmentado até 2020.

As inscrições para o Gartner Symposium/ITxpo 2014 já estão abertas e podem ser feitas pelo site http://www.gartner.com/br/symposium, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou pelos telefones (11) 5632-3109 e 0800-7741440. Até o dia 19 de setembro, o desconto é de R$ 830,00.

Anote em sua agenda - Gartner Symposium/ITxpo 2014
De 27 a 30 de outubro de 2014
Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, nº 12.559
Site: http://www.gartner.com/br/symposium

Sobre o Gartner Symposium/ITxpo

O Gartner Symposium/ITxpo é o mais importante encontro de CIOs e executivos seniores de TI. O evento traz conteúdo independente e objetivo com a autoridade do líder mundial em pesquisa e aconselhamento sobre tecnologia e fornece acesso às mais recentes soluções dos principais provedores de tecnologia. O Symposium/ITxpo anual do Gartner é um componente essencial dos esforços de planejamento dos participantes. Eles contam com insights sobre como suas empresas podem utilizar a tecnologia para atender os desafios dos negócios e aprimorar a eficiência operacional. Para mais informações: http://www.gartner.com/technology/symposium/br/

Sobre o Gartner

O Gartner, Inc. (NYSE: IT) é líder mundial no fornecimento de pesquisas e aconselhamento na área de tecnologia da informação. Fornece análises de TI necessárias para seus clientes fazerem as escolhas certas todos os dias. De CIOs e diretores de TI em corporações e agências governamentais a líderes em empresas de alta tecnologia e telecomunicações, passando por investidores deste mercado, o Gartner é parceiro indispensável para mais de 14.000 companhias diferentes. Para obter mais informações, visite www.gartner.com.

Comentário (0) Hits: 1159

Impacta aposta em educação à distância

e-learning.jpg15/08/2014 - Diante das facilidades da internet e da grande demanda por qualificação profissional na área de tecnologia da informação (TI), o Grupo Educacional Impacta aproveita a oportunidade e mantém o foco em treinamentos online de curta duração, visando atualizar os colaboradores das mais diversas empresas no horário e local que acharem mais pertinentes.

Visando solucionar alguns problemas de tecnologia e expandir o negócio, a empresa contratou uma nova plataforma de ensino à distância para oferecer uma melhor experiência de navegação ao aluno com um design mais intuitivo, que estimula o aprendizado.


O encontro selou a parceria da Impacta com a EadBox, que ajudou a empresa a aumentar em 500% sua base de alunos, fruto do avanço tecnológico da nova plataforma adotada. Segundo Jean Lopes, Coordenador de e-commerce do centro educacional, o sistema antigo deixava a desejar no quesito usabilidade, o que dificultava a experiência do usuário no curso.


A plataforma da EadBox apresentou boas soluções para as necessidades da Impacta. "O sistema trouxe como diferencial o custo-benefício e sua tecnologia, que torna a experiência tanto dos alunos, quanto dos professores, ainda mais completa e intuitiva" explica Nilson Filatieri, diretor da EadBox. "A compatibilidade com os dispositivos móveis é outro ponto muito positivo, pois grande parte dos alunos utilizam celulares e tablets para acessar os cursos online" completa o executivo.


Segundo a empresa, com a plataforma da EadBox, em apenas cinco minutos é possível criar um portal exclusivo de ensino à distância com o conteúdo desejado. Para isso, basta utilizar um dos dez formatos de apresentação disponíveis – dentre eles, estão aulas em vídeo, animações, arquivos em PDF, Word e até transmissão ao vivo. "A interface simples, clara e de design intuitivo se mostrou superior em todos os quesitos de usabilidade, e a adaptação dos alunos à nova plataforma ocorreu rapidamente, sem grandes problemas", destaca Lopes.


Sobre a EadBox


EadBox cria soluções de software para empresas que desejam promover cursos de capacitação online para seus funcionários e clientes. Intuitiva e mobile, a plataforma suporta mais de dez formatos de conteúdo, cria modelos de provas online e abre canais de comunicação entre alunos e professores.

Comentário (0) Hits: 1317

Ford lança faróis com tecnologia "full-LED"

ford_farol_led2.jpg15/08/2014 - A Ford Europa vai lançar uma nova tecnologia de faróis, chamada "full-LED", com claridade similar à luz do dia para viagens noturnas mais seguras pois, reforça o sistema de faróis adaptativos da Ford, que ajusta o ângulo e a intensidade da luz de acordo com as condições em que o veículo trafega.

Primeiros da marca na Europa, os novos faróis de LED vão equipar o Novo Mondeo no continente europeu. Eles são bem menores que as lâmpadas tradicionais, dando aos designers muito mais flexibilidade na criação da forma dos faróis. Assim, além de produzir uma iluminação mais funcional, mudam radicalmente a aparência do carro.

"A dimensão desses faróis ajuda a refinar os cantos do veículo e a torná-lo mais ágil. Também podem fazer com que ele pareça mais baixo, acrescentando um perfil mais esportivo", diz Chris Hamilton, designer chefe da Ford.

"No Novo Mondeo, criamos faróis com um design extremamente fino, que não teria sido possível com lâmpadas halógenas tradicionais. A tecnologia LED nos permitiu fazer isso, além de excelente claridade."

Devido ao seu diâmetro reduzido, os LEDs podem formar padrões e ser controlados individualmente para criar efeitos especiais de iluminação, como, por exemplo, uma série de luzes indicadoras laranja que piscam em sequência. Por produzir muito menos calor que as lâmpadas convencionais, eles também permitem o uso de componentes e lentes internas de plástico, mais fáceis de moldar para atender o design moderno.

"Os faróis são um pouco como icebergs – o que você vê na superfície é apenas uma pequena parte do conjunto", diz Chris Hamilton. "Lâmpadas de LED ocupam muito menos espaço e dão aos designers mais liberdade para desenvolver um tema."

A tendência é que a nova tecnologia seja introduzida em outros veículos da marca e ela também abre campo para outras inovações no futuro. Com o seu avanço, os designers poderão usar mais cores, ou mesmo gradações de cor no desenho da luz.

Sistema adaptativo

O sistema de faróis adaptativos da Ford avalia a luz ambiente em torno do veículo e os objetos à frente na pista e, em seguida, ajusta o ângulo e a intensidade do facho dependendo da velocidade, ângulo de direção do veículo, distância dos objetos adiante e uso de equipamentos como limpador de para-brisa, piscas e faróis de neblina.

Em alta velocidade na estrada, por exemplo, os faróis são levantados para projetar um facho mais longo e reto, aumentando a visibilidade à frente. Na cidade, onde as velocidades são mais baixas e a iluminação pública mais intensa, o facho é espalhado para baixo para iluminar melhor a rua imediatamente à frente. Nas curvas em baixa velocidade, o sistema projeta um facho na lateral da pista para tornar os ciclistas e pedestres mais visíveis. Nas curvas em velocidade mais alta, o sistema direciona a luz para o lado da curva e amplia o seu alcance.
Há também um padrão de iluminação para clima adverso, quando os limpadores do para-brisa estão acionados e o farol de neblina desligado, projetando um facho mais largo e de menor alcance.

Comentário (0) Hits: 1422

Integração de veículos com a rede elétrica

ford_eletrico.jpg05/08/2014 - A Ford está desenvolvendo junto com sete das maiores montadoras do mundo e 15 empresas de eletricidade dos Estados Unidos uma tecnologia que permitirá aos veículos elétricos se comunicarem com a rede de energia por meio da nuvem, tornando o seu uso mais eficiente e econômico.

O objetivo do estudo, feito em colaboração com o Instituto de Pesquisa de Energia Elétrica dos EUA, é criar uma plataforma de comunicação padronizada. Com ela, as fornecedoras de energia poderão enviar um pedido para que os donos parem temporariamente a recarga do veículo, ajudando a evitar os períodos de sobrecarga da rede. Em contrapartida, quem aderir ao programa pagará tarifas de energia mais baixas.
 O sistema usa padrões e tecnologias de comunicação já existentes, como o MyFord Mobile App, evoluindo para a comunicação bidirecional entre a rede elétrica e os veículos.

"Essa plataforma inovadora é um grande passo para o avanço na eletrificação dos veículos", diz Mike Tinskey, diretor global adjunto de Infraestrutura de Eletrificação da Ford. "É uma forma de recompensar financeiramente os donos de veículos elétricos pela disposição em ajudar no gerenciamento da rede elétrica."


As empresas de eletricidade participantes vão oferecer descontos aos proprietários que recarregarem seus carros de acordo com a disponibilidade de energia da rede, como é dado para os clientes que permitem o uso intermitente do ar-condicionado em casa nos períodos de alta demanda. Além de poder escolher o local de recarga, os optantes terão a opção de ignorar o pedido para parar o processo.


A parceria do projeto começou no segundo semestre de 2012, mas o conceito de integração dos veículos com a rede elétrica já é pesquisado por vários grupos há mais de 10 anos.

Comentário (0) Hits: 870

Iluminação de LED preserva o meio-ambiente

led_lg.jpg29/07/2014 - Há mais de 100 anos o ser humano tem contato com a iluminação artificial de ambientes e, desde então, a compreende como influenciadora comportamental determinante para o bem-estar. Por isso, os tipos de iluminação evoluíram ao longo do tempo, com produtos cada vez mais eficientes. Da lâmpada incandescente ao revolucionário LED, quem ganha com as inovações é o consumidor e o meio ambiente.

As novas alternativas de iluminação, desenvolvidas com o avanço tecnológico em pesquisas, contribuem para uma melhor utilização dos recursos energéticos, o que vem se tornando de grande relevância na escolha do consumidor e também na escolha dos empreendedores, à medida que cresce a demanda por projetos com certificação sustentável. Dentre as alternativas de iluminação que já oferecem maior eficiência energética, a grande protagonista é o LED.

LED, sigla para light emitting diode, ou seja, diodo emissor de luz, já é aplicado há algum tempo em aparelhos eletrônicos e agora, também, em iluminação, como semicondutores que convertem corrente elétrica em luz. É o que se apresenta como mais moderno em iluminação no mercado. No Brasil já é possível encontrar fabricantes e fornecedores deste tipo de produto, com grande aceitação pelos arquitetos e projetistas e, gradativamente, junto ao consumidor final.

led_osram.jpgSegundo Nilton Silva, gerente geral de Energy Solutions da LG Electronics no Brasil, a LG conta com um amplo portfólio de iluminação LED, com opções que possuem vida útil muito longa e consomem menos energia que as lâmpadas convencionais incandescentes e fluorescentes. Chegam a durar em torno de 50.000 horas, o que pode representar 40 vezes mais duração em relação a outras lâmpadas. Além de serem até 80% mais energeticamente eficientes, pois produzem mais luz, consumindo menos energia elétrica. O custo-benefício é positivo, pois, apesar de inicialmente o valor do LED ser um pouco acima das demais alternativas, o investimento se transforma em retorno à medida que a conta de luz e a necessidade de manutenção do produto serão reduzidas.

"Outro ponto importante do LED é o fato de ser composto por materiais que não são danosos ao meio ambiente, podendo ser reprocessado com mais facilidade. Sendo assim, o consumidor brasileiro pode apostar na iluminação LED como uma opção eficiente e sustentável. Com a possibilidade de uma reprodução fiel de luz, sem exigir grandes adaptações de projeto, a iluminação LED é uma excelente opção", complementa Silva.

Comentário (0) Hits: 1380

"Hello Ruby" ensina programação para crianças

hello_ruby3.jpgbrainstorm9
28/07/2014 - Existe uma preocupação no mercado de TI com a previsão de que sobrarão 1 milhão de vagas, devido à falta de profissionais capacitados nos EUA. Talvez seja por isso que um projeto como o livro infantil Hello Ruby tenha chamado tanta atenção no Kickstarter, onde pediu US$ 10 mil e saiu com US$ 380 mil.

O livro promete ensinar programação à crianças – especialmente na faixa etária dos 4 aos 7 anos -, e tem um apelo maior entre garotas – um público que ganha cada vez mais atenção no que se refere a estímulos para seguirem carreiras na área de ciências e exatas.

Hello Ruby foi criado por Linda Liukas, professora de programação que decidiu criar uma história que ajudasse as crianças a entenderem alguns fundamentos de programação por meio de quebra-cabeças. O livro acompanha a trajetória de uma garotinha que conhece pinguins, leopardos da neve e robôs verdes enquanto cria suas próprias aventuras. É uma iniciativa bastante, que certamente irá inspirar outras por aí.

http://www.brainstorm9.com.br/49763/entretenimento/hello-ruby-ensina-programacao-para-criancas/

Comentário (0) Hits: 1285

newsletter buton