Inteligência artificial Anima conecta médicos e hospitais

mult-connect_vianna_2.jpg*Por Luiz Otavio Vianna
10/10/2018 - A Mult-Connect, empresa de inovação em tecnologia, lança sua plataforma de inteligência artificial focada no mercado de saúde, onde cada segundo conta para salvar uma vida

O Anima é um assistente virtual, que pode ser acionado no celular por comando de voz, dando acesso imediato e em qualquer lugar, às informações que os médicos precisam no seu relacionamento com os hospitais.

Diferentemente de ter que buscar essas informações em diversos locais, esse produto é uma inteligência artificial que conversa com o médico e consulta simultaneamente diversas fontes de informação para entregar a melhor resposta.

A proposta do Anima é transformar a maneira como os hospitais interagem com os médicos. O objetivo é tornar o fornecimento de informações operacionais e sobre procedimentos muito mais ágil e prático, em um ambiente onde a corrida contra o tempo equivale à corrida pela vida, em muitos casos.

Aliado a isso, entrega essas informações de maneira extremamente segura, por meio de recursos como reconhecimento facial, autenticação via celular ou outros meios. Cada hospital decide o nível de checagem para permitir que o médico tenha acesso aos dados.

Recursos de Data Analytics fornecem dados para evoluir a inteligência através de um aprendizado assistido e permitem ao hospital conhecer o comportamento e as demandas dos médicos. Isso ajudará a identificar habilidades que o Anima precisa adquirir para prestar o melhor atendimento.

"O Anima, é o menor atalho entre o médico e a informação. Nossa inteligência artificial certamente ajudará os hospitais a fidelizarem seus médicos com uma experiência única, potencializando o tempo desses profissionais tão valiosos.", completa Luiz Otavio Vianna, CEO da Mult-Connect.

A tecnologia do Anima permite outras possibilidades, como, por exemplo, melhorar a experiência de visitantes e pacientes dentro do hospital, por meio de reconhecimento facial em totens instalados em locais estratégicos.

*Luiz Otavio Vianna é CEO da Mult-Connect

Comentário (0) Hits: 150

ONG lança app que ajuda cidadão nas eleições

ranking_politicos.jpg26/09/2018 - Tecnologia auxilia eleitores usando análise de dados sobre o desempenho dos parlamentares brasileiros

Visando mostrar aos eleitores quem é quem no Congresso Nacional, a ONG Ranking dos Políticos acaba de lançar o seu App para smartphones Android. A partir de agora, as informações sobre o desempenho dos atuais parlamentares também podem ser conferidas diretamente pelo aplicativo que gera, analisa e dispõe dados para a população. Para formar o ranking, a plataforma reúne informações técnicas como presença em sessões, utilização de privilégios, processos judiciais e qualidade legislativa de todos os 513 deputados federais e 81 senadores. O App também traz em sua home um mapa segmentado por estados com os respectivos representantes e permite que o eleitor faça uma imagem do parlamentar para obter informações em poucos segundos.

De acordo com Renato Dias, diretor-executivo do Ranking dos Políticos, o lançamento do App visa facilitar a consulta de informações objetivas e simples a respeito da atuação de cada congressista, todas oriundas de fontes oficiais. "Trata-se de uma plataforma extremamente intuitiva e fácil de ser utilizada. Os brasileiros terão condições de avaliar, por exemplo, o político que pretende se reeleger ou até mesmo conhecer o trabalho de outros parlamentares de uma forma muito mais detalhada", explica.

Dias lembra também que o Ranking dos Políticos atua desde 2012, com o objetivo de fornecer subsídios aos cidadãos para eleger representantes honestos, com a ficha limpa e bom desempenho no Congresso. Desde seu lançamento, a plataforma cresce de forma exponencial. No mês de agosto, foram registrados 700 mil acessos e mais de 10 milhões de pageviews, crescimento de 100% em relação à média mensal aferida em 2017. "A tendência é que esses números cresçam ainda mais a medida que as eleições se aproximem. Certamente, o App também irá trazer uma boa quantidade de novos usuários, que ainda não conhecem o nosso trabalho", finaliza Renato Dias.

Clique aqui para baixar o aplicativo.

Sobre o Ranking dos Políticos

Ranking dos Políticos atua na classificação e compliance do setor público por meio de ferramentas tecnológicas compiladas pelo Portal da Transparência e informações públicas de parlamentares brasileiros. Os critérios utilizados pelo Ranking são absolutamente técnicos, levando em conta fatores como assiduidade, gastos da cota parlamentar, processos judiciais e atuação legislativa. Todas as informações publicadas no Ranking são públicas, disponíveis nos sites oficiais do Senado e da Câmara dos Deputados e dos Tribunais de Justiça.


Comentário (0) Hits: 405

Aplicativo ajuda deficiente visual a pagar com cartão

cpqd_cartao.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - Entre os principais benefícios do aplicativo móvel Pay Voice, desenvolvido pelo CPqD, estão o aumento da segurança e da autonomia para as pessoas com deficiência visual que utilizam cartões de pagamento - de vários tipos - em lojas, restaurantes e outros estabelecimentos comerciais.

O Pay Voice foi desenvolvido em parceria com a ABECS - Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, e lançado recentemente, durante o 12.º Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento, realizado em São Paulo.

Disponível para smartphones com sistemas Android e iOS, o Pay Voice é uma ferramenta de acessibilidade da ABECS, que pode ser baixada gratuitamente nas lojas de aplicativos do Google e da Apple.

Sua função principal é permitir que o deficiente visual, ou aquelas pessoas com maior dificuldade de enxergar, confirmem o valor da transação e a forma de pagamento, antes de digitar sua senha na máquina POS (point of sale ou Ponto de Venda).

Após o caixa – ou atendente – inserir o cartão e digitar o valor na máquina, o usuário deve acionar o aplicativo e apontar a câmera do celular para a tela do terminal POS.

Com a utilização da tecnologia de visão computacional (uma área da computação cognitiva), a aplicação “lê” para o usuário as informações que estão na tela – valor e forma de pagamento (crédito, débito, parcelado, refeição, alimentação e voucher) -, por meio da integração com as ferramentas de acessibilidade TalkBack (para Android) e VoiceOver (para iOS) existentes nos smartphones.

Essa é, na verdade, uma solução inovadora, que combina as competências do CPqD nas áreas de visão computacional e processamento de imagens, desenvolvimento de aplicações para dispositivos móveis e de acessibilidade.

O aplicativo é o primeiro resultado de um projeto iniciado em dezembro pelo CPqD e ABECS - entidade que representa o setor de meios eletrônicos de pagamento – e que deverá se estender até o final deste ano.

Para a ABECS, essa solução de acessibilidade é importante, pois vai contribuir para melhorar a qualidade de vida de consumidores que possuem algum tipo grave de deficiência visual – mais de 6 milhões de pessoas no Brasil.

Comentário (0) Hits: 441

App facilita o uso de smartphones por idosos

cpqd_facilita.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - O CPqD acaba de colocar na loja de aplicativos do Google os dois primeiros resultados do projeto AVISA – sigla de Assistente Virtual para Inclusão Social e Autonomia, que o centro de pesquisa vem desenvolvendo com o objetivo de facilitar o uso de dispositivos móveis com tela sensível ao toque (touchscreen) por idosos, pessoas com baixo escolaridade ou semiletrados, cegas ou com grande dificuldade permanente de enxergar.

Uma das novidades disponíveis é o CPqD Facilita, aplicação que tem como foco pessoas idosas ou com dificuldade em lidar com tecnologia. A outra novidade é o CPqD Alcance+, nova versão do aplicativo destinado a pessoas com deficiências visuais, que já atingiu mais de 40 mil downloads na loja do Google.

Como explica o pesquisador Claudinei Martins, do CPqD, que está coordenando o projeto AVISA, um dos destaques do CPqD Facilita é a padronização da tela do smartphone, com letras e ícones fáceis de enxergar, que passa a ser dividida em grandes áreas.  

O aplicativo oferece ao usuário a possibilidade de configurar o tamanho das letras exibidas na tela, bem como de utilizar o recurso de síntese de fala para ouvir as funções e avisos (por exemplo, sobre carga da bateria, mensagens recebidas, disponibilidade de rede sem fio, etc.).

Martins explica que o aplicativo CPqD Facilita passa a falar ou descrever a função, na medida em que o usuário desliza o dedo sobre a tela, explica Martins. Se o usuário preferir, esse recurso também pode ser utilizado para ouvir diversos conteúdos – como e-mails, notícias, previsão do tempo, entre outros.

Outra facilidade está na navegação pelas páginas no menu: basta deslizar o dedo da esquerda para a direita da tela (ou vice-versa), como se estivesse folheando um livro.

Já o CPqD Alcance+ é uma atualização tecnológica do aplicativo lançado em 2013, com foco em pessoas cegas ou com grande dificuldade permanente de enxergar.

Destinada a smartphones equipados com sistema operacional Android 5.0 (ou superior), a nova versão tem como principal destaque o recurso de envio e recebimento de e-mails com leitura do conteúdo por meio de síntese de fala.

Além disso, o usuário agora pode escolher o tipo de voz para ouvir suas mensagens e informações: masculina ou feminina. Para quem tem smartphones com versões mais antigas do Android, o CPqD Alcance continua disponível para download na Play Store. Todos os aplicativos do CPqD podem ser baixados gratuitamente na loja do Google.

O projeto AVISA conta com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) da FINEP e está sendo desenvolvido em parceria com o Centro de Prevenção à Cegueira (CPC) de Americana, no interior de São Paulo.

Desde junho, um grupo de voluntários desse centro – integrado por idosos, pessoas com deficiências visuais e com baixa capacidade leitura – participa do teste piloto do projeto, que tem término previsto para o início de 2019.

Chegamos ao final deste segundo bloco do Mundo Digital de hoje. Voltaremos em poucos minutos para falar sobre mais um desenvolvimento do CPqD de Campinas, que é um Aplicativo que facilita os pagamentos com cartões por pessoas com deficiência visual.

Comentário (0) Hits: 398

CPqD lança app de assistente virtual inteligente

cpqd_texto_fala.jpgPor Ethevaldo Siqueira
16/09/2018 - O CPqD de Campinas, o maior centro de pesquisas da América Latina lançou uma plataforma de assistente virtual inteligente, que tem milhares de novos produtos e soluções desenvolvidos por cientistas brasileiros

Vale relembrar que o CPqD foi fundado há 42 anos, ainda no tempo da antiga Telebrás, com o nome de Centro de Pesquisas e Desenvolvimento em Telecomunicações Padre Landell de Moura. Atualmente, seu nome sintético é apenas CPqD, pois seu espectro de pesquisa e tecnologia vai muito além das telecomunicações.

Um dos melhores exemplos de nova tecnologia criada pelo CPqD é o uso de assistentes virtuais inteligentes. Aliás, o uso dessas soluções é uma tendência que vem crescendo entre as empresas interessadas, com o objetivo de tornar o relacionamento com seus clientes, em diversos canais, muito mais natural, eficiente e humano.

Com o objetivo de atender essa demanda – decorrente principalmente da mudança de comportamento do consumidor e da transformação digital –, o CPqD lançou recentemente uma plataforma inovadora que utiliza recursos de Inteligência Artificial para automatizar o atendimento ao cliente em canais de texto e de voz.

Segundo explica Luciano Lemos, especialista em Marketing de Produto do CPqD, “essa plataforma pioneira possibilita a criação e gestão de assistentes virtuais de forma simples. E seus recursos permitem compreender e atender às necessidades dos clientes com eficácia e agilidade, em qualquer canal de relacionamento”.

Lemos explica que a tecnologia de compreensão de diálogo natural da plataforma permite que as pessoas conversem com naturalidade com os assistentes virtuais, o que humaniza os diálogos durante o atendimento e dispensa a necessidade de fluxos pré-estabelecidos.

Um dos diferenciais da solução é a possibilidade de utilizar dois motores de diálogo natural: uma tecnologia própria do CPqD ou do Watson da IBM. Com isso, se dá flexibilidade à criação dos assistentes virtuais.

Para aumentar a eficácia do atendimento no canal telefônico e garantir uma boa experiência ao usuário, a nova solução – batizada de CPqD Assistente Virtual – utiliza a tecnologia de reconhecimento da fala, do próprio CPqD, já integrada à plataforma, de forma a facilitar a implementação das aplicações.

Por meio dessa tecnologia, a fala do cliente é transformada em texto, em tempo real, para, só então, ter sua intenção interpretada com o uso de Inteligência Artificial.

Ainda na explicação de Luciano Lemos, a combinação de reconhecimento da fala e de Inteligência Artificial dá aos assistentes virtuais uma eficácia elevada, pois permite que eles entendam perguntas e respostas dos usuários dentro de amplo vocabulário, incluindo regionalismos e gírias, linguagem formal ou informal”.

Para responder ao usuário, o assistente virtual utiliza a solução CPqD Texto Fala, que converte o texto em voz de alta qualidade. Em relação aos canais digitais, estão disponíveis nessa primeira versão do CPqD:

• Assistente Virtual, o
• Messenger do Facebook,
• Chat Web,
• Chat Mobile,
• e-mail e SMS.

“Outro diferencial importante da solução é a possibilidade de interação por voz nos canais digitais, utilizando as tecnologias de fala do CPqD, com diferentes opções de vozes - que podem ser trocadas facilmente.
Além disso, em todos os canais, é possível fazer a gestão das conversas e verificar o desempenho dos atendimentos, de modo a identificar assuntos que não foram treinados e passar a tratá-los”.

A nova plataforma do CPqD é resultado de um projeto desenvolvido em parceria com a empresa PGMais, com o suporte de recursos da EMBRAPII (Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial).

Comentário (0) Hits: 422

Irlanda cobra € 14,3 bilhões de tributos da Apple

apple_reuters_2.jpgPor Ethevaldo Siqueira, com Financial Times
18/09/2018 - A Irlanda cobrou os € 14,3 bilhões (mais de US$ 16 bilhões) de impostos e juros devidos pela Apple, após condenação em processo de sonegação, iniciado mais de dois anos depois que Bruxelas decidiu que os negócios da empresa violaram as leis tributárias da União Europeia.

A Apple se recusou a comentar e se referiu a uma declaração do ano passado, segundo a qual continuava a cooperar com o processo, mas estava confiante de que a decisão da comissão seria anulada.

O caso da Apple foi um dos 9 lançados como parte de uma repressão mais ampla da UE, iniciada em 2013, que analisou as decisões fiscais nos Estados membros

Crédito: © Reuters

Comentário (0) Hits: 515

newsletter buton