Uber completa 5 anos que chegou ao Brasil

uber_250.jpg22/07/2019 - Desde que chegou ao país, foram 2,6 bilhões de viagens realizadas, com 17 bilhões de km percorridos, distância que daria duas viagens de ida e volta para Plutão

Há 5 anos, era inimaginável a ideia de que em pouco tempo não seria mais necessário ter um carro no Brasil. De Norte a Sul do País, em todos os Estados, a tranquilidade de saber que há um carro disponível em poucos minutos pelo aplicativo, a qualquer hora e em qualquer dia da semana, mudou a maneira das pessoas se comportarem.

A proposta, na época, foi revolucionária: ao conectar, de forma simples, pessoas com carros com outras que precisavam ir de um ponto a outro, a Uber ajudou a deixar cidades mais acessíveis, oferecendo mais opções de mobilidade para milhões de usuários ao mesmo tempo criando oportunidades de geração de renda para milhares de motoristas parceiros. E haja viagem! Somando todas, já foram 2,6 bilhões de viagens realizadas e 17 bilhões de km rodados. Com essa distância daria para ir e voltar de Plutão duas vezes.

A Uber começou no Rio de Janeiro e logo depois chegou à São Paulo - que hoje é a maior cidade em volume de viagens pelo app no mundo - e já está em mais de 100 cidades em todo o Brasil. Além dos usuários brasileiros, cidadãos de 129 países usaram o app da Uber em terras tupiniquins, sendo os mais frequentes, nesta ordem, americanos, argentinos, chilenos, ingleses e franceses.

Veja abaixo alguns números e curiosidades sobre os 5 anos da Uber no Brasil:

22 milhões de usuários ativos na plataforma;

Mais de 600 mil motoristas parceiros;

O usuário mais frequente, nesses cinco anos, já fez mais de 5 mil viagens, o que dá mais ou menos 3 viagens de Uber por dia, em todos os dias da semana.

O motorista parceiro que mais dirigiu já fez mais de 25 mil viagens pela plataforma;

No Brasil, já foram realizadas 2,6 bilhões de viagens. A empresa comemorou o marco de 1 bilhão de viagens em fevereiro de 2018;

17 bilhões de km já foram percorridos de Uber desde 2014 no País;

Cidadãos de 129 países usaram Uber no Brasil. Os mais frequentes são: Estados Unidos, Argentina, Chile, Inglaterra e França, nessa ordem;

O usuário que andou de Uber em mais cidades do país realizou viagens em 64 cidades brasileiras diferentes;

Usuários já pagaram mais de 35 milhões de reais em valores extras aos motoristas parceiros, como forma de reconhecer um bom serviço;

Sexta-feira, às 19h, é o período em que mais acontecem viagens em todo o país;

 

Comentário (0) Hits: 1243

Aplicativo de envelhecimento rouba dados

unisys_dados.jpg17/07/2019 - Nos últimos dias um app disponível para Android e iPhone que envelhece os rostos dos usuários contagiou as redes sociais. No entanto, apesar de parecer inofensivo, ele pode entregar informações pessoais dos usuários à parceiros: "Podemos também compartilhar certas informações, como cookies, com parceiros de publicidade. Essa informação permitiria redes de anunciantes, entre outras coisas, a entregar anúncios direcionados que elas creditam que seriam de interesse", diz o contrato assinado ao clicarmos "aceito" nos termos de uso do app - https://faceapp.com/privacy

A atenção à informação coletada e utilizada pelos aplicativos é um cuidado que deixamos de tomar ao utilizar ferramentas online, o que acaba gerando uma sensação de insegurança sobre os dados pessoais. O estudo global Unisys Security Index, que mede anualmente as percepções dos consumidores com segurança em uma escala de 0 a 300, aponta que as preocupações com segurança pessoal (que abrangem roubo de identidade e segurança física nos próximos 6 meses) são as mais altas entre os brasileiros - 200 pontos no ranking. Em segundo lugar, está a preocupação com segurança na internet (que abrange vírus cibernéticos, spams ou hackers e compras online ) - 194 pontos no ranking.

A pesquisa destaca ainda que 59% dos brasileiros estão apenas um pouco confiantes de que a Lei Geral de Proteção de Dados vai garantir a segurança de seus dados mantidos por empresas e governos. No caso do aplicativo em questão, os dados coletados são armazenados em servidores nos EUA, país que ainda não tem uma lei específica de proteção de dados, o que dificulta o acionamento da Justiça em caso de vazamento de informações.

No entanto, além da responsabilidade da empresa sobre a privacidade dos dados, o que chama atenção nesse caso é que o comportamento do usuário pode deixá-lo vulnerável e comprometer a sua segurança pessoal.

Comentário (0) Hits: 2184

Aplicativo MEI Fácil bate 1 milhão de downloads

mei_facil.jpg01/07/2019 - O número de microempreendedores individuais cresce junto com a procura por serviços financeiros e burocráticos sob demanda que representem soluções para seu negócio. É imerso nesse movimento que a MEI Fácil vem ganhando espaço e se consolidando como a maior empresa do País nesse segmento.

Esse espaço vem ganhando maior evidência com a procura pelos serviços da plataforma: no último mês, a MEI Fácil, plataforma de serviços financeiros para o micro e pequeno empreendedor, bateu a marca de 1 milhão de downloads em seu app. Com a marca, mais microempreendedores têm acesso a facilidades como emitir uma nota fiscal, pagar mensalmente os impostos e acessar serviços financeiros simplificados e de baixo custo.

"Mais do que ver a MEI Fácil crescendo, é importante para nós observar como os pequenos empreendedores têm se preocupado com seu negócio e apostado na chance de crescer. Nosso grande objetivo é ajudá-los a alçarem voos cada vez mais altos", afirma Rodrigo Salem, sócio-fundador da MEI Fácil.

Comentário (0) Hits: 1953

App Curitiba 156 inclui serviço de acessibilidade

app_curitiba_156.jpg25/06/2019 - O aplicativo que aproxima o cidadão curitibano da gestão pública conta com mais uma novidade: agora o Curitiba 156 possui uma categoria destinada a serviços relacionados à acessibilidade. Além de fazer solicitações sobre iluminação pública, coleta de resíduos e transporte público, o usuário pode solicitar manutenção e implantação de rampas de acesso e de elevadores em terminais e estações-tubos, implantação de sinalização reservando área exclusiva de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência em via pública, e inclusão de veículo adaptado para pessoas com deficiência em determinada linha.

"É um passo importante na universalização dos serviços da Prefeitura para o cidadão, especialmente no tocante ao atendimento às pessoas com deficiência", comenta o coordenador de Atendimento ao Cidadão do ICI, Ozires de Oliveira. Em pouco tempo de funcionamento, a ferramenta apresenta índice de satisfação superior a 90%, cumprindo o papel de acelerar os serviços e o contato com o município.

Sobre o ICI

O ICI – Instituto das Cidades Inteligentes é uma organização criada em 1998, com atuação em todo o território nacional, referência em pesquisa, integração, desenvolvimento e implementação de soluções completas de TIC para a gestão pública. Mais informações: www.ici.curitiba.org.br.

Comentário (0) Hits: 2906

App promove encontros entre quem mora longe

kavak.jpg03/06/2019 - Quer matar a saudade de alguém que mora longe? Tem um relacionamento à distância e viaja com frequência? Tem família em outro estado? É para pessoas com este perfil que o KAYAK, maior plataforma de planejamento de viagens do mundo, está lançando o KAYAK Encontros.

A ferramenta pede que o usuário insira as cidades de origem das duas pessoas que pretendem se encontrar e a data da viagem. A partir destas informações, indica destinos interessantes próximos aos viajantes, com o custo total de passagens para os dois. “A ideia é que pessoas que moram em diferentes estados possam usar o Encontros para descobrir novos destinos juntos. É especialmente útil para casais e familiares que viajam com frequência para se encontrar e que queiram variar o roteiro e viver novas experiências”, afirma Eduardo Fleury, Líder de Operações do KAYAK no Brasil.

Para quem namora à distância e está planejando uma viagem para o Dia dos Namorados o KAYAK Encontros é uma boa pedida! O hotsite pode ser acessado via desktop ou por meio de um navegador no mobile.

É importante reforçar que o preço de passagens indicado é o das últimas 48 horas e pode variar de acordo com as flutuações normais das tarifas. Está de olho em um destino novo para explorar com seu namorado, parente ou amigo? Programe um Alerta de Preços para descobrir o melhor momento de comprar suas passagens e não deixe de conferir opções de hotéis e aluguel de carros.


Comentário (0) Hits: 2262

Por que o brasileiro não vive mais sem apps de serviços

smartphone_fix_online.jpg*Por Otávio Tranchesi
18/04/2019 - Em 2012 eu resolvi mudar minha vida. Não aguentava mais pagar estacionamento, gasolina e IPVA. Depois de fazer algumas contas, cheguei a conclusão de que vender meu carro e passar a andar de táxi seria uma ótima - e econômica - ideia. A única coisa que eu não contava era que, mesmo em uma cidade com mais de 30 mil taxistas, eu não conseguiria um no momento em que mais precisasse. Eu passava muito tempo ligando para todos os pontos de táxi, sendo recusado ou sequer atendido e, depois, quando finalmente conseguia encontrar um disponível, cruzava com diversos táxis vazios em busca de passageiros.

Um dia, recebi uma ligação me convidando para conversar sobre uma oportunidade de emprego. Quando cheguei me deparei com jovens de no máximo 25 anos (assim como eu) que tinham uma ideia bastante fora do convencional para a época: utilizar o smartphone para chamar táxis. Me apaixonei, larguei meu emprego e me juntei a eles naquela empreitada.

O que é mais interessante quando me lembro dessa história é que, quando começamos, nos perguntavam constantemente: "Mas por que as pessoas vão pedir pelo celular ao invés de ir à rua?" ou ainda: "Quem paga para ter internet no celular? Isso é coisa de Estados Unidos ou Europa".

O tempo provou que nós brasileiros não só queríamos internet no celular como ainda nos tornamos líderes no consumo e desenvolvimento de apps: o país deve registrar um aumento de 7,2% nas transações por aplicativos até o fim de 2020, aponta a pesquisa App Annie. E digo mais: de acordo com o estudo, já somos o quarto país que mais utiliza essas ferramentas no mundo. Ou seja, as pessoas, como eu, queriam sim chamar táxi pelo celular, como previmos, mas também usar outros serviços do dia a dia, como agendar manicure, pedir comida, alugar bicicletas, reservar hotéis e fazer praticamente tudo que for possível e imaginável com ajuda de um aplicativo.

Hoje, estou no Chama, um aplicativo que tenta mudar outro setor muito importante para as famílias brasileiras: o de botijões de gás. Apesar de ser parte da vida de 80% das residências, a área não sofre nenhuma inovação há anos. O Chama chegou para adicionar transparência a um mercado que sempre foi muito fechado, o que não se justifica, já que trata-se de um dos itens essenciais para o cotidiano das pessoas.

Além de deixar a rotina mais simples e prática, o aplicativo estimula a competitividade entre os fornecedores, o que tende a levar uma diminuição do preço médio. E claro, visualizar quanto cada um co bra em uma única tela, deixa a escolha pelo menor valor muito mais fácil. Para se ter ideia, a diferença de preços praticados entre um revendedor e outro pode chegar a 30%.

Antes, para conseguir todos esses benefícios, precisávamos ligar para três ou quatro números de telefone para descobrir qual o preço praticado pelos entregadores, hoje com um simples clique é possível saber o preço, a estimativa de tempo de entrega, a avaliação de outros usuários sobre o serviço prestado e ainda realizar o pagamento de forma segura, direto pelo aplicativo.

No mercado dinâmico da tecnologia, sempre há muito o que melhorar e é preciso estar sempre atento às inovações que surgem a todo momento. Mas de uma coisa, não hÍ mais dúvidas: os aplicativos de serviços chegaram para ficar no cotidiano do brasileiro. Basta olhar o seu celular e contar quantos deles você já usa.

*Otávio Tranchesi é formado em economia pelo Insper e Diretor de Marketing do aplicativo Chama, um marketplace que conecta revendedores de botijões de gás a clientes.

Comentário (0) Hits: 2473

newsletter buton