Vint Cerf quer acessibilidade na internet

vint_cerf.jpg10/04/2017 - Um dos criadores da internet diz que "é quase criminoso" que os programadores não foquem em acessibilidade para quem possui deficiências auditivas, visuais e motoras.

"É um crime que o dispositivo mais versátil do planeta, o computador, não se adaptou às pessoas que precisam de ajuda, que precisam de tecnologia assistida", disse ele em uma entrevista no mês passado.

Conhecido como um dos fundadores da Internet – por ter participado da criação dos protocolos TCP/IP, que são o alicerce da conexão à rede – Vint Cerf é membro permanente do conselho do ICANN e evangelista do Google.

Vala a matéria completa do site CNET aqui

Comentário (0) Hits: 214

Cuidado com o “Qual Celebridade Você Se Parece?”

teste_1.jpg29/03/2017 –Teste popular no Facebook solicita informações pessoais em troca de supostamente mostrar com qual famoso você se parece

Os especialistas em segurança da Kaspersky Lab divulgaram um aviso sobre o teste “Qual Celebridade Você Se Parece?”, que está circulando nos últimos dias pelo Facebook. O gancho para atrair usuários é mostrar com qual celebridade a pessoa se parece e faz com que o usuário compartilhe informações pessoais com a empresa criadora do teste.

Para realizar o teste, a empresa Vonvon solicita clicar em “Conectar-se ao Facebook” para ver o resultado. Ao fazer isso, uma janela indica o acesso ao teste e, ao fazer isso, a empresa recebe as informações públicas do perfil do usuário (incluindo nome, foto do perfil, idade, sexo, idioma, país e outras informações públicas), lista de amigos, e-mail, fotos, etc. Uma vez que estas condições são aceitas, o aplicativo carrega as fotos de perfil da conta Facebook e pede para o usuário escolher uma para encontrar sua suposta semelhança com uma celebridade.

Segundo a pesquisa "Você é um especialista em cibernética?" da Kaspersky Lab, um surpreendente 63% dos entrevistados diz não ler o contrato de licença antes de instalar um novo aplicativo em seu dispositivo, e um em cada cinco pessoas (20%) nunca leu as mensagens para instalar aplicativos; apenas clicam em "Próximo" e "Concordo", sem entender o que estão autorizando.

Na verdade, alguns aplicativos podem afetar a privacidade do usuário, instalar outros apps ou mesmo alterar a configuração do sistema operacional de um dispositivo de forma completamente legal já que usuário clicou em “aceito” durante o processo de instalação.

Comentário (0) Hits: 675

UPX aposta em plano de canais para crescer

upx.jpg08/03/2017 - Empresa de tecnologia escolhe canais qualificados para explorar segmentos como o financeiro e o de ISPs no Brasil e na América latina

Após a contratação de Adriano Schulz como Latam Sales Director para comandar a expansão para a América Latina, a UPX Technologies anuncia um plano de canais de vendas para ampliar sua atuação no Brasil e em outros países sul-americanos, agilizando o acesso aos clientes finais e alcançando setores como financeiro até o de provedores de serviços de Internet – ISPs.

Atualmente, a UPX tem negociações avançadas e alguns acordos fechados com seis novos canais no Brasil, com atuação focada em suas soluções, e sete distribuídos por Chile, Colômbia, Peru, Equador, Argentina, México – alguns com atuação no mercado norte-americano. A expectativa é aumentar o marketshare e sua área de atuação com parcerias fortes.

Schulz deseja trabalhar com canais extremamente qualificados, em número restrito, e que possuam uma sinergia de trabalho. "Assim evitamos concorrência entre nossos canais, oferecendo todo apoio e proteção".

Benefícios para os parceiros

De acordo com a empresa, o parceiro recebe uma comissão do valor líquido faturado a cada venda recorrente realizada. Além disso, o canal conta com o apoio da UPX para treinamentos comerciais e técnicos que ajudam a compreender melhor o funcionamento dos serviços.

Além do ganho recorrente a cada venda efetivada, o canal contará com a colaboração da UPX em reuniões técnicas e comerciais, terá apoio do setor de marketing com a produção de materiais e ações de marketing. "Nossos parceiros terão aumento em suas vendas e redução de custos ao entrarem em uma parceria inteligente, com competências e tecnologia que diminuem os riscos e geram economia", prevê o executivo.

Comentário (0) Hits: 134

Webinar discutirá Internet das Coisas no Brasil

iot_brasil2.jpg21/02/2017 - Os objetos estão cada vez mais inteligentes e conectados. A ligação que torna os dispositivos cada vez mais automatizados – e capaz também de aprenderem - é denominada de Internet das Coisas (ou IoT, na sigla em inglês). E essa revolução já é uma realidade: atualmente o Brasil é o 4º país do mundo em ataques DDoS a partir de dispositivos IoT.

A internet das coisas já passou do estágio de curiosidade e de especulação para o momento em que aplicações de negócios e práticas estarem sendo construídas. Passamos agora para projetar com mais cautela, com políticas e padrões, para que ela avance do jeito correto, observando todas as variáveis envolvidas no processo.

A consolidação desta tecnologia é o assunto do primeiro evento online sobre IoT para profissionais do setor no Brasil, o IoT Brasil Summit 2017, que acontecerá no dia 05 de abril de 2017 e abordará os seguintes temas: Tecnologias de conectividade, Soluções e modelo de negócios, Redes virtualizadas, Segurança IoT e Dispositivos. Cada apresentação terá de 20 a 30 minutos e ficarão disponíveis no site por 12 meses.

Os interessados em participar desse webinar gratuito devem fazer sua inscrição pela internet, no endereço http://telecomwebinar.com/iot-brasil-summit-2017/

O IoT Brasil Summit 2017 contará com os seguintes palestrantes

- Ari Lopes, Analista Sênior Ovum Americas
- Fábio Moraes, Gerente de Estratégia Associação GSM
- Maiara Munhoz, Analista sênior de transformação digital Frost & Sullivan
- Eduardo Tude, Presidente Teleco
- David Pfannemuller Guimarães, Consultor de Tecnologia Oi
- Janilson Bezerra, Innovation & Business Development TIM Brasil
- Francisco da Silva, Membro de Conselho ETSI
- Eduardo Takeshi, Gerente Sr. Produtos IoT & M2M Vivo

Moderadores:

- José Luis De Souza, Cofundador Teleco
- Paulo Portocarrero, Consultor Teleco
- Ethevaldo Siqueira, Telequest / Mundo Digital
- Renato Cruz, Editor Inova.jor
- Miriam Aquino, Diretora Momento Editorial

Serviço

Webinar: IoT Brasil Summit 2017, o primeiro evento online sobre IoT para profissionais do setor no Brasil
Dia: 05 de abril de 2017
Os interessados em participar desse webinar devem fazer sua inscrição pela internet aqui

Comentário (0) Hits: 264

Imagine um robô que come poluição (no mar)

robot_poluicao.jpg24/02/2017 - Assista este vídeo do TED - é sobre o "Row-bot", um robô que limpa a poluição marinha enquanto gera a eletricidade necessária para se regarregar, engolindo água suja. O roboticista Jonathan Rossiter explica como essa máquina faz para neutralizar por exemplo manchas de óleo derrubadas no mar. Este projeto poderá ser um precursor de robôs biodegradáveis e autônomos de combate à poluição marinha.

Assista ao vídeo do TED aqui

Comentário (0) Hits: 237

A importância da performance de vídeos online

online-video.jpg*Por Flávio Mizukawa
31/01/2017 - O aumento da qualidade de conexão e a capacidade de criar e distribuir vídeos na Internet transformam o modo como a mídia é consumida e as formas de comunicação entre marcas e pessoas. Um levantamento da comScore, datado de setembro de 2015, mostra que as marcas que utilizam vídeos online apresentam de 20 a 40% de crescimento nas vendas. Ainda, o levantamento traz que na América Latina há mais pessoas assistindo a vídeos on demand do que a TV aberta - sendo 81% versus 70%, respectivamente.

Essas e outras pesquisas apontam essa nova forma de interação com o público que, por conta dos novos hábitos de consumo e nova rotina, tem aderido e criado expectativas em relação a essa modalidade de mídia. Por isso, provedores de conteúdo, instituições de ensino à distância e empresas de outros segmentos precisam cada vez mais garantir que o seu conteúdo seja entregue sem falhas, com rapidez e sem interrupções na reprodução.

Outras tendências e comportamentos, como 85% dos usuários do Facebook assistirem vídeos sem áudio – quantidade considerável uma vez que a rede social registra diariamente mais de 8 bilhões de reproduções de conteúdo do tipo – devem ser observadas pelas empresas para que ofereçam cada vez mais uma melhor experiência aos seus clientes.

Que fatores interferem na qualidade dos vídeos?

Quando um usuário não tem uma boa experiência no consumo de um vídeo online, o impacto está relacionado diretamente ao não retorno dele ao site. Estudos mostram que apenas 8% dos usuários voltaram ao site após terem tido uma experiência de vídeo que falhou, contra 11% que retornariam se a experiência tivesse ausência de erro. Ainda, afirmam que a chance de um usuário voltar ao site no mesmo dia se não houver falhas na execução do vídeo é 37% maior.

Em relação a isso, devemos considerar os diversos fatores que interferem na qualidade da reprodução de um vídeo, tais como: qualidade do conteúdo (imagens), bitrate (taxa que mede a quantidade de informação contida num determinado tempo em Kbps) e a performance na execução. Assim, indicadores de bom desempenho estão ligados à diminuição da taxa de abandono, pois melhoram o engajamento do usuário e aumentam o retorno da audiência. Para o sucesso de um negócio baseado em vídeo online é preciso buscar soluções que garantam esse desempenho e qualidade na experiência. Algumas soluções chave são:

· Rede altamente distribuída: duas causas geralmente relacionadas a uma performance baixa de reprodução do vídeo são o congestionamento de rede e a latência entre o usuário final e o servidor de origem, fatores que sofrem interferência conforme a distância e o número de redes que o arquivo tem que percorrer. Uma rede altamente distribuída, com servidores ligados entre si e difundidos globalmente, minimiza o tempo de entrega de conteúdo, levando as informações num ponto mais próximo do usuário final. Assim, é possível fornecer uma melhor qualidade de vídeo e bitrates maiores.

· Adaptive Bitrate Streaming: esta tecnologia permite que o vídeo seja entregue em várias qualidades com bitrates diferentes, adaptando a qualidade do conteúdo às condições da conexão do usuário final. Se a qualidade estiver boa o vídeo sempre será entregue com um bitrate maior, mas quando a qualidade da conexão cai, o bitrate automaticamente é reduzido, evitando experiências como rebuffer ou até mesmo interrupção da transmissão.

· Media Analytics: tão importante quanto a infraestrutura de entrega de vídeo é a capacidade e habilidade de analisar as métricas de performance. Uma boa ferramenta de analytics permite o monitoramento da entrega do conteúdo, sendo uma importante ferramenta de marketing e estratégia de negócios. A partir das métricas coletadas é possível entender porque os usuários estão abandonando o vídeo (por um problema técnico ou conteúdo desinteressante, por exemplo). Ainda, é possível avaliar se o conteúdo está adequado aos devices que estão carregando o conteúdo para consumo.

Para medir os resultados e tornar as ações de melhora na qualidade dos vídeos ainda mais eficientes, as empresas aplicam métricas. As mais frequentemente consideradas nesse cenário são: taxa de retenção, assinantes, engajamento, tempo de carregamento, taxa de abandono e rebuffer.

Concluindo, como os vídeos online têm sido a mídia mais consumida entre os usuários, a qualidade do conteúdo e a experiência devem ser cuidadosamente consideradas pelas marcas, com objetivo de conquistar seus clientes e, consequentemente, obter retorno em vendas.

*Flávio Mizukawa é especialista em streaming e media analytics na Exceda e representante da Akamai.

Comentário (0) Hits: 212

newsletter buton