Como as redes sociais mudaram o cenário do marketing

Você já reparou que algumas vezes o Facebook, o Google ou o Instagram parecem adivinhar exatamente o que você está pensando? Já teve a sensação de que essas redes sociais te observam diariamente a ponto de exibir exatamente anúncios sobre algo que necessita? Isso não é uma ocorrência rara nos tempos atuais. Na verdade, essa inteligência de marketing é o motor que impulsiona e financia a existência desses aplicativos.

Para melhor entendimento desse fenômeno, é necessário voltar cerca de 20 anos ao passado. Naquela época o Google despontava como a melhor opção para obtenção de tráfego pago para um website. Seu modelo de buscas, utilizando um algoritmo que retornava pesquisas cada vez mais precisas, havia revolucionado a Internet, e o modelo de negócios da empresa se tornara cada vez mais viável, você poderia pagar para exibir um link para seu site quando alguém buscasse por uma palavra chave relacionada a ele.

Isso por si só já era uma evolução tremenda em relação aos veículos de comunicação de massa. Para anunciar em uma revista, por exemplo, era necessário primeiro encontrar alguma que se relacionasse com seu público alvo, depois pedir orçamentos, negociar. A maioria desses veículos dificilmente se relacionava com pequenos empresários, e para obter um preço que fosse possível de se pagar, as empresas tinham que se comprometer em comprar um número “X” de anúncios. E para piorar isso tudo sem garantia alguma de retorno.

Dessa forma, o Google com seu modelo de CPC (custo por clique, ou seja, você só paga quando alguém efetivamente clica em seu anúncio) havia se tornado uma excelente opção de investimento. Uma alternativa de publicidade em que você só pagaria quando alguém que buscasse pelo seu produto clicasse no seu link? Parecia muito bom para ser verdade.

Então o Google tornou-se durante muitos anos o principal meio de anúncios na Internet, e todos se perguntavam qual seria a próxima evolução do marketing digital, até surgirem as redes sociais.

Elas possuíam todas as vantagens do Google, e além: a exibição dos anúncios era muito mais fácil e muito mais direcionada. Você não precisava esperar as pessoas buscarem por uma palavra chave para exibir seus anúncios para ela, poderia fazer isso quando quisesse, e se mantém assim. Funciona da seguinte maneira: as redes sociais possuem um mapeamento dos interesses dos seus usuários. Um algoritmo analisa o perfil do usuário, as páginas que ele segue, os comentários que ele faz e as curtidas que ele deixa, para classificar aquela conta como propícia a receber anúncios de um determinado nicho. Em algumas redes, é até comum a própria plataforma perguntar quais anúncios o usuário prefere ver.

As empresas então ganharam a opção de exibir seu anúncio justamente para quem está interessado em ver, com o orçamento controlado e pagando por resultado. É um modelo inovador que traz um benefício real, tanto para os anunciantes quando para a audiência.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton