Por que tanta gente cai nas armadilhas da Internet? Confira aqui:

Por Ethevaldo Siqueira

Relembro hoje as sete principais armadilhas mais comuns na internet, conforme nos explica o LinQ Telecom: (Armadilhas na Internet – LinQ.

1. A primeira delas é das ofertas mirabolantes. Não acredite nelas. Como diz o provérbio, não existe almoço de graça, ou muito barato. Desconfie sempre.

2. Em segundo lugar, não caia na armadilha das cobranças indevidas de multas do Detran, ameaças do Imposto de Renda. Nem o Detran nem o IR não cobram nada pela internet. E se receber um aviso pelo correio verifique se não é falso.

3. Outra armadilha que pega muita gente é o pedido de atualização de dados bancários. Não forneça seus dados pessoais e confidenciais pela internet.

4. Não caia no golpe do boleto na internet, do envio de recibo de uma compra que você não fez. Avisos de encomendas do correio ou de fornecedores.

5. Uma das armadilhas em que as pessoas mais caem são cobranças indevidas, feitas pela internet. Mesmo que lhe pareçam verdadeiras, não abra anexos. Verifique tudo por telefone ou pessoalmente, no caso de lojas ou fornecedores.

6. Nunca abra links para um suposto histório de WhatsApp. É vírus na certa.

7. Mesmo que você seja assinante do Netflix, do Spotfy ou do Google, não atenda a pedidos de atualização de seus dados pessoais pela Internet. As Armadilhas estão espalhadas por todos os cantos, pois a Internet proporciona acesso a uma infinidade de informação, diversão e entretenimento. Os truques são os mais diversos, bem como suas finalidades, que vão de furto de dados bancários para compras, à contaminação do computador para derrubar um site ou serviço.

Fique sempre atento

Portanto, é fundamental ao internauta se manter alerta em relação às eventuais armadilhas para não se tornar mais uma vítima. Principais:


Vírus

Todos os dias, diversos tipos de vírus surgem na rede mundial de computadores. Malwares, trojans, adwares e outras aplicações maliciosas que, juntas, têm o objetivo de prejudicar o internauta. Seja furtando informações, espionando, ou destruindo o equipamento do usuário, os hackers costumam ser ardilosos na hora de espalhar ameaças online. Para se proteger, aposte em um bom antivírus e um firewall, mantendo-os sempre atualizados.

Espionagem

Alguns hackers são capazes de ligar a webcam ou o microfone de notebooks e smartphones de outros usuários com o objetivo de espionar quem está do outro lado da tela. Há também criminosos que invadem redes sociais para identificar informações relacionadas à vida pessoal do usuário, como locais que costuma frequentar e fotos de seus parentes. É muito importante elevar o nível de privacidade de conta para quem pode visualizar as informações do perfil, especialmente para crianças e adolescentes. Também é recomendado cobrir os componentes de áudio e vídeo com uma fita adesiva sempre que não estiverem em uso.

Furto de dados e identidade

Phishing é o nome dado à artimanha dos criminosos para “pescar” os dados pessoais ou bancários do usuário. Com essas informações, ele pode realizar compras ou clonar uma identidade para abrir cadastros, realizar transações bancárias ou criar contas falsas em perfis sociais. Para que isso não aconteça, evite ao máximo compartilhar informações pessoais como senhas, nomes de usuário, informações bancárias ou números de cartão de crédito em links duvidosos de e-mails ou sites que não contam com certificados de segurança – que podem ser conferidos pelo cadeado na barra de endereço. Ao comprar em lojas virtuais, pesquise e opte sempre por e-commerces com boas reputações.

Aplicativos falsos

Alguns criminosos utilizam aplicativos em formas de jogos ou ferramentas para invadir dispositivos móveis, em uma abordagem conhecida como man-in-the-middle. Essa modalidade de ataque intercepta dados enviados digitalmente e também pode ser executada por meio de apps duvidosos disponíveis para download nas lojas dos sistemas operacionais. Com isso, o hacker consegue obter senhas, números de cartões de crédito, informações de login, etc. Portanto, ao baixar um aplicativo, fique atento aos comentários dos usuários e, principalmente, às permissões de acesso que o mesmo solicita.

Ataques DDoS

A ascensão da Internet das Coisas tem conectado cada vez mais dispositivos à rede, criando um cenário propício aos ataques de negação de distribuição de serviço (conhecidos pela sigla DDoS, em inglês). Esse tipo de ameaça infecta smartphones, tablets, roteadores, câmeras IP e qualquer outro aparelho conectado para direcionar acessos simultâneos a determinado site ou serviço, sobrecarregando e indisponibilizando o sistema. Para que seu dispositivo não se torne um “zumbi” em meio a esta legião, o usuário deve trocar as senhas de acesso periodicamente.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton