Fortaleza sedia primeiro INOVAtic NE 2018

inovatic.jpg28/02/2018 - Formado por congresso e feira de negócios, encontro internacional de pesquisas, inovação, conectividade e fomento a startups de TIC acontece em 26 de março na capital cearense

Fortaleza se tornou a bola da vez de 2018 no mercado brasileiro de Tecnologia da Informação e Telecomunicações, conhecido entre os experts como mercado TIC. O grande motivo é a chegada, neste primeiro trimestre, de um complexo de novos cabos submarinos de alta velocidade à capital do Ceará, que se transforma em porta de entrada das novas rotas de comunicação da América Latina com o restante do mundo.

As oportunidades de negócios envolvidas já somaram mais de US$ 300 milhões, só na instalação dos cabos de fibras ópticas unindo Ceará à África e, a partir dela, à Europa, Ásia e restante do mundo. Essas inversões e seus desdobramentos serão o principal tema de um encontro internacional de negócios, pesquisas e fomento a startups que se realiza em Fortaleza dia 26 de março.

Formado por congresso e feira de negócios, com apresentações das principais companhias de TIC do país, o INOVAtic NE 2018 está com inscrições abertas tanto para interessados em participar dos painéis do congresso quanto para expor produtos de empresas nacionais e estrangeiras na feira de negócios. O evento tem patrocínio de companhias como Claro Brasil, Oi, Padtec, Angola Cables, Telebras e Finep, entre outras.

As inscrições podem ser feitas diretamente no site do INOVAtic NE, em www.eventos.momentoeditorial.com.br/inovatic.

Algumas informações ajudam a entender melhor a importância global que Fortaleza vem ganhando no cenário tecnológico como hub de conectividade, dada sua localização estratégica, em relação à África, Américas e Europa. Os cabos de fibra óptica que acabam de ser instalados ligando Angola e Brasil, pela multinacional Angola Cables, percorre seis mil quilômetros levando sinais digitais em alta velocidade – um pacote básico de dados chegará a Angola 63 milésimos de segundo após sair de Fortaleza. Com essa performance, a rota será usada para distribuição e venda de conteúdos produzidos no Brasil e em outros países da América, entre várias outras oportunidades que serão discutidas no InovaTic NE.

Serviço

INOVAtic NE 2018 - Feira de Negócios e Congresso de Tecnologias da Informação e Comunicação
Quando: 26 de março de 2018
Onde: Fábrica de Negócios Fortaleza (CE)
Endereço: Avenida Monsenhor Tabosa, 740 – Praia de Iracema – CEP: 60165-010
Mais informações: http://www.eventos.momentoeditorial.com.br/inovatic/

Comentário (0) Hits: 673

SingularityU Summit chega ao Brasil em 2018

singularity_university.jpg15/02/2018 - A Singularity University, uma comunidade de aprendizagem global que usa tecnologias exponenciais para resolver os desafios do mundo, organizará pela primeira vez no País o SingularityU Brasil Summit nos dias 23 e 24 de abril em São Paulo.

Fundada há nove anos por Ray Kurzweil e Peter Diamandis, a Singularity University, que fica em uma base de pesquisa da NASA, localizada no coração do Vale do Silício, na Califórnia, reúne as mentes mais brilhantes do planeta e se dedica a resolver os grandes desafios globais através da aplicação das tecnologias exponenciais, onde pensar pequeno não é uma opção.

Durante os dois dias, em parceria com a HSM e Mirach e com o apoio da Deloitte, o evento reunirá líderes e organizações de pensamento exponenciais de todo o mundo, permitindo aos participantes obter informações sobre tecnologias emergentes e exponenciais e sua aplicabilidade.

Segundo Guilherme Soárez, CEO da HSM a parceria representa uma oportunidade única na formação de um futuro próspero para o País. “Acredito que o Summit vai auxiliar na construção de um País mais justo, próspero e ético, conectando e inspirando os líderes para desempenharem um papel vital na formação de um futuro abundante para todos os brasileiros”.

O evento é voltado para líderes, governantes, empresários e empreendedores que desejam ampliar seus conhecimentos em prol de um ambiente socioeconômico saudável e sustentável. Entre os temas que serão discutidos estão robótica, inteligência artificial, biotecnologia, nanotecnologia, energia, big data, finanças e economia, redes e computação, neurociência, bioengenharia e bioinformática.

Sobre a Singularity University

A Singularity University (SU) é uma comunidade global de inovadores que compartilha como missão resolver os maiores desafios do mundo. A comunidade SU é composta de indivíduos, empresas, instituições, investidores e ONGs em mais de 80 países. A plataforma SU é uma combinação única de serviços que consiste em programas educacionais em tecnologias exponenciais, bem como programas de inovação para apoiar a colaboração e iniciativas que alavancam essas tecnologias para impactar positivamente bilhões de vidas em todo o mundo.

Sobre a SingularityU

A SingularityU Global incorpora a comunidade de estudantes da Universidade Singularity. Os alunos estão na condução vanguardista de ideias, impacto e mudança usando tecnologias exponenciais para abordar grandes desafios da humanidade em suas comunidades. A Singularity University é uma plataforma para educação e ação que se concentra na compreensão de como a tecnologia exponencial pode ser alavancada para gerar impacto global. Aspira criar uma comunidade global de pessoas. A SingularityU Global  promove atividades projetadas no espírito da missão da Singularity University e são compartilhadas pelos alunos da comunidade ao redor do mundo.

Sobre o SingularityU Summit

SingularityU Summits são conferências de dois dias realizadas em todo o mundo para auxiliar os líderes locais a entender como as tecnologias exponenciais podem ser usadas para criar mudanças positivas e econômicas e crescimento em sua região. As cúpulas tornam-se um ponto anual de conexão e inspiração para a comunidade local, um catalisador para acelerar uma cultura regional de inovação e uma oportunidade para destacar tecnologias revolucionárias, startups e ideias.

Comentário (0) Hits: 1846

Curitiba sediará o Smart City Expo Curitiba 2018

smart_city_curitiba.jpg17/01/2018 - Um dos quatro principais pilares dos debates que ocorrerão no Smart City Expo Curitiba 2018, em 28 de fevereiro e 1º de março, é o segmento de tecnologias disruptivas, que vem transformando as cidades em polos cada vez mais conectados, com o objetivo de facilitar e melhorar a vida dos moradores.

O evento, que trará a Curitiba especialistas do mundo inteiro, discutirá como cidades que adotam inovações utilizam recursos de inteligência artificial, internet das coisas, big data, robótica e aplicativos móveis para oferecer serviços mais eficientes e sustentáveis que trazem qualidade de vida aos cidadãos e são capazes de solucionar alguns dos principais problemas urbanos. As novas tecnologias apresentam dispositivos mais conectados por meio da internet das coisas e são enriquecidas com sistemas de “deep learning”, que permitem que as máquinas adquiram um conhecimento complexo para as operações digitais muito além de algoritmos matemáticos e estatísticas.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), em relatório sobre smart cities, aponta que estão entre os pilares tecnológicos básicos de uma cidade inteligente a infraestrutura de conectividade, sensores e dispositivos conectados, centros integrados de operação e as interfaces de comunicação.

A conectividade de alta velocidade fixa ou móvel por meio de cabos, fibra óptica e conexão sem-fio (Wi-Fi, rádio, 3G, 4G e em breve o 5G) são a base para a instalação de sensores, câmeras e dispositivos conectados a uma grande rede de dados que permitem que os cidadãos recebam informações úteis e demandem serviços essenciais. “Já é possível controlar o uso de água e de energia, realizar a coleta e reciclagem de lixo de maneira mais eficiente, melhorar o trânsito e planejar a segurança pública”, exemplifica André Telles, diretor de marketing do iCities, empresa que lidera a organização do Smart City Expo Curitiba 2018.

Nesses casos, a população fica conectada por meio de suas interfaces de comunicação (redes sociais, portais web e aplicativos móveis) e todo o sistema é monitorado por meio de centros integrados de comando e controle, que recebem dados, imagens e informações e verificam o bom funcionamento de todas as operações, além de planejar uma gestão com modelo unificado e participativo.

Um exemplo de cidade que se destacou no uso de tecnologias inovadoras é Dubai, que recebeu o prêmio de cidade inteligente no Smart City Expo World Congress em 2017. O governo local está utilizando a “blockchain” para registrar e processar todos os documentos e transações imobiliárias até 2020. A “blockchain” é um sistema de registros que garante a segurança de operações virtuais e se tornou conhecido principalmente por validar as operações com criptomoedas em todo o mundo.

Em Singapura, a reunião de dados de pacientes com histórico de internações nos últimos seis meses possibilitou que os médicos atendessem os doentes em casa, poupando a utilização de diárias em hospitais. Já Barcelona desenvolveu lixeiras inteligentes que avisam a prefeitura quando estão com 70% de sua capacidade esgotada, além de semáforos inteligentes que oferecem informações úteis para controle do trânsito.
Quem também apresenta tecnologias inovadoras para a construção de uma smart city é o projeto Santiago Smart City, localizado no centro empresarial da cidade de Huechuraba, região metropolitana da capital chilena. O gerente do projeto, Pedro Vidal, será um dos palestrantes do evento em Curitiba.

Entre os diferenciais está a utilização de um sistema de gestão remoto que permite apagar, acender e mudar a intensidade de cada luminária da cidade de maneira individual de acordo com o horário, clima ou época do ano. A cidade conta ainda com um sistema de videomonitoramento com câmeras Full HD, análise de vídeo integrada e sistema de alerta audiovisual. Além disso, os habitantes do projeto chileno possuem à disposição wi-fi gratuito em alguns pontos.

Seguindo os passos apontados pelo BID para a construção de uma cidade inteligente, todo o sistema conta com uma rede automatizada que transfere todas as informações disponíveis para um centro de controle. Por meio de quatro alimentadores que atendem a seções específicas da cidade, é possível identificar e corrigir qualquer falha em serviços essenciais rapidamente, sem que isso afete a população.
Curitiba também está representada como uma cidade que possui tecnologias inovadoras para a população. O aplicativo Saúde Já, por exemplo, permite agendar consultas na rede pública de saúde por meio do celular a fim de evitar filas em hospitais. Além disso, a Prefeitura também oferece os espaços dos Faróis do Saber e da Inovação que possui espaços destinados às crianças para o contato com diversas formas de tecnologia e educação.

Sobre o Smart City Expo Curitiba

O Smart City Expo Curitiba (www.smartcityexpocuritiba.com) será a primeira edição brasileira do Smart City Expo World Congress (www.smartcityexpo.com/), evento realizado anualmente em Barcelona. O maior evento global sobre o tema de Cidades Inteligentes, que reúne mais de 18 mil pessoas de 120 países durante 3 dias, já ocorre anualmente em outras cidades ao redor do mundo como Kyoto (Japão), Montreal (Canadá), Puebla (México), Casablanca (Marrocos), Istambul (Turquia), Bogotá (Colômbia) e recentemente em Buenos Aires (Argentina).


Comentário (0) Hits: 1205

Qual o impacto da transformação digital no comércio?

fecomerciosp.jpg28/11/2017 - Empreendedor, os desafios, as possibilidades e as novidades da economia digital estão aí. A FecomercioSP e a Brasscom convidam para evento "A Transformação Digital e o Impacto no comércio de bens e serviços" e montaram uma programação para você se conectar a essa nova realidade do mundo dos negócios.

Veja a programação completa:

Dia 29/11

8h30 – Credenciamento e Welcome Coffee

9h - Abertura Institucional

9h15 - Painel 1 - A Economia Digital e o seu Impacto na Comercialização de Bens/Serviços e nas Relações Laborais

Cenário da economia digital mundial e os seus impactos no varejo brasileiro
Pedro Guasti, presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP e CEO da Ebit
Mônica Herrero, CIO da Stefanini Brasil
Moderador: Carlos Aros, repórter e coordenador de Produção da Jovem Pan

10h15 - Painel 2 | O Varejo e os Provedores de Computação em Nuvem

O segmento de varejo exige diferenciação competitiva, eficiência operacional e velocidade de resposta às demandas de mercado. A utilização da infraestrutura de computação em nuvem garante, entre outros benefícios: agilidade, alta disponibilidade e modelos de utilização de recursos de TI baseados em seu consumo.
Carlos Alves, gerente de Serviços da Logicalis
Augusto Bezerra, gerente de Marketing e Produtos de Soluções Digitais da Embratel
Adriano Pesconi, coordenador comercial da Locaweb
Moderador: Carlos Aros, repórter e coordenador de Produção da Jovem Pan

11h15 - Painel 3 - Mar-Tech e Ad-Tech: o Uso de Tecnologia nas Estratégias de Marketing/Comunicação do Varejo

Na era digital, o marketing personalizado ganhou um novo impulso e alcançou um novo patamar de eficácia. O advento da internet, das mídias sociais e das tecnologias emergentes permite técnicas avançadas de criação e distribuição de conteúdo e publicidade, impactando positivamente a experiência do cliente (UX).
Victor Hugo Cardoso Alves, representante da Stefanini
Marcelo Raducziner, industry advisor da DXC Technology
Welington Souza, gerente de Marketing da Locaweb
Moderador: Carlos Aros, repórter e coordenador de Produção da Jovem Pan

12h15 às 13h30 - Almoço - Brunch

13h30 - Painel 4 - Plataformas Digitais e Integração On e Offline dos Negócios
Os clientes conectados esperam ter uma experiência consistente a cada interação com a empresa, a qualquer momento e por meio de qualquer dispositivo ou canal. Omnichannel são as ferramentas que suportam esta experiência rica e efetiva quando implementadas sobre uma plataforma digital - considerada como uma das principais estratégias de crescimento e de evolução do modelo de negócio das organizações.
Mário Almeida, diretor-executivo de Mobilidade e Ecofluig da TOTVS
Paulo Venancio Marcelino, diretor de Pré-Vendas de Soluções Digitais da Embratel
Moderadora: Graça Sermoud, diretora editorial da Conteúdo Editorial

14h30 - Painel 5 - IoT – Internet das Coisas e Infraestrutura de Comunicação Digital

A Internet das Coisas impactará profundamente a sociedade e a economia na maneira como fazemos negócios, gerenciamos a infraestrutura pública ou organizamos nosso cotidiano. Sensores conectados viabilizarão a sofisticação e a performance de equipamentos, produtos e serviços e permitirão a tomada de decisão a partir de uma visão única de dados do negócio. A infraestrutura de comunicação digital necessária requer confiabilidade e cobertura para o tráfego de altos volumes de dados a custos competitivos.
Lucas Pinz, diretor de Tecnologia da Logicalis
Eros Jantsch, vice-presidente de Negócios para o segmento de Microempresas da TOTVS
Moderadora: Graça Sermoud, diretora editorial da Conteúdo Editorial

15h30 - Coffee Break

16h - Painel 6 - O Impacto das Tecnologias Disruptivas no Varejo e na Prestação de Serviços
As chamadas tecnologias disruptivas, como IoT, Big Data e Blockchain, impactam segmentos inteiros da economia e o desenvolvimento de novos modelos de negócio. Tudo isso em velocidade acelerada. As indústrias de varejo e serviço não são exceção e estão passando por processos expressivos de transformação digital em busca de maior eficiência operacional, atendimento personalizado do cliente, expansão de mercado e melhor rentabilidade, entre outros.
Breno Barros, diretor de Inovação & Negócios Digitais da Stefanini
Marcelo Raducziner, industry advisor da DXC Technology
Moderador: André Echeverria, advisor de Transformação Digital da Brasscom

17h – Encerramento

Pedro Guasti, presidente do Conselho de Comércio Eletrônico da FecomercioSP e CEO da Ebit
Sergio Paulo Gallindo, presidente-executivo da Brasscom

Saiba mais aqui:

Comentário (0) Hits: 1539

Livro aborda a importância das tecnologias

livro_informacao2.jpg08/11/2017 - A obra "Sociedade da Informação - Para Onde Vamos", lançado pela Trevisan Editora, mostra que as informações serão cada vez mais inevitavelmente convertidas em valor

Fazer uma análise sociológica de um conjunto de importantes transformações vividas no Brasil e no mundo, tais como o documento eletrônico, a identidade digital, o uso das biometrias e as moedas virtuais, é o foco principal abordado no livro "Sociedade da Informação – Para Onde Vamos", de Renato Martini, lançado pela Trevisan Editora.

Na publicação, as mudanças são retratadas a partir da articulação entre a sociedade e as redes de informação bem como sua infraestrutura. O leitor identificará imediatamente um enorme potencial de transformação e força disruptiva. De acordo com o autor, o livro aborda, fundamentalmente, a evolução histórico-social da informação. "Não se trata de um manual técnico, mas de uma análise transdisciplinar da desmaterialização de processos, dos documentos eletrônicos, das moedas virtuais, biometria, certificação digital e como o tratamento ao sigilo e a difusão do conhecimento nas redes repercutem decisivamente na vida atual", afirma.

Ainda segundo ele, é impossível pensar nos fenômenos dos quais todos participam no dia a dia de outra forma que não seja holística, já que estão presentes e implicados nos aspectos da vida social. "As tecnologias da sociedade e os impactos na vida social são avaliados como uma via de mão dupla. A sociedade não é resultado imediato da tecnologia, das técnicas ou de ferramentas tecnológicas, por mais extraordinárias que sejam. Trata-se de uma relação muito mais complexa", completa Martini.

O livro foi concebido para que o leitor percorra os capítulos passo a passo, linearmente e tenha ao fim uma visão de seu conjunto. Os três primeiros capítulos conceituam e articulam a sociedade da informação, infraestrutura da informação e tecnologia da informação. Na sequência, são explorados o advento do documento eletrônico, mostrando como a troca da versão em papel traz enormes desafios para a economia, os governos e a tecnologia, ou seja, como a sociedade brasileira já está impregnada dessas aplicações concretas.

A biometria, como ela é endereçada na sociedade da informação e sua relação com o sistema nacional de certificação digital, também é abordada em um capítulo específico, assim como os desafios e contribuições da plataforma blockchain e a relação com as redes descentralizadas e as criptomoedas virtuais.

"A sociedade está preparada para o avanço tão rápido da informação na medida em que estas transformações correspondam a um certo nível de evolução social. Nossa identidade não está mais gravada num cartão, mas em bits, o mesmo se passa com as minúcias biométricas ou com nossos contratos, notas fiscais e moedas. A informação será cada vez mais inevitavelmente convertida em valor. Parece algo simples, mas devemos observar que ao transformá-la em mercadoria temos que analisar o impacto disso na vida econômica, social e também no campo ético", finaliza.

Sobre a publicação:
Autor: Renato Martini
Número de Páginas: 176
Edição: 1ª
Ano: 2017
Formato: 16x23
ISBN: 978-85-9545-018-9
Peso: 250g

Comentário (0) Hits: 1725

Vivo se prepara para o Dia dos Voluntários

dia_voluntario.jpg18/10/2017 - 12º edição do Dia dos Voluntários Telefônica no Brasil mobiliza colaboradores do grupo Telefônica em cerca de 600 atividades voluntárias, distribuídas em 40 cidades do País

A Fundação Telefônica Vivo promove, nesta sexta-feira, 20, o Dia dos Voluntários Telefônica (DVT), com cerca 5,5 mil colaboradores mobilizados em atividades voluntárias em 53 ONGs de 40 cidades no País. O número de colaboradores envolvidos é o maior desde o começo da iniciativa, que aconteceu pela primeira vez em 2005 e chega em sua 12º edição em 2017, com cerca de 600 ações acontecendo simultaneamente. “O DVT é um momento muito especial no ano porque é a principal ação do programa de voluntariado da Fundação. O evento gera engajamento dos colaboradores, aproxima a empresa das comunidades e ainda evidencia um propósito maior de fazer a diferença na vida de quem precisa”, explica Americo Mattar, Diretor Presidente da Fundação Telefônica Vivo.

O Dia dos Voluntários acontece em 32 países onde há equipes do Grupo Telefónica. Em São Paulo, as atividades acontecem em nove instituições: Marginal Verde – Projeto Pomar (Marginal Pinheiros), EMEF Brasil Japão (Jardim Sarah), EE Prof. Odon Cavalcanti (Ipiranga), Arsenal da Esperança (Brás), Obra Assistencial Nossa Senhora do Ó (Freguesia do Ó), EE Prof. Lourenço Filho (Planalto Paulista), EMEF Doutor José Dias da Silveira (Brooklin), Capivari Monos (Parelheiros) e evento de adoção de animais (Brooklin). Para isso, 2.300 colaboradores estarão envolvidos com trabalhos de estímulo ao uso de tecnologia, oficinas profissionalizantes, recreação, mobilização de recursos, melhoria na qualidade de vida dos beneficiários, revitalização de espaços, entre outros.

Para os colaboradores que preferirem participar por meios digitais, a empresa também promove o Game do Bem (http://gamedobem.com.br/), uma plataforma de atividades de voluntariado online e offline, que permite envolvimento de colaboradores e familiares. Trata-se de um jogo interativo, com missões socioambientais baseadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. As tarefas vão desde compartilhar uma causa nas redes sociais até adotar um animal de estimação. Cada atividade gera uma pontuação para o participante, registrada na plataforma que destaca os melhores colocados.

Nos prédios administrativos da empresa, os voluntários que não puderem participar presencialmente poderão realizar ações digitais, como cadastrar notas fiscais e compartilhar o conteúdo digital da Fundação Telefônica Vivo (ações, projetos e campanhas de financiamento coletivo) nas redes sociais.

Sobre o Programa Voluntários Telefónica

O programa Voluntários Telefónica, administrado pela Fundação Telefónica global, promove a ação social das pessoas ligadas ao Grupo Telefónica que desejam contribuir com parte de seu tempo, de suas habilidades e de seus recursos para beneficiar a comunidade e os grupos menos favorecidos. O programa é hoje uma das principais iniciativas de voluntariado corporativo no mundo, com 31.471 participantes ativos em 2016 entre todos os países em que a Telefónica está presente. No ano passado, 262 mil pessoas se beneficiaram diretamente de sua ação solidária, dedicando 252.600 horas para realizar mais de 4.000 atividades para fins sociais e colaborando com mais de 350 entidades sociais.

Cada Fundação Telefónica local realiza seu próprio programa de voluntariado corporativo, levando em consideração as características e necessidades específicas de cada país, nos campos da educação e das crianças, do voluntariado digital, da inclusão social, dos cuidados com pessoas com deficiência, cuidados ambientais, cuidados de saúde, empregabilidade e empreendedorismo.
 
Sobre a Fundação Telefônica Vivo

A Fundação Telefônica Vivo, responsável pelos projetos sociais da Vivo, acredita na Inovação Educativa como forma de inspirar novos caminhos para o desenvolvimento do Brasil a partir da educação. Guiada pela inovação e a disposição em contribuir para a construção de um futuro com mais oportunidades para todos, a Fundação desenvolve projetos que utilizam a tecnologia para gerar novas metodologias de ensino-aprendizagem, estimular o empreendedorismo social e o exercício da cidadania. Com atuação no Brasil desde 1999, faz parte de uma rede formada por outras 17 fundações presentes da Europa e América Latina, integrantes do Grupo Telefónica.

Crédito: Fundação Telefônica

Comentário (0) Hits: 1858

newsletter buton