CES 2021: Centro de Convenções futurista

ces_2021_a.jpgPor Ethevaldo Siqueira
10/07/2020 - Em janeiro de 2020, cobri pela 51ª vez consecutiva o CES (anteriormente denominado Consumer Electronics Show), maior feira de eletrônica de consumo e entretenimento do mundo. Em janeiro de 2021, espero cobrir esse evento e conhecer as novidades incríveis que ali serão lançadas. Além das inovações em produtos, o LVCC (Las Vegas Convention Center), estará totalmente reformado e ampliado para abrigar o CES 2021. E com tecnologias futuristas.

Além de renovado, o Centro de Convenções de Las Vegas está sendo expandido e, em breve, a feira se tornará grande demais para ser visitada toda a pé. No final do ano passado, começou a busca por uma solução de transporte que pudesse diminuir a distância entre os diferentes pavilhões, e a empresa escolhida para a missão foi a The Boring Company, de Elon Musk.

Com o acordo, a empresa irá construir e operar o hyperloop dentro do centro de convenções, feito exclusivamente para transporte de pessoas, que poderão viajar em veículos para até 15 passageiros, ou então em carros da Tesla adaptados para rodar no túnel. A capacidade potencial do loop é de até 11 mil passageiros por hora.

Se depois do sucesso da prova de conceito do loop em Hawthorne, Califórnia, a TBC já está literalmente com a faca e com o queijo na mão, imagine depois de criar um hyperloop dentro do centro de convenções onde acontece uma das feiras de tecnologia mais importantes do mundo? Taí o que eu chamo de um bom showcase do sistema.

Por enquanto, o trajeto do novo sistema de transporte será restrito ao centro de convenções, mas se depender da vontade do pessoal da LVCVA e também da The Boring Company, ele poderá ter outras estações nos hotéis da Strip (como é conhecida a Las Vegas Boulevard), e chegar até mesmo na Freemont, aquela incrível rua coberta, que é o coração da Las Vegas antiga.

Para Steve Hill, CEO e Presidente do LVCVA, “Las Vegas tem mantido sua reputação como um dos principais destinos de viagem precisamente por sermos movidos por inovação e hospitalidade. Esse projeto é um exemplo perfeito de como nossos maiores princípios podem criar uma experiência adequada para nossa comunidade e nossos valiosos visitantes.”

A decisão final foi tomada ontem pelo LVCVA (Las Vegas Convention and Visitors Authority), que é o órgão que cuida das convenções de Las Vegas. Depois de batido o martelo, a The Boring Company vai poder começar os trabalhos, e a empresa deve estar bem ansiosa pra isso.

No ano que vem, o CES já vai estar de casa nova com a expansão do LVCC, que pode até não se parecer mais com um disco voador como quando foi construído, mas terá o seu charme de volta com o novo pavilhão, que terá uma arquitetura bem interessante. Mas e o terreno para construir a expansão, de onde veio? Simples, era o do velho hotel Riviera, que faliu em 2009 e foi comprado pela LVCVA, e será o lugar pra onde o LVCC irá se expandir.

Além disso, com a ajuda da The Boring Company, o centro de convenções vai chamar a atenção até mesmo embaixo da terra. A novidade será muito bem-vinda por todo mundo que frequenta o CES.

Sinceramente torço para que o resto da expansão do loop se torne realidade, afinal de contas, qualquer coisa que amenize a fila do monorail no centro de convenções será sempre muito bem-vinda, ainda mais sendo algo totalmente high-tech quanto um túnel da The Boring Company.

O plano da LVCVA é que o túnel esteja operacional até o CES 2021, ou seja, no CES 2021, vai dar pra fazer a resenha do passeio entre os pavilhões do centro de convenções, além do que é exibido dentro deles. Se bem que é possível que isso aconteça até mesmo antes disso, pois como Elon Musk disse no Twitter, o loop deve estar pronto até o final de 2020 ou seja, pode ser que alguns felizardos já tenham a chance de testar essa belezinha já no CES de 2021.

Quem viver, verá.

Vista do Las Vegas Convention Center, o LVCC / Crédito: tvsdesign

Comentário (0) Hits: 1200

USP tem vagas para cursos on-line em humanas

usp_cursos.jpg08/07/2020 - Cerca de 70 cursos gratuitos serão oferecidos a partir de 21 de julho com temas em áreas como literatura, filosofia, política e história; inscrições começam dia 14 de julho

No mês de julho, a USP oferecerá diversas oportunidades em cursos e atividades de extensão on-line na área de humanidades para os alunos da Universidade e para o público em geral. São cerca de 70 cursos gratuitos que somam mais de 4 mil vagas em diversas áreas como literatura, filosofia, política, história, antropologia, geografia, sociologia, tradução e estudos linguísticos. As inscrições devem ser realizadas de 14 a 16 de julho pelo formulário na internet neste link, sem necessidade de cadastro prévio ou senha no sistema.

Os cursos são promovidos pela Comissão de Cultura e Extensão da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e são resultado de estudos realizados em nível de pós-graduação. As aulas acontecerão no formato on-line entre os dias 21 e 31 de julho, com turmas distribuídas nos períodos da manhã, tarde e noite. Todos os alunos aprovados terão certificados de conclusão emitidos pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP.

Na área de literatura, há 30 cursos cujos temas abordam produções europeias como poesia alemã, literatura espanhola; os escritos de Balzac; passando por livros infantis na Rússia e Coreia do Sul; e autores brasileiros de diversas épocas como Gonçalves Dias, Castro Alves, Jorge Amado, Machado de Assis e Manuel Bandeira. Até a obra de J.K. Rowling, na série Harry Potter, terá espaço para um curso que vai analisar sua narrativa sob os pressupostos da teoria literária.

Os 16 cursos da área de teoria, política e sociedade tratam de vários períodos históricos e diferentes aspectos sociais e econômicos, desde a Revolução Francesa, passando pelo neoliberalismo, até a política externa do governo Bolsonaro. Também tratam de questões como violência, segurança pública e encarceramento. Outros destaques se relacionam a aspectos sociais da literatura, da produção audiovisual e da música.

Estudos filosóficos, históricos e geográficos compõem 14 cursos disponíveis, com destaque para aspectos culturais como a trajetória do samba, o cinema brasileiro moderno e usos da análise fílmica em sala de aula; a abordagem de pensadores como Sócrates, Tucídides, Kant e Adam Smith; além de questões contemporâneas como a periferia das metrópoles e o problema da fome.

Na área de linguística e tradução, nove cursos destacam questões de semiótica, do ensino de português como língua estrangeira, de estudos em alemão e do crioulo haitiano, além de abordagens da tradução sob o contexto do feminismo e também da tecnologia.

Por fim, três cursos tratam de temas feministas e questões de gênero, destacando os percursos de Virginia Woolf a Judith Butler; a representação política feminina latino-americana e perspectivas filosóficas sobre o conceito de gênero.

O objetivo dos cursos de extensão é levar o conhecimento gerado na Universidade à comunidade externa e também oferecer oportunidades para alunos de graduação e pós-graduação. A relação completa dos cursos, com seus respectivos programas e horários, pode ser acessada na página do Serviço de Cultura e Extensão.

Cursos de Inverno da FFLCH

21 a 31 de julho de 2020
Cursos: 71
Vagas: 4.095
Inscrições: gratuitas, de 14 a 16 de julho de 2020 pelo formulário na internet
Relação de cursos e informações: http://sce.fflch.usp.br/cursos-de-inverno-da-fflch

Crédito: Arte sobre foto/Wikimedia Commons

Comentário (0) Hits: 980

Bill Gates: Como a pandemia moldará o futuro?

ted_gates_2020.jpg10/07/2020 - Nessa palestra virtual – organizada pelo chefe do TED Chris Anderson – Bill Gates discute os melhores (e os piores) cenários para a pandemia do coronavírus nos próximos meses, reforçando os desafios de reduzir a transmissão de vírus, fornecendo uma atualização sobre as candidatas a promissoras vacinas, analisando a reabertura e até reservando um momento para abordar as teorias da conspiração, que circulam sobre si mesmo.

Fique atento à crítica feita por Bill aos colegas filantropos para aumentar sua ação, ambição e conscientização, com o objetivo de criar um mundo melhor para todos.

Essa conversa virtual com Bill Gates, organizada pelo chefe do TED Chris Anderson, foi gravada em 29 de junho de 2020

Saiba mais aqui:

Comentário (0) Hits: 1016

Hackathon estimula Open Banking no Brasil

hackaton_tec_ban.jpg01/07/2020 - Maratona online e gratuita reunirá participantes durante 56 horas seguidas a fim de desenvolver soluções voltadas para ecossistema financeiro

A TecBan, administradora do Banco24Horas, promoverá nos dias 24, 25 e 26 de julho o primeiro Hackathon TecBan, que tem como objetivo, nesta edição inaugural, simular as possibilidades do Open Banking no Brasil. Devido ao atual cenário de pandemia e para preservar a saúde e bem-estar de todos os participantes, o evento será 100% online.

Durante a maratona, os integrantes terão a oportunidade de desenvolver soluções e serviços utilizando as transações disponíveis e oferecidas na plataforma de Open Banking da TecBan.

No dia 24, ocorrerá a divisão dos grupos em times com cinco membros, respeitando os seguintes perfis: desenvolvedor, tecnologia, business, marketing e user experience. O desafio consistirá em atuar como uma TPP ‘third party’ (fintechs, startup ou banco), utilizando as APIs da plataforma de Open Banking (consulta de saldo/extrato, pagamentos, localização de agência/ATM, entre outras) para desenvolver novas soluções e serviços inovadores para pequenas e médias empresas, além de pessoas físicas.

Com as equipes formadas, serão 56 horas de ideação, programação e networking, com a supervisão de mentores, que estarão à disposição de forma online, durante todo o processo, para auxiliar e tirar dúvidas dos times. As simulações serão feitas por meio da plataforma de ‘sandbox’, ambiente controlado criado para o desenvolvimento de aplicativos e serviços compatíveis com o Open Banking brasileiro.

No dia 29 de julho acontecerá a live para a divulgação do resultado. Uma equipe será declarada vencedora e cada integrante será premiado com um iPhone 11.

As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas no website do Hackaton TecBan, até o dia 15 de julho. Ao todo, serão selecionados 200 participantes para a formação das equipes.

Serviço:

Inscrição - até 15/07 às 23h59 -  https://hackathon.tecban.com.br/
Início do Hackathon TecBan - 24/07 às 16h
Submissão dos projetos - 26/07 até 23h59
Avaliação dos jurados - 27 e 28/07
Live de divulgação dos premiados - 29/07 às 18h

Comentário (0) Hits: 774

A tecnologia não nos salvou da Covid-19. Por que?

coronavirus_usp.jpg26/06/2020 - O coordenador do MBA em Marketing, Inteligência de Negócios Digitais da Fundação Getulio Vargas (FGV) e editor-chefe da Technology Review Brasil, André Miceli, afirma que a tecnologia não foi a única que falhou no combate ao novo coronavírus. De acordo com ele, o alto índice de mortes revela uma falha profunda e fundamental na maneira como que os países pensam em inovação e a única resposta eficaz foi a quarentena em massa, uma técnica de saúde pública emprestada da Idade Média.

"Não foi só a tecnologia que decepcionou no combate ao coronavírus. Faltou, por exemplo, logística, com a falta de álcool gel e e máscaras no início da pandemia. Houve uma carência também de insumos políticos e financeiros para quem estuda tecnologias para salvar vidas em todos os países, incluindo os Estados Unidos, que deixaram a inovação de longo prazo de lado, priorizando soluções mais simples, orientadas pelo mercado", explica André Miceli.

Miceli ressalta que esse é um problema mundial. "Falta na maioria dos países uma intervenção do governo no ecossistema de inovação outrora saudável, capaz de identificar e criar tecnologias essenciais para o bem-estar mundial. Isso vem se deteriorando há décadas", critica o especialista.

Investimento em invocação - André Miceli alerta que a capacidade de qualquer país de inventar e depois implantar as tecnologias precisa ser moldada por financiamento público e políticas governamentais. "Nos EUA, por exemplo, o investimento público em manufatura, novos materiais, vacinas e diagnósticos não tem sido uma prioridade e quase não existe um sistema de direção do governo, apoio financeiro ou suporte técnico para muitas novas tecnologias de importância crítica", destaca o editor da MIT Technology Review Brasil.

Solução no setor privado? - O especialista esclarece que a solução não está no investimento privado, instância que procura se direcionar a mercados mais lucrativos. "Os maiores usos práticos da Inteligência Artificial (IA) ​​foram otimizados para itens como pesquisa na Web, segmentação de anúncios, reconhecimento de fala e rosto e vendas no varejo."

Comentário (0) Hits: 766

Robótica educacional no combate à covid-19

sesi_robotica.jpg22/06/2020 - As inscrições estão abertas para a competição criada pelo SESI, que desafia estudantes de robótica das redes pública e privada a criarem soluções que minimizem os impactos da pandemia

Álcool em gel, distanciamento social, máscaras de pano que precisam ser trocadas de tempos em tempos. Essas são apenas algumas das mudanças que passaram a fazer parte da vida das pessoas, e que, ao que tudo indica, permanecerão entre nós pelos próximos meses, por causa da pandemia de covid-19. Neste novo momento, quase todas as soluções que surgiram vieram da tecnologia. Por isso, o Serviço Social da Indústria (SESI) lançou um desafio para estudantes de robótica de todo o país. O Desafio SESI de Robótica Covid-19 vai selecionar projetos em todo Brasil que proponham respostas para a atual situação de saúde no mundo.
 
“A pandemia interrompeu os eventos presenciais de robótica, mas encontramos uma forma de estimular os estudantes brasileiros com este desafio”, explica Paulo Mól, diretor de Operações do SESI. “O nosso objetivo é continuar incentivando o ensino da robótica no Brasil, como forma de ampliar o interesse dos nossos jovens por áreas como ciências, matemática e tecnologia com desafios que estão diretamente relacionados a temas atuais.”

Para participar, os jovens, preferencialmente já inseridos em competições de robótica, devem montar equipes compostas por quatro a dez estudantes, com idades entre 9 e 18 anos, além de um técnico (maior de 18 anos). As inscrições ficarão abertas de 15 a 30 de junho e deverão ser feitas pelo técnico da equipe na página do Desafio SESI de Robótica Covid-19.

O desafio será todo feito a distância, por causa da pandemia. Na primeira fase, a equipe precisa se inscrever e apresentar sua proposta em um vídeo de, no máximo, dois minutos. Serão selecionadas 30 propostas que passarão para a segunda etapa da competição. Na segunda etapa, será preciso detalhar a proposta, que será avaliada com relação a pesquisa, criatividade e inovação, além de empreendedorismo e impacto social.

Ao todo, sete equipes serão premiadas: 1º, 2º e 3º lugares no geral, e ainda, premiações exclusivas para as categorias: melhor projeto de Pesquisa, melhor projeto em Criatividade e Inovação, melhor proposta de Empreendedorismo e, também, de Impacto Social. Os prêmios não são cumulativos, ou seja, cada equipe selecionada só poderá ser premiada em uma categoria.

Todas as sete equipes vencedoras ganharão medalhas individuais por competidor e um troféu por equipe, da respectiva categoria conquistada.

As três equipes vencedoras, respectivamente, em 1°, 2° e 3° lugares, serão convidadas a expor seus projetos em um stand exclusivo, durante o próximo Festival SESI de Robótica, previsto para ocorrer em março de 2021.

Saiba mais aqui:

Comentário (0) Hits: 881

newsletter buton