Como a ciência responde à pandemia

coronavirus_usp.jpg*Por Maurício Antônio Lopes
28/04/2020 - Essa pandemia é a primeira crise verdadeiramente global da história, com um organismo invisível afetando aproximadamente ao mesmo tempo praticamente todas as pessoas no planeta, ignorando raça, credo, status social ou limites físicos de qualquer ordem. A humanidade está em guerra, mas ao contrário das guerras travadas com tanques, armas pesadas e combates que agridem todos os sentidos e pressionam as pessoas a buscar abrigo e proteção, a guerra contra um inimigo invisível não provoca os sentidos da mesma forma e intensidade. O que torna difícil garantir que todos se protejam como devem, mesmo que cientistas e médicos alertem que o perigo ronda por todos os lados.

Em uma guerra como essa, a melhor arma que temos é a ciência. Pela simples razão de que esse minúsculo organismo, capaz de produzir apenas 29 proteínas, está evoluindo há milhões de anos e aprendeu, na sua aparente e enganosa simplicidade, a se proteger contra ataques. Em comparação, uma bactéria, que produz centenas ou milhares de proteínas, opera uma maquinaria biológica muito mais complexa, mas que dá à ciência um número muito maior de alvos para ataque e controle. É por causa desse inimigo poderoso e elusivo que cientistas do mundo inteiro estão unindo esforços de maneira nunca vista, compartilhando descobertas que possam apontar as vulnerabilidades para combatê-lo e derrotá-lo.

E a batalha da ciência contra um inimigo tão singular nem sempre é facilmente compreendida. Não é incomum numa situação como esta surgirem estudos científicos que aparentemente se contradizem, como tem acontecido, por exemplo, com a avaliação de medicamentos ou princípios ativos para combate e cura da COVID-19. Quando faltam respostas definitivas ou absolutas, muitos pensam que os cientistas são confusos ou incapazes de tratar o problema. E muita incompreensão ou desapontamento decorre do desconhecimento da forma como se faz ciência ou dos limites para se responder a questões complexas em tempos muito curtos.

O método científico é a principal ferramenta que os cientistas possuem para chegar a novos conhecimentos. A credibilidade da ciência depende de atenção a esse conjunto de regras, que começa com a definição de um problema e a formulação de uma hipótese – ou o que os cientistas assumem ser possível acontecer. Experimentos são realizados para produzir informações que indiquem se a hipótese estava ou não correta. Novos experimentos podem ser necessários, para refinar os resultados e se chegar a conclusões que são relatadas em artigos científicos, que revisados e aprovados por especialistas são publicados para amplo conhecimento de todos. É através dos artigos publicados que os cientistas dizem "isso é o que sabemos".

Acontece que, para cada ampliação do nosso conhecimento também existe um "isto é o que não sabemos", pois nenhum estudo consegue abarcar todas as dimensões de um problema. É por isso que, ao depararmos com estudos cujas conclusões aparentemente se chocam, é prudente não assumir de pronto que alguém está errado. Os espaços onde a ciência atua podem ser vastos e multifacetados, e uma análise mais cuidadosa poderá indicar que diferentes grupos de pesquisadores centraram esforços em partes diferentes dessa realidade maior, daí a razão de muitas aparentes incongruências, que podem levar a análises precipitadas ou desinformação, que se amplificam causando desnecessária confusão e perplexidade.

Infelizmente, as ferramentas que a ciência usa para tratar incertezas ainda são pouco compreendidas. Como não existem bolas de cristal, ou máquinas do tempo, para se descobrir que direção tomará a pandemia, a ciência usa modelos matemáticos, para definir futuros possíveis e reduzir incerteza nos processos de decisão. São esses modelos que geram os gráficos que vemos diariamente nos noticiários, antecipando a trajetória da pandemia. Os meteorologistas usam esse recurso para nos indicar diariamente como ficará o tempo, e nós já sabemos que modelos não são ferramentas perfeitas. Mas, ainda assim, é esse recurso que retira tomadores de decisão do escuro completo, lhes dando referências substanciadas no melhor conhecimento disponível para calibrar ações e decisões com menores chances de erro.

Em síntese, cientistas ao redor do mundo estão tentando compreender a pandemia sem ter à mão um molde ou fotografia prévia – como aqueles que aparecem estampados na caixa de onde se tira as peças para montar um quebra-cabeças. Por isso é que muitos grupos precisam experimentar com um complexo conjunto de peças, explorando possibilidades, errando muitas vezes, mas revendo e revisitando suas conclusões, até que as peças se encaixem e o quadro mais completo comece a tomar forma. É do somatório de esforços de grupos de pesquisa ao redor do globo que o quebra-cabeças eventualmente começará a tomar forma, produzindo alternativas seguras para a superação da pandemia, na forma de medicamentos para a cura e uma vacina contra a COVID-19.

E no fim da crise a sociedade compreenderá que, apesar de falível e passível de erros, é a ciência que melhor nos habilita a enfrentar perigo tão grave. E o futuro certamente premiará com respeito e admiração aqueles que, em posição de liderança e decisão, tiveram a sabedoria e a grandeza de se guiarem pelo melhor conhecimento científico disponível, buscando fazer, no tempo certo, a coisa mais prudente para proteger a vida e o bem estar da sociedade, acima de quaisquer outros interesses.

*Maurício Antônio Lopes é pesquisador da Embrapa

Comentário (0) Hits: 599

Dell Technologies oferece vagas para cursos online

dell_cursos.jpg17/04/2020 - A empresa oferece 2 mil vagas para cursos online gratuitos de capacitação profissional nas áreas de TI e negócios

Os 13 cursos, desenvolvidos em parceria do LEAD e Universidade Estadual do Ceará, são para o público em geral, incluindo pessoas com deficiência e vulnerabilidade social, e os interessados devem cadastrar-se até 27 de abril

A Dell Technologies anuncia a abertura das inscrições para 13 cursos online gratuitos, desenvolvidos pelo LEAD (Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Dell) e pela UECE (Universidade Estadual do Ceará) voltados à capacitação nas áreas de Programação e Negócios. Ao todo, são 2 mil vagas destinadas ao público em geral, com prioridade para as pessoas com deficiência e em condição de vulnerabilidade social. Os interessados devem fazer um cadastro até 27 de abril pelo site http://leadfortaleza.com.br/selecao-nacional-2020-01/.

Os cursos oferecem conhecimentos que vão desde atendimento ao cliente, empreendedorismo e ética, além de introdução de conceitos para desenvolver aplicativos online, lógica de programação, introdução de programação de sistemas na linguagem Java e Java Android, bem como noções básicas para desenvolvimento do potencial empreendedor, buscando a compreensão das reais necessidades de clientes de forma inovadora e com excelência. Ao todo, são 13 cursos online que incluem certificação para os aprovados e que atendem profissionais, com diferentes níveis de conhecimento, nas áreas de programação, assim como nas áreas de negócios.

Cada candidato poderá optar por apenas um dos cursos realizados online, por meio da plataforma Dell Accessible Learning, disponível no portal LEAD (www.leadfortaleza.com.br) ou pelo aplicativo Aprendizado Acessível para Android e iOS. A metodologia prevê horários de estudo flexíveis e acompanhamento de tutores a distância para pessoas com deficiência.

Confira abaixo as opções de cursos:

1. Atendimento ao cliente
2. Empreendedorismo e ética
3. Informática prática
4. Introdução a aplicativos online do Google
5. Introdução à lógica de programação
6. Fundamentos de programação orientadas a objetos com JAVA
7. Introdução ao desenvolvimento de aplicações em JAVA
8. Integração de aplicações e serviços com JAVA
9. Fundamentos de banco de dados com JAVA
10. Fundamentos de programação para web com JAVA
11. Padronização de projetos web com JAVA EE e Spring Framework
12. Fundamentos de desenvolvimento móvel utilizando Android API e JAVA
13. Planejamento e desenvolvimento de aplicações Android utilizando Google APIs

Comentário (0) Hits: 574

Intelbras oferece 157 cursos on-line gratuitos

cursos.jpg08/04/2020 - Treinamentos técnicos e cursos focados em gestão de negócios, vendas e atendimento ao cliente estão disponíveis a todos os interessados no portal iTEC

A Intelbras, indústria brasileira desenvolvedora de tecnologias, através do seu Centro de Capacitação em Tecnologia – iTEC, disponibiliza 157 cursos online para aqueles que estejam interessados em se aperfeiçoar profissionalmente durante a quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus. Os treinamentos são totalmente gratuitos, possuem carga horária que variam de 15 minutos até 25 horas e os estudantes recebem certificados após a sua conclusão.

"Com as restrições de movimento impostas pelo estado de calamidade pública em várias regiões do País, a metodologia de ensino a distância se torna a única forma segura de continuar estudando, além de contar com toda a flexibilidade em relação ao tempo diário de estudo", afirma Monica Nedel, Gerente de Treinamentos Técnicos do iTEC. "Os treinamentos a distância do Centro de Capacitação em Tecnologia da Intelbras sempre foram gratuitos e disponíveis a todos. Entendemos o momento difícil que estamos vivendo e a Intelbras, contribuindo cada vez mais para a formação profissional dos brasileiros e tentando fazer com que esse momento de trabalho remoto possa agregar mais conhecimento, tem grande orgulho de oferecer treinamentos a distância de qualidade a todos os interessados", complementa a executiva.

Os treinamentos estão divididos em dois grandes blocos:

33 cursos focados em gestão de negócios, vendas, marketing e atendimento ao cliente, nos quais o estudante amplia a estratégia e visão de business. Alguns exemplos são:

- Venda, valor não preço
- Técnicas de vendas: cross selling e up selling
- Introdução para Negociação de Alta Performance
- Estratégias de Marketing para Alavancar os Seus Negócios
- Indicadores como Avaliar seu Negócio Através de Métricas
- Desvendando o Código de Defesa do Consumidor e Aplicabilidade ao seu Negócio

124 cursos técnicos em nível inicial, intermediário e avançado nas áreas de segurança, redes, comunicação, controle de acesso, energia, prevenção a incêndio e iluminação:

- Redes: 26 opções
- Comunicação: 27 opções
- Segurança Eletrônica, incluindo software e CFTV IP: 34 opções
- Controle de Acesso, incluindo condomínios: 4 opções
- Soluções: 7 opções
- Incêndio: 6 opções
- Energia e Energia Solar: 18 opções

"Mais de 154 mil pessoas realizaram os cursos EAD do iTEC no ano passado. A Intelbras é uma empresa muito próxima dos seus clientes, parceiros, colaboradores e da comunidade, e o sucesso dos treinamentos gratuitos do iTEC são uma prova disso. Esperamos que eles sejam úteis as pessoas que querem aprender algo novo e se especializar, assim quando o período de quarentena passar, esses profissionais estarão mais preparados para o mercado de trabalho", finaliza Susana Brockveld, Diretora de Marketing da Intelbras.

Os cursos do iTEC podem ser acessados pelo portal: https://treinamentos.intelbras.com.br/lms/#/home
O usuário deve acessar a aba Cursos a Distância, realizar login e a sua inscrição nos cursos preferidos. Os certificados são emitidos eletronicamente após a conclusão dos treinamentos e ficam disponíveis para os alunos no portal.

Comentário (0) Hits: 676

Gates investe em vacinas contra a COVID-19

gates_vacina_corona.jpgPor Thais Sogayar, com informação do portal Digital Trends
03/04/2020 - Bill Gates disse que a Fundação Gates planeja gastar bilhões de dólares para desenvolver sete possíveis vacinas contra o coronavírus - sabendo que bilhões podem acabar sendo desperdiçados em tratamentos que não funcionam.

O co-fundador e bilionário da Microsoft apareceu programa americano The Daily Show na noite dessa quinta-feira, 02 para falar sobre como combater melhor a doença mortal, oficialmente conhecida como COVID-19.

Gates reconheceu que "no máximo" duas das sete vacinas em potencial seriam escolhidas para produção em massa.

"Vamos financiar fábricas para as sete possibilidades, apenas para não perder tempo dizendo em série, 'OK, qual vacina funciona?'", disse Gates.

Saiba mais aqui:

Comentário (0) Hits: 598

Roda Viva recebe o biólogo Atila Iamarino

atila_iamarino_2.jpg02/04/2020 - O programa de entrevista Roda Viva, da TV Cultura recebeu o biólogo e pesquisador Atila Iamarino. Doutor em microbiologia pela USP, Iamarino falou amplamente sobre a pandemia do novo coronavírus em todo o mundo e a importância da ciência diante do cenário tão preocupante.

Fundador da maior rede de blogs de ciência do País, o Science Blogs Brasil, Iamarino alerta que o Brasil precisa parar e só devem ser mantidas as atividades essenciais. Imperdível!

Doutor em microbiologia pela USP, com pós-doutorado em Yale, Atila Iamarino entende como poucos de doenças como o coronavírus. E não tem dúvidas em afirmar: se não forem tomadas as devidas providências, o mundo vai enfrentar um cenário de apocalipse.

Assista ao programa Roda Viva aqui:

 

Comentário (0) Hits: 565

HC pede ajuda para combater a COVID-19

hc_doacao.jpg07/04/2020 - O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo está na linha de frente do combate ao avanço da pandemia. Por isso criou o Movimento #VemPraGuerra, um canal de doações para apoiar o HC na luta mais importante da sua história.

Para vencer essa guerra as armas utilizadas são máscaras cirúrgicas, máscaras N95, álcool em gel, avental, luvas e toucas descartáveis. Além de máquinas de raio-X para que pacientes graves sejam acompanhados, sem risco de disseminação do vírus.

A pandemia do novo Coronavírus tem causado impactos de proporções catastróficas em todo mundo. Na velocidade em que os casos aumentam, a economia colapsa e os governos tomam medidas drásticas para tentar conter a pandemia. No Brasil, a situação já é grave e as previsões do Ministério da Saúde são alarmantes.Desde o primeiro registro de caso de infecção no país, os resultados da propagação do vírus são extremamente preocupantes e desenham um cenário sem precedentes.

No Brasil, aproximadamente 162 milhões de pessoas dependem exclusivamente do Sistema Único de Saúde. Apesar de um marco na história da saúde do país, o SUS, assim como o sistema privado, estão diante de um dos seus maiores desafios históricos.

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo é o maior hospital da América Latina e uma das principais instituições do SUS. O HC está na linha de frente do combate ao avanço da pandemia e vem se preparando para esta crise, juntamente com o governo, desde as primeiras previsões da chegada do vírus ao Brasil.

Muito embora ainda estejamos, de acordo com as projeções, a semanas do pico de casos de COVID-19, já temos um grande número de casos confirmados e um número maior ainda de suspeitos. O cenário é complexo e precisamos de toda nossa força nessa luta.

Como mostra a experiência de outros países, a falta de insumos hospitalares tem se mostrado uma barreira ao funcionamento dos hospitais. Fazendo uma simples analogia, assim como um soldado não enfrenta seu adversário sem instrumentos, a equipe de frente do hospital (médicos, enfermeiros, técnicos, limpeza, entre outros) também não pode lutar para erradicar o vírus sem insumos básicos.

Máscaras cirúrgicas, máscaras N95, álcool gel, aventais e toucas descartáveis são itens substanciais, além de máquinas de Raio-X portáteis, para acompanhar pacientes infectados e evitar a disseminação do vírus pelo hospital.

Porém, com o avanço da epidemia, a procura por esses insumos esgotou os estoques e ocasionou aumento exponencial dos preços. Além disso, estima-se um crescimento de mais de 400% na demanda desses materiais para garantir a segurança da equipe e pacientes, além da manutenção da quantidade e qualidade dos atendimentos.

A situação pode se tornar dramática e precisamos ir além da quarentena e isolamento. Mais do que nunca, o valor como comunidade, agindo em conjunto, tem se mostrado essencial. Além de medidas de precaução e contingência coletivas, é imprescindível que o sistema de saúde esteja munido de recursos materiais e humanos para enfrentar esse desafio.

A compreensão dessa necessidade originou o movimento #VemPraGuerra: uma campanha de mobilização social para o combate ao novo Coronavírus. Temos como primeira meta a arrecadação de fundos para auxiliar o Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo a adquirir os insumos necessários para atender à imensa demanda esperada nas próximas semanas e salvar o máximo número de vidas possível.

Sem sair de casa você pode ajudar. Faça uma doação e ajude a salvar vidas

 

Comentário (0) Hits: 415

newsletter buton