A visão do prof. Setzer sobre vida extraterrestre

prof_setzer.jpg16/09/2016 - Escreve-nos o professor Valdemar Setzer, da USP, dando-nos sua opinião sobre a matéria "Marte talvez já tenha tido vida e seres inteligentes" (http://www.telequest.com.br/portal/index.php/destaque/6957-marte-talvez-ja-tenha-tido-vida-e-seres-inteligentes)

"Gostaria de comentar o seguinte. Por que essa obsessão com vida fora da Terra, especialmente inteligente?

Há busilhões de planetas fora do nosso. Se uma parte desse busilhão tivesse vida inteligente, uma parte dessa parte poderia ter sua vida inteligente dezenas de milhares de anos ou mesmo milhões de anos à nossa frente, pois esses tempos são nada perto da idade suposta para o universo. Pergunta puramente lógica: por que esses seres inteligentes não estão se comunicando conosco ou nos visitando? Resposta lógica: 1. Essa comunicação ou visita é impossível, ou 2. Nós somos os únicos seres inteligentes no universo.

Pois bem, agora vou responder minha pergunta inicial: essa obsessão é devida ao fato de que, do ponto de vista materialista ou fisicalista (só existe matéria e energia física atuando no universo), por uma questão de probabilidades é impossível que estejamos sós no universo. Há uma obsessão em se comprovar vida fora da Terra pois isso reforçaria a visão materialista do universo.

De um ponto de vista espiritualista, faz todo o sentido sermos os únicos seres vivos inteligentes no universo. Mas essa é uma longa história, envolvendo a cosmogonia e o sentido de nossa existência (que não tem sentido do ponto de vista materialista).

Curiosamente, o fato de jamais se ter descoberto sinais de seres vivos inteligentes além de nós leva a uma posição típica da mentalidade científica de hoje em dia: se não sabemos hoje, vamos saber amanhã. Isso ignora os limites impostos pela própria ciência, tanto na matemática quanto na física – a começar pelo fato de que não sabemos o que é um átomo (o elétron não é uma bolinha e não gira em torno do núcleo) e de que os resultados da própria metodologia científica de hoje levam ao desconhecimento, como o caso da energia e matéria escuras que constituiriam 95% do universo conhecido. Fora ainda o fato de as coincidências das constantes físicas serem altissimamente improváveis, isto é, até a existência da matéria (que não se sabe o que é, portanto os materialistas vivem em um prédio sem o andar térreo...), e ainda mais da vida, seriam fruto de um acaso enormemente absurdo".

Valdemar W. Setzer - Dept. of Computer Science, University of São Paulo
http://www.ime.usp.br/~vwsetzer - please REPLY TO O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton