O pouco que sabemos de Júpiter em décadas

jupiter3.jpgPor Ethevaldo Siqueira
22/08/2016 - Olhe para esta Grande Mancha Vermelha de Júpiter, sobre a qual pouca coisa se sabe. Dentro dela caberiam três planetas do tamanho da Terra e entre as poucas certezas sobre ela está a ocorrência de furacões com ventos de até 500 km/hora.

A sonda Juno, lançada pela NASA há cinco anos, no dia 5 de agosto de 2011, foi posta em órbita em torno de Júpiter em 4 de julho de 2016, para ampliar os conhecimentos acumulados sobre o planeta gigante gasoso.

Como um dos objetos mais luminosos no céu noturno, Júpiter tem encantado os seres humanos desde a antiguidade. Hoje, os cientistas acreditam que à medida que aumenta nosso conhecimento sobre o planeta torna-se mais fácil compreender as origens e a formação do Sistema Solar.

Uma das hipóteses mais aceitas por esses pesquisadores diz que Júpiter nem sempre esteve localizado onde está hoje, mas que se deslocou em todo o Sistema Solar em sua juventude, deflagrando a formação de Marte, influenciando a formação e o local onde se encontra atualmente o Cinturão de Asteróides, e muitos outros fatos mais.

pionner10.jpgNo início de 1970, os cientistas passaram a usar o que ia sendo revelado pelas missões espaciais para desvendar segredos do planeta, quando as sondas anteriores de Juno, Pioneer 10 e 11, foram lançadas. A dupla de naves espaciais alcançou o planeta no final de 1973 e início de 1974. Pela primeira vez, os cientistas puderam obter observações diretas e imagens em close-up de Júpiter, de suas luas e da misteriosa Grande Mancha Vermelha.

Ao lado, concepção artística da nave espacial Pioneer 10

Crédito: Nasa
Saiba mais aqui


 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton