Astronautas amadores da SpaceX pousam no Atlântico

Christian Davenport do Washington Post

O quarteto de astronautas amadores a bordo da espaçonave SpaceX Dragon caiu no Oceano Atlântico na noite de sábado, completando a primeira missão totalmente civil a orbitar a Terra e preparando o terreno para missões com financiamento privado que viriam.

A tripulação do Inspiration4 passou três dias em órbita, circulando o globo a 28 mil km/hora (17.500 milhas/ hora) antes de voltar à Terra em um voo projetado para arrecadar dinheiro para o Hospital de Pesquisa Infantil St. Jude.

A queda no mar aconteceu às 19h07, horário da costa leste dos EUA, em águas calmas, como mostrou uma transmissão ao vivo da SpaceX do evento. Os astronautas emergiram da cápsula, que havia sido içada a bordo de uma nave de recuperação, menos de 50 minutos após o respingo.

Com isso pôs, chegou ao fim um voo histórico e bem-sucedido financiado por Jared Isaacman, empresário bilionário de 38 anos e entusiasta da aviação. Nunca antes um grupo de amadores havia voado em órbita terrestre antes.

A NASA supervisionou o desenvolvimento do foguete Falcon 9 e da espaçonave Dragon que os levou ao espaço, mas, a rigor não estave diretamente envolvida na missão. “Foi uma jornada pioneira para nós, que estamos apenas começando”, disse Isaacman.

Em uma entrevista coletiva pós-voo, Todd “Leif” Ericson, um diretor da missão Inspiration4, disse: “Bem-vindos à segunda Era Espacial. Isso está abrindo um novo capítulo no voo espacial.”

Antes do voo, a SpaceX de Elon Musk havia levado três conjuntos de astronautas profissionais treinados pelo governo para a Estação Espacial Internacional. Além dessa, a empresa tem outra missão para a NASA programada para o mês que vem.

Mas Musk fundou a SpaceX com o objetivo de abrir espaço ao público e, eventualmente, construir bases na Lua e em Marte, e a missão Inspiration4 se encaixa nesse objetivo. A empresa já reservou mais voos privados de astronautas, incluindo um provisoriamente agendado para 2023 que levaria um bilionário japonês em uma viagem ao redor da Lua na nave espacial da empresa, ainda em desenvolvimento.

Durante seus três dias em órbita, a tripulação do Inspiration4 — que incluía o piloto da missão, Sian Proctor, 51, um professor universitário do Arizona; Chris Sembroski, 42, pai de dois filhos de Everett, Wash.; e Hayley Arceneaux, uma jovem de 29 anos de Memphis que trabalha como assistente médica — virtualmente tocou a campainha da Bolsa de Valores de Nova York (virtualmente) e conversou com pacientes do St. Jude Children's Research Hospital, um dos quais perguntou se existem vacas no "moooooon."

Eles também falaram com o ator Tom Cruise, que está em negociações para voar para em futuro voo particular da SpaceX para a Estação Espacial Internacional, assim como Bono do U2.

Scott “Kidd” Poteet, diretor da missão Inspiration4 da SpaceX, disse, em uma entrevista à CBS News, que havia um “pequeno problema de gestão de resíduos que a tripulação e o controle da missão eram obrigados a resolver. Mas, honestamente, isso não afetou a missão.”

Na entrevista coletiva pós-voo, Ericson disse que havia um problema com um ventilador. “Como na maioria das aventuras exploratórias, como voos espaciais, sempre houve um ou dois pequenos soluços ao longo do caminho”, disse ele. “Mas isso foi tratado de forma surpreendente pela equipe da SpaceX.”

Benji Reed, diretor- sênior de voo espacial humano da SpaceX, disse: "Não poderíamos ter pedido uma missão com mais sucesso."

Ao planejar o voo, Isaacman perguntou à SpaceX sobre a viabilidade de voar a uma altitude ainda maior do que a Estação Espacial Internacional, que orbita a Terra a cerca de 384 km acima da superfície do planeta.

Depois que os engenheiros da SpaceX consideraram seguro, a tripulação do Inspiration4 atingiu uma altitude de cerca de 587 km (367 milhas), que também é maior do que o Telescópio Espacial Hubble e a maioria dos voos do ônibus espacial, e estabeleceu um recorde para a espaçonave Dragon da SpaceX.

As vistas da Terra daquela altura eram supostamente incríveis, especialmente porque a SpaceX adicionou uma janela curva no topo da espaçonave para que os viajantes pudessem passar o tempo olhando as estrelas e a Terra abaixo, quase como se estivessem fora da nave.

Em uma coletiva de imprensa antes do voo, Isaacman disse que queria que a missão fosse além. “Se vamos voltar à lua, e vamos a Marte e além, temos que sair um pouco da nossa zona de conforto e dar o próximo passo nessa direção”, disse ele.

Durante o primeiro dia ou assim, havia informações limitadas sobre o que a tripulação estava fazendo ou como eles estavam fazendo. Imagens e vídeos não foram tornados públicos.

Na sexta-feira, porém, a conta da missão no Twitter postou uma foto dos astronautas, todos sorrindo e com aparência saudável. “A equipe do # Inspiration4 teve um primeiro dia incrível no espaço! Eles completaram mais de 15 órbitas ao redor do planeta Terra desde a decolagem e fizeram uso total da upola do dragão.”
Em seguida, postou o vídeo da equipe falando com os pacientes do Hospital St. Jude Children's Research.

E na tarde de sexta-feira, a equipe fez uma transmissão ao vivo mostrando aos telespectadores a cápsula e dando-lhes uma ideia de como estavam gastando seu tempo.

A falta de informação não foi uma surpresa, especialmente considerando que a tripulação é composta inteiramente de amadores que nunca haviam estado no espaço antes, disse Brian Weeden, diretor de planejamento de programas da Secure World Foundation, um think tank.

“Eu não ficaria surpreso em descobrir que eles tiveram alguns desafios de 'ajuste' com o vôo espacial orbital. Quase metade de todas as pessoas que já estiveram no espaço tiveram surtos iniciais de náusea e enjoo espacial enquanto seu corpo se ajusta”, disse ele.

“Além disso, tenha em mente que essas pessoas estão passando três dias muito próximas umas das outras e provavelmente estão tendo que resolver tudo, desde dormir e comer até usar o banheiro com muito pouca privacidade. Não estou surpreso que eles estejam um pouco relutantes em divulgar isso para o mundo.”

A tripulação passou um bom tempo conduzindo experimentos para medir o efeito da ausência de peso no corpo humano. Hayley Arceneaux, a oficial médica da tripulação, fez leituras de ultrassom em seus colegas astronautas para medir como seus corpos estavam reagindo. Chris Sembroski, pai de dois filhos e engenheiro da Lockheed Martin, tocava cavaquinho (ukulele). E Sian Proctor, professor de uma faculdade comunitária, trouxe materiais de arte e fez um desenho de sua espaçonave Dragon.

Isaacman fez a primeira aposta do espaço, uma aposta de US$ 4.000 de que o Philadelphia Eagles venceria o Super Bowl. A MGM, que anunciou a aposta, disse que estava contribuindo com US$ 25.000 para a St. Jude.

O menu para a equipe do Inspiration4 era variado - macarrão e almôndegas, salame, bacon e cheddar, macarrão à bolonhesa. Para lanches, havia barras de granola, copos de pasta de amendoim, damascos e M&Ms, que são bons para fotografar no ambiente leve do espaço.

Proctor gostava especialmente de pizza. O fundador da SpaceX, Elon Musk, se desculpou no Twitter por a cápsula Dragon não ter vindo equipada com uma maneira de aquecê-la.

"Desculpe, estava frio!" — escreveu ele. “O Dragon terá um aquecedor de comida e wi-fi grátis na próxima vez.”

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton