A beleza do aglomerado de estrelas NGC 330, em foto do Hubble

Por Ethevaldo Siqueira, com foto da NASA

Esta imagem obtida com o Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA mostra o aglomerado de estrelas aberto NGC 330, que fica a cerca de 180.000 anos-luz de distância dentro da Pequena Nuvem de Magalhães. O aglomerado — que está na constelação de Tucana (o tucano) — contém uma infinidade de estrelas, muitas das quais estão espalhadas por esta imagem impressionante.

Como os aglomerados de estrelas se formam a partir de uma única nuvem primordial de gás e poeira, todas as estrelas que eles contêm têm aproximadamente a mesma idade. Isso os torna laboratórios naturais úteis para os astrônomos aprenderem como as estrelas se formam e evoluem.

Esta foto mostra a imagem feita pela Câmera 3 de Campo Amplo (Wide Field Camera 3) do Hubble e incorpora dados de duas pesquisas astronômicas muito diferentes. A primeira teve como objetivo entender por que estrelas em aglomerados de estrelas parecem evoluir de forma diferente de estrelas em outros lugares, uma peculiaridade observada pela primeira vez com o Hubble. A segunda teve como objetivo determinar o quão grandes as estrelas podem ser antes de se tornarem condenadas a acabar com suas vidas em explosões cataclísmicas de supernova.

 

As imagens do Hubble nos mostram algo novo sobre o universo. Elas, contém também pistas sobre o funcionamento interno do próprio Hubble. Os padrões entrecruzados ao redor das estrelas nesta imagem, conhecidos como picos de difração, foram criados quando a luz das estrelas interagiu com as quatro finas aletas que sustentam o espelho secundário do Hubble.

Créditos: Texto da Agência Espacial Europeia (ESA). Imagem: ESA/Hubble & NASA, J. Kalirai, A. Milone

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton