Microchip ultradenso poderá quadruplicar a vida útil da bateria do celular

Em meio à escassez de semicondutores, a empresa de tecnologia afirma ter inventado o menor e mais poderoso microchip do mundo

De Dalvin Brown do Washington Post

A IBM afirma que criou um chip de computador com componentes medindo apenas dois nanômetros de diâmetro, aproximadamente a largura de uma fita de DNA, em um movimento aclamado como um avanço na fabricação de semicondutores.

As partes microscópicas do chip que têm 25,4 milhões de nanômetros em uma polegada – podem levar a melhorias em praticamente todos os dispositivos eletrônicos que os incluem, uma vez que componentes menores tendem a ter desempenho mais rápido e menor consumo de energia.

Os chips de computador que alimentam a maioria dos novos dispositivos atuais têm transistores que variam de cinco nanômetros em smartphones premium a 10 nanômetros em alguns PCs. Mas imagine só precisar carregar seu smartphone a cada quatro dias ou dobrar a velocidade do seu laptop com pouco custo adicional, graças à próxima geração de chips de computador.

A IBM diz que essa realidade pode estar a cerca de cinco anos graças à conquista, que foi anunciada na semana passada pelo laboratório de pesquisa da empresa em Albany, NY

“É um feito notável de engenharia”, disse Dario Gil, vice-presidente sênior e diretor de pesquisa da IBM. “Você verá isso primeiro em dispositivos de baixo custo, como laptops e telefones celulares, e depois em mainframes de última geração que alimentam os sistemas financeiros mundiais. Ele aparecerá em carros autônomos, em nossos eletrodomésticos e em nossos computadores de todos os tipos possíveis.”

O conglomerado de tecnologia diz que seu novo avanço de dois nanômetros pode melhorar o desempenho do computador em 45 por cento ou reduzir o uso de energia dos mesmos dispositivos em 75 por cento em comparação com sua alternativa atual de sete nanômetros.

A principal inovação da IBM está em sua capacidade de encolher comutadores eletrônicos conhecidos como transistores para que mais deles caibam em um chip de computador, que é uma placa de material semicondutor. Os chips de computador tornam os dispositivos burros mais inteligentes por meio de circuitos complexos. Aumentar o número de transistores em um chip de computador pode fazer com que os computadores funcionem com mais eficiência.

A cada dois anos, empresas de tecnologia como IBM, Intel e Samsung encontram novas maneiras de colocar transistores adicionais em chips de computador sob o que é conhecido como Lei de Moore - a ideia de que o número de transistores que podem ser colocados em um chip dobra a cada dois anos. Os transistores adicionados, normalmente medidos em nanômetros, permitem que seus dispositivos melhorem com o tempo.

Por enquanto, os transistores de dois nanômetros da IBM servem como uma prova de conceito, mostrando que chips menores e mais poderosos são de fato possíveis, apesar das preocupações dos analistas de que a era de dobrar as densidades dos chips pode estar chegando ao fim conforme a tecnologia empurra os limites do que parece fisicamente possível.

O tamanho microscópico desse avanço é difícil para a mente compreender. “O cabelo humano tem 10.000 nanômetros, o que dá uma ideia de como esses recursos são minúsculos”, disse Arvind Krishna, presidente-executivo da IBM, em entrevista ao Washington Post Live na semana passada.
A IBM diz que pode colocar 50 bilhões deles em um chip de silício do tamanho de uma unha. Em seu laboratório de pesquisa, ele construiu a tecnologia de dois nanômetros em um wafer redondo de 300 milímetros. Wafers são então cortados para fazer chips de computador individuais.
O desenvolvimento do chip levou quatro anos, centenas de cientistas e bilhões de dólares.

A IBM, que gasta cerca de US$ 6 bilhões por ano em pesquisa e desenvolvimento, também teve que investir em novas técnicas de fabricação para construir a camada de chip por camada atômica, disse Gil.

Transistores de quatorze nanômetros já foram o padrão ouro da indústria. No entanto, os transistores de sete nanômetros estão se tornando cada vez mais populares nos dias de hoje, disse Gil. A IBM foi a primeira a revelar seu processo de sete nanômetros em 2015, e a tecnologia vai estrear este ano dentro de um novo processador IBM. Os chips passam por longos ciclos de produção, então os desenvolvimentos anunciados hoje podem levar anos antes de estarem prontos para entrar nos dispositivos.

A IBM está longe de ser a única empresa trabalhando para lançar chips de computador compactados de maneira mais compacta. A TSMC e Samsung, fabricante de chips com sede em Taiwan, estão produzindo chips transistores de cinco nanômetros hoje, e a Apple tem tecnologia de cinco nanômetros dentro de alguns de seus dispositivos mais recentes. A Intel está enfrentando atrasos na produção de sua tecnologia de sete nanômetros de próxima geração, que agora deve chegar ao mercado em 2022.

Chips de maior potência não significam necessariamente que as pessoas pagarão mais por esses dispositivos, já que os fabricantes de gadgets podem combinar tecnologia mais recente com alguns componentes mais antigos, de acordo com Patrick Moorhead, analista de ações da indústria de chips.

A IBM diz que seu novo conceito de chip pode quadruplicar a vida da bateria de celulares que usam o processo de sete nanômetros, como o iPhone 11, Samsung Galaxy S10 e Google Pixel 5.

A demanda por componentes de computador menores e mais eficientes está aumentando globalmente, à medida que as empresas de tecnologia buscam lançar novos dispositivos com circuitos mais baratos. O anúncio da IBM ocorre em meio a uma escassez de semicondutores que tem efeito cascata em muitos setores, incluindo automotivo e eletrônicos de consumo.

No entanto, o projeto de microchip da IBM não chegaria ao mercado cedo o suficiente para ter um grande impacto nas condições atuais. A IBM espera que a produção comece no final de 2024 ou 2025. A IBM não produz os chips em massa internamente. Em vez disso, ela se concentra na pesquisa e licencia suas técnicas de produção para outras empresas, incluindo Samsung e Intel.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton