Baikonur, o berço da conquista do Cosmos

baikonur_progress.jpgPor Ethevaldo Siqueira
20/08/2018 - Conheci o Cosmódromo de Baikonur, o complexo russo de lançamento de foguetes, em 1977, quando a União Soviética comemorava os 60 anos da Revolução Russa. Desde então, acompanho o desenvolvimento daquela base espacial, a partir de material que recebo da Roscomos, a agência espacial russa.

Vale a pena fazer uma retrospectiva desse Cosmódromo situado num enclave russo no Cazaquistão, numa estepe ou planície com as condições climáticas mais extremas que conheci, em minha vida. As temperaturas ali variam de um frio congelante de 40 graus C negativos no inverno a um calor escaldante de 45 graus C positivos no pico do verão. E a temperatura média anual é de 13 graus Celsius.

Localizado a 2.100 quilômetros de Moscou, Baikonur é maior base espacial do planeta e resulta de um acordo instável entre os governos do Cazaquistão e da Rússia. Depois de superar controvérsias sobre o Cosmódromo, a Rússia passou a pagar ao governo cazaque no mínimo US $115 milhões – valor que pode ser maior em função do número de lançamentos anuais.

A base de Baikonur está ligada à própria história da conquista do espaço. Dali, foram lançados ao espaço cósmico o primeiro satélite artificial da Terra, o Sputnik I, em 1957, e o primeiro ser humano a dar uma volta em torno do planeta, Yuri Gagárin, em 1961.

A localização de Baikonur, em plena guerra fria, era um assunto quase secreto. A construção começou em 1955 em alto sigilo. Por volta de 1957, os Estados Unidos espionavam a área com seus aviões U-2 e supunham que ali seria instalada uma base de lançamentos de foguetes ICBM (sigla em inglês de míssil balístico intercontinental).

Localizado a 2.100 quilômetros de Moscou, Baikonur é maior base espacial do planeta

Acidente mata 150 em 1960

Antes do voo de Gagárin, Baikonur foi palco de uma das piores falhas da história numa rampa de lançamento, e que causou a morte de cerca de 150 pessoas no dia 24 de outubro de 1960. A tragédia não pôde ser mantida em segredo pelo governo da antiga União Soviética. Entre as possíveis causas do acidente, foram detectadas falhas de segurança, bem como pelo cronograma apressado de lançamento.

A Rússia também construiu um novo local de lançamento, Vostochny, que será o novo local dos muitos dos lançamentos.

A fase internacional de Baikonur

Nas últimas décadas, Baikonur se internacionalizou. Após a aposentadoria dos os ônibus espaciais em 2011, a base passou a ser utilizada tanto pela NASA quanto pela ESA (Agência Espacial Europeia), inclusive para as viagens de ida e volta dos astronautas à ISS.

Do lado norte-americano, a NASA disporá de duas novas espaçonaves no final de 2018 de começo de 2019 para substituir os velhos ônibus espaciais. Essas cápsulas de lançadores foram projetadas e construídas por empresas privadas – uma da Boeing (a CST-100 Starliner) e outra da SpaceX (a Crew Dragon).

As temperaturas variam de um frio congelante de 40 graus C negativos no inverno a um calor escaldante de 45 graus C positivos no pico do verão

No final de 2018 e inicio de 2019, a Starliner e a Crew Dragon farão seus primeiros vôos de teste conduzidos pela NASA para comprovar sua confiabilidade como veículos adequados ao transporte de astronautas entre a Terra e Estação Espacial Internacional. Se tudo correr bem, a partir de 2020, os lançamentos norte-americanos serão feitos com essas novas espaçonaves. esperados de Baikonur.

Novo Cosmódromo russo: Vostochny

Em 2010, a Rússia decidiu construir uma nova base especial, que ganhou o nome de Vostochny (que significa "Cosmódromo Oriental") está localizada a 51 graus norte, em Amur Oblast, no Extremo Oriente do país. Sua construção visa a reduzir a dependência de Baikonur. A construção foi iniciada em 1º de junho de 2011 e estava prevista para ser concluída em 2018. Nesse novo local, foi realizada o primeiro lançamento experimental em abril de 2016.

Após a aposentadoria dos os ônibus espaciais em 2011, a base passou a ser utilizada tanto pela NASA quanto pela ESA, inclusive para as viagens de ida e volta dos astronautas à ISS

Vostochny (que significa "Cosmódromo Oriental") está localizado a 51 graus norte, em Amur Oblast, no Extremo Oriente do país, a 7.700 km de Moscou. Sua construção visa reduzir a dependência russa de Baikonur. A construção foi iniciada em 1º de junho de 2011 e está prevista para ser concluída em 2018. Nesse novo local, foi realizado o primeiro lançamento experimental em abril de 2016.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton