Investimentos em TI no Brasil aumentam 4,5% em 2017, diz ABES

27/03/2018 - O mercado de TI (hardwares, softwares e serviços) no Brasil cresceu 4,5%, de acordo com o estudo anual da ABES (Associação Brasileira das Empresas de Software) realizado em conjunto com a consultoria IDC. Os principais números do estudo foram divulgados na última segunda-feira, dia 26, durante o jantar de posse dos novos executivos do conselho deliberativo da associação. Na ocasião, a entidade ainda apresentou seu programa de Integridade e homenageou profissionais de comunicação, pesquisa e desenvolvimento que contribuem para o avanço da Transformação Digital no Brasil.

No topo da lista de investimentos em TI na América Latina, o Brasil registrou cerca de US$ 38 bilhões em investimentos em hardwares, softwares e serviços durante o ano de 2017, seguido por México (US$ 20,6 bi), Argentina (US$ 8,4 bi) e Colômbia (US$ 7 bi). No ranking mundial, o país ficou em nono lugar na lista que encabeçam na sequência: Estados Unidos (US$ 751 bi), China (US$ 244 bi), Japão (US$ 139 bi), Reino Unido, Alemanha, França, Canadá e Índia. No total, foram US$ 2,07 trilhões em investimentos em TI no último ano.

Para Jorge Sukarie, Presidente do Conselho da ABES, os resultados da pesquisa apontam que "os investimentos em TI voltaram a crescer no Brasil e o País vai aos poucos recuperando o espaço perdido nos últimos anos". Ainda segundo o executivo, os números do Brasil apontam para um maior grau de maturidade nos Investimentos em Tecnologia, com a maior participação dos investimentos em software e serviços nos investimentos totais em TI. "Importante destacar que retomamos parte do "market share" perdido na América Latina no ano passado e mantivemos nossa posição de liderança, agora ainda mais destacada, responsáveis por 39,1% do total de investimento do continente que foi de US$ 97,3 bilhões", explica.

Sukarie pontua também que os investimentos em TIC (TI + Telecom), somaram mundialmente US$ 3,55 trilhões em 2017, sendo US$ 105 bilhões somente no Brasil – o que lhe garantiu o sexto lugar no ranking geral, recuperando uma posição em relação ao ano anterior.

Para 2018, o executivo apresenta uma expectativa positiva. "Será o ano da recuperação", afirma. Segundo ele, a tecnologia seguirá baseada em "Cloud", "Big Data / Analytics", "Social Business" e "Mobility", os quatro pilares da transformação digital, resultando em um crescimento esperado de 4,1% no segmento de TI. "Os investimentos retornarão com mais oportunidades durante o segundo semestre do ano", comenta Sukarie.

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton