Fujitsu oferece educação digital para jovens de áreas rurais na África do Sul

30/08/2018 - Com o objetivo de disseminar a inovação centrada no ser humano,

a Fujitsu desenvolve, em parceria com o Sizwe Africa IT Group, um projeto para ajudar jovens de comunidades locais e rurais na África do Sul a terem um futuro melhor. A iniciativa, intitulada de "Edu-Smart Green Center", oferece instalações móveis com salas de aula seguras, movidas a energia solar e equipadas com tecnologia da Fujitsu.

As empresas notaram que áreas rurais da África do Sul são carentes em oportunidades de ensino e muitas crianças enfrentam dificuldades para chegar em um nível de graduação. Com o projeto, as empresas possibilitam que estruturas sejam construídas e entregues em apenas 10 semanas, o que otimiza o tempo em relação a edificações de tijolo e argamassa, por exemplo.

Steven Kramer, gerente de marketing da Fujitsu África do Sul, comenta: "Nossa filosofia de inovação centrada no ser humano está focada em reunir pessoas, informações e infraestrutura para criar valor real para os indivíduos e a sociedade como um todo. O projeto Edu-Smart Green Center atende nosso propósito. Por meio do uso inteligente da tecnologia, conseguimos contribuir de forma positiva para cada comunidade que é alcançada pelas salas de aula. Oferecer o aprendizado digital a esses jovens lhes dá oportunidades inimagináveis para garantir um futuro melhor por meio da educação".

Salas de aula autossuficientes

Segundo a empresa, as estruturas da Edu-Smart Green Center são totalmente autossuficientes: construídas em forma de contêiner, são controladas por computador e movidas a energia solar. Cada unidade acomoda até 27 alunos, um educador e são equipadas com monitores da Fujitsu. O educador tem à disposição um quadro interativo com uma tela sensível ao toque para complementar os materiais de aprendizado e todo o conteúdo é armazenado localmente e entregue por meio de um servidor Fujitsu PRIMERGY, localizado em um gabinete seguro dentro do próprio contêiner.

As tecnologias foram escolhidas por apresentarem uma estrutura robusta e projetadas para suportar uma ampla faixa de temperatura, garantindo uma operação confiável mesmo em ambientes muito quentes. Além disso, embora as salas de aula digitais tenham conectividade com a Internet, também são projetadas para serem executadas sem acesso à Web, já que a conectividade da rede móvel é irregular ou inexistente em áreas remotas. Essa característica também elimina o custo com dados móveis, uma vez que todo o conteúdo principal - incluindo módulos de aula, dados de avaliação e relatórios - está disponível localmente no servidor. As unidades inteiras são alimentadas por painéis solares localizados no telhado e têm backups de bateria.

Para Jos Matthysen, diretor de serviços executivos do Sizwe Africa IT Group, a empresa está empenhada em desenvolver as oportunidades para as crianças na África do Sul, proporcionando às áreas locais e rurais acesso à educação: "Nossas salas de aula são autossuficientes e trazem conteúdo interativo para os alunos. Nosso objetivo é assegurar um futuro melhor para essas comunidades e melhorar o crescimento educacional, social e econômico do País".


Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton