Por que o campo magnético da Terra se move para o oeste?

16/05/2018 -  Ao longo dos cerca de 400 anos em que os humanos mediram o campo magnético da Terra, ele tem se desviado para o oeste e ninguém sabe por quê. Agora, uma nova hipótese sugere que ondas estranhas ao núcleo externo da Terra podem causar esse desvio, explica matéria super interessante do site Live Science.

As ondas lentas, chamadas ondas de Rossby, surgem em fluidos rotativos. Elas também são conhecidas como "ondas planetárias" e são encontradas em corpos grandes e giratórios, como na Terra, nos oceanos, na atmosfera, em Júpiter e no Sol.

O campo magnético da Terra nos protege do vento solar, desviando as partículas carregadas. E por alguma razão, o campo está se movendo para o oeste / Crédito: CLAUS LUNAU/Getty

O núcleo externo da Terra também é um fluido rotativo, o que significa que as ondas de Rossby também circulam no núcleo. Enquanto as ondas oceânicas e atmosféricas de Rossby têm cristas que se movem para oeste contra a rotação leste da Terra, as ondas de Rossby no núcleo são "um pouco como transformar as ondas atmosféricas de Rossby no avesso", disse OP Bardsley, estudante de doutorado da Universidade de Cambridge, Inglaterra e autor de um novo estudo sobre a hipótese da onda de Rossby. Segundo o estudante, suas cristas sempre se movem para o leste.

Forças rotacionais

A rotação do ferro magnético no núcleo da Terra dá origem ao campo geomagnético do planeta. O campo geomagnético, por sua vez, protege o planeta da radiação solar, tornando-o importante para a vida na Terra. Sem ela, a superfície do planeta seria bombardeada por partículas carregadas vindas do Sol e acabariam destruindo a atmosfera da Terra.

Enquanto tentava entender as ondas que se propagam por todo o núcleo da Terra, Bardsley percebeu que algumas dessas ondas poderiam explicar um dos mistérios do campo magnético do planeta. Nos últimos quatro séculos, os cientistas fizeram medições de declinação magnética - a diferença entre o norte verdadeiro e o ponto em que a agulha da bússola aponta. (Como o campo magnético está repleto de pequenas anomalias locais, a agulha da bússola se move um pouco em comparação com o norte verdadeiro, dependendo de onde você está.)

Ao longo desses período, as anomalias reveladas por essas medições de declinação mostraram uma tendência de deslocamento para o oeste, relatou Bardsley na nova pesquisa, que foi publicada no dia 15 de maio na revista Proceedings of the Royal Society A.

"A deriva para o oeste se manifesta principalmente como uma série de bolhas sobre o Atlântico, perto do equador", disse Bardsley à Live Science, e elas percorrem cerca de 10,5 milhas (17 quilômetros) por ano.

Saiba mais aqui:

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton