Três avanços previstos pela MIT Technology Review para 2018

Por Ethevaldo Siqueira
13/05/2018 - Selecionei três dos 10 maiores deles previstos pela Revista de Tecnologia do MIT (ou, em inglês, MIT Technology Review). Como todos sabem, MIT é a sigla do do famoso Massachusetts Institute of Techology.

Os três avanços extraordinários previstos pela MIT Technology Review são:
• embriões artificiais
• as cidades sensoriais
• e a Inteligência Artificial para todos.

Os embriões artificiais tonam realidade algo que parecia pura ficção até há poucos anos, pois a ciência passa a criar novos embriões sem utilizar células germinativas ou espermatozoides. Nesse sentido, os pesquisadores conseguem produzir estruturas embrionárias exclusivamente a partir de células-tronco, retiradas de um embrião normal. Com isso, os pesquisadores passam a dispor de alternativa para a criação de vida.

Embriões artificiais, Universidade de Cambridge

É claro que esse avanço deverá levantar acalorados debates de ordem ética, mas do ponto de vista puramente científico, as pesquisas permitirão aos pesquisadores estudar os primórdios ou primeiros momentos ainda misteriosos de uma vida humana. Essas pesquisas com embriões artificiais já são realizadas nas Universidades de Cambridge; Michigan e Rockefeller.

Depois de colocar com todo cuidado as células em uma plataforma tridimensional, os pesquisadores observaram, fascinados, como as células começavam a se comunicar e a alinhar-se na forma de uma bala à semelhança de um embrião de rato de vários dias de idade.

Cidades inteligentes sensoriais

Outro grande avanço tecnológico que ocorre atualmente na área das chamadas cidades inteligentes, com um projeto denominado “cidades sensoriais” que se desenvolve nas vizinhanças de Toronto.

As pesquisas pioneiras sobre o futuro das cidades pretendem transformar profundamente algumas áreas urbanas com o propósito de integrá-los com sucesso a um projeto de cidade de vanguarda, com a mais sofisticada tecnologia digital disponível atualmente. O objetivo dessas cidades inteligentes é tornar as áreas urbanas mais acessíveis, habitáveis e ecologicamente amigáveis.

Calçada em Toronto, Canadá

Por que chamar esse projeto de “cidade sensorial”? Porque as pessoas passarão a sentir física e espiritualmente seus resultados, tanto no aspecto visual, mas também estético, físico e psicológico. O termo “cidade sensorial” se refere a todos essas influências, que permitem aos habitantes usufruir os aspectos multissensoriais envolvidos na transformação de lugares públicos.

A experimentação se realiza, em especial, nas calçadas e na orla industrial de Toronto. E a melhor notícia é que o projeto anunciado em outubro de 2017 poderá estar sendo posto em prática em 2019.

• Uma das empresas que participa do projeto a Sidewalk Labs, da Alphabet (Google), com sede em Nova York, que colabora com o governo canadense no projeto de alta tecnologia, programado para a orla industrial de Toronto.

Democratização da AI

O quarto avanço previsto pela Revista do MIT é o da Inteligência Artificial (AI) para todos. Como conseguir esse resultado? A revista justifica essa previsão apoiada no fato de que a Inteligência Artificial baseada em nuvem se torna cada dia mais barata e mais fácil de usar.

Crédito: Miguel Porlan

• Isso já acontece na prática com empresas como o Google, a Amazon e a Microsoft. Ainda é um número relativamente pequeno de empresas que dominam essa área, mas em breve deverão ser muitas que poderão oferecer esse acesso a um público muito mais amplo.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton