As tempestades na alta atmosfera ainda são um grande mistério

Por Ethevaldo Siqueira – a partir de noticiário da NASA
12/04/2018 - Nesta foto feita a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS), você vê o brilho de uma tempestade de raios e trovões na alta atmosfera da Terra. Essas super trovoadas ainda são algo misterioso para os cientistas.

Nenhum deles pode estudá-las de perto ou diretamente com seus instrumentos. Elas estão muito altas para os balões e muito baixas para os satélites meteorológicos. Voar através através de imensas trovoadas ou acampar no alto de montanhas à espera de alguma tempestade normalmente classificada como baixa, é como esperar o impossível. Pode tirar seu cavalo da chuva.

Tempestade é vista a bordo da Estação Espacial / Créditos: DTU Space, ESA e NASA

Uma pesquisa feita a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) poderá, talvez, esclarecer o mistério dessas tempestades elétricas, a partir da utilização do equipamento denominado ASIM (sigla de Atmosphere-Space Interactions Monitor), da Agência Espacial Europeia (ESA) -- que é, na realidade, uma coleção de câmeras ópticas, fotométricas e um grande detector de raios-X e raios Gamma, instalado na parte externa da ISS, no módulo Colombo da ESA.

Durante pelo menos dois anos, o ASIM observará as descargas elétricas geradas pelas imensas trovoadas da atmosfera superior – a estratosfera e mesosfera – até a ionosfera, nos limites do espaço. Esta possibilidade de observação da Terra permite o estudo de severas tempestades e de seu papel na atmosfera e no clima da Terra.

Leia mais aqui:

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton