Unisys cresce 40% no 3º trimestre na América Latina

Por Ethevaldo Siqueira
06/12/2017 - A Unisys encerrou o terceiro trimestre fiscal de 2017 com crescimento de 40% para a América Latina, que atualmente representa 13% das receitas globais da organização. O Brasil figura como a segunda maior operação da companhia fora dos Estados Unidos, sendo o principal representante da região.

O número de novos clientes adquiridos no período aumentou em torno de 30% na comparação com o ano anterior. As soluções proprietárias para verticais de negócios baseadas em nuvem e com segurança embarcada seguem como principais apostas para 2018.

Com a conquista de novos projetos nas áreas de cloud computing, segurança, infraestrutura e soluções específicas para as verticais de Varejo, Serviços Financeiros, Transporte Aéreo e Governo em países como Brasil, Colômbia, México, Argentina e Costa Rica, até o momento, a companhia apresenta uma média 30% maior na conquista de novos clientes na comparação do período em 2016. No Brasil, entre os novos clientes estão o grupo DPSP (Drogaria Pacheco e Drogaria São Paulo), Nexa Resources (ex-Votorantim Metais) e HP Inc.

“Apesar de desafiador, 2017 tem sido um ano muito importante para a Unisys no Brasil, sempre em linha com as principais tecnologias e inovações que estão transformando a forma de fazer negócios e guiando as empresas rumo à transformação digital. Até o fechamento do terceiro trimestre conseguimos alcançar importantes resultados regionais e projetamos o próximo ano com muito otimismo e expectativa de crescer ainda mais”, avalia Eduardo Almeida, presidente da Unisys para América Latina.

“O foco, a disciplina financeira e a constante busca por eficiência das nossas operações locais nos países onde atuamos, somado à aquisição de novos talentos, nos fazem crer em um 2018 com muitas oportunidades para expandirmos nossa operação na região”, completa Maurício Cataneo, CFO da Unisys para a América Latina.

Pesquisas Unisys em 2017

Unisys Security Index 2017 – O Unisys Security Index – importante barômetro regular da preocupação sobre o tema segurança em âmbito global – foi lançado em 2007 para oferecer uma estatística robusta e uma análise contínua sobre o tema. O índice abrange a mudança de atitudes, ao longo do tempo, em quatro categorias: Segurança Nacional, Financeira, na Internet e Pessoal. No Brasil, os resultados da edição deste ano apontam que há um alto nível de preocupação com o tema segurança, mesmo quando o resultado é comparado com a edição anterior da pesquisa (2014). O estudo Unisys Security Index 2017 é baseado em entrevistas online realizadas em abril deste ano, com uma amostra representativa de cada nacionalidade de mais de 1.000 participantes adultos dos seguintes países: Argentina, Austrália, Bélgica, Brasil, Colômbia, Alemanha, Malásia, México, Holanda, Filipinas, Nova Zelândia, Reino Unido e Estados Unidos.

• Unisys Cloud Transformation Research - A pesquisa foi realizada com o objetivo de compreender a velocidade com que empresas em todo o mundo estão migrando para a nuvem, como está a questão de economia de custos benefícios, as principais barreiras, entre outros aspectos. De acordo com o estudo, 68% das empresas latino-americanas planejam migrar suas aplicações para a nuvem nos próximos 12 a 24 meses. Além disso, na região quase metade (47%) das empresas ainda não fez uma análise de ROI necessária para a migração de suas aplicações para a nuvem pública. A análise foi conduzida com 400 executivos de TI e negócios em oito países, em maio deste ano.

A Unisys em segurança cibernética

Atualmente, diante dos recentes ataques cibernéticos globais como o Wannacry, entre outros exemplos, a segurança cibernética está no topo das preocupações da sociedade e dos líderes de empresas. O Gartner prevê que os orçamentos em segurança para os próximos anos deverão focar-se cada vez mais nos temas de monitoramento e remediação contínuas e imediatas.

Uma das abordagens para uma implementação eficaz deste modelo é a Arquitetura de Segurança Adaptativa (ASA), que proporcionam entre outras etapas, uma forma de responder à ameaça. Neste sentido, o Unisys Stealth integra o sistema de detecção com uma tecnologia dinâmica de microssegmentação, que permite prontamente colocar em uma rede especial de quarentena um sistema comprometido, evitando a movimentação lateral do atacante ou o espalhamento de malwares na rede

A nova versão do software de segurança por microssegmentação Unisys Stealth, anunciada recentemente, protege dados de negócios em ambientes de nuvem híbrida em qualquer momento e em qualquer local, seja em nuvens públicas ou privadas, data centers, notebooks ou outros dispositivos portáteis, como celulares e tablets.

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton