O suicídio da sonda Cassini sobre Saturno

Por Ethevaldo Siqueira
30/08/2017 - No momento em que comecei a escrever esta notícia, eram 14h24 desta quarta-feira, dia 30 de agosto. Naquele instante, estávamos a apenas 15 dias, 18 horas, 30 minutos e 31 segundos do Grand Finale da sonda Cassini, ou seja do mergulho final dessa nave sobre o planeta Saturno, previsto para acontecer às 7h31 da manhã (hora de Brasília), do dia 15 de setembro de 2017. Confesso que estou realmente ansioso por assistir a esse suicídio glorioso da espaçonave, no momento em que em que eu começava a escrever este post.

Sonda Cassini

Sim, amigos, daqui a pouco mais de 15 dias, os cientistas passarão a conhecer muito mais sobre Saturno, como resultado do mergulho final da sonda Cassini sobre o imenso planeta. Depois de 20 anos no espaço, a sonda esgotou todo o seu combustível, num trabalho magnífico de exploração dos satélites e dos anéis da Saturno.

Sonda Cassini sobre Saturno

Para proteger as luas de Saturno – pois elas poderiam ter condições adequadas para abrigar alguma forma de vida – a NASA planejou um final espetacular para este solitário viajante de longa vida.

Recordemos um pouco mais sobre a viagem de Cassini. Em 2004, após uma viagem de 7 anos pelo sistema solar, a nave chegou a Saturno. Nesse primeiro momento, a sonda espacial transportava a sonda europeia Huygens, sua companheira, que era o primeiro artefato construído pelo homem a pousar sobre um mundo no distante de nosso Sistema Solar Externo. Por mais de uma década, a sonda Cassini compartilhou imagens e milhares de informações sobre Saturno e sua família de luas geladas desse planeta gigante, dominado por violentas tempestades e curiosos aspectos de sua gravidade.

Nesse período, a sonda nos mostrou mundos espetaculares onde se formaram mares e rios de metano. E mais: onde jatos de gases e partículas de gelo explodem rumo ao espaço a partir de oceanos líquidos de água, que podem abrigar os ingredientes básicos da vida.

 A NASA controla remotamente todas as manobras e atividades da sonda Cassini por intermédio de sua Rede de Rádio de Espaço Profundo (Deep Space Radio Network), que utiliza antenas parabólicas com 70 metros de diâmetro, que conta com três estações de controle: uma localizada na Califórnia, outra na Espanha e a terceira, na Austrália, aqui mostrada na foto acima das parabólicas.

Assista ao vídeo nesse link para compreender melhor o Grand Finale de Cassini.

Para um estudo mais amplo da missão Cassini, acesse aqui ou aqui:

Crédito das imagens: NASA/Jet Propulsion Laboratory-Caltech

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton