Qual será o futuro econômico da IoT?

Ethevaldo Siqueira
17/03/2017 - A Internet das coisas ou IoT poderá gerar US$ 4 trilhões em dez anos só na indústria. Essa previsão é feita por consultores da McKinsey, em um valor equivalente ao PIB anual do Japão. Na visão dos especialistas, a internet das coisas representa uma oportunidade sem precedentes de geração de lucro com máximo de produtividade, confiabilidade e segurança.

Uma das conclusões dos especialistas é a de que a Internet das Coisas está na infância. Ou seja, ainda está engatinhando. Mas o que surpreende não é o presente estado da IoT, mas, sim, o seu futuro mais do que surpreendente.


Eu ouvi em Barcelona há duas semanas uma previsão da consultores da McKinsey & Co de que só no lado industrial, a Internet das Coisas poderá gerar valores da ordem de US$ 4 trilhões nos próximos dez anos – algo próximo do PIB ou Produto Interno Bruto anual do Japão.

É impressionante, mas na visão dos especialistas, a Internet das Coisas representa uma oportunidade sem precedente de geração de lucro, com o máximo de “produtividade, confiabilidade e segurança".

Mas isso não se refere a todas as empresas. Segundo os visionários da IoT, essa revolução de “produtividade, confiabilidade e segurança" e de grande rentabilidade só beneficiará os setores e indústrias que compreenderem corretamente "como tirar proveito do poder de dispositivos conectados”.

Um ponto-chave para o sucesso da IoT, segundo esses especialistas, é a orientação dessa tecnologia para aumentar exponencialmente a eficiência industrial. E, para isso acontecer, “é preciso que mais máquinas, mais empresas e mais pessoas se interconectem, interajam e compartilhem dados”.

Mas esses mesmos especialistas advertem que o grande obstáculo a esse progresso serão coisas típicas da natureza humana, como inércia e excessiva preocupação com os riscos e segurança.

 

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton