NASA anuncia novo teste do sistema de foguetes SLS

O tempo preciso não foi dado, mas os engenheiros acham que corrigiram problemas que impediram a conclusão do teste de abastecimento

Por Christian Davenport, de The Washington Post

O enorme foguete do SLS (Space Launch System ou Sistema de Lançamento Espacial) da NASA, destinado a enviar astronautas à Lua, saiu de seu prédio de montagem com grande alarde em março, chegando, pela primeira vez, à sua plataforma de lançamento. Fãs lotaram o Centro Espacial Kennedy, na Flórida, torcendo, como se estivessem em um jogo de futebol. Uma banda da faculdade tocou o hino nacional dos EUA.

“Senhoras e senhores, eis aqui o foguete mais poderoso do mundo. Com ele, estaremos de volta à Lua e iremos a Marte”, anunciou o administrador da NASA, Bill Nelson.

Bem, não exatamente. Em vez disso, a NASA teve que mover o foguete de volta para seu prédio de montagem depois que problemas impediram a agência espacial de concluir um grande teste de pré-lançamento.

Assim, a NASA se prepara para nova tentativa de teste de abastecimento, dizendo que substituiu uma válvula com defeito no segundo estágio do foguete e descobriu o que estava causando um vazamento em uma de suas linhas de combustível. Em breve, o foguete se deslocará novamente para fora do Edifício de Montagem do Veículo (Vehicle Assembly Building ou VAB), para outra tentativa no que a NASA chama de “Wet Dress Enhearsal” — por carregar mais de 2,65 mil metros cúbicos de combustível líquido propulsor em uma contagem regressiva simulada. A conclusão bem-sucedida do ensaio é necessária antes que a agência tente o primeiro lançamento do SLS.

Jim Free, administrador associado da NASA, disse a repórteres na quinta-feira que a agência espera devolver o SLS ao bloco nas próximas semanas. Se tudo correr bem, a agência poderá lançar o foguete já em agosto. Mas ele acrescentou que a NASA não anunciaria uma data de lançamento até que o teste de abastecimento seja concluído. Outras datas no final do ano também estão sendo contempladas, disse ele.

“Voltar para o VAB foi absolutamente a coisa certa a fazer para realmente resolver vários problemas que encontramos no bloco”, disse Free. “Também queremos ser realistas já que poderemos gastar mais de uma tentativa para obter os procedimentos em que temos uma contagem suave de lançamentos que nos dá a melhor chance de aproveitar nossas janelas de lançamento.”

O foguete SLS é a espinha dorsal do programa Artemis da NASA, o plano de devolver os astronautas à Lua pela primeira vez desde a Apollo 17 em 1972. Com 106 metros de comprimento (e mais alto que a Estátua da Liberdade), é um foguete projetado para impulsionar a cápsula da tripulação Orion para a Lua. A primeira missão, conhecida como Artemis I, prevê o envio da cápsula Orion para entrar em órbita lunar sem nenhum astronauta. 

A segunda missão, programada provisoriamente para 2024, repetiria essa missão, mas teria astronautas da NASA na cápsula. Em seguida, o pouso.

Por enquanto, a NASA prevê que isso ainda pode acontecer até 2025. Mas, dada a longa história de contratempos e atrasos — inclusive durante os testes de abastecimento — muitos especialistas acham que esse prazo também poderá ser adiado.

Às vezes ridicularizado, com o apelido de “Sistema de Lançamento do Senado”, porque fornece empregos nos principais distritos do Congresso, o custo do foguete já ultrapassou bilhões de dólares acima do orçamento e está atrasado alguns anos.

Esta semana, Nelson mirou na dependência da agência em tais programas e no tipo de contrato, conhecido como “cost-plus”, que mantém o dinheiro fluindo para os empreiteiros mesmo que exceda o orçamento.

Ele disse que a agência deveria confiar mais na competição entre os fornecedores, dizendo que “você faz isso mais barato, e isso nos permite nos afastar do que foi uma praga para nós no passado, que é um contrato de custo adicional”.

A NASA, no entanto, continua comprometida com o programa SLS e Orion, apesar de seus contratempos. Mas em breve pode ter concorrência. A SpaceX de Elon Musk está desenvolvendo um foguete, conhecido como Starship, que seria mais alto e ainda mais poderoso que o SLS. A SpaceX está aguardando a aprovação da FAA (Federal Aviation Administration) para realizar seu primeiro lançamento orbital, mas essa permissão foi adiada por causa de uma revisão ambiental.

Dado o tamanho e a complexidade do SLS, a NASA disse que espera encontrar problemas — e é por isso que a agência realiza os testes em primeiro lugar. Os engenheiros aprenderam muito sobre como o hardware funciona.

“Até aqui, o mega foguete lunar está indo muito bem. Temos uma válvula de retenção — esse é literalmente o único problema real que vimos até agora”, disse Tom Whitmeyer, vice-administrador associado da divisão de desenvolvimento de sistemas de exploração da NASA. “Estamos muito orgulhosos do foguete. Achamos que é um magnífico foguete. Acho que estamos realmente ficando mais competentes com este foguete. Mas temos ainda um pouco mais de trabalho pela frente.”

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton