Novo MacBook Pro de 13” custará no Brasil: R$ 17.299

Ethevaldo Siqueira

A máquina é linda e suas características apaixonantes. Assim é o novo MacBook Pro de 13 polegadas. E, como acontece com todo lançamento da Apple, o anúncio de ontem (10 de novembro) do novo Mac foi um show que nenhum outro fabricante é capaz de imitar. O preço sugerido parte de R$ 17.299 no Brasil, para a versão com SSD de 256 GB.

E sob vários aspectos, as características do MacBook Pro de 13 polegadas justificam o espetáculo de marketing e inteligência da Apple. O coração do novo Mac é o M1, novo chip M1, de fabricação da própria Apple, que tem arquitetura ARM e promete maior velocidade em relação aos modelos com processador Intel.

O novo MacBook Pro tem Tela Retina de 13 polegadas com tecnologias IPS e True Tone, assim como o modelo lançado aqui no Brasil em junho deste ano. A grande diferença fica pelo interior do laptop, que agora inclui o chip M1.

O SoC (System on a Chip) tem CPU de 8 núcleos e proporciona desempenho 2,8 vezes superior em relação à geração anterior, além de gráficos até cinco vezes mais rápidos. De acordo com a Apple, é possível trabalhar com vídeos ProRes 8K no DaVinci Resolve sem perder um único quadro.

Outro trunfo do processador Apple Silicon é a eficiência energética: com promessa de maior economia de bateria, o MacBook Pro deve entregar autonomia para até 20 horas - o dobro da duração da geração anterior e a maior estimativa já vista para um Mac.

Que é arquitetura ARM?

Originalmente Acorn RISC Machine, e depois Advanced RISC Machine, ARM é uma família de arquiteturas RISC desenvolvida pela empresa britânica ARM Holdings. Tais arquiteturas são licenciadas pela ARM para outras empresas, que implementam-nas em seus próprios produtos. A ARM também desenvolve chips que utilizam tal arquitetura e que são licenciados para uso exclusivo de outras empresas em seus produtos.

Microprocessadores com uma arquitetura RISC em geral necessitam de menos transistores do que chips CISC, como os da arquitetura x86, comumente encontrada em computadores pessoais. Essa característica permite um consumo menor, custo menor, e dissipação de calor menor, o que faz dessa arquitetura algo desejado por fabricantes de dispositivos pequenos, portáteis, e movidos a bateria, como smartphones, laptops, e outros sistemas embarcados. Supercomputadores também podem se beneficiar dessas características, e alguns utilizam arquitetura ARM. 

Vale ressaltar ainda um dos pontos altos resultantes da combinação do novo processador com o macOS Big Sur: uma coleção maior de aplicativos disponíveis para Mac. O laptop conta com câmera FaceTime HD de 720p, duas portas Thunderbolt/USB4, Magic Keyboard retroiluminado, Touch Bar, Touch ID, sensor de luz ambiente e Trackpad Force Touch, que permite um controle mais preciso de cursos e conta com sensores de pressão.

As especificações de áudio incluem alto-falantes estéreo com alto alcance dinâmico e compatibilidade com Dolby Atmos e, segundo a Apple, três microfones com "qualidade de estúdio”. Também há entrada para fones de ouvido (3,5 mm).

Quanto ao preço e disponibilidade do MacBook Pro com M1 no Brasil, ainda não há informações sobre quando chegará ao mercado brasileiro. Seu preço, entretanto, já foi revelado pela Apple: R$ 17.299 para a versão com SSD de 256 GB (8 GB de RAM) e R$ 19.799 no modelo de 512 GB (8 GB de RAM).

Saiba mais: https://www.apple.com/br/macbook-pro-13/

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton