A melhor qualidade do som na Internet de banda larga

Por Ethevaldo Siqueira

Escrevo hoje para aquelas pessoas que amam a música da melhor qualidade gravada ou via internet — seja clássica ou jazz. Nesse campo, minha primeira exigência é dispor de um bom acesso de banda larga à internet, para obter o melhor áudio e o vídeo, como nos DVDs de música, de concertos ou de shows.

Para se aproveitar ao máximo a música, é essencial que tenhamos bons equipamentos de reprodução, inclusive com alto-falantes de alto padrão, e um ambiente tranquilo e silencioso. Essas são as condições essenciais para ouvirmos música clássica ou o jazz.

Como ouvinte, eu me incluo entre as pessoas mais exigentes. Além de contar com bons CDs e de um sistema de áudio de alto padrão, sou assinante dos Concertos Digitais da Filarmônica de Berlim, cuja música recebo pela internet via fibra óptica. Do ponto de vista tecnológico, disponho, com certeza, da melhor qualidade disponível a um usuário brasileiro. Em certos momentos, com meu fone de ouvido, eu me sinto como se estivesse no auditório da própria Filarmônica.

As exigências tecnológicas na internet não se referem apenas ao simples acesso a textos e imagens, mas, sim, para assegurar a melhor recepção das melhores orquestras, como os Concertos Digitais.

Além da tecnologia, é essencial que possamos contar com um ambiente silencioso para ouvir música. A rigor, só disponho desse ambiente de madrugada, razão por que tenho que recorrer com frequência aos meus fones de ouvido de alta fidelidade, como o Bose Quiet Comfort 35 — com a capacidade de eliminar ruídos ou, na expressão técnica, com o recurso de “noise cancelling”. Essa eliminação dos ruídos externos é, a meu ver, condição básica para se ouvir música erudita.

A experiência de hoje

Pois bem, armado com a melhor tecnologia de áudio, assisti esta tarde ao Concerto Digital da Filarmônica de Berlim, gravado há 10 dias, pois não pude assistir ao vivo naquela data. Confesso que fiquei encantado com a qualidade acústica da música que acabo de ouvir.
Com o escritório fechado e na penumbra, consegui reduzir quase totalmente o ruído externo e pude curtir o Concerto para Violino e Orquestra Nº 1 em Sol menor, op. 26, de Max Bruch, com o solista Noah Bendix-Balgley e a Orquestra Filarmônica de Berlim, sob a regência Marek Janowski (Foto).

Deixar seu comentário

0
termos e condições.
  • Nenhum comentário encontrado

newsletter buton